Comentários sobre o áudio vazado de André Esteves (BTG Pactual)

Ciro comenta aprovação da PEC com críticas a Lula, Bolsonaro e Moro

Por Redação

10 de novembro de 2021 : 10h43

Ainda na noite desta quarta, 9, o pré-candidato Ciro Gomes (PDT) foi as redes sociais para se posicionar sobre a aprovação da PEC dos precatórios, aprovada por 323 votos contra 172 em 2° turno na Câmara dos Deputados.

Nas palavras de Ciro, “apesar do nosso esforço, o governo conseguiu aprovar a famigerada PEC, mas nossa luta não foi em vão. Ela estimulará o Senado a derrubar essa medida nociva ao país”.

Em tom de crítica, o líder pedetista disse que a PEC foi “apenas mais um da série de escândalos que o governo Bolsonaro e seus aliados estão empurrando goela abaixo no país”.

“Fui o primeiro, e talvez o único dos pré-candidatos a denunciar esse acordo, esse vergonhoso armistício com o que tem mais de velho na política brasileira”, continuou.

O ex-ministro também aproveitou o seu pronunciamento para criticar seus três virtuais candidatos: Jair Bolsonaro, Lula e Sérgio Moro.

Na visão de Ciro, “com formato variados, o esquema [de corrupção] vem desde o governo FHC e atravessou os governos de Lula, Dilma e Temer e chegou ao governo Bolsonaro”.

E finaliza: “Não posso ser traidor como Bolsonaro, hipócrita como Lula ou oportunista como esse calouro politiqueiro chamado Moro”.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

7 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Dilmar Miranda

10 de novembro de 2021 às 12h19

HAI KAI DE UM DÍGITO

Prefiro Ciro, alguém diz.
E o infeliz o que disse?
Prefiro Paris.

Responder

Alexandre Neres

10 de novembro de 2021 às 12h09

Queria manifestar minha discordância em relação ao meu prezado Marco Vitis ao enaltecer Ciro Gomes por ter se manifestado contrariamente ao voto dos deputados do PDT na PEC do Calote. Apesar de estar correto no posicionamento, desvelou mais uma vez sua inapetência política. Ciro mostrou que não tem controle nem mesmo sobre sua base mais próxima, qual seja, os deputados do PDT/CE. Sua inabilidade política é gritante e de novo restou exposta.

Será que ele acredita que basta elaborar um programa que julga perfeito, tal qual uma tese acadêmica, para que todos se aglutinem em torno dele e levem a cabo tal “pojeto” por ser o melhor? Será que acredita que os políticos se convencerão pela sua verve, pelos seus lindos olhos e todos irão aderir? Será que depois de anos e anos na vida pública Ciro pensa que na política partidária as coisas funcionam dessa maneira?

Que espécie de lider é este? Será que reúne condições de liderar a nação ou ficará eternamente com suas verrinas, boquirroto como de costume, dinamitando pontes?

Entrementes, não se pode olvidar da mancha indelével que pairará sobre o seu partido, o PDT, por ter sido o fiel da balança na aprovação dessa excrescência no primeiro turno e não ter sido eficaz para reverter esse erro crasso a posteriori, concedendo uma sobreviva a Bolsonero. Mais importante do que as palavras são os votos e a atitude, não adianta ficar contra Bolsonaro apenas no gogó.

Responder

Arruela

10 de novembro de 2021 às 11h57

E agora, cafezinho, vão expulsar os deputados do PDT?

Responder

Batista

10 de novembro de 2021 às 11h44

Como Assim?

O PDT disse SIM, senhor, a PEC DO CALOTE com essenciais 5 votos, que somados aos essenciais 9 votos dados por deputados do PSB e aos também essenciais 2 votos dados por deputados do CIDADANIA (o partido do ex-comunista, ora dizendo-se ‘Progressista’, Bob Freire), totalizam os 16 votos mais que necessários, essenciais, para que o Bolsolão pra campanha de 22 fosse aprovado também em segundo turno.

Basta fazer contas:
Necessitavam de 308 votos para aprova-la,
Obtiveram 323.
Que subtraídos dos 16 votos gentilmente ofertados por deputados de partidos ditos ‘Progressistas’
Totalizariam 307 votos.
Portanto insuficientes à aprovação da excrescência da hora, em país desgovernado, ribanceira abaixo.

Responder

Paulo

10 de novembro de 2021 às 11h39

E o mimimi com os traidores do PDT, qdo começa???

Responder

Bandoleiro

10 de novembro de 2021 às 10h57

Roubar o que ?

Moro caso candidato vai tirar votos do Cirolipa que de 2% passarà para 1%…kkkkkkkkkkkk

Responder

Zulu

10 de novembro de 2021 às 10h49

Cirolipa o Magico….kkkkkkkk

Responder

Deixe um comentário

Parlamentarismo x Semipresidencialismo: Qual a Diferença? Fernanda Montenegro e Gilberto Gil são Imortais na ABL: Diversidade Auxilio Brasil x Bolsa Família: O que mudou? As Refinarias da Petrobras À Venda pelo Governo Bolsonaro O Brasileiro se acha Rico ou Pobre?