Despolarizando: pesquisa Datafolha neutraliza a terceira via?

Bolsonaro em alomoço com grupo de empresárias no último dia 30 (todos aglomerados e sem máscara). Foto: Alan Santos/PR

Looping

Por Pedro Breier

01 de maio de 2021 : 19h08

A vida em meio a uma pandemia parece um eterno looping. Para além dos dias às vezes muito parecidos, ao menos para quem tem a possibilidade e o bom senso de fazer quarentena, vemos um roteiro frustrante se repetindo:

1 – disparam as mortes;

2 – decretam-se restrições de circulação mambembes;

3 – as mortes mal começam a desacelerar e, contra a opinião dos pesquisadores que entendem do assunto, determina-se a reabertura de boa parte dos estabelecimentos;

4 – voltamos ao número 1.

É evidente que, sem um auxílio financeiro decente e amplo do governo federal para os trabalhadores e pequenos empresários, falar em restrição total de circulação por um tempo prolongado é muito complicado. E só este fato já demonstra quem é o grande responsável pelo descalabro que vivemos.

O negacionismo de Jair Bolsonaro pode ser verificado por meio de inumeráveis outras evidências. A agenda presidencial, por exemplo, é um escárnio. Uma página do Twitter acompanha a extenuante rotina de um presidente que enfrenta a maior crise sanitária do século: uma, duas ou até, uau, três horas e meia de trabalho por dia. A esmagadora maioria dos compromissos não é relacionada à pandemia.

Mas isto é esperado: Bolsonaro agindo, por ação e omissão, para garantir o alastramento do vírus e das mortes é outro elemento que roda em looping no filme de terror do qual participamos compulsoriamente há mais de ano.

Uma trama secundária que havia sumido agora parece querer voltar aos holofotes. A horda de bolsonaristas ensandecidos pedindo que Bolsonaro dê um autogolpe foi às ruas de verde e amarelo hoje, mais uma vez. Looping de filme de zumbi.

Mas há algumas diferenças importantes surgindo no cenário.

Bolsonaro não abraçou os apoiadores que babavam em Brasília, como fez tantas vezes nos últimos meses, mas passeou de helicóptero sobre eles e agradeceu no Twitter os pedidos de “intervenção militar” e de “expurgos” nos poderes legislativo e judiciário. Com a instação da CPI do Genocídio no Senado o presidente parece querer manter uma distância física um pouco maior dos seus apoiadores, talvez para tentar passar a impressão de que está numa fase mais responsável – o que é apenas patético.

A CPI, aliás, é outro elemento estranho ao looping habitual dos acontecimentos. Os senadores parecem estar com vontade de fazer uma investigação séria sobre o governo, o que só pode levar à responsabilização e punição do presidente e seus asseclas pelo assassinato em massa que o Brasil vive diariamente.

Um último fato novo é a explosão dos casos e mortes que está acontecendo na Índia, que pode ser o embrião de uma terceira onda mundial fulminante – especialistas acreditam que uma nova variante pode estar causando o estrago por lá. Como o presidente não mudou e nem vai mudar sua linha de atuação por aqui, é possível que uma nova disparada das mortes aconteça em meio aos trabalhos da CPI, e então a pressão social pelo impeachment precisará ser avassaladora, para que o Congresso sinta que tem o apoio necessário para dar andamento ao impeachment.

E esta é, vejam vocês, uma previsão otimista para as próximas semanas. Porque com a diminuição das restrições de circulação o aumento de mortes é fato consumado. Com a explosão na Índia uma terceira onda mundial é mais que provável. E aí entra o otimismo: com tudo isso acontecendo em meio à CPI, talvez Jair Bolsonaro finalmente seja derrubado e punido.

Em algum momento o looping precisa acabar.

Pedro Breier

Pedro Breier nasceu no Rio Grande do Sul e hoje vive em São Paulo. É formado em direito e escreve n'O Cafezinho desde 2016, sendo atualmente um dos editores do blog.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

6 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Efrem Ventura

02 de maio de 2021 às 18h47

(Bolsonaro em alomoço com grupo de empresárias no último dia 30 (todos aglomerados e sem máscara)

Essa eu nao entendì…alguem explica como se fica com mascara no restaurante ou na mesa de casa para comer ?

Responder

Marco Vitis

02 de maio de 2021 às 11h06

Mulher que apoia um misógino fascista não tem dignidade. Simples assim…

Responder

carlos

02 de maio de 2021 às 10h58

O maior pecado do fracasso do evangelismo foi ter banhado um monstro desse nas águas do rio Jordão, eles e outros asseclas dele, acho esse o grande pecado, das igrejas neopentecostais.

Responder

Alan C

01 de maio de 2021 às 22h40

Olha a cara desse animal nessa foto, me lembra o ator Leslie Nielsen, do filme “Corra que a policia vem aí”, aquele tiozão metido a engraçado. A diferença é que o Leslie era engraçado, e esse quadrúpede é só um palhaço que merece levar um pau.

Responder

Paulo

01 de maio de 2021 às 21h38

E difícil entender o “gado”. Para além dos preconceitos, é preciso verificar quem são seus componentes. O que pensam, qual o seu grau de instrução, seus sonhos, utopias (se é que existem). Eu, por exemplo, embora me considere um bom analista empírico (sem base científica), confesso que tenho dificuldades para entender esse fenômeno. Suspeito – mas não posso afirmar – que os evangélicos estejam por trás disso tudo – ou de boa parte da “pauta bolsonarista”. O veem, possivelmente, como um redentor (ou até como um “profeta” ou Messias), depois de anos de pregação na bolha e marginalidade, Bolsonaro deu voz aos evangélicos. Por que será que nenhum cientista social se predispôs, até aqui, a uma análise acadêmica desse fenômeno?

Responder

Tony

01 de maio de 2021 às 21h11

Esperneia mais Pedrinho.. .vai ganhar a play station no Natal…kkkkkkkk

Responder

Deixe uma resposta