Live do Cafezinho: bate papo com o cineasta cearense Wolney Oliveira

Bolsonaro continua perdendo apoio de mais instruídos e classe média

Por Miguel do Rosário

18 de maio de 2020 : 17h39

A última pesquisa do site Poder 360, feita entre os dias 11 e 13 de maio, deve ser comparada às sondagem da mesma fonte realizadas nos dias 13 a 15 de abril e nos dias 27 a 29 de abril

A análise de hoje foi feita em vídeo também! 

Seus pontos principais são:

  • O percentual de “ótimo e bom” de Bolsonaro há um mês, segundo essa pesquisa, era de 36%. Hoje é de 30%. 
  • O percentual de “ruim e péssimo” de Bolsonaro no início de abril era de 33%, hoje é de 39%. 
  • Entre eleitores com ensino médio, Bolsonaro tinha 34% de bom e ótimo em abril. Hoje tem 27%.
  • Ainda entre eleitores com ensino médio, o presidente tinha 37% de ruim e pésssimo em abril. Agora tem 39%. 
  • Entre eleitores com ensino superior, Bolsonaro tem 50% de ruim e péssimo e 31% de bom e ótimo. 
  • Os dados do Sul mostram alguma distorção estatística, embora seja verdade que seja a região onde o presidetena tenha a maior aprovação.
  • No Sudeste, Bolsonaro hoje tem 49% de ruim/péssimo, e apenas 25% de ótimo/bom.

 

 

No recorte por renda, destacaria os seguintes pontos:

  • Bolsonaro tem mais rejeição que aprovação em todas as faixas de renda, com exceção de desempregados e sem renda fixa, onde ele mantém 35% de bom e ótimo, e 29% de ruim e péssimo.
  • Entre eleitores com renda entre 2 e 5 salários, Bolsonaro tem 59% de ruim e péssimo (número tão díspare das outras faixas, que pode ter havido alguma distorção estatatísica, mas é fato que Bolsonaro hoje enfrenta oposição crescente das classes médias, que foram o esteio de sua eleição).

***

Esses números assustaram alguns analistas. 52% dos entrevistados responderam que não consideram que as acusações de Moro sejam suficientes para derrubar Bolsonaro. Issso  é diferente, todavia, de eventual apoio a Bolsonaro, como a tabela acima mostra. Mesmo entre quem acha o governo ruim/péssimo, 32% também não acham que essas denúncias sejam suficientes (20% disseram que não, e 12% disseram não saber). 

Entre os eleitores que qualificaram o governo Bolsonaro como “regular”, 64% também responderam não à derrubada do presidente com base nessas acusações; outros 20% disseram não saber; e apenas 16% responderam que sim, que as denúncias seriam motivo de impeachment. 

Essa pesquisa tem a ver com a qualidade dessa denúncia, que é, de fato, ainda vaga. Os brasileiros precisam, por exemplo, ter acesso ao famigerado vídeo da reunião do dia 22 de abril. Esse tipo de conteúdo pode mudar algumas opiniões. 

 

***

 

 

 

 

A tabela acima é bastante emblemática sobre a seriedade com que a população está encarando a crise do coronavírus, e ao mesmo tempo do prejuízo causado pelos discursos negacionistas de Bolsonaro.

Perguntadas se tem chance de morrer em caso de contraírem o coronavírus, 46% responderam que não. 

É evidente que esses números irão se modificar dramaticamente de maneira proporcional ao crescimento no núḿero de vítimas fatais do Covid-19. 

Entre os mais pobres, apenas 27% tem medo de morrer, contra 44% dos que tem renda entre 5 e 10 salários. 

Essa “bravura” em relação ao Covid-19 entre os mais pobres é consequência da ignorância e da propaganda enganosa do bolsonarismo, mas infelizmente isso pode mudar expressivamente nas próximas semanas, conforme mais e mais pessoas próximas forem sendo vítimas da doença. Aliás, o gráfico abaixo, que deixo para o final do post, já mostra isso. O percentual de entrevistados que responderam que alguma pessoa próxima ficou doente com o coronavírus passou de 8% em 15 de abril para 26% em maio. Pelo crescimento exponencial da doença, é muito provável que observemos uma evolução dramática desse percentual ao longo das próximas semanas, com consequências significativas sobre a avaliação do governo. 

 

    

 

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

8 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Miramar

19 de maio de 2020 às 13h31

Gostaria de saber a opinião do André Singer sobre isso.

Responder

Paulo

19 de maio de 2020 às 08h04

F
O
R
A

B
O
L
S
O
N
A
R
O
S

Responder

Aureliano

19 de maio de 2020 às 05h36

Fora de Pauta

FAVELA DO RIO: NO COMBATE AO CORONAVÍRUS, O TRÁFICO DÁ DE 7 X 1 NO BOLSONARO

Tráfico decreta toque de recolher em favela do Rio para conter o coronavírus

“A ronda vai passar e é sem simpatia”

Publicado 18/05/2020

Na favela Camarista Méier, zona norte do Rio de Janeiro, traficantes decretaram toque de recolher para tentar conter a disseminação do coronavírus. A medida entrará em vigor nesta quarta-feira 20/V.

Segundo o site O Antagonista, que obteve acesso a uma mensagem disparada pelos traficantes aos moradores do local, todos deverão estar em casa antes das 21h, com exceção dos que estão chegando ou saindo do trabalho.

“Abraça o papo, para o papo não te abraçar. A ronda vai passar e é sem simpatia”, diz o recado dos traficantes.

E tem mais: durante o dia, o comércio (com exceção de “mercadinho, farmácia e hortifrúti”) deverá funcionar com a porta aberta pela metade – “comprar e ir embora pra casa”.

https://www.conversaafiada.com.br/brasil/trafico-decreta-toque-de-recolher-em-favela-do-rio-para-conter-o-coronavirus

Veja o anúncio pregado na porta dos barracos (link acima) e note que o
o pessoal do tráfico escreve muito melhor do que o “sinistro da educassão” do governo Bolsonaro, Abraham Weintraub.

Ainda há esperança!

Responder

Paulo

18 de maio de 2020 às 20h12

Bolsonabo vai perder alguma gordura, ainda, até 2022. Mas não muita, já que, mesmo sendo um desastre administrativo, e, agora, especialmente, com a capitulação completa ao Centrão, uma debacle moral, seu Governo ainda tem 30% de aprovação total. É espantoso o nível de desinformação e chocante a falta de compostura de algumas pessoas. Por mais que o PT tenha cometido os graves crimes que cometeu, por mais que o antipetismo viceje na mente das pessoas, ser antipetista não deveria significar, automaticamente, ser um asno bolsonarista. Minha única esperança é que Moro provoque um estrago nessas fileiras, e arrebate boa parte do eleitorado à direita e centro-direita, pra não falar do centro.

Responder

    Batista

    19 de maio de 2020 às 12h46

    Quando, repetindo o reconhecimento de moro ao ser defenestrado do prêmio obtido pelos bons serviços eleitorais prestados, o famoso ‘Reinaldo Rolabosta’, precursor da campanha anti-petista e arrependido há muito, chega a conclusão de perguntar aos fiéis e infiéis devotos, hoje asnos da bovinidade digital bolso ou morista: “Vamos ter que pedir a volta do PT para termos uma PF independente?”

    Quando, Paulo Marinho, do núcleo principal da campanha bolsonarista, entrega com provas, mais da fraude já sabida ocorrida na eleição de 2018, onde tiveram que prender Lula para que não pudesse concorrer e vence-la, onde reciclaram delação recusada de Palocci na Procuradoria, em repescagem junto a PF para ser utilizada e divulgada por moro, há uma semana do primeiro turno com a campanha Haddad crescendo e com a campanha no segundo turno absurdamente impedida por ação deliberada da mídia golpista, sabendo seu candidato de risco à exposição do contraditório em debates.

    Quando, Felipe Neto faz ‘mea culpa’ e declara que o impeachment de Dilma foi um golpe de estado”, e pede desculpas esclarecendo não ter dúvidas que, “… no momento do impeachment, que podemos chamar de golpe, a minha colaboração embora fosse nada se comparável com a força que tenho hoje nas redes sociais, sem dúvida ela existiu e foi usada de maneira errada”.

    Não tem preço apreciar ‘o desapreço’ na refrega entre asnos, os bolsonaristas e o moristas.

    Responder

Raul

18 de maio de 2020 às 20h07

Eu apoio Bolsonaro, assim com a maioria do povo brasileiro que o elegeu Presidente do Brasil democraticamente nas eleições em 2018 para a tristeza da bandidagem brasileira como o autor desse artigo!!! Nós somos Conservadores, Cristão, de Direita e somos a maioria no Brasil e no Mundo! Em uma Democracia, quem governa é a maioria do povo, então por favor, respeite o voto e a vontade do povo brasileiro! A Esquerda genocida que matou mais de 100 milhões de inocentes pelo mundos nos ultimos 90 anos, jamais voltará ao poder do Brasil! Seu GOLPISTA!! Analfabeto funcional e moral! Seu PARIA apoiador de bandidos, assaltantes de bancos, mercenários, comunistas e genocidas!!! Esse era ó governo do PT! Dá até vontade de vomitar!!! Meus herois não morreram de overdose e muito menos foram presos !!!

Responder

    David Guerra

    19 de maio de 2020 às 11h22

    Com todo respeito prezado, o Sr. defeca pelos dedos ao digitar tamanha asneiras.
    01 – Você não é e nunca será direita ou esquerda, são modelos de gestão.
    02 – Cristão? Desde quando? Procura saber o significado.
    03 – Conservador de quê? A leitura e a informação liberta e te farás uma nova pessoa a todo momento e verás que nem por isto deixarás de ser quem és, mas estarás em outro patamar. A ignorância te cega ao novo, a pesquisas e experiências.
    04 – Não te sintas ofendido, desejo a você e sua família tudo de bom, paz e saúde.

    Responder

Raul

18 de maio de 2020 às 19h57

Engraçado, a popularidade dele é tão ruim que ele ganhou de todo mundo nas eleições de 2018 para o desespero da bandidagem brasileira que agora tentar há 02 anos sabotar o Brasil e o governo com mentiras e calunias e sempre dá tudo errado! Vocês são como os irmãos bacalhau e fedem como eles!!!

Responder

Deixe uma resposta