Paris Café Extra: Finanças Funcionais, uma revolução copernicaniana na economia

Creator: Buda Mendes. Credit: Getty Images

Pesquisa presidencial em Minas: Bolsonaro 35%, Moro 11%, Ciro 9%, Haddad 8%, Huck 7%

Por Miguel do Rosário

23 de fevereiro de 2021 : 14h07

O instituto Paraná Pesquisas divulgou hoje pesquisa no estado de Minas Gerais com 1.638 pessoas (um número relativamente alto para uma pesquisa em apenas um estado), realizada entre os dias 18 e 22 de fevereiro de 2021. 

A pesquisa sonda intenções de voto dos eleitores mineiros para as eleições presidenciais de 2022, e para o senado no estado no mesmo ano, quando haverá uma vaga em disputa. Também há pesquisa de avaliação do governo Bolsonaro.

Para as eleições presidenciais de 2022, o instituto traz dois cenários. O primeiro com Haddad, o segundo com Lula. 

Em ambos os cenários, o presidente Bolsonaro pontua em torno de 35%.

No cenário 1, o segundo lugar é disputado voto a voto entre Moro (11%), Ciro (9,5%), Haddad (8,4%) e Huck (7,6%).

Entre Ciro e Moro, o pedetista leva vantagem entre eleitores mais jovens e com mais escolaridade: Ciro tem 12% entre eleitores com ensino superior, contra 9% de Moro e 7,6% de Haddad. 

A força de Huck é muito concentrada entre eleitores até 24 anos e com pouca instrução.

No cenário 2,  Lula assume o segundo lugar isolado, com 17,1%, seguido de Moro (10%), Ciro (7%) e Huck (6%). 

A força de Lula é muito concentrada entre eleitores menos instruídos, até o ensino fundamental, entre os quais tem 22% das intenções de voto.

Entre eleitores com ensino superior, Lula tem 11%, Moro 8% e Ciro 10%.

João Doria pontua 4% nos dois cenários e não parece muito competitivo para disputar uma vaga no segundo turno.

Bolsonaro tem aprovação de 52% em Minas Gerais. Ela é maior entre eleitores com ensino médio, entre os quais chega a 55%.

Conclusão

Os números sinalizam que dificilmente haverá espaço para outro candidato de centro-direita além de Bolsonaro. Sergio Moro, Huck e Dória encontram grande dificuldade para se afirmarem politicamente, com o agravante que o tempo passa e a situação deles, especialmente no caso de Moro e Huck, permanece totalmente indefinida. 

Há apenas uma vaga realmente em disputa no segundo turno, pois uma já é de Bolsonaro. 

Essa disputa ficará entre PT e PDT. Embora o PT tenha favoritismo, o PDT pode se beneficiar da migração de votos antipetistas ou de centro, insatisfeitos com Bolsonaro, mas sem disposição de votar num candidato petista. Ciro teria, em tese, mais facilidade para receber o voto do eleitor conservador insatisfeito com Bolsonaro. 

A fragilidade de Haddad é bastante evidente pelo fato do candidato, mesmo tendo disputado o segundo turno, e se beneficiar do recall (memória fresca do eleitor), ainda sim fica em quarto lugar na disputa. 

Mas o PT tem o trunfo Lula, especialmente no Nordeste. Se o ex-presidente disputar ou transferir voto do nordeste para seu candidato, provavelmente Haddad, há forte chance de repetirmos o mesmo cenário de 2018. Se o resultado será o mesmo, apenas o tempo irá dizer. Eu arriscaria que o PT teria mais chances de ganhar do que em 2018, em função do desgaste de Bolsonaro, mas o risco do antipetismo falar mais alto também é bastante elevado.

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

15 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

dcruz

24 de fevereiro de 2021 às 21h10

Eu só quero ver a desculpa que os marqueteiros do bozo vão arranjar na hora do pega pra capar, ou seja, nos debates ao vivo. O bozo, como é notório, é de uma ignorância abissal em todos os assuntos, não diz vovô viu a uva, é só ler o livro do Mandetta que ele desnuda o farsante. Será que vão inventar outra facada?

Responder

Sebastião

24 de fevereiro de 2021 às 08h40

O anti-petismo com a suspeição de Moro, diminuirá bastante. Há pesquisas que as pessoas tem apoiado a Lava-Jato e a prisão de Lula. Mas a massa sequer, tem noção do que está acontecendo sobre os hackers. Se o anti-petismo se valesse de corrupção, eleitores não votariam no MDB e no PP. No MDB então, tem caciques presos e são poderosos. E continuam votando nesses partidos. Quando começar a campanha em 2022, o PT vai poder divulgar a perseguição da Lava-Jato, pois a mídia não tem interesse, porque ajudará o PT e Lula.

Responder

Paulo

23 de fevereiro de 2021 às 22h24

Fora de tópico, essa decisão da 5ª Turma do STJ abre ensanchas para a impunidade. Mais uma sinalização de Órgãos Judiciários superiores de que o que se deseja, realmente, é uma vaga no STF, pela qual todos se rendem ao Capetão. Tristes tempos…

Responder

    Renato

    23 de fevereiro de 2021 às 23h07

    A impunidade é democrática…..a mesma impunidade que beneficia Flávio, beneficia Lula !

    Responder

      Paulo

      24 de fevereiro de 2021 às 17h28

      Eis aqui o retrato perfeito de um bolsonarista. “Restaure-se a moralidade ou nos locupletemos todos”, não é verdade?

      Responder

Fátima

23 de fevereiro de 2021 às 19h04

Eu acredito que #MORO ganha no primeiro turno sem dificuldades, queremos mudança, homem de coragem, conhecimento e competência. Só precisa criar coragem e se candidatar.

Responder

    Barrica

    23 de fevereiro de 2021 às 23h08

    Amém, Fátima.
    Que vc esteja certa.

    Responder

Claudio Santos

23 de fevereiro de 2021 às 18h45

Esse resultado da pesquisa só reforça minha impressão de que o capiroto que ocupa hoje a presidência da república representa o povo brasileiro mais do que gostaríamos de admitir. A única saída ainda é o aeroporto.

Responder

Rock

23 de fevereiro de 2021 às 16h02

O PT. chega no segundo turno e ganha a eleição a grande imprensa não vai ter a coragem de bater no partido como fez na última eleição pois viu que criou um monstro na politica e com certeza vai abrir mão de ter preferido e com isso o PT., ganha a eleição mesmo que o Bolsonaro não vai ter como escapar dos debates agora e daí sua imagem vai derreter o que já teria acontecido já na eleição passada se tivesse que enfrentar os debates no segundo turno olho no olho com Haddad.

Responder

Marcus

23 de fevereiro de 2021 às 15h54

Deve ser triste ver que mesmo com toda a destruição feita na imagem do ex-presidente Lula ao longo de 7 ANOS (!) ele ainda dá de relho no coroné Ciro. Daí o medo de deixar o Lula concorrer em igualdade de condições…

Responder

    Miramar

    24 de fevereiro de 2021 às 01h03

    Você não sabe o que é coronelismo.

    Responder

Camara

23 de fevereiro de 2021 às 14h51

Isso de esperar que o Ciro receba votos antipetistas ou centro e ultrapasse o PT assim, é equivocada. Não vem acontecendo esse ganho e mesmo que ocorra em menor medida, o PT segue com chances de ir para o 2 turno. É necessário o PDT sinalizar a viabilidade com eleitorado petista e isso significa, basicamente, parar de atacá-los e se mostrar uma alternativa viável pra evitar mais 4 anos de bolsonarismo.

Responder

    Railton Melo

    24 de fevereiro de 2021 às 10h21

    As braçadas do Miguel pra colocar o Ciro no 2* turno são nítidas, hhehehe

    Responder

Kleiton

23 de fevereiro de 2021 às 14h17

Bolsonaro não tem rivais para 2022, já está reeleito.

Responder

    Washington F Oliveira

    25 de fevereiro de 2021 às 11h13

    Bolsonaro não ganha coisa nenhuma , faz pior governo da história.

    Responder

Deixe uma resposta