Análise da reunião ministerial de Bolsonaro

Barbosa e Globo perseguem Dirceu até depois de preso

Por Miguel do Rosário

25 de fevereiro de 2014 : 16h32

O juiz imposto por Barbosa (ele derrubou o outro) adiou por tempo indeterminado a análise que iria determinar se Dirceu falou ou não ao celular na Papuda. Com isso, ele mantém ilegalmente Dirceu preso em regime fechado.

Todos inquéritos realizados já foram concluídos, e concluíram que não houve a maldita conversa ao celular. Lewandowski já tinha autorizado a permissão para Dirceu trabalhar, liberando o ex-ministro para cumprir a pena de semi-aberto, conforme consta em sua sentença, mas o ódio de Barbosa é ilimitado e ele cancelou a decisão de Lewandowski.

Para cúmulo das arbitrariedades, a Globo iniciou nova campanha contra os condenados petistas na Papuda, alegando que eles tem “privilégios”. Sendo que o único privilégio apontado pelo jornal são fofocas sobre deputados que visitam alguns réus, usando de suas prerrogativas como parlamentar. Outra fofoca é sobre a demissão de um diretor da Papuda porque teria implicado com a barba de Delúbio.

Como assim privilégio, se Dirceu é mantido preso ilegalmente, e ainda é perseguido covardemente pela Globo, já que não pode responder?

Na página 3, a mais importante do jornal, há um editorial intitulado Desrespeito, em que o Globo desfia a ladainha dos privilégios e ataca o “Poder Executivo”. Ora, e o Poder Judiciário que desrespeita a própria sentença judicial ao manter Dirceu preso em regime fechado? Não está desrespeitando? O Globo não vai falar nada sobre isso?

ScreenHunter_28 Feb. 25 16.24

Será que o jornalismo da Globo não tem nada mais importante a fazer do que perseguir José Dirceu e Delúbio? Que mesquinharia! Os caras já não estão presos?

Abaixo o texto do Fernando, no Tijolaço, que me inspirou esse post:

*

Ódio de Joaquim Barbosa mantém Dirceu em regime fechado e ilegal

Por Fernando Brito, no Tijolaço.

joa

Todos se recordam que Joaquim Barbosa tanto fez que derrubou o juiz da Vara de Execuções Penais do Distrito Federal, que é o responsável pela administração das penas impostas a José Dirceu.

Assim como foi Joaquim Barbosa que revogou a ordem do presidente interino do STF Ricardo Lewandowski para que o pedido de trabalho externo, a que José Dirceu tem direito como condenado em regime semi-aberto, tramitasse.

Agora, todos temos direito de imaginar que o “espírito barbosiano”  tenha influído na decisão do novo titular a Vara de Execuções Penais de suspender e adiar sine die a audiência para apurar uma suposta conversa de Dirceu ao celular, cuja única “prova” é  uma declaração – já desmentida – publicada na Folha.

A escandalosa manipulação dos procedimentos judiciários “de acordo com o freguês” é uma situação que, se ainda houvesse consciência jurídica no Brasil, estaria provocando um escândalo nos meios jurídicos.

Mas a justiça brasileira é, hoje, um poder avassalado pela mídia.

Não é nada mais odioso do que o ódio togado.

E nada mais perigoso para as instituições democráticas.

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

6 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Ricardo Oliva

26 de fevereiro de 2014 às 14h05

Toda perseguição ainda é pouca prá esse bandido

Responder

Marta Carbone Costa

26 de fevereiro de 2014 às 07h41

Não sei pq insistem em dizer q José Dirceu está sendo mantido ilegalmente em regime fechado? No regime semiaberto, o preso só poderá se beneficiar do trabalho externo, bem como de alguns outros benefícios, após cumprir 1/6 da pena. Portanto, José Dirceu não está sendo mantido em outro regime de cumprimento de pena, que não seja o semiaberto. No link que segue abaixo, consta a CARTILHA DA PESSOA PRESA, onde é possível esclarecer algumas dúvidas quanto aos benefícios e outros assuntos dos presos em regime semiaberto e outros regimes. Aconselhável a leitura integral da Cartilha. http://www.tjdft.jus.br/…/cartilhadapessoapresa…/view

Responder

Marta Carbone Costa

26 de fevereiro de 2014 às 06h01

Eis aí um link para ter acesso a CARTILHA DA PESSOA PRESA, onde é possível se inteirar de muitas dúvidas discutidas aqui, principalmente quanto ao que se refere aos direitos dos presos do regime semiaberto, como por exemplo o trabalho externo, cujo requisito para esse benefício é o cumprimento de 1/6 da pena). Ainda, sobre direito de alimentação diferenciada, caso o preso esteja doente, etc. É aconselhável a leitura integral da cartilha. http://www.tjdft.jus.br/…/cartilhadapessoapresa…/view

Responder

Maria Mercedes Nobre

26 de fevereiro de 2014 às 00h12

Uma perseguição sem tréguas, vergonhosa e cruel.

Responder

jõao

25 de fevereiro de 2014 às 20h29

jRoberto Jefferson e a piedade da mídia

http://ajusticeiradeesquerda.blogspot.com.br/
Por Fernando Brito, no blog Tijolaço:

Roberto Jefferson, desde o início de sua carreira como auxiliar de apresentador do programa “O povo na TV”, foi um homem que usava e abusava das agressões verbais, violentas, destas que se faz em estado catatônico, claro que sempre estudado para as câmaras.

Assim foi até a CPI dos Correios, com direito a olho roxo e à estudada provocação a José Dirceu com a famosa frase de que ele “despertava seus instintos mais primitivos”.

Depois, o câncer o fez recolher-se e, aparentemente, passar a guardar um comportamento mais discreto.

A ridícula pantomima de Joaquim Barbosa adiando por mais de três meses sua prisão, sem que houvesse nada que o justificasse, quando mandar prender, em pleno feriado, os demais condenados, parece, entretanto, reacendido esta veia em Jefferson.

A torta montada por Barbosa ao decretar sua prisão numa sexta-feira, sem expedir incontinenti, entretanto, seu mandado de prisão, deu a chance de colocar uma cereja como gran finale.

Deu um final de semana de estrelato à pobre figura do ex-presidente do PTB (do PTB da direita, no qual ele entrou lá atrás, em 1982, com Sandra Cavalcanti, a lacerdista).

O passeio, em grande estilo, numa Harley Davidson é o toque de caricatura que lhe faltava.

Ainda assim, porque é que não se destila em relação à sua figura o ódio midiático que se desfechou contra os líderes petistas?

Ninguém chamou de “deboche” seu gesto.

Há uma espécie de compunção na direita feroz, por ter de ver um dos seus ter de ir-se, para que os outros pudessem ser levados.

Jefferson parece à vontade em seu novo papel, não é um homem frágil como sua saúde pode, de fato, ser.

Ninguém irá discutir sua necessidade de atenção médica ou seu direito de ir trabalhar, como prevê o regime semiaberto.

Ninguém investigará a quinta geração dos que, por ventura, lhe ofereçam um emprego ou doem algo para que pague sua multa.

Jefferson deve ser tratado com respeito a seus direitos de apenado e sem vinditas políticas.

Porque soltar, para com quem está preso e indefeso, os “instintos mais primitivos” não é coisa apenas de selvagem.

É de covarde.

É ser como foi a nossa mídia com os condenados do PT.

Responder

Luciano

25 de fevereiro de 2014 às 17h22

De todos os poderes, o Judicíario é o mais corrupto, o menos fiscalizado e menos representativo.

Responder

Deixe uma resposta