Análise em vídeo das manifestações do 2 de outubro e as vaias a Ciro

Foto: Reprodução

Antes de ser preso, Roberto Jefferson foi ao Twitter atacar Moraes

Por Redação

13 de agosto de 2021 : 10h42

Antes de ser preso pelos agentes da Polícia Federal por ordem do ministro do Supremo Tribunal Federal, Alexandre de Moraes, Roberto Jefferson foi ao Twitter para atacar o magistrado. Ele comparou a decisão de Moraes com o da Suprema Corte da Venezuela.

Ele é um dos principais apoiadores de Jair Bolsonaro e recentemente ameaçou a realização das eleições em 2022 e defendeu o fechamento do STF.

“Xandão, maridão de dona Vivi, Cachorro do STF, decretou minha prisão por crime de milícia digital. Ele está repetindo os mesmos atos do Supremo da Venezuela, prendendo os Conservadores para entronizar os comunistas. Deus. Pátria. Família. Vida. Liberdade”.

Após a prisão e o ataque do petebista, Moraes determinou o bloqueio da conta de Jefferson. De acordo com o magistrado, a medida é necessária “para a interrupção dos discursos criminosos de ódio e contrário às Instituições Democráticas e às eleições”.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

3 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

EdsonLuiz.

13 de agosto de 2021 às 13h31

Roberto Jefferson NÃO É UM CONSERVADOR!

Roberto Jefferson se declara um conservador. Ele não é um conservador.
Um conservador é um progressista, assim como são progressistas os liberais e os marxistas modernos, de orientação reformista.

Adeptos de uma linha política tradicionalista, mais identificada com uma prática política quase religiosa e obscurantista, não são conservadores, não são adeptos da Direita ideológica. Um tradicionalista ideológico é um adepto da ultra-direita. Um tradicionalista ideológico, assim como um marxista tradicionalista, será sempre um linha-dura. Nenhum dos dois podem ser progressistas na medida em que não têm nenhum compromisso com a democracia e com direitos humanos e defenderem, os dois, a implantação de regimes autoritários e ditaduras.

Conservador, para a melhor ilustração atual, é a explêndida Ângela Merkel, a primeira-ministra alemã.

Política é pedagogia. Política é sempre pedagogia. Se alimentarmos o maniqueísmo dos extremistas, separando a sociedade em esquerda/direita, pobres/ricos, progressistas/conservadores, e adotarmos os conceitos de progressista e conservador convenientemente distorcidos pelos extremistas estaremos contribuindo para alimentarmos suas visões de mundo maniqueístas e contribuindo para as manipulações que os extremistas fazem. Isso costuma dar na Hungria atual de Orbam, que está virando parque de diversão de extremistas de direita ou em Cuba, parque de diversão de extremistas de esquerda. Ou dar em coisa pior ainda, como nas Filipinas ou na Venezuela.

Responder

    Fábio Brito

    14 de agosto de 2021 às 19h19

    E vc que nunca leu Karl Marx, continua falando muita abobrinha.

    Responder

      EdsonLuiz.

      15 de agosto de 2021 às 21h39

      É engraçado isso!
      Eu acho bem engraçado!
      O cara enche a boca (fica até parecendo o jeito do Roberto Jefferson falar de boca cheia. E fica um jeito assim… meio indecente) e fala:

      “E vc que nunca leu Jarl Marx, continua falando muita abobrinha.”.

      É realmente engraçado.

      E eu não duvido que quem escreveu (falou) seja talvez até mesmo um “professor” de sociologia. Eu já encontrei alguns, inclusive em faculdade e em universidades, fingindo que tinham ludo e fingindo que me davam aula.

      Em geral se diziam de esquerda. Até esse rótulo eles ainda usavam.

      Grannnndeeee Fábio Brito.

      Responder

Deixe um comentário