Tudo dominado. TRF decide não julgar Moro por vazamento ilegal - O Cafezinho

O Cafezinho

quinta-feira

9

março 2017

271

COMENTÁRIOS

Tudo dominado. TRF decide não julgar Moro por vazamento ilegal

Escrito por , Postado em Redação

Advogada de Sergio Moro zomba da justiça, ao antecipar a decisão de juiz: diz que Moro vai sentenciar o sítio em Atibaia como “propriedade” de Lula.

***

No Lula.com.br

Tribunal decide não julgar Moro por vazar grampo ilegal de conversa entre Lula e Dilma

Juiz que divulgou conteúdo de grampo ilegal a que foi submetida a presidenta da República não responderá por seu ato. Advogados de Lula irão recorrer

Publicado em 09/03/2017 TWITTER FACEBOOK

Desembargadores do TRF-4 ignoram divulgação de grampo ilegal e se recusam a julgar Sérgio Moro
Em julgamento nesta quinta-feira (9) em Porto Alegre, o Tribunal Regional Federal da 4º Região decidiu não aceitar queixa-crime da família Lula da Silva contra o juiz federal Sérgio Moro, que, em março do ano passado, divulgou conversas entre Lula e Dilma Rousseff que foram gravadas por meio de um grampo ilegal efetuado pela Polícia Federal. À época, o próprio Moro reconheceu o “erro”, mas minimizou sua gravidade, relativizando a letra da lei. Os advogados do ex-presidente já informaram que irão recorrer da decisão junto ao STJ (Superior Tribunal de Justiça).

Voltando a esta quinta-feira, o TRF-4 considerou que já tinha julgado essa questão quando da manifestação de populares junto ao Ministério Público em 2016, que, na época, pediu arquivamento da questão. Ou seja, o Ministério Público Federal já tinha indicado que não tinha interesse de investigar o juiz Sérgio Moro, e, agora, o TRF-4 ratificou essa anuência. Aparentemente, a lei não vale para todos.

O tribunal e os procuradores não consideraram que foram crimes de abuso de autoridade, nem crime contra a lei de Interceptação Eletrônica as ações de Moro ao divulgar conversas privadas e ao levantar o sigilo de conversa entre o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a então presidenta Dilma Rousseff. Tampouco levaram em conta que Moro divulgou uma conversa que foi gravada depois que já estava extinto o período de interceptação autorizado pela Justiça. Ou seja, divulgou conversas obtidas de forma ilegal.

Moro foi defendido no caso pela sua esposa, Rosângela Moro, que se equivocou durante a defesa ao apontar que Lula teria sido levado na condução coercitiva para a sede da Polícia Federal, quando no dia 4 de março Lula foi levado, como é de conhecimento público, ao Aeroporto de Congonhas. Rosângela defendeu que qualquer investigação sobre os atos de Moro seria um atentado contra a independência do Poder Judiciário. E que Lula, ao exercitar o direito constitucional de buscar a prestação da Justiça, estaria de alguma forma tentando “intimidar” Moro.

Como representante do esposo, a advogada ainda antecipou juízo que poderá caber a Sérgio Moro sobre a suposta propriedade de sítio em Atibaia, indicando que o marido sentenciará como propriedade do ex-presidente, ainda que os reais donos já tenham comprovado documentalmente tanto a propriedade do sítio quanto a origem dos recursos que usaram para adquiri-lo.

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário

Editor em Cafezinho
Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.
Miguel do Rosário

quinta-feira

9

março 2017

271

COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

271 COMENTÁRIOS

  1. Imparciliadade
  2. Dilma Coelho
  3. Maria Aparecida Lacerda Jubé
  4. Schell
  5. enganado
  6. Geraldo Luiz Vieira
    • Maria Aparecida Lacerda Jubé
  7. Euclides Matos
  8. Messias Franca de Macedo
  9. Euclides Matos
  10. Benoit
  11. Maria Thereza Freitas
  12. GN
      • joaoarcanjo@gmail.com
  13. Nelson Mucio Moreno Quintanilha
  14. WG
  15. Sandro
  16. Wendell
  17. Atreio