Paris Café: O PT tem um projeto de governo? Qual é?

Foto: Divulgação

Túlio Gadelha diz que é uma insanidade colocar em dúvida as urnas eletrônicas

Por Gabriel Barbosa

15 de junho de 2021 : 21h53

Em entrevista ao Congresso em Foco, o deputado federal Tulio Gadelha (PDT-PE) expressou sua insatisfação com a Executiva Nacional do PDT que decidiu sair em defesa do voto impresso auditável e disse que a medida faz com que o núcleo da legenda se afaste das lideranças do próprio partido e que o tema é uma via “inoportuna” para o momento em que se passa o Brasil.

Gadelha também se queixou sobre a falta de renovação do partido e destacou que o “PDT precisa ouvir mais as bases”. Sobre sua permanência nos quadros trabalhistas, Túlio afirmou que “depende mais do PDT” do que dele. O parlamentar é filiado ao partido desde os seus 19 anos.

“Há 13 anos tenho vida partidária ativa. Sou dirigente nacional há oito anos. Conheço o terreno. O PDT precisa ouvir mais as bases. Abrir espaço para os novos quadros espalhados em todo Brasil. Só assim conseguirá crescer. Não vejo o PDT se reinventar. PSOL, PV, Rede e PT têm nos procurado. Mas ainda é cedo para decidir. Fato é que meu futuro partidário dependerá mais do PDT do que de mim”, ponderou.

Sobre a questão do voto impresso auditável, o parlamentar pernambucano relata que apesar da cúpula do PDT acompanhar os posicionamentos do presidente da legenda, Carlos Lupi, existe um racha interno no partido e classificou como “insanidade” colocar em dúvida as urnas eletrônicas.

“A maior parte da cúpula e dos dirigentes é fiel ao Lupi, sempre acompanha ele nas suas posições. Também porque o voto impresso foi uma tese defendida por Brizola, líder maior e fundador do PDT. A base está dividida. Há um entendimento que aquele era um outro momento, sem força política capaz de ameaçar a democracia. É uma insanidade colocar em xeque a credibilidade das urnas eletrônicas, sem apresentar indícios de fraudes. É o prenúncio de alguém [Bolsonaro] que não reconhecerá uma derrota em 2022”, ressaltou.

Sobre as eleições presidenciais de 2022, Túlio afirma que a candidatura do ex-ministro Ciro Gomes já é dado como certo no PDT mas também criticou os ataques do pedetista contra ex-presidente Lula (PT).

“As posições de Ciro podem distanciá-lo da base, dos movimentos orgânicos do partido e dos pedetistas históricos. O PDT está alinhado a Ciro, mas Ciro precisa se alinhar melhor ao PDT. A falta de coerência está nos ataques de Ciro a Lula (e vice-versa). Pra que isso? Fizemos parte do governo Lula, o PDT e o próprio Ciro Gomes”, lembrou.

Gabriel Barbosa

Jornalista com passagens pelo Grupo de Comunicação O POVO (Ceará), RedeTV! e Band News FM.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

8 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

orland patterson

19 de junho de 2021 às 06h45

É preciso que a oposição se una e convoque uma CPI para investigar as denuncias de Bolsonaro contra as urnas eletrônicas para desnudar a manobra solerte do Palhaço da Morte para provocar uma crise institucional quando perder as eleições do ano que vem ou logo antes disso e tomar o poder com um golpe da PM na mão de gato . A convocação de uma CPI vai colocar os apoiadores do Presidente no Congresso em uma camisa de sete varas. Se assinarem, fod…. com o Bozo já que ao final da CPI ficará definitivamente provado para a população que nunca existiram fraudes, Se não assinam, esvaziam o discurso do Bozo de que houve essas fraudes porque vai ficar evidente que o que pretendem não é investigar por… nenhuma e sim tumultuar e sabotar o processo eleitoral..

Responder

marco

16 de junho de 2021 às 14h38

Afinal qual é a narrativa da “exquerda”, houve um golpe soft que derrubou a presidenta Dilma com vários patrocinadores,o império, o sistema financeiro local e transnacional, e principalmente o consórcio judiciário e turma de 1977 .
Qual seria a justificativa então para defender que a garantia da lisura do processo eleitoral sem possibilidade real de auditagem permaneça justamente nas maõs do “consórcio”
São os únicos que possuem a chave código, possibilitando ter um poder de veto a candidatos, semelhante ao que acontece no Irã ,com o “conselho da Revolução”.

Responder

paulo

16 de junho de 2021 às 10h41

Primeiro, hoje na câmara será dado um passo importante da venda (roubo) do nosso patrimônio, a privatização da Eletrobrás.
agora, Tulio Tabata e Boulos , são cavalos de troia , infiltrados na esquerda por uma direita que sabe traçar planos e objetivo de longo prazo!
tenho pena PDT,q até por manobras do PT, muito desse chorume se infiltre em seus quadro!
não quero chamar de idiota quem é contra o voto impresso, mas hoje até para arrancar a narrativa de fraude das mãos do Asno ,devemos sim apoiar a impressão do voto da urna eletrônica!! lembrando que isso sempre foi uma luta da esquerda, pois o poder econômico controla tudo no brasil, qual o motivo de crer que não alcança a programação das urnas? VOTO AUDITAVEL JÁ!

Responder

Luiz Augusto da Silva Monteiro

16 de junho de 2021 às 00h05

Túlio esteve certo sobre as eleições no Recife, continua certo em alguns pontos. Um deputado que deve continuar no partido!!

Responder

Galinzé

15 de junho de 2021 às 22h46

Não seria apenas ACRESCENTAR um item ao invés de duvidar??

Responder

Tony

15 de junho de 2021 às 21h56

Quem somos nós mortais diante da opinião de Túlio Gadelha.

Quem é Túlio Gadelha ?

Responder

    Ronei

    15 de junho de 2021 às 22h07

    O namorado de Fátima Bernardes.

    Quem é Fátima Bernardes ?

    Responder

    Sepulveda

    16 de junho de 2021 às 02h11

    Toda unanimidade é burra. E pq não questionar, o que é infalível nesse país? Até a votação eletrônica da Câmara está sob suspeita de fraude e lá são só 513 deputados. Sistema infalível não existe, principalmente no Brasil. A quem não interessa questionar? Seja pra essa ou para as futuras, precisamos de respostas.

    Responder

Deixe uma resposta