Cafezinho das 3: por que as manifestações de domingo floparam?

Tábata Amaral sobre atos pelo impeachment: “É momento de união”

Por Redação

12 de setembro de 2021 : 10h34

A deputada federal Tábata Amaral (SP) que está prestes a se filiar ao Partido Socialista Brasileiro (PSB), se manifestou sobre as manifestações deste domingo, 12, pelo impeachment de Jair Bolsonaro.

“É momento de união. Tem tanta coisa em risco, sofrimento agravado todos os dias. Qualquer discordância ideológica tem que ser deixada de lado nesse momento. Realmente acho que tem tudo para ser a manifestação mais ampla e maior que já tivemos até aqui”, disse a parlamentar ao UOL.

Os atos de hoje teve o levante inicial do Movimento Brasil Livre (MBL), mas ganhou o engajamento e a adesão de outros movimentos, lideranças políticas, partidárias e centrais sindicais.

Pelo sindicatos, somente a Central Única dos Trabalhadores (CUT) comunicou que não deve participar das manifestações deste domingo. A previsão é que as manifestações aconteçam em 17 capitais.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

3 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

EdsonLuiz.

12 de setembro de 2021 às 16h22

Junto com quem se defende a democracia?
Junto com os democratas!

E para se juntar a uma mobilização de defesa da democracia precisa olhar se as unhas dos que participam estão limpinhas? Precisa olhar se o participante lava a boca?
Não! Para participar da defesa da democracia só precisa ser democrata!

Se for gente que gosta e anda com corruptos, pode participar da defesa da democracia?
Sim! A democracia tem dessas coisas: não exclui ninguém. Se há exclusão de alguém em uma democracia é porque precisamos nos esforçar para conquistar mais democracia. Da defesa da democracia participa quem é democrata! E tem democrata de todo tipo. A democracia é feita de diversidade e dela participa até autoritário e corrupto. Na verdade, mesmo quem for corrupto e autoritário ao mesmo tempo pode participar da democracia. CORRUPÇÃO se combate com um judiciário atuante, produtivo e destemido. Corruptos costumam ter muito poder econômico e político e há que ter muito destemor para combater esses bandidos; já autoritário se combate no campo das ideias.

Então, a democracia é tão tolerante assim que dela pode participar até corrupto?
Sim! A democracia pressupõe tolerância. Democracia não exclui ninguém. Democracia combate corrupção, roubo, milícias e outras variações de delinquência com o fortalecimento da justiça. E quanto mais democracia e menos autoritarismo, mais a justiça se fortalece; e quanto mais autoritarismo e menos democracia, mais quem se fortalece é o crime, principalmente o crime dos poderosos políticos, empresários e partidos desviantes.

A democracia tolera tudo?
Não! Tem uma única coisa que a democracia não tolera: a democracia não tolera ninguém que ameaça a existência da democracia e que usa a própria democracia para implantar um regime autoritário, seja por meio de golpe, seja gradualmente, acumulando poder e se impondo à sociedade. Os autoritários desse último tipo costumam ser mais perigosos do que os autoritários escrachados, porque autoritários disfarçados de democratas mentem, enganam e, para se disfarçarem, vivem repetindo que são progressistas, sem o serem de fato.

É muito comum que autoritários antipolítica e antiprogressistas que se fantasiam de democratas atrapalhem a sociedade quando a sociedade mais está ameaçada por autoritários. Sob ameaça de autoritários, a sociedade não escolhe os que se apresentam para defender a democracia verificando se as suas unhas dos que se apresentam para defendê-la estão limpinhas ou se escovaram os dentes. A democracia, que não exclui os que dela querem participar, também não escolhe os que a querem defender. A democracia é de todos os democratas e sabe que precisa de todos para defendê-la quando se encontra ameaçada.

Uma das formas de descobrir os autoritários disfarçados de democratas é verificar como eles SE NEGAM A FAZER POLÍTICA, se afastando dos democratas na hora de defender a democracia. Sim, se afastam dos mesmos democratas que eles, os autoritários, se aproximam sempre que precisam, seja para apoiar seus governos, seja para se corromperem juntos, quando se trata de democratas corruptos.

Os autoritários ficam fazendo mobilizações de defesa da democracia sozinhos, como se democratas fossem, mas estão disfarçando. Quando chamados para atos unitários de defesa da democracia, se negam a participar. Mas não se enganem: estes autoritários, em geral autoritários ditos ‘de ‘esquerda’, sabem que algumas ameaças à democracia só têm maior garantia de serem vencidas quando a democracia é defendida por todos, em atos unitários, para somar forças nestes atos unitários. Os autoritários se isolam por serem incapazes do exercício da boa política e por não terem compromisso verdadeiro de defender a democracia.

Já para fazer a má política, aquela política deprimente, para essa eles são especialistas. No Brasil, os esses autoritários não se cansam em elogiar a capacidade de seu Mito, o Lula da Silva, de ser especialista em juntar e fazer acordo com os piores. E ele faz mesmo. Lula é especialista e competente em juntar o mal para fazer o mal; mas é incapaz de ajudar a somar forças para a defesa da democracia. Lula sempre foi assim!

Responder

Tiago Silva

12 de setembro de 2021 às 10h58

“União” com os Neofascistas (Neoliberais + NeoFascistas) do MBL, Vem pra Rua, DEM, PSDB, Lava-Jato, Novo, etc contra o NeoNazismo (Neoliberais + Neonazistas) dos fanáticos que seguem o Bozo….

Porém tanto os Neofascistas (MBL, VPR, etc) como os NeoNazistas buscam manter o Neoliberalismo Autoritário pós Golpe e que é de interesse do Jorge Paulo Lemann – financiador da Tábata Amaral em burla à decisão de que empresas privadas não poderiam mais financiar candidatos para eleições.

Enquanto isso, parece que os mesmos que se dizem de esquerda desse ato do PDT, PSB, etc vão continuar a votar nas Deformas Neoliberais…

Quanta falta faz Brizola no momento atual!

Responder

Paulo

12 de setembro de 2021 às 10h38

Não creio que vá ter esse sucesso, não…

Responder

Deixe um comentário