Paris Café: O PT tem um projeto de governo? Qual é?

Tabata afirma que entrou no PDT achando que o partido queria ser de centro-esquerda

Por Redação

16 de junho de 2021 : 08h18

Nesta terça-feira, 15, a deputada federal Tabata Amaral (SP) que recentemente saiu do PDT sem perder o cargo após decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) divulgou uma nota onde relata todo o processo de desgaste que passou antes de sair da legenda comandada por Carlos Lupi e o ex-ministro Ciro Gomes.

No que diz respeito ao início de sua vida partidária, a parlamentar revelou que entrou no PDT acreditando que a legenda queria ser, segundo ela, um partido de centro-esquerda.

“Eu entrei no PDT acreditando que o PDT de fato queria ser um partido de centro-esquerda, com uma visão econômica mais moderna, mais conectada com a sociedade, e até olhando para os governos do próprio Ciro Gomes”, disse.

A deputada também alegou que o seu posicionamento em votações consideradas importantes na Câmara, contrariando a orientação da Executiva do PDT, estavam de acordo com o que chamou de “carta-compromisso” firmado entre ela e a cúpula do partido.

“No momento em que me filiei ao PDT, não só eu firmei uma carta-compromisso deixando muito claro os meus posicionamentos, mas eu também acreditei naquilo que foi dito na campanha, quando o então presidenciável Ciro Gomes defendia uma reforma da previdência e defendia a responsabilidade fiscal, porque eu entendo que sem isso não tem dinheiro para investir no social, na educação, bolsa família, e por aí vai. Só que quando o Bolsonaro foi eleito as coisas mudaram na direção do partido”.

Recentemente, Tabata entrou com um recurso no TSE pedindo que órgão reconhecesse a justa causa para a desfiliação do PDT.

A solicitação foi feita após Tabata e outros sete deputados federais do PDT votarem a favor da famigerada Reforma da Previdência, o que contrariou à orientação e causou fúria na Executiva do partido. De acordo com a parlamentar, após a votação, o núcleo do PDT iniciou um processo interno na Comissão de Ética sob a justificativa de infidelidade partidária dos deputados.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

9 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Rodrigo Trivellato Garavini

16 de junho de 2021 às 17h54

Está garota é sonsa, a ponto de cometer desonestidade intelectual) ou burra? Ela (e este site) sabia muito bem que o Partido tinha um projeto de Reforma da Previdência, coerente com os princípios que norteiam o Trabalhismo (aliás, a Fundação do rentista explicou pra ela o que é o Trabalhismo? Quem foram Getúlio, Pasqualini ou Brizola?). Além disso, este site falhou jornalisticamente ao não deixar claro no texto como ela enxerga o PDT no espectro político, já que de centro-esquerda ela disse que não é.

Responder

Jahel Costa

16 de junho de 2021 às 15h40

Eu ri

Responder

Marco Vitis

16 de junho de 2021 às 15h37

TÁBATA: qualquer pessoa isenta sabe que você traiu uma decisão coletiva de seu partido. O TSE foi generoso e lhe concedeu uma vitória. Já passou da hora de você virar essa página e mostrar a todo mundo que você é uma militante de centro-esquerda, coerente com sua origem social.

Responder

Andrei Coelho

16 de junho de 2021 às 15h29

Ou ela é dissimulada ou não entendeu nada. A reforma que o Ciro e o PDT advogam NUNCA foi essa ai que ela votou a favor. O fato de haver contenção de danos não necessariamente implica em um voto a favor! Nem o Ciro e nem o PDT mudaram de direção!

Responder

Sepulveda

16 de junho de 2021 às 15h28

Coisa que ela não é…

Responder

EdsonLuiz.

16 de junho de 2021 às 15h19

Este partido social-democrata,Tábata, eleitoralmente viável e com orientação liberal de esquerda, com alguma influência marxista e as poucas influências conservadoras necessárias e importantes, só vai existir quando conseguirmos juntar os social-democratas dispersos em diversos partidos.

O que se aproxima mais de um partido social-democrata no Brasil é o Partido Cidadania, mas é pequeno e por isso muito vulnedável a oportunistas.

O Cidadania é um partido com coragem para não conviver com corruptos e ágil para afastar o mal maior em todos os aspectos, como fez com o horroroso senador Cajuru e fez também com o deputado Fernando Cury, quando este praticou a violência misógina que vimos ele cometer contra a deputada Isa Pena, do PSOL.

Vejo ataques levianos ao Cidadania por casos assim, mas é ação de fascistas covardes. Muitos deles ignorantes que se acham conhecedores de ciência política. E não sentem vergonha nem de serem ignorantes, nem de serem levianos e covardes. E tem desses covardes que se dizem ‘de esquerda’. Serve para vermis que existem fascistas que se dizem de esquerda.

O Partido Cidadania, no episódio do caso Fernando Cury x Isa Penna, se reuniu imediatamente por videoconferência, dentro do quadro de uma pandemia, e, apenas algumas horas depois de praticada a violência misógina contra a deputada, marcou reunião para o dia seguinte, para dar tempo de que todos avaliassem a caracterização de assédio, e EXPULSOU o deputado Fernando Cury.

Infelizmente este desgraçado conseguiu liminar no judiciário e suspendeu a expulsão, que pelo que sei o Cidadania está buscando por todos os meios cassar a liminar e expulsá-lo de vez.

É assim que todos os partidos deveriam fazer com seus deliquentes, expulsar, não proteger. Não sou filiado ao Cidadania, embora tenha razoável admiração por este fragmento social-democrata. O defendo de covardias porque defenderia qualquer um de covardia, o PT, o Cidadania, o Roberto Freire, a Dilma. De covardia eu defenderia qualquer um. Até bolsonaro eu defenderia de covardias…e denunciaria as covardias dele e de outros co tra alguém ou contra a sociedade toda.

Mas mesmo o Cidadania, com todo o preparo e seriedade de seus quadros e com sua orientação social-democrata, não consegue se manter plenamente coerente por ter que aceitar determinados filiados para continuar existindo e acaba servindo de biombo para alguns políticos que não têm a seriedade inteira necessária.

Precisamos, Tábata, de um partido social-democrata plenamente coerente e viável no no Brasil. A candidatura do Ciro, que atritos à parte eu gostaria que você apoiasse, ou a uma candidatura única contra os populismos e contra bolsonaro que surgisse, e querendo que essa candidatura pudesse ter como um dos legados o embrião de um partido viável e coerente de centro-esquerda.

Precisamos de um partido coerenrente e viável eleitoralmente no Brasil.

Responder

    O Demolidor

    17 de junho de 2021 às 10h48

    Sério….deu enjôo….

    A Batata Liberal ficou muito tempo na escolinha de políticos dos bilionários nacionais…..chegou ao Brasil achando que liberal é de esquerda aqui…

    Responder

marco

16 de junho de 2021 às 15h06

Cadê o print da “carta compromisso ” ?
Ciro e Lupi dizem que não existe.
Se existe gostaria de ver.

Responder

Francisco

16 de junho de 2021 às 14h38

E eu acreditei que a Tabata seria um grande nome no PDT e na esquerda. Mas… votar a favor dessa reforma da Previdência, que só piorou as condições para quem precisa se aposentar? Foi para retirar direitos que ela entrou na política? Uma imensa decepção.
Quem tem muito a explicar é a Tabata Amaral.

Responder

Deixe uma resposta