Bahia: Refinaria privatizada provoca desabastecimento de Gás de Cozinha

A libertação de José Dirceu e o timing maroto da mídia e de Gilmar Mendes

Por Pedro Breier

04 de maio de 2017 : 10h16

(“Fomos enganados!”)

Por Pedro Breier, colunista do Cafezinho

Imagine, estimada leitora e caro leitor, que José Dirceu tivesse sido solto pelo STF no auge da campanha pelo impeachment de Dilma Roussef, quando criticar a Lava Jato era coisa de bandido ou de petista (que na verdade são a mesma coisa para os democráticos cidadãos que cerram fileiras com a direita tosca).

Consigo até visualizar as reportagens consternadas naquela novela de péssima qualidade da Globo, o Jornal Nacional, pintando como vilões malvados os que votaram por libertar um dos chefes da quadrilha lulopetista. Sobraria até para o neo-petista Gilmar Mendes.

Quer dizer, é óbvio que Gilmar Mendes jamais votaria por libertar José Dirceu das masmorras de Curitiba naquela conjuntura. Juiz bom é assim: coloca os seus interesses partidários acima da análise da lei, quando necessário. Bom para o seu partido, é claro.

Pois a conjuntura mudou. Dilma caiu e o PT derreteu. Temer e o Congresso mantêm uma relação de noivos em lua de mel, onde o prato a ser comido à luz do luar, na beira da praia, são os direitos trabalhistas e previdenciários da população.

Agora há o medo explícito de que a Lava Jato atinja a galinha dos ovos de ouro da plutocracia, o PSDB. Os editoriais de hoje dos três principais jornais do país explicitam o freio que se deseja, agora, impor à Lava Jato, vulgo “estancar a sangria”.

O Globo foi o que mais tentou manter a pose.

Criticou o “açodamento do Ministério Público” por causa da acusação “juvenil” (palavra usada por Gilmar Mendes) contra Dirceu em cima do julgamento no STF e falou da necessidade de “contrapesos na execução judicial, para que os tribunais não sejam de exceção”. Mas também fez alguns afagos aos ex-heróis nacionais, falando em “esquema lulopetista” e defendendo a tortura como método de arrancar delações: “Sem ela (a prisão cautelar), ficam quase intransponíveis as resistências à delação premiada”. Nada surpreendente vindo da empresa que foi o sustentáculo midiático da ditadura militar.

O Estadão abandonou qualquer prurido e abraçou completamente o projeto salva tucano. Vejam se este trecho não é digno de um blog sujo:

A Lava Jato, porém, há muito tempo parece ter deixado de ser uma investigação policial. A operação parece prisioneira da presunção de que tem um papel a desempenhar no futuro da política e da Justiça no Brasil, razão pela qual qualquer ponderação que ponha em dúvida seus métodos e suas certezas será vista como manobra contra seu prosseguimento. O discurso messiânico de alguns de seus principais integrantes sugere que, para eles, todas as instituições do País estão apodrecidas, com exceção do Ministério Público. Em sua ânsia de sanear o País, a Lava Jato comete erros – e um deles deu um gostinho de vitória a José Dirceu, um dos personagens mais nefastos da história brasileira.

A Folha, por sua vez, demonstrou ser insuperável em matéria de cinismo. O trecho a seguir, se publicado antes do golpe, tornaria o jornal dos Frias inimigo mortal dos zumbis midiáticos:

Esta Folha tem por reiteradas vezes apontado o risco de que essa modalidade de encarceramento (prisão preventiva) sirva como forma de pressão abusiva para extorquir delações dos acusados, ou como instrumento persecutório a atender os reclamos, obviamente agudos, de uma opinião pública exausta de impunidade e arrogância.
Sem sinais de abrandamento no combate contra a corrupção, em boa hora o STF assume o papel de corrigir eventuais excessos.

Esta última frase é uma pérola. Enquanto os que lutam contra o Estado policial – como este blog – criticam os métodos ilegais e medievais da Lava Jato desde o seu início, os integrantes do oligopólio midiático o fazem somente quando isso lhes traz vantagem política. Se for para derrubar a democracia e colocar um governo amigo no poder, que se danem as prisões preventivas usadas como tortura.

Sem falsa modéstia, confirma-se a previsão deste colunista que vos escreve, feita em artigo publicado em fevereiro, com um pequeno erro temporal, já que não deu pra esperar a condenação do Lula:

A mídia familiar é aliada de primeira ordem da Lava Jato. Contudo, não pode prescindir dos seus políticos de estimação. Afinal, ainda há Executivo e Legislativo no Brasil.
Com o passar do tempo ficará cada vez mais difícil conciliar a narrativa explícita do “todo apoio à Lava Jato” com a disfarçada do “toda proteção aos políticos amigos”.
Eu apostaria em uma migração gradual da primeira para a segunda narrativa, depois que a Lava Jato já tiver coroado seu trabalho bandido com a provável condenação de Lula e consequente impedimento de sua candidatura em 2018.

Pedro Breier

Pedro Breier nasceu no Rio Grande do Sul e hoje vive em São Paulo. É formado em direito e escreve sobre política n'O Cafezinho desde 2016.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

9 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

derli souza

04 de maio de 2017 às 22h48

Será que somos mesmo tão imbecis – ou ingênuos – quanto os lixos das ‘seis famiglias’ acreditam?

Eis que, quando a água bate no pescoço de santos, carecas, mineirinhos, maridos das marcelas, e até de bichinhos do mar, eis que os lixos das ‘seis famiglias’ publicam editorias desancando a ‘força jedi’, enaltecendo o ‘império supremo’ e – pasmem – endossando a libertação do Darth Vader.

É muita cara de pau, né não?

Responder

Claudio

04 de maio de 2017 às 16h05

Por que soltar Bumlai, Zé Dirceu etc. e tal?
Isso não é cortina de fumaça para não se falar do Aécio, Serra, Alkimin, MP, entre outros golpistas, e sim uma Barragem. Enquanto isso a mídia se ocupa em falar o Zé, do Lula, do Palloci, e POUPA os tucanos e tantos golpistas entre eles a própria mídia.
Assim Gilmar não mudou, continua o mesmo, os interesses é que mudaram.

Responder

Ivanio De A. Alves

04 de maio de 2017 às 17h27

O próximo a ser solto será Cunha, são todos farinha do mesmo saco, são só os atos finais e a “sangria foi estanca.

Responder

JULIO CEZAR DE OLIVEIRA

04 de maio de 2017 às 12h25

esse movimento vem pra rua já,do mbl já esta desmoralizado e com panelas amassadas,todos querem agora é a volta do pt.

Responder

Joao Maria

04 de maio de 2017 às 12h00

Nao levo a serio mais as noticias da imprensa suina.

Responder

Roger Nascente Silveira

04 de maio de 2017 às 14h58

Responder

Cláudio Pereira Pinheiro Pinheiro

04 de maio de 2017 às 14h14

BOM DIA MEU BRASIL VARONIL!

BOM DIA MEUS BROTHERS E SISTERS!

“ESSES ENFERMOS INDIVÍDUOS DA “DIREITONA EMPEDERNIDA”, ESTÃO, E DE HÁ MUITO, VIVEM, ABSOLUTAMENTE, ENCARCERADOS, ISTO, EM PRISÃO INVIOLÁVEL, LEVADOS E NUTRIDOS, SISTEMATICAMENTE, PELO ÓDIO INCURÁVEL, PELA IGNORÂNCIA, PELO PRECONCEITO, PELA INVEJA E PELA GANÂNCIA/AVARENTA CRÔNICOS!

E MAIS, TAL MOLÉSTIA “PSICO-SOCIAL”, LAMENTAVELMENTE, ORA GENÉTICA, ORA SOCIALMENTE ADQUIRIDA, ENCARCERA-OS (AS)PERPÉTUAMENTE, REPERCUTINDO NA VIDA DOS DEMAIS CIDADÃOS E CIDADÃS SAUDÁVEIS, A ESTES E ESTAS INFELICITANDO PROFUNDO E DESASTROSAMENTE!!!

“HOMI!” “MUIÉ!” “ABRAM DO OLHO!” “BABADO NÃO É BICO NÃO!”

“GRAVÍSSIMO!” “INDIVÍDUOS DE ALTÍSSIMA PERICULOSIDADE!”

“FORA TEMER/CUNHA JÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁ…!!!”

“DILMA DO BRASIL DE VOLTA, DEMOCRACIA RESTABELECIDA!”

“HOMI!” “MUIÉ!” “SÓ CAMISA DE FORÇA!” “INTERNAMENTO” JÁÁÁÁÁÁÁ…!!!!” J UÍZO GENTE, JUÍZO MESMO, JUÍZO JÁÁÁÁÁ…!!!

Responder

Waldenilson Costa

04 de maio de 2017 às 13h45

Perfeita a análise.

Responder

Replicante Seletivo

04 de maio de 2017 às 13h35

Ao circo jurídico-midiático só resta agora um objetivo: interromper a candidatura Lula. As palhaçadas restantes são para manter as aparências e dar tempo ao golpe para quebrar a espinha dorsal trabalhista do país: CLT e INSS.

Responder

Deixe um comentário