Bahia: Refinaria privatizada provoca desabastecimento de Gás de Cozinha

Pesquisa detecta que “expressiva maioria” dos bolsonaristas arrependidos querem a volta de Lula

Por Miguel do Rosário

20 de agosto de 2021 : 17h27

“Eu acho que a gente só dá valor àquilo que a gente perde. Acredito que Bolsonaro foi eleito justamente pelo discurso dele de mudança. Eu obviamente votaria no Lula”. 

O comentário, de um “bolsonarista arrependido” de 25 anos, classe média, residente na cidade de São Paulo, consta no relatório de uma pesquisa qualitativa sobre o eleitor bolsonarista, realizada entre os dias 14 e 29 de maio de 2021. Os autores do estudo são o IREE, hoje também conhecido pela empresa de cursos Kope, e o Lemep (Laboratório de Estudos de Mídia e Esfera Pública), este último vinculado à Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ).

A pesquisa entrevistou 24 grupos, cada um com 8 participantes, nas seguintes capitais: São Paulo, Rio, Curitiba, Goiânia, Belém e Recife, sobre temas relacionados à cultura e ao voto bolsonarista. 

Todos os entrevistados votaram em Bolsonaro em 2018, mas vários hoje são “bolsonaristas arrependidos”. 

Parte desses arrependidos quer um nome de “terceira via”, porque também não gostam do PT.

Entretanto, ainda segundo a pesquisa, “uma expressiva maioria defende o voto convicto em Lula”, como é o caso do comentarista mencionado no início do post. 

João Feres, cientista político da UERJ e um dos principais coordenadores da pesquisa, disse ao Cafezinho que  o “lavajatismo, ou seja, a desvalorização da política e sua redução à questão da corrupção, foi a base do voto em Bolsonaro em 2018. Praticamente todos declaram ter votado nele por estarem fartos da política tradicional”.

Segundo Feres, “o movimento antipolítica e anti-PT foi tão forte que angariou votos até de progressistas mais desavisados”.

O relatório diz que “sobre o pleito de 2022, os arrependidos manifestam altíssima rejeição a Bolsonaro, expresso pelos sentimentos de traição e de decepção. Diversos entrevistados afirmam que se trata do `maior arrependimento da vida`.

Um dos pontos mais importantes do estudo trata do “insulamento moral dos evangélicos“, o grupo social que mais apoia Bolsonaro. Esse apoio entre os evangélicos, segundo a pesquisa, tem as seguintes causas: canais próprios de comunicação, universo social fechado, escolhas políticas centradas em valores morais, além da presença cristalizada de um conjunto de preconceitos contra a esquerda, baseados em fake news (o “ensino” de homossexualismo nas escolas, etc). 

Segundo o relatório, muitos bolsonaristas “usam explicitamente a identidade religiosa como argumento para justificar suas posições: como sou cristão, penso assim, ou ajo dessa maneira”.

A pesquisa mostra ainda que a Globo se tornou o meio de comunicação mais odiado pelos bolsonaristas evangélicos:

  • Os evangélicos denotam particular rejeição pela Rede Globo, tanto por acharem que ela persegue Bolsonaro quanto por ser muito permissiva em relação às questões de gênero e orientação sexual. 
  • Em intensidade similar à rejeição pela Globo temos a preferência pela Rede Record e muitas vezes pelo SBT. 
  • Praticamente todos os jovens não veem TV. E muita gente que trabalha e volta tarde para casa também relata não assistir à TV.
  • Entre os que veem TV, é comum a manifestação de repúdio e desconfiança em relação à Rede Globo, particularmente entre os apoiadores renitentes.
  • A Globo é descrita por alguns como petista – somente uma pessoa arrependida declarou que a Globo perseguia também o PT e Lula, e agora se voltou contra Bolsonaro.
  • Os renitentes [ou seja, que continuam apoiando Bolsonaro] que consomem notícias na TV tendem a optar pela Rede Record e, em segundo lugar, pelo SBT. A CNN foi muito mais citada que a GloboNews como fonte de informação consultada.

Covid

A pesquisa detectou o imenso estrago provocado pelo presidente Bolsonaro e seus apoiadores na luta contra notícias falsas relativas a Covid-19. Muitos bolsonaristas afirmam que há provas de que “Cloroquina e a Invermectina curam o vírus, que as vacinas não são eficazes, e que o vírus é uma estratégia da China para dominar o mundo e ganhar muito dinheiro”.

Demonização da esquerda

Essa parte da pesquisa mostra que o prestígio de Bolsonaro e a rejeição à esquerda foi construído sobre uma montanha de fake news. Trechos do relatório:

  •  O bolsonarismo constrói vários inimigos, mas nenhum mais forte do que o PT, partido que para os adeptos de Bolsonaro sintetiza tudo que há de errado com o Brasil, da decadência moral à corrupção política.
  • Praticamente todos os respondentes declaram terem votado em Bolsonaro em 2018 com o fito de tirarem o PT do poder. E a razão para tal quase sempre é a corrupção
  • Mas o discurso de demonização da esquerda é bem mais forte entre os apoiadores renitentes, se comparados aos arrependidos. Dizem ser ela a favor de bandidos, a favor dos gays (degenerados), os mais corruptos entre os corruptos, etc.
  • Praticamente todos os renitentes acreditam que se ensina homossexualismo nas escolas e que esse é um projeto da esquerda.
  • Lula é a personalização do PT e da esquerda nesse discurso.

Lula

A pesquisa, por fim, conclui que o “arrependimento do voto em Bolsonaro em 2018 não redunda em apoio imediato ao PT, mas muitos consideram seriamente a possibilidade de votar em Lula se ele for candidato em 2022 e outros declaram abertamente entusiasmo pela perspectiva de volta do líder petista”.

Trechos:

  • A proporção de participantes, arrependidos ou não, que alguma vez votaram em Lula ou no PT é muito grande. Somente conservadores muito aguerridos, uma minoria, declaram nunca terem votado na esquerda.
  • Entre os arrependidos a adesão a Lula e ao PT é forte, muitas vezes expressa como um “retorno”.
  • Uma participante arrependida do Recife, ao ouvir outro participante declarar que votaria novamente no PT, emenda: “eu com toda certeza [votaria]. Eu também achei que [em 2018] não tinha opção. Agora eu voto lindamente, feliz com a camisa vermelha do PT e fazendo Lula livre”.

Para baixar o relatório, clique aqui.

 

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

15 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

carlos

22 de agosto de 2021 às 12h11

Paulo me desculpa, eu defendo até a morte o direito de você dizer que a espécie fruto do pecado está condenanda eternamente a permacer no pecado, sem o direito reconhecer o seu erro e recomeçar, ou como você diz se reciclar, você parece que andou lendo frases soltas de schopenhauet , que diz, envelhecer é morrer é bem verdade que quando uma célula do nosso corpo morre pode nascer outra, é nesse sentido que existe essa lógica dele não como se cara levasse 4 tiros e morresse. Por isso é que se diz errar é humano permanecer no erro é burrice.Mas é isso vamos continuar discutindo você com suas ideias e eu com as minhas, não significa sempre vou concordar com você isso próprio do ser humano. Um abraço ! Bom domingo.

Responder

carlos

22 de agosto de 2021 às 11h01

Pra começar a conversa sua pesquisa nunca poderia dar certo nem errado ou seja, perguntar a 20 no mesmo local sem saber o nível socio-economico, escolaridade, cultural não seria pesquisa é na verdade um espantalho, o povo vai ficar com um pé na frente outro atrás, muitas pessoas assistem TV, ouvem rádio e principalmente as redes sociais, até esses são céticos, por isso mesmo , não é regra o candidato partir com 3% de preferência e até ganhar a eleição, é desse jeitinho.

Responder

carlos

22 de agosto de 2021 às 08h28

Em primeiro lugar, para o asno Paulo que acha que as pessoas vivem assim porque tem que ser ou porque Deus quer, se isso fosse regra os filhos dos pedreiros irremediavelmente teriam que ser pedreiros, os filhos dos agricultores teriam que ser agricultores, etc… Eu só acho pesquisa , reflete um momento de acordo com a atuação do governo, só burro igual a você não toma castaniodo pra se curar!

Responder

Francisco

22 de agosto de 2021 às 01h39

Qualquer ‘asno progressivo’, mesmo desprovido de ao menos dois neurônios capengas, consegue entender que no Brasil, qualquer outro partido que não o PT e qualquer outro líder, político ou de qualquer outra atividade, que não Lula, sofrendo a mesma persecução jurídica, midiática, policial e política, sistemática e contínua há mais de 40 anos e, em especial, intensificada e internacionalizada nos últimos sete anos, através da operação lavajateira, na base do vale tudo e do custe o que custar, com ‘direito’ ainda ao ‘domínio do fato’, a literatura jurídica que tudo permite’, o ‘ato de ofício indeterminado’, o ‘bem atribuído’, ‘a delação premiada sem prova’, a utilização do lawfare e o tribunal midiático permanente da GloboMarinho, estariam hoje reduzidos a pó, varridos da memória de todos os brasileiros e esquecidos para sempre no rodapé da história, como desejavam ao PT com o “Nunca Mais” e a Lula com o “Ladrão” e lavajateiramente fracassaram.

Mas não! Mesmo com todos os indícios de estudos estatísticos escancarando o histórico fenômeno desse partido e seu maior Líder não apenas resistirem a serem varridos do mapa da política brasileira, como desejavam os patrocinadores de tamanha razia, como apresentarem resultados imediatos mostrando o fracasso da razia lavajateira e agora sinalizando que o partido e seu candidato, impedido de ser eleito presidente do Brasil em 2018, em continuidade ao golpe de 2016, reabilitados pela força dos fatos, tornam a serem os favoritos para 2022, enquanto obtusos de fim-de-feira insistem no babado da cegueira como falangistas talebolsonaristas raízes. Qui dó!

Responder

Paulo

21 de agosto de 2021 às 11h52

Em primeiro lugar é preciso observar que a pesquisa abrange um grupo muito pequeno, inferior a 200 pessoas. Seria também o caso de se perguntar como chegaram a essas pessoas, o que pode revelar tendenciosidades. Feitas essas ressalvas em relação à qualidade da pesquisa em si, gostaria de dizer que só um estúpido que acreditou em Bolsonaro pode ser tão estúpido novamente a ponto de votar no PT agora. Sim, porque se você acreditava que Bolsonaro era o “novo”, você deveria saber que Lula e o PT são o velho. Ou por acaso Lula passou por um processo de renovação?

Responder

John De

21 de agosto de 2021 às 00h45

Essa de q querem a volta de Lula é mais uma mentira. Ninguém de bom senso quer aquele crápula de volta.

Responder

Alexandre Neres

20 de agosto de 2021 às 23h05

Segundo Feres, “o movimento antipolítica e anti-PT foi tão forte que angariou votos até de progressistas mais desavisados”. Aduz ainda que o “lavajatismo, ou seja, a desvalorização da política e sua redução à questão da corrupção, foi a base do voto no B em 2018. Praticamente todos declaram ter votado nele por estarem fartos da política tradicional”.

Com a palavra, os sedizentes progressistas, que sem se darem conta não deixam de, por via oblíqua, reproduzir o discurso liberal-conservador emanado das nossas elites de rapina e que não raro abusam de contorcionismos retóricos para tentar justificar o injustificável,

Responder

Yuri

20 de agosto de 2021 às 22h14

Kkkkkk…….”çei” !!

Responder

Daniel

20 de agosto de 2021 às 21h43

….kkkk

Esquerdistas plantando narrativas para tentar enganar quem elegeu Bolsonaro….kkkkkkk

Ainda acham que funciona esses truques para enganar analfabetos e depensantes…?

Estamos em 2022 Jajá seus imbecis….kkkkkkkk

Que nível patético essa esquerdalha falida….sinto muito mas não vão conseguir impor mais nada aos brasileiros.

Ou falam o que os mesmos querem ouvir ou não ganham nenhuma mais.

Responder

Daniel

20 de agosto de 2021 às 20h07

A única coisa que as pesquisas é o número de imbecis que acreditam nas mesmas.

Responder

EdsonLuiz.

20 de agosto de 2021 às 20h01

Para mim, uma leitura atenta dessa pesquisa só reforça a necessidade de ultrapassar os dois populismos. Esta pesquisa apenas reforça o fato de que um populismo vive do outro, que os dois se retroalimentam.

Os dois populismos são antiprogressistas. Claro, ou alguém já viu algum populismo ser progressista?

Eu não tenho nada de importante para desmentir as pesquisas que têm insistido na liderança de Lula acompanhado por bolsonaro. E com maior ou menor diferença, todas mostram essa mesma tendência. Mas minha pesquisa particular, que, é claro, não tem nada de científico e técnico, está me mostrando outras coisas. Eu tenho plena consciência de que minha enquete particular nada tem de consistente, porque tenho um amigo que é dono de empresa de pesquisa e sei os critérios e o trabalhão que dá para fazer pesquisa com métodos válidos e acreditáveis e a ética que isso exige, porque meu amigo aplica pesquisa aqui para outras empresas maiores e de fora e nem após os resultados serem divulgados ele comenta os dados.

Mas vamos à minha pesquisa informal: na última semana perguntei a umas vinte pessoas, frentista de posto, doméstica, caixa de supermercado, etc em quem votariam. Todos foram reticentes em responder. Um declarou voto em bolsonaro. Um declarou a possibilidade de votar em bolsonaro. Nenhum declarou votar em Lula. Nenhum assumiu votar em Ciro, mesmo após eu assumir que Ciro será o meu voto. Uns dez declararam que não votariam nem em bolsonaro, nem em Lula.

Eu fiquei bem surpreso de só um dizer que vai votar em bolsonaro e de nenhum dizer que vai votar em Lula. Fiquei mais surpreso ainda, diante dessa economia de votos, de nenhum outro nome ser mencionado, mesmo com minha insistência.

Responder

Efrem Ventura

20 de agosto de 2021 às 18h33

Deve ter tontos que acreditam nessas besteiras plantadas…kkkkkkkkkkkkkkk

Responder

Duilio

20 de agosto de 2021 às 18h32

O sujeito é “bolsonarista” é quer a volta de Lula…?

Responder

Valeriana

20 de agosto de 2021 às 18h18

De 2018 pra cà nao mudou nada…o desespero é sò por causa disso.

Responder

Bandoleiro Cansado

20 de agosto de 2021 às 18h17

Voltaram para essa narativa falida dos “bolsonaristas arrependidos”…? Kkkkkkkkk

Responder

Deixe um comentário