Análise em vídeo das manifestações do 2 de outubro e as vaias a Ciro

Bolsonaro não permitiu que diretor acusado de cobrar propina fosse exonerado por Pazuello

Por Redação

01 de julho de 2021 : 09h59

Em outubro de 2020, o então ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, quis exonerar o diretor de Logística do Ministério da Saúde, Roberto Dias, acusado recentemente de cobrar propina na compra da vacina AstraZeneca. Porém, Jair Bolsonaro colocou pressão política sob o general da ativa e barrou a exoneração.

De acordo com a CBN, o ofício de exoneração chegou a ser enviado para a Casa Civil, mas o ato foi vetado por Bolsonaro depois de Davi Alcolumbre (DEM-AP), que ainda presidia o Senado, apelar para o Palácio do Planalto não fazer aquilo.

O deputado Luis Miranda (DEM-DF), que confirmou à CPI que Bolsonaro citou o líder do Governo na Câmara, Ricardo Barros (PP-PR), como o operador do rolo da compra da vacina indiana Covaxin, chegou a dizer em entrevista à Folha que nada no Ministério da Saúde passava sem o conhecimento de Roberto Dias.

“Eu acho assim, nada ali acontece se o Roberto não quiser. Tudo o que aconteceu, inclusive a pressão sobre o meu irmão [Luís Ricardo Miranda, servidor de carreira do Ministério da Saúde], é sob a aprovação dele. Sem ele, ninguém faz nada. Isso é uma das únicas certezas que tenho”, disse.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

2 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Zulu

01 de julho de 2021 às 11h47

Esse sujeito tinha indicaçào para ANVISA mas foi barrado pelo proprio Bolsonaro…provavelmente fez essa palhaçada como vingança.

Esqueçeram de dizer que a noticia que deram ontem estava errada…quem nomeou esse funcionario foi o Mandetta…seri o minimo de um jornalismo serio corrigir as inforamaçoes.

Responder

Bandoleiro

01 de julho de 2021 às 11h46

O gordinho esquisito é tão vagabundo quanto. Tudo mer*da da mesma privada.

Responder

Deixe um comentário