Análise da reunião ministerial de Bolsonaro

Datafolha: explode a rejeição a Bolsonaro

Por Redação

03 de abril de 2020 : 14h40

Atualização: já foi divulgada a íntegra da pesquisa.

Os números do Datafolha, divulgados há pouco, confirmam pesquisa da XP que publicamos hoje mais cedo.

A gestão do presidente na crise do coronavírus está destruindo o prestígio de Bolsonaro, e com mais força justamente em seus principais bastiões: os segmentos mais ricos e instruídos da sociedade.

***

Abaixo, gráfico e trechos de reportagem da Folha, com pesquisa do Datafolha:

“(…) Bolsonaro é pior avaliado por mulheres (43% de reprovação), pessoas com curso superior (50%) e mais ricos (acima de 10 salários mínimos mensais, 46%).

A erosão entre instruídos e mais abastados, antes bases bolsonaristas, manteve o padrão da pesquisa anterior. Jovens (16 a 24 anos, 45% de ruim/péssimo) e ouvidos de 35 a 44 anos (47%) são os que mais o rejeitam. A aprovação geral, ainda que não seja comparável metodologicamente a pesquisas presenciais anteriores, vai em linha com o suporte geral do presidente no eleitorado.

A sucessão de ordens e contraordens na gestão da crise cobra um preço. Para 51%, Bolsonaro mais atrapalha do que ajuda no combate ao vírus. Pensam o contrário 40%.

O Datafolha voltou a aferir a aprovação de governadores e incluiu a de prefeitos nesta pesquisa. O presidente está em pé de guerra com os chefes estaduais desde que a crise eclodiu, e ameaça baixar um decreto para romper o fechamento do comércio em locais como São Paulo.

Aprovam a gestão de seus governadores 58% dos brasileiros, ante 54% da rodada anterior. Os reprovam os mesmos 16% e a avaliação regular caiu de 28% para 23%. Já os prefeitos recebem ótimo e bom e 50%, 25% de regular e 22% de ruim e péssimo.

A rejeição ao trabalho de Bolsonaro subiu mais entre moradores do Sudeste (de 34% para 41%) e no Norte/Centro-Oeste (24% para 34%) —neste caso, é notável a dissidência de um expoente da região, o governador goiano Ronaldo Caiado (DEM), que rompeu com Bolsonaro na semana passada.

Ainda assim, essa região é a que melhor avalia (41% de ótimo/bom) o presidente, juntamente com o Sul (39%), onde um governante aliado, Comandante Moisés (PSL-SC), também deixou as hostes bolsonaristas.

O Nordeste se cristaliza como um centro de rejeição ao presidente nesta crise, com a maior taxa de ruim e péssimo, 42%. Também por lá acham que Bolsonaro mais atrapalha a gestão 57%. (…)”

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

3 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Gustavo

04 de abril de 2020 às 06h55

Passando essa pandemia volta tudo como era antes, não podemos cantar vitória, a oposição é completamente nula nesse momento.

Responder

Alan C

03 de abril de 2020 às 15h26

O que surpreende é o inútil estar perdendo força exatamente onde ele era mais forte, no sudeste, entre as pessoas com curso superior e as que ganham mais de 10 salários.

Tô aprovando demais a gestão da família buraco, que continuem assim!! kk

Responder

Cigano Cheiroso

03 de abril de 2020 às 15h08

Como não há oposição a esse Governo a Globo resolveu entrar no jogo.

Responder

Deixe uma resposta