Mais de 70% dos eleitores já estão decididos sobre o voto presidencial, diz DataFolha

El País divulga especial sobre era Lula

Por Redação

15 de janeiro de 2016 : 16h24

Reparem no gráfico sobre educação. Pena que o governo seja tão suicida em matéria de comunicação. Temos que ver esses gráficos em um jornal espanhol…

***

El Brasil de Lula

por Juan Arias, no El País (em espanhol)

El tornero sindicalista Luiz Inácio Lula da Silva, sin diploma escolar, llegó a la presidencia de la República tras haber perdido tres elecciones. Para él, la vencida fue su cuarta prueba. Nunca le faltaron tesón y paciencia.

Llegó creando miedo, sobretodo en el mundo financiero y económico. Sustituía a la guía de un país-continente al sociólogo e intelectual Fernando Enrique Cardoso, que lo había derrotado por dos veces ya en la primera vuelta.

Y fue justamente Cardoso quién intuyó antes que la mayoría que la llegada de Lula al poder podría ser positiva. Me lo confió en el Palacio del Planalto, en un encuentro sin testigos presentes, con estas palabras: “Creo que es importante que un obrero llegue a la presidencia y, con él, el mundo del trabajo”. Y añadió: “Si ganase y necesitase de mí, estaré dispuesto a ayudarle”.

Lula ganó y Cardoso le pasó el fajín de mando, con visible satisfacción, elegancia y hasta con cierta emoción. Desde entonces, Brasil ya no fue el mismo. La sorpresa fue la agudeza del metalúrgico sin estudios que entendió la desconfianza del mercado, la empresa y la banca y escogió como vicepresidente al empresario textil y millonario José Alentar, al mismo tiempo que tranquilizó al centro y a la derecha con su famosa “Carta al pueblo de Brasil”. En ella se comprometió a realizar una política económica ortodoxa, junto con un fuerte empeño social, con lo que arrancó de la miseria a más de 40 millones, al mismo tiempo que consiguió hacer crecer el empleo y domar la inflación.

Lula podrá ser criticado por muchas cosas y hoy sufre en su carne la crisis de su partido, el PT, que tras casi 14 años en el poder vive la crisis de confianza que golpea a todos los gobiernos que acaban perpetuándose.

Ha reconocido, por ejemplo, que el PT necesita “refundarse” y volver a sus ideales de ética, cuando “en él se trabajaba gratis, por ideal y no para enriquecerse”.

Lo que la Historia no dejará de reconocer a Lula es que fue el primero que hizo que la gran masa de pobres, anónima, sin ciudadanía, siempre en la sombra, levantara la cabeza para decir “existo”. Lo hizo sin ideologías, de la forma más pragmática: dejando que todos los pobres pudieran abrir una cuenta corriente, tener una tarjeta de crédito, acudir al crédito fácil, ver aumentado su salario y conseguir un trabajo fijo y seguro. De ese modo, los hasta entonces sin nombre y hasta sin documento de identidad pasaron a ser ciudadanos de verdad.

Lula se había recortado la barba de sindicalista “ogro” que daba miedo al capital. Se puso la corbata, se vistió a la moda, se hizo amigo de empresarios y banqueros y hasta fue elogiado por  Presidente del FMI de entonces. Y los pobres le perdonaron todo.

Hoy Brasil vuelve a estar sufriendo una dura recesión económica. Hay quién pide la vuelta del mítico Lula. Otros piensan que los milagros no se repiten, y que es mejor que abra caminos para que otros puedan sacar al país de la crisis como supo hacerlo él, mezclando sagacidad política y pragmatismo.

pobreza-1

Educacion1

Salud1

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

41 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Eugenio Vieira

16 de janeiro de 2016 às 21h42

Amigo do Lula

Responder

Felipe Moura

16 de janeiro de 2016 às 17h45

Eu sou PF hauahuahauaha agora o PT corre hahahaha

Responder

Vavá Oliveira

16 de janeiro de 2016 às 16h19

Responder

Mônica L. Dos Santos

16 de janeiro de 2016 às 13h57

Na França também ja teve revistas “especial Lula”. Lembro que fui comprar uma e cara da banca de revista (quiosque) falou: “Brasil? Do Lula? Grande presidente! Hoje o Brasil não é mais o mesmo”,com um grande sorriso estampado. O mundo conhece e reconhece Lula,o admira…enquanto um certo grupo no Brasil…

Responder

Weber Juliette

16 de janeiro de 2016 às 13h18

#LULA 2018#

Responder

Ronaldo Godinho

16 de janeiro de 2016 às 12h21

#SouÉticoSouPTComOrgulho

Responder

Alexandre Liberato de Macedo

16 de janeiro de 2016 às 11h33

Aline Pessoa Zanetti

Responder

Monica Rodrigues

16 de janeiro de 2016 às 10h49

Cris Rodrigues

Responder

Vanessa Nasfre

16 de janeiro de 2016 às 09h16

Igor Ferraz da Fonseca

Responder

Andre Tavares

16 de janeiro de 2016 às 01h41

Olha o sapo barbudo sendo reconhecido na Espanha Andre Gustavo…
Preste bem atenção aos números…
Aceita que dói menos, gordinho…

Responder

    Andre Gustavo

    16 de janeiro de 2016 às 03h01

    Vc é maluko mlk não dá não esse Mlko é um câncer para o Brasil pela mor de Deus

    Responder

Gil

15 de janeiro de 2016 às 23h40

Kkk, bando de petista burro mesmo, gostam de defender o que não tem defesa, está claro o buraco que meteram o Brasil

Responder

Aílton Ferreira Sales

16 de janeiro de 2016 às 00h30

Enquanto aqui a mídia mercenária e canalha tenta de tudo para destrui-lo lá fora é reconhecido e respeitado como o maior presidente que já governou o Brasil.

Responder

Eliel Lage

15 de janeiro de 2016 às 23h46

Percebe-se que dinheiro nunca foi o problema, a saúde e Educação provieram de grandes verbas, mas o dinheiro é mal empregado. A Educação continua uma lástima e a saúde agonizando.

Responder

    Anônimo

    16 de janeiro de 2016 às 03h58

    A educação nos primeiros graus é responsabilidade dos estados e municípios.

    Responder

Mary Atleticana

15 de janeiro de 2016 às 23h27

Observo sempre o braço de Lula,nesta foto, querendo dar um direto no FHC.

Responder

Carlos Girotto

15 de janeiro de 2016 às 23h05

É um perigo o repórter de El País se considerar amigo do Lula e o Moro descobrir! Pronto! Feito um problema diplomático que todos vão dizer que é culpa da Dilma

Responder

Carlos Girotto

15 de janeiro de 2016 às 23h05

É um perigo o repórter de El País se considerar amigo do Lula e o Moro descobrir! Pronto! Feito um problema diplomático que todos vão dizer que é culpa da Dilma

Responder

Almiro Oliva

15 de janeiro de 2016 às 22h12

Albino Maia, leia sem preconceitos. Joel Torres Santos Torres, leia também. Abdon Monte é pra você ler. Lucas Oliva de Sousa, que me diz?

Responder

Vicente

15 de janeiro de 2016 às 19h54

É, mas tem muito “bem informado” que acha que o FHC é o cara… Com esses gráficos do “bolivariano” El País, precisa dizer alguma coisa mais?

Responder

Célia Nadir Anselmi

15 de janeiro de 2016 às 21h44

Deve ser bem rápido:Entrou, roubou, se lambuzou e vai terminar na papuda.

Responder

Maricila Brito Gomes

15 de janeiro de 2016 às 21h34

Marisa Brito da Rocha

Responder

Ponzeto Luiz

15 de janeiro de 2016 às 20h37

E esse jornal não é lá muito católico!

Responder

Antonio Lopes

15 de janeiro de 2016 às 20h30

A faixa já não queria entrar nesse diabo eu não votei nessa figura

Responder

Maria Oliveira

15 de janeiro de 2016 às 20h13

É O Lula do BRASIL!!

Responder

Alcione de Souza

15 de janeiro de 2016 às 19h56

Muchas gracias. Un buen periodista. Chupa The Economist e a meia dúzia de” Veja gringa”

Responder

Lúcio Soares da Silva

15 de janeiro de 2016 às 19h49

A chamada grande mídia brasileira possui analistas econômico-financeiros medíocres e míopes, tal o índice de cegueira e má vontade apresentadas nas análises realizadas por eles. Reporto-me dessa maneira para não parecer indelicado ao conceituá-los de venais, chacais que atuam em defesa do grande capital que os sustenta. Tudo bandido, lesa pátria, entreguistas das riquezas da nação. Quanto ás ações de informação praticadas pelo governo, de fato não tem existido. Simplesmente o governo tem-se comportado como um ser cego, surdo e principalmente mudo. Um verdadeiro túmulo. Pena!!!

Responder

Roberto Oliveira

15 de janeiro de 2016 às 19h47

E não foi um sociólogo vagabundo neh.

Responder

Joacir de Oliveira

15 de janeiro de 2016 às 19h36

“mezclando sagacidad política y pragmatismo”

Responder

Joacir de Oliveira

15 de janeiro de 2016 às 19h36

“mezclando sagacidad política y pragmatismo”

Responder

Wellington Alves da Silva

15 de janeiro de 2016 às 19h33

Deveria traduzir essa matéria

Responder

Wellington Alves da Silva

15 de janeiro de 2016 às 19h33

Deveria traduzir essa matéria

Responder

Roberto Porfírio

15 de janeiro de 2016 às 19h30

#EAgoraFHC

Responder

Roberto Porfírio

15 de janeiro de 2016 às 19h30

#EAgoraFHC

Responder

Tudizola Matias

15 de janeiro de 2016 às 19h26

O Edinho Silva da Secretaria de Comunicaçao é um desastre. Com um comunicador desses, ninguém precisa de mudos.

Responder

Tudizola Matias

15 de janeiro de 2016 às 19h26

O Edinho Silva da Secretaria de Comunicaçao é um desastre. Com um comunicador desses, ninguém precisa de mudos.

Responder

Fábio Lima

15 de janeiro de 2016 às 17h10

O primeiro gráfico é uma piada. Informar que apenas 7,4 % da população brasileira vive em situação de pobreza é uma piada. Deve ser em razão de o governo petista considerar que o sujeito que tenha uma renda mensal de R$ 300,00 integra a classe média. Aí o gráfico está “serto” !

Responder

    Eduardo

    15 de janeiro de 2016 às 17h25

    mimimimi
    Reclama com o Banco Mundial

    Responder

Diana De Castro Teles

15 de janeiro de 2016 às 19h05

#Lula2018

Responder

    Anônimo

    15 de janeiro de 2016 às 22h58

    Sonhando acordado 2018 lula tá na papuda

    Responder

Wandercy Neivaldo

15 de janeiro de 2016 às 18h59

A proxima vez sera a Dilma a passa a faixa

Responder

Deixe um comentário