Live do Cafezinho (19h): que segurança pública que queremos?

Mudança na direção nacional do PT é defendida por alas do partido

Por Redação

01 de dezembro de 2020 : 15h08

Após o resultado do 2° turno nas eleições municipais que deixou o Partido dos Trabalhadores sem nenhuma capital pela primeira vez em 35 anos, setores do partido articulam o adiantamento do congresso da legenda para 2021 com o objetivo de trocar a direção nacional que atualmente é ocupada pela deputada federal Gleisi Hoffmann (PT-PR).

“Em função dos problemas que o partido enfrentou na eleição, temos que fazer um balanço, debater a nossa tática e renovar a direção”, disse ao Globo o deputado José Américo.

Além da troca de comando, também há uma defesa de que o ex-presidente Lula precisa se afastar da centralidade do partido em prol de novas lideranças.

“O PT tem várias lideranças: Haddad, Camilo Santana, Jaques Wagner, Rui Costa, Wellington Dias e Fátima Bezerra. Vários senadores. O Lula já deu muito para o partido. É hora de abrir espaço”, defendeu Alberto Cantalice, membro do Diretório Nacional.

Horas depois do resultado negativo nas urnas, Cantalice também se manifestou no Twitter.

Fonte: Reprodução / Twitter

Em entrevista ao programa do jornalista Mário Kertész desta segunda-feira, 30, o senador Jaques Wagner (PT-BA) também defendeu mudanças de conteúdo no partido.

“São pessoas jovens que estão começando a ter reconhecimento público. Acho ótimo, a gente não pode ficar refém. Sou amigo do Lula, mas vou ficar refém dele a vida inteira? Não faz sentido. É minha opinião sincera, parabéns aos jovens que participaram e ganharam”

Fonte: Reprodução / Twitter

Na manhã desta segunda, 30, a cúpula Nacional do PT se reuniu com Lula, Haddad, governadores e os líderes do partido na Câmara e Senado para fazer um balanço do desempenho da legenda no pleito de 2020. Segundo reportagem do O Globo, Gleisi avaliou como positiva a estratégia adotada por Lula em lançar candidaturas “puro sangue” em todas as capitais e usou como justificativa o aumento da votação no partido.

Porém, pessoas próximas a parlamentar discordam e alegam que o resultado foi negativo e não atendeu as expectativas. A explicação é que o PT não conseguiu recuperar os 60% de prefeituras que perdeu na eleição anterior quando conquistou apenas Rio Branco, no Acre.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

4 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

JuninhoZeff

03 de dezembro de 2020 às 08h36

Vcs deveriam pegar mais leve combo PT. Apenas me digam qual partido foi e é mais perseguido e massacrado pelas grandes mídias!? O PT saiu mais que vitorioso, saiu fortalecido. Muitos ignoram até às perseguições da “justiça” partido político. Rasgaram a constituição, formaram quadrilhas dentro de órgãos que têm como missão combater. Eu não tenho dúvida da força do PT…e virão mais perseguições, e venceremos todas.

Responder

Netho

01 de dezembro de 2020 às 22h16

Millôr Fernandes dizia que “o pior cego é aquele que quer ver”. A burocracia partidária petista está ganindo em arrancos de cachorros atropelados, como diria Nelson Rodrigues. Não é só quanto ao numero de capitais, que em 2020 foram zeradas, com zerésima e tudo. Mas nas Câmaras Municipais também não há alívio nem refresco para a água fresca do fundo partidário e sombra para o fundo eleitoral dos petistas. Embora montados em mais de R$ 200 milhões de reais com o maior fundo eleitoral entre todos os partidos, o PT também morde a maior bufunfa do fundo partidário; algo em torno de R$ 159 milhões. Mesmo assim, das 5.185 cadeiras em Câmaras Municipais conquistadas em 2012, a legenda foi a 2.813 em 2016 e agora a 2.658. A estrela que subiu nos anos 2000, agora desce ladeira escorregadia abaixo. Falta fundo à fundura do poço do PT.

Responder

Alan C

01 de dezembro de 2020 às 19h12

É defendida por alas do partido a muitos anos…

Mas enquanto estiverem lá caciques como Lula, a barbie maluca do PR, entre outros, esquece!

Responder

Jerson

01 de dezembro de 2020 às 16h01

Tem que zerar tudo, mudar nome, simbolo, criar jovens nos jovens e principalmente dar uma repassada no significado da palavra “democracia”.

Responder

Deixe uma resposta