Câmara discute privatização da Eletrobras

Brasília- DF 26-08-2015 Foto Lula Marques/Agência PT Procurador Geral da república, Rodrigo Janot, durante sabatina do senado. Foto: Lula Marques/ Agência PT

O papelão de Janot em Davos

Por Redação

19 de janeiro de 2017 : 12h32

“Janot estava lá representado um governo afundado em escândalos, com presidente citado mais de 40 vezes em delação e seis ministros a menos em oito meses”.

No DCM

Em Davos, Janot foi festejado por presidente paraguaio acusado de tráfico de drogas, evasão de divisas etc

Por Kiko Nogueira

Rodrigo Janot está entusiasmadíssimo com sua participação no Fórum Econômico Mundial em Davos.

O personagem que surge das entrevistas que deu sobre a viagem guarda uma semelhança com o pintado por seu ex-amigo, atual desafeto, Eugênio Aragão, subprocurador e ex-ministro da Justiça.

Segundo Janot, o convite se deveu “à curiosidade quanto ao exercício no Brasil de combate à corrupção”.

Ao Valor, teceu considerações sociológicas sobre modelos econômicos. “O que se quer é evitar o capitalismo de compadrio, a cartelização, assegurar a concorrência, a eficiência econômica e o desenvolvimento tecnológico”, disse.

“A Lava Jato é pró-mercado”, cravou. Um salve para você que achou que era pró-Constituição e pró-Estado de Direito.

Janot estava lá representado um governo afundado em escândalos, com presidente citado mais de 40 vezes em delação e seis ministros a menos em oito meses.

Mas a maior contradição, e especialmente emblemática do passeio, foi a cena do encontro caloroso com um personagem sul-americano controvertido.

Clóvis Rossi, em reportagem baba ovo na Folha, escreveu que o Fórum “abraçou” a Lava Jato.

Reproduzo um trecho:

O abraço foi tão apertado que o chanceler paraguaio Eladio Loizaga fez questão de puxar o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, para uma “selfie” com seu chefe, o presidente Horácio Cartes.

Pouco antes, Cartes qualificara de “histórica” a Lava Jato, em um debate sobre o futuro da América Latina em que Janot nem sequer estava inscrito para falar.

De acordo com Clóvis, o procurador geral da República citou a cooperação com países latino americanos como uma das chaves de seu sucesso. Destacou o Paraguai.

“O que está acontecendo no Brasil com o Ministério Público é um exemplo para o mundo”, saudou Cartes. Clóvis registra que o paraguaio foi acusado de ser o principal responsável pelo contrabando de cigarros falsificados para o Brasil. “Mas o ruído amenizou bastante depois da posse e nos anos mais recentes.”

O ruído amenizou (!?!), mas a ficha corrida não desapareceu com o vento. O cidadão que festejou efusivamente Rodrigo Janot está envolvido em uma nuvem de contravenções barra pesada.

Um dos homens mais ricos do Paraguai, filiado ao conservador Partido Colorado, Cartes é presidente de um conglomerado que produz bebidas, cigarros, charutos, roupas e carnes, além de gerenciar centros médicos.

Em 2000, a polícia encontrou um avião com registro brasileiro em sua fazenda, levando um carregamento de cocaína e maconha. A presidente de seu partido, Lilian Samaniego, sugeriu que ele tinha vínculos com o narcotráfico.

É suspeito também de lavagem de dinheiro através de operações em seu banco, conforme vazamentos do Wikileaks.

Em abril de 2013, a Istoé publicou uma matéria sobre sua parruda ficha criminal, “conservada em absoluto sigilo há quase dez anos na residência de uma autoridade da Justiça daquele país”.

Ela inclui “prisão por evasão de divisas e processos por falsidade ideológica, falsificação de documentos e estelionato”.

Como soi acontecer, é um bastião da moralidade. Durante a campanha, declarou que “atiraria nos próprios testículos” se tivesse um filho gay.

Levar um abraço apertado e um sorriso dobrado de Cartes não parece a coisa mais recomendável. Nem em Asunción.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

24 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Claudio gomes

21 de janeiro de 2017 às 09h26

proucuradorzinho de merda aMigo do cheira po aecio!

Responder

Nelson

20 de janeiro de 2017 às 12h28

São as facetas do golpe.

Responder

Rachel

20 de janeiro de 2017 às 02h36

Uau! PCC e FDN e CV e todo mundo junto e misturado. Ah tem também o heliococa. e muito mais…. Socorro!

Responder

Patrícia Tavares

19 de janeiro de 2017 às 17h50

Janot tá bem de amigo. Sintonizados.

Responder

Sergio Giraudon

19 de janeiro de 2017 às 17h19

vc perdeu o tempo estudando e não apreendeu nada

Responder

Paulo Prado Queiroz Filho

19 de janeiro de 2017 às 16h59

Verme

Responder

Oswaldoa Almeida

19 de janeiro de 2017 às 16h50

Os golpistas da GloboNews
Aqueles puxa saco da lava tucano a jato, um lixo de comentarista disse que o Brasil está bem representado em DAVO.
Com o Rodrigo Janot.
Ele está ali para falar de Corrupção. Golpistas Burros. Fora Temet/Psdb.

Responder

Luciana Liberato

19 de janeiro de 2017 às 16h46

Quem com porcos anda, farelo come.
Diga com quem tu andas e direi quem tu és…

Responder

Luiza Kalb

19 de janeiro de 2017 às 16h42

Estão embriagados pela vaidade. Celebridade!!!

Responder

Jose Aparecido Gonçalves

19 de janeiro de 2017 às 16h39

Puta que pariu a mãe dele é homem

Responder

Dirceu Maia

19 de janeiro de 2017 às 16h36

Os iguais se entendem.

Responder

Leonardo Cohen Carneiro

19 de janeiro de 2017 às 16h20

Se este é o melhor promotor do Brasil isto significa que estamos em maus lençóis.

Responder

Francisco Alves

19 de janeiro de 2017 às 16h13

Quão grande é a vergonha para parte de uma nação q ainda se envergonha de ser governada por mentirosos!!!

Responder

Evandro Gomes

19 de janeiro de 2017 às 15h47

KKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

Responder

Fernando Ferreira

19 de janeiro de 2017 às 15h43

O papelão de Janot no Brasil

Responder

    Cristian Koliver

    20 de janeiro de 2017 às 22h39

    Faltou aécio neves, josé $erra, aluisio nunes, agripino maia, Rodrigo Maia, duarte nogueira, Arthur Virgílio, José Carlos Aleluia – todos DEMO-tucanos

    Responder

    June

    21 de janeiro de 2017 às 03h55

    Prezado Fernando,

    lembre-se que somente convicções não bastam, há de se ter provas. Contudo, faltou na lista acima os nomes mais citados em todas as delações: michel temer, eliseu padilha, aécio neves, josé serra, geraldo alckmim, geddel vieira e outros amigos desses. Acorda, Brasil!!!

    Responder

Carlos Montez

19 de janeiro de 2017 às 15h19

Bate um desespero nos coxinhas. :-) :-)

Responder

Martha Lages Rodrigues

19 de janeiro de 2017 às 15h17

Corrompido, procurador golpista como o governo que representa.

Responder

Ivete Gonçalves

19 de janeiro de 2017 às 15h11

Un bandido cuando ve o outro fica feliz

Responder

Robercil R. Parreira

19 de janeiro de 2017 às 15h08

Mas, Não Era Só Tirar o PT?!

Responder

Edwiges Morato

19 de janeiro de 2017 às 15h07

Responder

Jair Junior

19 de janeiro de 2017 às 14h53

Opa quem esta afundado em escândalos de corruPTição são os governos de Lula e Dilma, não venham com essa piada de mau gosto tentar mudar a realidade dos fatos, com isso a credibilidade de voces cai para abaixo de zero.

Responder

Messias Franca de Macedo

19 de janeiro de 2017 às 12h36

[Perdão pelo fora de pauta não tão fora de pauta assim!
Tremeis, nazigolpistas de merda!]

CEREJA DO BOLO DA DELAÇÃO DA CAMARGO CORRÊA SERÁ A CORRUPÇÃO NO JUDICIÁRIO

A aguardada delação da Camargo Corrêa, que deve atingir em cheio os governos do PSDB em São Paulo, além de Michel Temer, citado nas planilhas da empreiteira, terá também impacto devastador no Poder Judiciário; os controladores da empreiteira foram forçados pelo Ministério Público a contar como conseguiram enterrar a Operação Castelo de Areia, numa operação coordenada pelo ex-ministro Marcio Thomaz Bastos; depoimentos serão constrangedores para ministros de tribunais superiores, assim como alguns de seus parentes

19/01/2017

Recentemente, a ex-ministra Eliana Calmon, do Superior Tribunal de Justiça, afirmou que uma delação da Odebrecht não deveria ser levada a sério se não atingisse o Poder Judiciário.
(…)
A delação da Camargo Corrêa, que atingirá em cheio governos do PSDB em São Paulo, assim como Michel Temer, citado 21 vezes em planilhas da empreiteira, ao lado de pagamentos de US$ 345 mil, terá como cereja do bolo a corrupção no Poder Judiciário. Mais precisamente, a nebulosa história de como foi encerrada a Operação Castelo de Areia.
(…)

FONTE [LÍMPIDA!]: http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/275795/Cereja-do-bolo-da-dela%C3%A7%C3%A3o-da-Camargo-Corr%C3%AAa-ser%C3%A1-a-corrup%C3%A7%C3%A3o-no-Judici%C3%A1rio.htm

Responder

Deixe uma resposta