Comentários sobre o áudio vazado de André Esteves (BTG Pactual)

Fernando Haddad e Nabil Bonduki (Case Assessoria: http://caseassessoria.com.br/que-horas-ela-volta-recebe-premiere-em-sao-paulo/fernando-haddad-e-nabil-bonduki/)

Petista histórico de São Paulo confronta partido: até quando?

Por Miguel do Rosário

24 de julho de 2018 : 22h05

Na Folha

Até quando, PT?

Partido precisa definir quem substituirá Lula no caso do seu provável impedimento

Por Nabil Bonduki

24.jul.2018 às 2h00

Se o PT acredita no que sua direção, seus militantes e seus simpatizantes dizem, o nome de Lula não estará nas urnas em 7 de outubro. Afinal, como dizem, não foi para isso que o golpe foi dado? Não é por isso que Lula está preso e condenado em segunda instância, com uma velocidade ímpar no Judiciário brasileiro?

No discurso do partido, parece não restar nenhuma dúvida de que o “establishment” não o quer candidato porque, se fosse, dificilmente não seria eleito presidente.

Depois de tantas tentativas de obter alguma vitória no Judiciário, sem sucesso, será que alguém ainda acredita que, na última hora, surgirá alguma jurisprudência salvadora?

Não adianta os “conselheiros jurídicos” do PT mostrarem 145 exemplos de prefeitos que se elegeram sem ter o registro deferido e que, em 70% dos casos, acabaram revertendo a inelegibilidade e hoje governam suas cidades.

Alguém acredita que, na atual conjuntura, haja alguma equivalência entre Lula e um prefeito do interior? Que vão deixar seu nome estar nas urnas?

Enfrentar esse impasse não significa abdicar da convicção de que o ex-presidente é inocente, que sofre injustiça e que segue sendo o candidato preferido pelo partido e por 38% dos brasileiros que têm candidato no primeiro turno, segundo a última pesquisa do Datafolha.

Estamos a 75 dias das eleições e as peças se mexem com rapidez. O quadro está se configurando sem fugir muito do que tradicionalmente tem ocorrido nas últimas eleições. Com a diferença de que hoje vigora uma tremenda descrença na política e nos partidos, o que exige transparência e respeito ao eleitor.

Alckmin, o preferido do mercado, finalmente conseguiu reunir a maior parte da velhíssima política e da base parlamentar do governo Temer. O blocão tem musculatura, recursos, tempo de TV, capilaridade e muita gente suspeita. Sem dúvida, é um polo forte, apesar de ter perdido muito terreno para a extrema direita.

No outro polo, o PT é o principal partido. É preferido por 20% dos brasileiros (Datafolha de abril). Tem cinco governadores, a maior bancada federal e pode agregar outras forças de oposição ao bloco de sustentação do atual desgoverno. Para além de Lula, seu potencial é enorme. Mas não pode mais se ausentar do debate eleitoral.

Se o PT quiser agregar as forças políticas e os brasileiros que desejam dar um novo rumo para país, não pode mais perder tempo. Precisa definir quem substituirá Lula no caso do seu provável impedimento.

Isso é fundamental para negociar alianças e debater as propostas com a sociedade e com os outros candidatos. Enfim dar uma cara nova para um projeto político que não se limita a uma personalidade.

* Nabil Bonduki
Professor da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP, foi vereador de São Paulo pelo PT.

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

33 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Luiz Rodrigues

30 de julho de 2018 às 21h20

O nosso legado não deve ser o bolsa família, o Prouni, o luz para todos e etc Todos os programas são muito importante
Mas o grande legado é politizar o povo e a manutenção do Lula mostrará todas contradições do sistema

Responder

humberto

26 de julho de 2018 às 18h01

O Ciro,sem Lula,no rio grande do norte só tem 20 por cento.O RGN,faz fronteira com o Ceará.
Não era para ele ter mais?Não deixa de ser estranho.

Responder

Isabella Santos

25 de julho de 2018 às 23h50

este nabil também acredita no conto da carochinha,o lula tá certinho se ele aceitar
o jogo do PIG e STF é legitimar as eleições e jogar a toalha e admitir a culpa,tá certinho sim ou lula ou nada,aliás qual é á preucupações de voçês?só voceis
acham que o PIG vai deixar alguém dá esquerda governar, é ruim em.acorda
pessoal,só o lula coloca eles no bolso.

Responder

Railton Melo

25 de julho de 2018 às 19h47

Esse cara aí é petista? E os milhões petistas históricos que querem LULA candidato não vale? Esse Miguel hehehehe

Responder

Renata

25 de julho de 2018 às 17h38

A pergunta deve ser: quando Lula desistirá enfim de defender a Soberania Popular?

Responder

Aliança Nacional Libertadora

25 de julho de 2018 às 16h26

Esperando a análise da entrevista do Ciro pro valor econômico……se é que vem….

Responder

Foo

25 de julho de 2018 às 14h58

E os petistas históricos que querem Lula candidato não são noticia? Seu blog só publica notícias que se adequam à narrativa preestabelecida?

Tudo bem torcer por um candidato. O problema é tratar seus leitores como analfabetos políticos incapazes de perceber tentativas de manipulação.

Perceba como você seleciona insistentemente matérias negativas para um lado e positivas para o outro.

Se você fosse honesto em suas análises encontraria farto material para demonstrar que a candidatura que vai mal é a de Ciro, é não a do PT.

Mesmo que Lula não possa ser candidato, nada indica que Ciro chegue ao segundo turno.

A não ser, é claro, que o PT desista da candidatura, o que explica suas análises enviesadas.

Responder

NeoTupi

25 de julho de 2018 às 14h31

O ex-vereador petista sugere submissão à política dos tribunais, sacrificando a aliança com o povo! Como quer a Globo, o Alckmin, o judiciário golpista e o “mercado”.
É até contraditório os argumentos dele:
Ele diz: “[Acha] Que vão deixar seu nome [de Lula] estar nas urnas?” … para depois dizer: “… hoje vigora uma tremenda descrença na política e nos partidos, o que exige transparência e respeito ao eleitor.”

Ora, então é o próprio PT quem deve voluntariamente fazer o trabalho sujo do judiciário, poupando as excelências togadas de sujarem suas mãos com mais uma violência de proibir o povo de votar em Lula? E os poupando de passar o vexame de rasgar a própria jurisprudência anterior, passando mais um recibo do golpe? Pelo-amor-de-Deus, isso seria traição e como traição covarde ao eleitor lulista será visto pela base de apoio popular, que é o maior apoio que Lula tem, coisa que nenhum partido de esquerda, muito menor, pode agregar.

Responder

Alan Cepile

25 de julho de 2018 às 14h22

LULA LIVRE

CIRO PRESIDENTE

Responder

Joel

25 de julho de 2018 às 11h51

LULA LIVRE!

Responder

ari

25 de julho de 2018 às 11h30

Matéria bem semelhante à do Luis Moreira, nesta mesma edição e que se tornaram tão comuns neste blog. É lamentável! E fica a mesma pergunta: no interesse de que ou de quem?

Responder

Marcos

25 de julho de 2018 às 11h14

Esse pessoal tem um medo de perder a boquinha… Estão mais preocupados em manter o emprego que travar o bom combate. Uma vergonha.

Responder

Gustavo

25 de julho de 2018 às 10h42

Paciência, persistência e reflexão são armas poderosas, mas não são mais fortes a ponto de sobrepor a variável tempo.

Dado que as condições não parecem ter a menor vocação de mudar, ao final a variável tempo irá sobrepor todo o resto e o PT ficará numa situação pior do que o plano B

Ir pro tudo ou nada é uma aposta alta sobretudo porque a chance de ganhar diminui e o risco aumenta à medida que o tempo passa.

Enquanto alguns consideram que um plano B pode ser queimar uma largada (afinal ainda há de se esperar o TSE), outros consideram que a corrida já começou e o PT está parado

Responder

Fernando

25 de julho de 2018 às 10h10

Se a estratégia e ruim pq o pt não cai para rabeira nas pesquisas e o Alckimin não lidera ?
Antecipar tudo só é bom para o Alckimin e para os da rabeira das pesquisas.

Responder

Carcará

25 de julho de 2018 às 10h07

As universidades ensinaram muito pouco lógica. Prefiro um velhinho dormindo em Curitiba do que estes argumentos mal formulados.
Lula livre!

Responder

    Benoit

    25 de julho de 2018 às 16h07

    Por que voce não diz quais são os argumentos errados na sua opinião?

    Responder

Caique Soares Capitul

25 de julho de 2018 às 09h48

Ah esses petistas do tucanistão.

Responder

Alan Cepile

25 de julho de 2018 às 09h42

Esse texto choveu no molhado, não é uma crítica negativa, apenas mais uma constatação (agora de dentro do partido, o que nem é mais uma novidade) de que o PT está perdendo tempo, adota uma tática suicida e já está sentindo os reflexos desse erro.

Responder

Carmem

25 de julho de 2018 às 09h36

Tá dificil entender ? É so uma questao de somar 2 + 2. Se o PT indicar alguem agora só favorece o Alckimin. O ex governador esta na rabeira das pesquisas e precisa desesperadamente que o Lula desista da presidencia indicando outro para seu lugar ou apoiando outro candidato para faturar muitos eleitores do Lula, simples assim. Precisa desenhar.
Em segundo lugar a lava jato irá a partir da decisao do Lula passar a perseguir o Haddad ou Jacques Wagner ou seja la quem for o petista. É dificil entender isso.
O Alckimin está com a corda no pescoço, irá sobrar pouco tempo para ele tambem convencer os eleitores. Quem tem o maior tempo de televisao atualmente é o Lula e dado por uma condenaçao sem provas de Serjão.
O Alckimin nao tem o que fazer nesse momento.
Uai, o Ciro nao estava certo em se compor com o centrão ? Tomou uma que perdeu até o rumo de casa.
Se a estrategia petista está errada por que o Lula nao cai nas pesquisas e fica na rabeira igual os outros, reparem que ninguem sequer alcança o Bolsonaro.
Pra que dá votos de graça para o tucano santo ?
Vou votar no Lula ou em quem ele indicar.
Nao foi o Lula que escolheu essa situaçao e nem o PT, a escolha foi da direita, de parte do judiciario e da midia golpista que apostaram no qto pior melhor.
Ora bolas, se eles nao facilitam para o PT, pq o pt tem que facilitar para eles.
Querem que o pt indique logo outro candidato para inventar um crime lá em Curitiba e prender injustamente a pessoa e sem provas ainda por cima.

Responder

    Joel do Nascimento Côrtes

    25 de julho de 2018 às 14h16

    Ta certinho Carmem. Eu também acho que è por aí.
    O meu raciocínio também è esse: eles querem saber quem o Lula irá indicar para perseguir o mesmo.
    Vamos todos de Lula, ou quem ele indicar.
    È chegado a hora de mostra pra essa gente que nós temos a força do burro e a orientação do Céu.
    Vamos todos de Lula ou quem ele indicar ??

    Responder

Leo Oliveira

25 de julho de 2018 às 04h49

“Queimem esse infiel! Ímpio! Como ousa colocar em dúvida a palavra do Supremo Onipotente Líder? Não há perdão para os descrentes, todos devem ser sumariamente eliminados, sem piedade, para que o exemplo sirva de lição e ninguém jamais volte a agir de tal maneira.” Parece piada, mas é assim que reagem muitos petistas quando veem seu líder ser confrontado, como se ele fosse infalível.

Líder que parece perdido, entre a tortura psicológica duma solitária, da fria e distante Curitiba, da outrora magnanimidade popular, que o fazia ser o político mais amado da terra. Talvez a lembrança próxima o faça agir com tamanha arrogância, desconsiderando uma realidade tão dura, até mesmo como forma de fuga.

Seria Lula refém da sua própria persona? Porque é o que parece, pelas suas declarações através de cartas entregues a correligionários, em que expõe dose excessiva de confiança em si mesmo, de confiança no personagem Lula. Basta relembrar rapidamente: “eu vou criar o dia do fico”, “eu vou voltar a fazer o povo feliz”, “eu vou voltar a fazer o Brasil ser respeitado”, “eu vou criar empregos”, “eu sei fazer”, “eu, eu eu, eu…” Alguém precisa lembrar ao ex-presidente que ele hoje é um reles presidiário, vítima da maior máquina de perseguição da América Latina, e que o seu “eu” não faz mais porcaria nenhuma, já que sequer hoje tem direito a atravessar a rua.

Voltar a realidade, considerá-la, vai fazer muito bem ao Lula, muito bem ao PT. Ter consciência que a luta política não vai se dar no mundo imaginário petista, em que seu líder apontará o caminho milagrosamente, ou seja, sair de um solipsismo raivoso é fundamental para a sobrevivência, não só política, mas mesmo existencial da agremiação e do seu máximo expoente.

Ainda não entenderem que perder em 2018 é perder tudo, é o fim da atual geração, pois o estado de exceção não irá cessar o arbítrio. Legitimados pelas urnas, o processo radicalizar-se-á, com fechamentos de partidos de esquerda e movimentos sociais, fim de direitos sociais, privatizações sem nenhum critério, prisões de qualquer um que ousar pensar em enfrentar o totalitarismo.

Muitos pensam de maneira oportunista e calhorda que perder em 2018 é garantir a vitória em 2022, fazendo um calculo racionalista, que desconsidera toda a conjuntura do pós-2016, desconsideram que a direita não tem e não terá nenhum escrúpulo em mudar a constituição, garantindo ao seu próximo presidente um mandato de 6 anos, tempo suficiente para criar mecanismos para inviabilizar totalmente a luta política democrática.

O PT e seu líder cometeram bárbaros erros, enumerá-los é por demais desnecessário. Ao insistir na candidatura Lula, o partido talvez esteja caminhando para o seu último e derradeiro erro. Insistir em deixar uma decisão tão importante sob a responsabilidade duma só pessoa, não é prova somente de estupidez, mas de supremo egoísmo fanático.

Responder

Everton R

25 de julho de 2018 às 03h44

O golpe está tão desesperado para que Lula seja descartado que estão até cedendo espaço na Folha!

Responder

Miramar

25 de julho de 2018 às 01h11

Tempus Fugit!

Lula Livre e Ciro Presidente, por uma frente, mais que de esquerda, democrática e nacionalista.
E que os puritanos voltem para os seus conventos.

Responder

Nilson Moura Messias

24 de julho de 2018 às 23h48

Os candidatos façam suas campanhas, os blogs trabalhem pelos seus preferidos. Nós, militantes petistas já fizemos nossa opção: Lula ou Lula!

Responder

    Elena

    25 de julho de 2018 às 09h04

    É isso aí! É Lula ou Lula! Não tem outra opção!

    Responder

Anderson Franco

24 de julho de 2018 às 23h23

Nesse momento em que a democracia é tutelada pela “justiça”, Lula em seu confinamento deve tomar uma decisão sóbria e, acima de tudo, que unifique o campo progressista.
Qualquer que receba a sua santa unção será reverenciado por seus fiéis discípulos (hoje aqui no Brasil são milhões).
De minha parte, tenho apenas uma objeção: Ciro não merece ser apontado como o herdeiro dos votos do beato encarcerado. Arrogante e, principalmente, ambíguo não passa a firmeza tão necessária aquele que luta em defesa da Democracia.
Ao dizer que “a prisão de Lula não é política”, fechou a porta para qualquer tipo de consenso em volta de seu nome.

Responder

José de Oliveira Santos

24 de julho de 2018 às 22h59

Lula bem que podia dar uma forcinha para legitimar o golpe, indicando um nome para o seu lugar. Aí fica “com supremo, com tudo”.

Responder

    Ultra Mario

    24 de julho de 2018 às 23h34

    Digamos que você precisa entregar uma carta e alguém te joga no buraco. Alguém vem e te oferece ajuda pra entregar a carta. Aí você diz que não, que não é justo terem te jogado no buraco, e que não quer ajuda de ninguém.

    Está certo que não é justo terem te jogado no buraco, mas só ficar reclamando não vai fazer a carta ser entregue.

    Isso é o que ocorre com o PT agora. Exceto que o destino da nação está em jogo.

    Responder

      Jonas

      24 de julho de 2018 às 23h43

      Vamos continuar a adenota:
      E se o destinatário só quiser receber a carta das mãos do primeiro entregador?
      E se quem o empurrou no buraco estiver na espreita para empurrar no buraco qualquer um que ousar tocar na carta?

      Podemos conjecturar ad infinitum

      Responder

        J Fernando

        26 de julho de 2018 às 12h11

        Rsrs, muito legal seu raciocínio…
        Quem jogou o emissor da carta no buraco está espreitando para ver quem é o destinatário.
        É só destinatário aparecer que vai ser jogado no buraco também.

        Responder

    Foo

    25 de julho de 2018 às 15h05

    Pois é.

    Tudo o que os golpistas desejam é que Lula desista, ou que o PT desista de Lula.

    Desistir seria legitimar o golpe.

    Infelizmente o Miguel não percebeu isso, e fica insistindo em cálculos eleitoreiros.

    É preciso levar a candidatura até o fim.

    Responder

João Lucas Trevisan Alves

24 de julho de 2018 às 22h50

“Petista histórico!!!”. Tá certo, blog de ataque ao petismo e aos petistas e não petistas que não se envergaram na hora de defender a candidatura do companheiro Lula, a democracia e o direito do povo brasileiro de escolher seu presidente. Essa luta distingue oportunistas daqueles realmente comprometidos com a luta do povo brasileiro. A candidatura do Lula deve ser levado até o limite e ultrapassar os limites se possível, cabe ao golpe interditar o Lula e apostar suas fichas nisso, não o campo popular, posta aqui dos supostos ‘petistas históricos” que concordam com o Plano B de embarcar com o coronel estúpido abandonado pela direita no meio da estrada. Põe fala da Gleisi, do Haddad, do Luiz Marinho, do Dirceu, do Genoíno, do Vagner Freitas, do Stédile, dos representantes dos sindicatos, movimentos de moradia entre outros. Abraço amigo, quem é é quem não é faz campanha pro Ciro.

Responder

Olinto A. F. de godoy

24 de julho de 2018 às 22h44

Confronto aonde? Ele, acadêmico que é, apenas manifestou uma opinião que julga correta e que não é a mesma dos estrategistas do PT mais próximos de Lula (vide a opinião destes no blog do Nassif). O que acontecerá só saberemos depois de 15 ou 20 de SETEMBRO, data provável de conhecermos o ungido de Lula (ou não?). Até lá só especulações. O Ciro se lascou de vez? O blocão de Alckmin desidratará os bolsominions? Etc. Etc.

Responder

Deixe um comentário

Parlamentarismo x Semipresidencialismo: Qual a Diferença? Fernanda Montenegro e Gilberto Gil são Imortais na ABL: Diversidade Auxilio Brasil x Bolsa Família: O que mudou? As Refinarias da Petrobras À Venda pelo Governo Bolsonaro O Brasileiro se acha Rico ou Pobre?