Comentários sobre o áudio vazado de André Esteves (BTG Pactual)

Crédito: Site do PT.

Nassif explica a estratégia do PT para as eleições de outubro

Por Miguel do Rosário

25 de julho de 2018 : 19h54

No Jornal GGN

Xadrez da lógica do PT com as eleições, por Luis Nassif
TER, 24/07/2018 – 18:49
ATUALIZADO EM 24/07/2018 – 21:08
Luis Nassif

Na terça-feira participei de uma reunião com estrategistas da Executiva do PT. O tema principal da conversa foi a decisão de manter a candidatura de Lula até o último momento.

No geral, concordam com todos os riscos apontados no artigo “Xadrez da maior aposta de Lula”. Mas levantam argumentos sólidos a favor da tese da candidatura de Lula. Em todo caso, o que se tem, na opinião abalizada de um dos presentes, é uma nova etapa, caótica e imprevisível como foram os anos 30 e 80, tornando impossível definir como será o novo.

Peça 1 – os ativos do PT
Os dois principais ativos do PT são:

Eleitoral: garante as eleições imediatas.
É o partido com maior número de eleitores e o candidato, Lula, favorito absoluto para as próximas eleições. Mas tanto o governo Dilma quanto o candidato Lula alvos do golpe do impeachment, tentando impedir sua candidatura. Atropelando a Constituição e as leis, o golpe tenta impor uma derrota eleitoral a Lula.

Político: garante a perenidade do partido.
No caso de Lula-PT, seu acervo político é o projeto de desenvolvimento social do partido, já testado e aprovado no período Lula, com defesa da produção nacional e da distribuição de parte dos benefícios do desenvolvimento. É o que legitima partidos, garantindo sua perenidade.

A intenção do golpe não foi apenas inviabilizar eleitoralmente o PT, mas matar politicamente Lula. É o que explica os abusos reiterados contra seus direitos, desde os factoides dos pedalinhos até a invasão da sua casa, revirando até sua cama, o grampo nos escritórios de advocacia que o defendem, a condução coercitiva e a sequência monumental de acusações repetidas por todos os meios de comunicação.

E, no entanto, o resultado final representou uma derrota política do golpe. O movimento tornou explícitas as jogadas políticas no Judiciário, Ministério Público, Executivo, Mídia, vitimizou Lula, gerou reações internacionais, aumentou sua popularidade e aprovação, conferindo-lhe uma vitória política expressiva. Prenderam o homem, nasceu a lenda.

A intenção da candidatura Lula, para o PT, é preservar esse ativo.

Peça 2– os problemas da frente ampla
Como partido nacional, o PT padece das mesmas dificuldades do federalismo brasileiro: como manter a unidade nacional e, ao mesmo tempo, atender às peculiaridades de cada estado e cada candidato ao governo, cada qual montando seu arco de alianças?

Há convicção na Executiva do PT que, se não fosse o movimento em torno de Lula, o partido teria se dividido em arquipélagos regionais. Portanto, o primeiro motivo da candidatura Lula foi manter o PT unido.

O segundo motivo – e mais relevante – é a preservação da vitória política. A história está repleta de precedentes de partidos que abdicaram da disputa política e não mais se recuperaram. É o caso do PC italiano e do próprio PCB brasileiro pós 64, que perdeu o protagonismo na esquerda, sendo substituído pelo próprio PT.

No entendimento dos estrategistas do PT, montar uma frente de esquerda e entregar a cabeça de chave a alguém de fora do partido seria jogar fora o protagonismo futuro do PT. Ou, na expressão de um dos estrategistas do PT, “estariamos entregando de bandeja ao pacto autoritário a nossa visão de futuro. Assim, o golpe se materializaria”.

O terceiro motivo foi o fato do PT, e Lula, terem se aproximado novamente das bases, das quais se afastaram no período em que foram poder. As caravanas e conferências e, especialmente, o contraste violento com o governo Temer, os abusos contra Lula, elevaram sua mística a níveis inéditos entre as classes de menor renda.

As pesquisas qualitativas, mesmo as manifestações espontâneas em diversos locais públicos – como a rodoviária de Brasília – mostram o mesmo discurso da parte dos entrevistados: lembram o que ganharam no governo Lula, o que estão perdendo agora e encaram a volta de Lula como único ponto de esperança. O tema comum é: “Eu quero meu futuro de volta”.

Há a identificação cultural e afetiva com o homem do povo, fruto do carisma pessoal de Lula. Mas há também uma base profundamente material, reforçada pelo desalento atual com o desemprego e com a deterioração dos níveis de emprego.

Se Lula abrir mão da candidatura, poderá ser encarado como traição. Se for impedido de se candidatar, reforçará os laços com a base.

Há um quarto motivo, a resistência a Ciro Gomes devido à sua trajetória política errática, pelas posições que tomou, de claro antagonismo ao PT e a Lula.

Peça 4 – os trunfos
Há esperanças vagas de que os tribunais não impeçam a candidatura Lula. Aferram-se ao caso Rosa Weber, que não acolheu representação do MBL para julgar antecipadamente o direito de Lula se candidatar. Seria um indício de que não haveria veto prévio à candidatura de Lula.

Avança-se também na conversa com partidos de esquerda mais próximos.

Com PCdoB há alguma ambiguidade. Mesmo que a cúpula vá com Ciro, a base é lulista, devido à penetração de Lula no Nordeste. O PCdoB precisará desse lastro nas eleições de Flávio Dino, no Maranhão, e da senadora Vanessa Graziottin, no Amazonas.

Com PSB a diferença é mais profunda. O novo PSB, que votou contra a reforma trabalhista, é essencialmente nordestino. No Sul, o PSB é mais conservador. Em Minas, a candidatura de Márcio Lacerda poderá atrapalhar o governador Fernando Pimentel. O divisor de águas é Pernambuco, estado no qual o PSB precisará muito do PT, devido à possível candidatura de Marilia Arraes. Fechando o acordo, o PT abrirá mão da sua candidatura.

Continue lendo no Jornal GGN

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

67 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Reginaldo Gomes

30 de julho de 2018 às 22h38

A estratégia de todo partido progressista deve ser ” subir o tom”; gritar ” truco ladrão”!!!!
O golpe está desorientado como se tivesse tomado um pé-duvidu bem no pé da orelha!!!!
O candidato a presidente deve dizer e registrar no seu programa de governo que o juros do cheque especial vai ser criminalizado como crime hediondo!!!!
É deixar o pau cair a folha .
Fazer os usurários supurar a úlcera nervosa.

Responder

Vitor

26 de julho de 2018 às 16h52

“No caso de Lula-PT, seu acervo político é o projeto de desenvolvimento social do partido, já testado e aprovado no período Lula, com defesa da produção nacional e da distribuição de parte dos benefícios do desenvolvimento. É o que legitima partidos, garantindo sua perenidade.”

O que deu certo foi tripé econômico e banqueiro no Bacen! Quando colocaram a agenda econômica heterodoxa em prática (principalmente na época da Nova Matriz Econômica), o país desandou! Quem quiser brigar com os fatos, que tenha úlcera sozinho!

Responder

alberto Lima

26 de julho de 2018 às 16h42

Tudo muito bem articulado.
Só tem um problema:
Lula não será candidato.
simples assim.

Responder

    Carcará

    26 de julho de 2018 às 21h26

    Tu que pensas…!

    Responder

      Igor

      27 de julho de 2018 às 13h49

      E vc não pensa, MIQUINHO AMESTRADO!! kkkkkk adoro vcs petistas idiotas kkkkkkk

      Responder

Nelson

26 de julho de 2018 às 14h29

Lula e o PT e mais o Ciro tem que ser aliados para derrotar o golpe, mas como duas colunas do mesmo exército. O Ciro tem um papel importantíssimo em fazer uma grande campanha sem o PT, para derrubar Alckmin ou Bolsonaro, captar votos de indecisos e emplacar uma estratégica terceira colocação. Porque imaginem se o golpe muda de tática, e em vez de indeferir o registro da candidatura de Lula, acaba por aceitá-la, mas para depois, entre o primeiro e o segundo turnos, trazerem a inelegibilidade à tona, anulando TODA a votação do Lula, mas mantendo a eleição válida, para fazer um segundo turno entre o segundo e o terceiro colocados.

Responder

    Zé dos Bagos

    26 de julho de 2018 às 15h21

    Não inventa moda !!!

    Responder

Comentário para o próximo artigo do Miguel

26 de julho de 2018 às 12h08

Ex-candidato democrata a disputar a vaga para a Casa Branca mais vinte e oito 28 ( não é brinquedo ) senadores americanos querem Lula livre e eleições limpas! Agora ficou bem para a fara do Fux e catrefa, vampiresca. Já senti nesta semana que a Carminha anda mais dócil. Este mundo é cheiro de surpresas. Especialmente para comentaristas que andam ouriçados que Lula não tem mais apoio internacional e outras bobagens. Com certeza Miguel vai abordar o assunto de forma profissional e competente como vem fazendo no blog, com opinião própria e com tudo o mais que tem direito. E Lula vai subindo a rampa já com 41% !!! Quem diria ? A cobra vai fumar, até os peixes vão dançar !!! Lula livre!

Responder

ari

26 de julho de 2018 às 11h41

Vox Populi: Lula 41%, o resto 29%
E querem que o PT abra mão disto (além dos 20% do próprio partido) em favor de um Ciro da vida, que a cada dia diz uma coisa diferente em função de seu auditório.

Responder

    Alan Cepile

    26 de julho de 2018 às 13h19

    Tenhamos a visão mais ampla:

    Vox Populi: não vai ser candidato 41%, o resto 29%

    Não vai ser candidato = não vai conseguir transferência total de votos (atestado pelas pesquisas Datafolha e Ibope).

    Ainda: 6% desses 41% vão para a direita e extrema direita (Alckmin e Bolsonaro) segundo as mesmas pesquisas (isso mesmo, lulistas de “esquerda” votando na direita!). Maina e Ciro herdam grande parte.

    Horário eleitoral nem começou.

    Alianças nem foram feitas ainda, pelo menos na esquerda.

    Muita coisa pra acontecer.

    Responder

Dinis Lourenço da silva

26 de julho de 2018 às 11h18

Sou fã do Miguel, no mínimo 2 vezes por dia visito seu blog, mas discordo de sua posição sobre a possibilidade de Ciro vencer está eleição, não passou de 5% as vésperas da eleição. Qualquer candidato do PT indicado por Lula estará no 2 turno! Bom q ultimamente Miguel já anda mais comedido nos seus ataques ao PT.

Responder

SANDO MASTER

26 de julho de 2018 às 10h59

QUER DIZER QUE ISSO É TUDO ???
NAO TEM MAIS NADA ??
ALEM DO HADAD PRATICAMENTE EM CAMPANHA ….

ESTAO ANIMADOS POR QUE ROSA WEBER NAO ACEITOU INDEFERIR UMA CANDIDATURA QUE AINDA NAO EXISTIU ??
PUTS MUITO FRACO .. POR ISSO O PT NAO GANHA UMA ..
CONTRA FATOS NÕA HÁ ARGUMENTOS..

DIZER QUE LULA É LIDER ABSOLUTO E TEM MARIORIA DOS VOTOS SOA INFANTIL…

AINDA DIZEM QUE BOLSONARO TEM MOTIVOS P FUGIR DE DEBATES … IMAGINA O MARGINAL DO LULA .. NUM DEBATE .. KKK PATETICO.. SERIA MASSACRADO .. NAO FALARIAM DE POLITICA… SERIA UM DEBATE POLICIAL.. RSS

QUE BOM.. P BRASIL..
TRAGO NOTICIAS DO CANADA
CONTRUÇÃO CIVIL PARADA .. EMPREGO FALATANDO.. DOLLAR CANADENSA SUPER DESVALORIZANDO.. IMIGRAÇÃO FACILITADA.. ATAQUES TERRORISTAS..

É COITADA DA MINHA CANADA COM UM GOVERNO LIBERAL..

MORO O CHURCHILL BRASILEIRO.

Responder

    Nostradamus

    26 de julho de 2018 às 11h55

    Bacia bacia rápido… água paradinha… putz!!! MBL INFILTRADO.

    Responder

Marcos

26 de julho de 2018 às 10h50

O povo vai mostrar ao PT o quanto ele adora partidos trambiqueiros. As eleições de 2016 foram o aviso…

Responder

Zé dos Bagos

26 de julho de 2018 às 09h22

?

Responder

Marcelo Abb

26 de julho de 2018 às 08h54

Com todo o respeito, esta estratégia é suicida e não faz o menor sentido.

Elencarei os argumentos que uso para sustentar tal afirmação, refutando cada um dos itens apresentados pelo PT.

PEÇA 1 – os ativos do PT

1. Ativo eleitoral – Este argumento é até difícil de entender. Como assim garante as eleições imediatas? Quer dizer que não teremos eleições se o Lula não for candidato? Sinceramente, este item não faz o menor sentido.

2. Ativo político – Garantir a perenidade do partido? É sério isso? É com isso que o PT está preocupado? Honestamente, eu, um antigo eleitor e defensor do PT, me sinto, NO MÍNIMO, envergonhado ao ler tamanha atrocidade. Todos nós entendemos e concordamos que sofremos um golpe, que foi coordenado por diversos atores: capital internacional, influência dos EUA, empresas de petróleo, órgãos públicos (MP, PF e Justiça), além da mídia, que tratou de fazer uma verdadeira lavagem cerebral na população, condicionando a opinião pública a ficar contra o PT, o Lula, a Dilma e a esquerda como um todo. No entanto, com o risco de entregarmos o país para a direita ou para um pseudo-fascista, como pode o PT estar mais preocupado com a perenidade do PARTIDO com a sobrevivência do país? Sinceramente, defender este argumento é um crime contra o Brasil.

PEÇA 2 – os problemas da frente ampla

Primeiro motivo: Até aí, tudo bem. Não há nada errado em manter o PT unido, sustentando a retórica de que o Lula será candidato, ainda que temporariamente. Não há problemas em tentar tangenciar as contradições internas que vive o partido através da candidatura do Lula, que supostamente unificaria todas as linhas de pensamento. O problema não é o que o PT está fazendo agora e sim o que irá fazer no final deste filme (que eu espero que não seja de terror).

Segundo motivo: Mais uma vez, estamos diante de um argumento que evidencia a preocupação do PT com a sobrevivência do partido, minimizando e negligenciando todos os riscos envolvidos com uma possível derrota nas urnas, que entregaria o poder para a direita ou para um fascista. Sinceramente, não há como defender o indefensável. Eu sou petista, sempre fui, mas não consigo compactuar com esta ideia. Nós sempre criticamos tanto o clientelismo e fisiologismo da direita, que se preocupa em manter o seu status quo, legislar em causa própria e prejudicar os mais pobres, e agora estamos fazendo a mesma coisa, nos preocupando apenas com o nosso próprio umbigo e esquecendo do país.

Terceiro motivo: Pera aí, deixa eu ver se entendi direito. O PT realmente prefere arriscar o futuro do país e das nossas crianças na candidatura do Lula, pois sabe que vencerá na “retórica”? Pois o Lula será visto como um mártir, um coitadinho? E isso supostamente reforçaria os laços do Lula e do PT com os seus apoiadores? QUE ABSURDO É ESSE? Nós, petistas, estamos torcendo por uma DERROTA eleitoral, para que isso se concretize em uma narrativa de vitimização e em uma história bonita de retorno das cinzas no futuro? Poucas vezes eu li um absurdo tão grande. Inadmissível que tenha vindo de um partido pelo qual sempre limitei, admirei, apoiei e defendi, e que tanto fez pelo brasil e pelos mais pobres. O PT vai renegar a sua trajetória, as suas conquistas, jogar tudo isso no lixo da história? Tudo isso para que fique bem na fita com a população? Companheiros, NÃO EXISTIRÁ MAIS POPULAÇÃO se vocês insistirem nesta estratégia suicida. A história será reescrita pela direita, pela mídia, pelo golpe, pelo capital! O PT será varrido das páginas dos livros caso percamos as próximas eleições.

Quarto motivo: Trajetória política errática de Ciro Gomes? Mais uma afirmação sem sentido e que carece de fundamentação. Alguém aqui já parou para estudar essa tão famigerada história política de Ciro Gomes? Recomendo um texto do próprio Miguel, que mostra toda a trajetória do Ciro. Segue o link. https://www.ocafezinho.com/2018/05/13/a-polemica-ciro-gomes-e-o-irracionalismo-na-politica/
Ciro Gomes sempre foi fiel ao PT, ao Lula e à Dilma. Não há nada que o desabone. Tem ficha limpa. Os seus governos sempre foram aprovados pela esmagadora maioria da população, o Ceará é o estado com melhor saúde fiscal do país, um dos estados com melhores números de educação e saúde (77 das 100 melhores escolas públicas estão lá), dentre diversos outros feitos relevantes. Alguém aqui leu as propostas de governo de Ciro? Alguém leu as do PT, anunciadas recentemente por Haddad? Poderiam me mostrar as diferenças? Não há! O plano de governo de Ciro é claro, transparente e totalmente de centro esquerda, talvez mais à esquerda do que o do PT.

PEÇA 4 – os trunfos

Não há o que comentar sobre esta utopia. Esperança? Como assim, companheiros? Em que mundo vocês estão vivendo? No fantástico mundo perfeito do PT, em que o judiciário é eficiente, imparcial e apartidário? Inacreditável o PT ainda ter esperanças na justiça.

PEÇA 3 – as agruras da direita

Basicamente, o que esta peça fala é que a direita terá dificuldades com o seu governo. Ué, e a esquerda não? Mais uma vez, parece que o PT está torcendo para uma vitória da direita, que culminaria num verdadeiro caos social e econômico nos próximos anos, o que tornaria possível uma construção de narrativa de retorno das cinzas do PT em 2022. E tem mais, se a direita tem dificuldades para se eleger e governar, a esquerda também precisa fazer a sua auto análise e identificar as suas próprias contradições e dificuldades, que não são e nem serão poucas.

Peça 4 – o plano B

O próprio primeiro parágrafo já deflagra a contradição petista. Vejamos: O PT entende, conhece os riscos de a aliança do golpe inviabilizarem a candidatura do Lula, mas entendem que o risco maior seria da esquerda passar por diluição? Como assim? Quando foi que a esquerda esteve unida? A esquerda que está diluída, não a direita. Quer dizer que o PT entende que a diluição da esquerda é perigosa, mas também não aceita trabalhar em torno de uma candidatura única? Não faz o menor sentido.
Além disto, o PT acredita em um plano B, o famoso “poste” do Lula, que seria nada mais nada menos do que um fantoche do Lula nas eleições e no governo. Será que algum político sério do PT acredita que isto será viável? Que isto ao menos será bom para o país? Que ideia mais absurda. Não há o que contestar a respeito da importância política do Lula no país. Ele sempre será um quadro importante e influente nas tomadas de decisões no brasil, mas não dá para enxerga-lo como um messias, um Deus, que está acima do bem e do mal, e que controlaria um fantoche no governo estando na prisão. Ridícula esta situação a qual o PT pretende submeter o país.

POR FIM, O GRAN FINALE!!!!!!!!!!!!!!!!!!

A expectativa maior é de derrota no segundo turno???????????? Quer dizer que o PT acredita que esta estratégia será derrotada, mas que esta situação é melhor do que entrar em uma frente de esquerda, vencer as eleições mas perder a hegemonia partidária?
COMO ASSIM??????????????????????
QUE ABSURDO É ESSE???? ALGUM PETISTA COM PELO MENOS UM NEURÔNIO APOIA ESTA IRRESPONSABILIDADE?
Parece uma criança dona da bola. Se eu não jogo, ninguém joga. Gente, eu pensava já ter lido absurdos internet afora, mas este talvez tenha sido o maior deles.

Este texto mostra com clareza que o projeto do PT é de poder e não de país, o que considero um verdadeiro crime contra o povo, contra os pobres, contra os negros, contra os trabalhadores, contra as mulheres, contra os LGBTS, contra as crianças e CONTRA A PRÓPRIA MILITÂNCIA!

ACORDA PT! UNIÃO JÁ!

Responder

    Zé dos Bagos

    26 de julho de 2018 às 10h12

    Quanta gente querendo falar pelo PT !!! Cai fora diabada ! Vocês não convencem ninguém misturando vocábulos acadêmicos com raciocínios temerários e golpistas ! Lula ou nada! Esse nada é tudo de volta, o nosso país! Revolta das tochas! Fogo nesta vampirada!!!

    Responder

      Marcelo Abb

      26 de julho de 2018 às 10h17

      Companheiro,

      Você poderia, por favor, contestar item por item da minha argumentação?

      Gostaria que você sustentasse a sua posição de “LULA OU NADA” utilizando argumentos e critérios bem definidos, por favor.

      Se for possível, te peço que façamos um debate educado, que seja proveitoso para ambos e para os demais leitores.

      Você topa?

      Abraços e boa sorte.

      Responder

        Zé dos Bagos

        26 de julho de 2018 às 11h18

        Primeiro que demora muito ler um jornal desses que poderia ser mais objetivo. Mas… 1) se o Lula não for candidato tem inúmeros, mas tu não saberás antes para não dares com a língua nos dentes, sacou ? 2) Não é um crime contra o Brasil não principalmente quando não existe mais Brasil, quando os votos são majoritários, quando a responsabilidade não é somente do PT e do Lula mas los otros que não cedem ao bom senso e querem continuar nas intrigas etc. Há risco ? Sim, como o de morrer a quem está vivo! 3) Te perdeste deslizando na maionese novamente: a) Bolsonaro não vai ao segundo turno b) do jeito que você fala sobre o clientelismo só resta então amarrar a corda no pescoço e se jogar da cadeira c) o pt realmente não prefere, você não conhece o pt d) Sobre o Ciro é mais uma questão de antipatia criada por ele próprio como por exemplo quando chamou o Lula de ” Um merda “. Estas coisas ficam gravadas na memória do povão. etc etc etc O Lula não é um Deus nem o povo o considera assim somente os invejosos deste maios líder que o Brasil já teve dizem que o povo o considera um deus !!! E sobre unidade quem tem 5% querer ser cabeça de chapa de quem tem 45% é dose para mamute. Nem adianta o argumento da prisão, conforme acima descrito… Olha chega, você bem mais parece um infiltrado, não é um filiado consciente. Vai ser traíra assim lá colado no saco do vampiro. Levante das Tochas! Fogo nessa vampirada! Lula livre!

        Responder

          Marcelo Abb

          26 de julho de 2018 às 14h45

          1) Inúmeros? Não consigo pensar em ninguém melhor do que Haddad (que não é conhecido e sequer ganhou a prefeitura de SP) ou Wagner (que não é unanimidade nem na Bahia, onde foi governador por 8 anos, além de ter seu nome envolvido em escândalos de corrupção).

          2) A responsabilidade não é só do PT, concordo. Mas o PT já se mostrou intransigente e afirma PUBLICAMENTE que se preocupa com a perenidade do partido. Isto é postura de quem está preocupado com o Brasil? Ou será que só estão preocupados com o partido?

          3) a) Quem disse que Bolsonaro não vai ao segundo turno? Todas as pesquisas indicam que sim. Você pode me informar a sua fonte, por favor?

          b) Não entendi a sua colocação a respeito do clientelismo.

          c) Você que não me conhece, portanto, não pode afirmar que eu não conheço o PT. Você não sabe quem eu sou, não conhece a minha história e tampouco a minha família. Não sabe onde eu trabalho. Tendo dito isto, te peço que seja mais claro sobre a sua afirmação de que o PT “não prefere”. Não prefere o que?

          d) Então você concorda que não é uma questão ideológica e nem programática? Tudo se resume ao que Ciro Gomes falou de cabeça quente? Tudo é uma questão infantil do tipo “ele xingou minha mãe”? Você não acha este pensamento pequeno demais? Será que não chegou a hora do povo brasileiro votar em IDEIAS, em PROJETOS, e não em nomes e em pessoas?

          Você diz que o povo não considera Lula um Deus. Claro que não. Quem o enxerga assim é a militância, que afirma “Lula ou Nada”, claramente preferindo arriscar o futuro das nossas crianças por conta de uma candidatura infantil, de um cidadão preso, perseguido político e claramente inelegível. Uma militância que prefere ver o país governado pela direita ou por um fascista do que entregar o poder para outro nome da esquerda que não seja Lula.

          Por fim, sobre a unidade, a questão não é quem tem 5 ou 45% que deve hegemonizar. Lulismo é diferente de petismo. Se assim não o fosse, as pesquisas indicariam Fernando Haddad, quando indicado por Lula, com os mesmos 40%. Por que isto não acontece então? Você pode me explicar?
          Eu te explico: porque é óbvio que os votos do Lula são dele e não do PT. Existe um trade-off incompreensível entre eleitores do Lula e do Bolsonaro, e as pesquisas comprovam isto.
          Colega, se o Lula estivesse solto e apto a se candidatar, eu estaria com uma bandeira vermelha do PT hasteada na minha casa fazendo campanha por ele, sem problema algum, mas não é esta a realidade. Você discorda?
          Um candidato do PT não tem nem o fio de cabelo de competitividade do Lula, você discorda?

          Última pergunta: você é a favor da estratégia do PT, em que afirma que provavelmente perderá o segundo turno, mas pelo menos não perderá a hegemonia da esquerda?

          Abraços e obrigado pela resposta educada.

      Zé Também

      29 de julho de 2018 às 08h41

      Falou tudo Zé, meta os Bagos nesses coxinhas arrependidos sem pena e com areia!

      Responder

    Marcelo Abb

    26 de julho de 2018 às 10h18

    Perdão pelos erros de digitação.

    Responder

    Alan Cepile

    26 de julho de 2018 às 10h23

    Exato, a ingenuidade da crença na justiça golpista e olhar somente pro próprio umbigo, a tal hegemonia, são os dois grandes absurdos.

    Responder

    Marcos Videira

    26 de julho de 2018 às 10h48

    MARCELO: ao ler o depoimento que os estrategistas do PT deram ao Nassif eu tive a mesma percepção que você. Fiquei abismado com os absurdos. O partido é apenas um instrumento e não a finalidade última.

    Responder

      Marcelo Abb

      26 de julho de 2018 às 14h13

      Exatamente.

      O projeto é partidário e não de governo.

      Como você bem colocou, o partido deve ser apenas o meio, o instrumento, e não a finalidade.

      É ridícula esta postura do PT.

      Até acho que uma chapa Lula/Ciro seria bem vinda. Seria um golpe no golpe. Lula vai ser cassado e Ciro assumiria. Enfim…

      Vamos ver no que dá.

      Espero que estes caras caiam na real e tenham compromisso com o país.

      Responder

    Rosa

    27 de julho de 2018 às 00h05

    O Marcelo Abb tem muita razão. Concordo com ele quase 100%.principalmente quando fala em acreditar na justiça brasileira. A justiça é dominada pelos poderosos. E estes não querem na Presidência um governo popular.
    Sabemos que a figura de Lula une os petistas. Mas, o partido, me parece, está com medo de perder seus eleitores, se Lula não for candidato. Mas, nós eleitores do Partido não abandonaremos o PT. E muito menos vamos nos bandear para partidos de direita. Deve haver uma pequena fração que pode fazer isso, uma parte de eleitores que simpatizam com Lula, que votaram em Lula e Dilma mas que na verdade não sabe o que é direita nem esquerda. Em geral, os petistas sabem o que querem.
    O PT está fortalecido por anos e anos, se depender de sus partidários.
    O que entendi é que o partido prefere dar um passo atrás, mas depois dará dois à frente. Mas, isso pode ser entendido como projeto de poder do partido e brasil em segundo lugar.
    Prefiro que façam uma grande aliança com a esquerda e que outro seja eleito. Lula se mantenha fora das luzes e do ódio dos direitistas raivosos. Lula já fez muita coisa pelo Brasil. Abriu caminhos.
    E muitos. Sua contribuição é inegável. Só os ignorantes não conseguem ver.
    Gostaria que Lula fosse protegido dos cães raivosos.
    Se ele não concorrer em breve sairá da prisão injusta.
    E a esquerda continuará no poder.
    Só Lula não mudará o Brasil.
    Os brasileiros é que mudarão.

    Responder

NELSON PEREZ OLIVEIRA JUNIOR

26 de julho de 2018 às 08h21

Parece que O CAFEZINHO está se dando conta da BIPOLARIDADE DE CIRO. O cara não dá uma dentro, tá pior que a MARINA com o MALAFAIA. Muda de opinião ao sabor do entrevistador. É um destruidor de pontes, acha que o PT é só LULA e fica ora batendo no PT ora em LULA. É impressionante que um político dito “experiente” dê tanta mancada. Realmente não pode ser presidente do BRASIL, não dura 1 ano. Ou se quiser terminar o mandato e entregar de vez pra direita, vai ter de fazer como TEMER. Sinto muito Miguel e ainda mais pelo BRASIL que pode depender de um sujeito destes. É um COLLORNARO, com o pior dos dois!!

Responder

    CezarR

    26 de julho de 2018 às 09h40

    Que pontes meu amigo? Como bem já bem analisado, o Ciro foi escolhido como inimigo interno, fator de coesão dentro do próprio PT. O Ciro a essa altura não está mais nem aí para essa aliança, pois sabe que não acontecerá.

    Responder

      Alan Cepile

      26 de julho de 2018 às 10h24

      Desde o final de 2017 que Ciro repete que não acredita em aliança com o PT devido a tal “hegemonia”.

      Responder

Benoit

26 de julho de 2018 às 08h11

Há um problema com os comentários. Escrevi um comentário e ele não aparece nem aparece o aviso de que ele está esperando a moderação. Por isso tento mandar de novo o comentário e então recebo seguinte o aviso: “Detectado comentário repetido; parece que você já disse isso! “. O comentário seria repetido se ele tivesse aparecido em algum lugar, o que não é o caso até agora.

Responder

    Miguel do Rosário

    26 de julho de 2018 às 10h14

    Benoit, obrigado por avisar. Talvez seja o “cache”. Desliguei um plugin de cache aqui do blog. Depois me diz se o problema persiste, mas tem que esperar talvez algumas horas.

    Responder

Benoit

26 de julho de 2018 às 08h05

O comentário do Alan Cepile já disse o essencial e não sei se vale a pena acrescentar mais um comentário meu. Mesmo assim: É verdade que o Lula é um político com grande popularidade no país e que o PT continua sendo um partido importante no quadro partidário brasileiro. Também não é impossível que o Lula ainda possa vir a ser candidato e nesse caso ganhar as eleições. Um outro candidato do PT poderia ter uma boa participação nas eleições.

No entanto, isso não esgota as considerações a serem feitas. A ideia de que alguém está se importando com o Lula no exterior revela bastante ingenuidade. A importância e o prestígio do Lula no exterior se aproxima a zero. O Lula foi condenado pela justiça brasileira, está na prisão e nenhum governo estrangeiro se importou minimamente com isso, e o público estrangeiro mal sabe quem é o Lula. Falar de vitória política no Brasil também parece ter pouco fundamento. Que vitória, quando todos os meios de comunicação continuam apoiando os processos contra o Lula, os ataques contra o PT, quando uma boa parte da classe média continua rejeitando automaticamente tudo o que tem a ver com o Lula, quando nenhum protesto foi capaz de provocar uma decisão favorável ao Lula na justiça?

A análise do PT do destino históricos de partidos me parece muito superficial. Muitos partidos de esquerda que participam plenamente de disputas eleitorais têm perdido a importância. O SPD na Alemanha que chegou a ter 30% ou mais dos votos tem hoje pouco mais de 15% das intenções de votos, se tanto. Não conheço a história do PCB depois de 1964. Mas que chances eles teriam nessa época? Em geral nenhum partido comunista no Ocidente chegou ao poder e todos eles praticamente desapareceram ou perderam a influência mais cedo ou mais tarde. Por isso a atribuição do fracasso e da perda de influência do PCB a algum erro particular de estratégia deles me parece um equívoco. O PCB perdeu a influência porque os tempos mudaram e por causa de fatores que não estavam sujeitos ao controle dele.

Há um lado da questão que não parece merecer reflexão por parte do PT. Candidatos do PT não estavam muito bem nas pesquisas de opinião pública, o partido parece desgastado. É verdade que com o apoio do Lula eles têm melhorado a posição deles e talvez até ultrapassado o Ciro. Mas será que isso garante a passagem ao segundo turno numa situação em que a esquerda está dividida e garante também uma vitória contra um candidato de direita no segundo turno? No caso de uma derrota, o PT e o Lula sairiam disso tudo desmoralizados, o golpe seria legitimado e talvez acontecesse com o PT exatamente o que eles temem caso o Lula não mantenha a candidatura dele. A esquerda culparia o Lula e o PT por uma derrota da esquerda nas eleições. Depois de muito tempo a direita teria uma vitória contra o PT e contra o Lula. O Lula deixaria de ser “lenda” e passaria a político fracassado e ainda por cima na prisão. Caso, pelo contrário, o PT renunciasse a uma candidatura em favor do Ciro e o Ciro perdesse, o PT continuaria intacto já que a renuncia teria sido uma necessidade causada por circustâncias muito especiais. O PT continuaria uma força de oposição forte com chances futuras.

Mesmo que o PT ganhasse as eleições, isso não garantiria boas condições de governo. A situação no mundo mudou bastante nos últimos anos. Depois de 2001 houve um intervalo que facilitou os governos do PT no Brasil. Desde então as coisas mudaram. Hoje o BRIC praticamente não existe, há uma polarização política negativa para a esquerda, as condições econômicas são bem menos favoráveis. No momento toda política de esquerda vinda do PT poderia provocar uma reação imediata no Brasil. Um fracasso de um governo do PT poderia ser um desastre para o Brasil e para o PT. Do Lula se espera um milagre imediato e nada menos do que isso satisfaria as pessoas. Do Lula se espera feitos sobrehumanos.

A impressão que se tem é de que o PT quer usar a prisão do Lula como um instrumento para reabilitar o partido, o que talvez só funcione se o Lula continuar preso. Por vezes parece que o PT quer sacrificar o Lula para benefício do partido, mas não do Brasil. O PT parece considerar somente o lado positivo e sonhar com uma vitória de um candidato do PT, sem considerar as possíveis consequências de um desempenho mau. A estratégia do PT é compreensível se eles estão dispostos a arricar muito, se eles têm confiança justificada nas perspectivas eleitorais. Mas ela parece ser arriscada e nem sempre considerar todos os resultados possíveis.

Responder

    Zé dos Bagos

    26 de julho de 2018 às 10h15

    kakakakakakakakakakakakakakakakakaka
    28 senadores americanos acabam de exigir a soltura do Lula no congresso americano e eleições limpas!

    Responder

    Jonas

    26 de julho de 2018 às 12h36

    “PT renunciasse a uma candidatura em favor do Ciro e o Ciro perdesse, o PT continuaria intacto já que a renuncia teria sido uma necessidade causada por circustâncias muito especiais. O PT continuaria uma força de oposição forte com chances futuras.”

    Só no mundo reverso q isso ia acontecer.
    “Cagao, covarde, arregao”
    Esses seriam os “gracejos” mínimos q o pt ia receber e com razão.
    Se quiser um exemplo: veja dilma e aécio hoje.
    Quem está por cima e quem está por baixo.

    Responder

E Neto

26 de julho de 2018 às 04h23

Ou seja.. em nome do seu protagonismo o PT tá abrindo mão da renovação/inovação do campo progressista, que nos piores e melhores momentos estiveram ao lado do partido e de Lula, com raras exceções. Na minha concepção Ciro seria o melhor candidato, pois tem discutido com profundidade os temas necessários ao futuro do País. Tem discurso pra enfrentar o “discurso mbl”, pois conhece como funciona essas caricaturas, conhece a história e os problemas do País. Na verdade, uma possibilidade seria Lula como vice de Ciro. Apesar de Lula ser maior politicamente, nesse contexto vc mitigaria o risco de uma impugnação da chapa, pois Ciro não responde processo e colocaria Lula no jogo e facilitaria a atração do PSB e Pc do b. É uma idéia.

Responder

Ultra Mario

26 de julho de 2018 às 03h17

Tem que parar com esse negócio de achar que criticar = antagonizar.

Por isso que o Brasil não vai pra frente. Aceitamos que estamos sob um golpe de estado e que o presidente é um espião da CIA, mas não podemos criticar o fato desse espião ter sido escolhido pelo Lula porque senão é antagonizar, é falar mal, é ser de direita…

Aceitamos que estamos sob a pior crise do capitalismo brasileiro, mas não podemos criticar a Dilma que mentiu nas eleições e não soube manejar a crise, levando o país a essa crise política que estamos hoje…

Depois pessoas de esquerda não sabem daonde veio esse movimento fascista… nós não temos nem um pouco de culpa nisso não? Vamos fazer de conta que “é tudo culpa deles”?

Responder

    os Inteligentinhos do PT

    26 de julho de 2018 às 04h41

    Aos MIDIOTAS do Petismo:

    Hoje li por aqui, a história de um chinês que nasceu com uma “mutação” nos olhos, cujo nome é NONG YOUHUI.

    Ele enxerga no escuro e os olhos brilham. Um fenômeno!

    Para confirmar as afirmações do garoto, os médicos fizeram um teste de leitura no escuro, o que Nong Youhui tirou de letra.

    Deveria trabalhar para o Moro à noite, próximo a Sede do PT, onde durante a escuridão da madrugada e o silêncio da população adormecida, os RATOS agem com maior rigor e com desfaçatez. rsss.

    Bom…, Vejamos o PT (os puxa-sacos DIURNOS):

    Durante o dia, vá a casa de seus amigos professores da Universidade. Das HUMANAS. Leitores de DCM (“Diário do Centro do Mundo”, rssss). Encontre com Kiko Nogueira, jornalista nota 10. Encontre no restaurante seus colegas artistas, músicos moderninhos cancioneiros, amigas atrizezinhas de teatro… Marque uma janta… Com os INTELECTUAIZINHOS…

    Nesse jantar, você, com grande chance estará diante de in-te-li-gen-tinhos!!

    Tente falar bem da Lava-jato ou do impeachment e verá as consequências. Tire as provas, e verá o resultado!

    Responder

      Zé dos Bagos

      26 de julho de 2018 às 10h17

      Fascista filho da puta vir aqui defender o golpe !!!

      Responder

    Zé dos Bagos

    26 de julho de 2018 às 08h29

    Mas por que falar agora que Lula escolheu este traidor ? Em que isso diminui Lula, se o propósito é esse ? E não por isso que o Brasil não vai para frente mas por causa dos patrões da Cia não é não ? A Dilma não mentiu nem levou a maior crise e sim as birrar do Aécio com as pautas bombas do Cunha. Nós sabemos de onde vem esse movimento fascista, que não se restringe ao minúsculo Bolsonaro criaturinha da Globo. Globo-Judiciário-PSDB-FHC-USA. Você é um infiltrado querendo se passar por esquerdinha… vá cachimbar formiga tolinho.

    Responder

    Jonas

    26 de julho de 2018 às 08h51

    “PT, pt… Culpa do pt”
    “Culpa do pt”
    “Já disse tudo é culpa do pt?”
    Tsc, tsc
    Se isso não é papo de manifestoche, que os golpistas rodaram nos dedos, não sei o q é…
    E quem disse q estamos procurando culpados se já sabemos quem é o nosso alvo?
    Esse tipo de conversa só serve pra tergiversar nesse momento, e quem quer elevar e levar o debate com honestidade tem dever de protestar sim contra essa manobra…

    Responder

Flavio

26 de julho de 2018 às 02h05

O discurso do hegemonismo petista dentro da esquerda pode fazer sentido para a cúpula do partido, mas está longe de se firmar no mundo real. Para início de conversa, quem tem hegemonia não é o PT, é o Lula e ponto final. Há muito tempo petismo e lulismo são entendidos como coisas diferentes por grande parte do eleitorado de esquerda. A sigla PT hoje carrega uma grande rejeição por parte da população, de 40% a 50% [5], fato que se comprovou na ampla perda de prefeituras em 2016 e nas fracas mobilizações convocadas pelo partido. O Lula também carrega consigo grande rejeição.

Segundo ponto: Lula pode ser forte nas urnas mas, gastados dois cartuchos com a fraca Dilma, depois Haddad em 2016, Jandira e Katia Abreu, já não é tão forte na transferência de votos. Nas eleições do Tocantins no início de junho/2018, bastou que viesse a público uma carta de apoio do Presidente Lula à Senadora Kária Abreu para que ela despencasse do primeiro para quarto lugar nas pesquisas no espaço de uma semana, perdendo o pleito. Em 2016 Lula trabalhou arduamente para eleger a Jandira Feghali para a Prefeitura do Rio e ela obteve pífios 3% dos votos tendo o PT na vice. Lula apoiou o então prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, à reeleição em 2016, o qual tinha a máquina pública nas mãos e mesmo assim conseguiram perder para um almofadinha playboy e loroteiro no primeiro turno, tomando de lavada nos subúrbios pobres da cidade.

Ao que parece, a “estratégia” do Lula e do PT é a de esticar a corda ao máximo, levando a candidatura dele até as últimas consequências para, faltando 20 dias para o pleito, apontar o dedo a um ungido, ao salvador brotado de dentro do partido. Há quem diga que seria pouco tempo para que o nome do indicado do Lula seja popularizado ao eleitorado mais humilde, pensamento do qual compartilho.

Segundo recente postagem do jornalista Luis Nassif [1], em resumo, vamos para as Eleições 2018 abraçados à estratégia “Lula ou Nada” desenhada pelos inomináveis estrategistas do PT para que assim eles:

Preservem da sua “visão de futuro”
Não percam “a base social”
Garantam a perenidade do partido preservando a vitória política ao não jogarem fora o protagonismo futuro do PT”, impedindo assim que “o golpe se materialize”.
Evitem o “pior dos mundos”: entrar em uma frente de esquerda, ser derrotado e perder a base social, sendo por isso aceitável e previsível uma derrota da esquerda no segundo turno.

Com relação ao item 1, é preciso lembrar que aos “estrategistas do PT” devem-se algumas estratégias tais como: indicar por DUAS vezes uma pessoa despreparada para uma posição de comando político do país, aliar-se ao PMDB colocando o Temer na linha de sucessão dessa despreparada, escrever “Carta aos (rentistas) Brasileiros” para se eleger em 2002, colocar Meirelles e Levy no comando na economia do país, derrubar aliados (Cid Gomes) para satisfazer o Cunha, ceder ao senador José Serra a mudança na legislação do petróleo contra os esforços da bancada do PT no Senado, alimentar a criação do Centrão em detrimento dos demais partidos de esquerda, acreditar que o controle remoto controlaria o apetite de poder da Globo, nomear Ministros como Fux e Barroso para o STF, fazer pouco caso dos avisos de Putin e Erdogan em 2013 sobre o Golpe que se preparava [2], acusar o Aécio de que faria um ajuste fiscal e depois fazer o ajuste fiscal, deixar MPF e PF livres para fazerem o que quiserem dentre tantas outras coisas mais.

Junte-se a isso as seguidas estratégias do “Não vai ter golpe!!”, “Golpistas, fascistas, não passarão!”, “Temos os votos para barrar na Câmara”, “No Senado não passa”, “Volta Querida”, “Nenhum Direito a Menos”, “Mexeu com Lula, mexeu comigo”, “O Moro não vai ter coragem de condenar o Lula”, “O TRF-4 vai absolver o Lula”, “Eleição sem Lula é fraude”, “Se prenderem o Lula o país para”, “Lula Livre” e por fim, “Lula ou nada”.

Pois é. A visão de futuro dos estrategistas do PT nos trouxe hoje ao “Lula ou nada” e ao atual quadro de desmonte do país. Se alguém ainda tem dúvidas do resultado disso, pego emprestado as palavras do Presidente Uruguaio Pepe Mujica em discurso de posse no ano de 2010:

“Seria uma aberração nos dedicarmos ao confronto e não ao ajuste. As batalhas pelo tudo ou nada são o melhor caminho para que nada mude e tudo se estanque” (MUJICA, Pepe). [3]

A VERDADE? A verdade é que o PT nunca teve e não tem projeto algum de país. A “visão de futuro” do partido é a tomada do poder pelo poder, somente. Ningué tem visão de futuro se vendendo ao que há de mais atrasado no país para poder permanecer no poder.

No item 2 falam de não perderem a base social. Ora, o PT já não tem base social há tempos, quem tem alguma coisa é o Lula, tem eleitores, porque se tivessem base social ela estaria mobilizada e nas ruas.

No item 3 os estrategistas falam em não perderem o protagonismo. Ele já foi perdido. De novo, intenção de voto em Lula não é sinônimo de protagonismo do PT. A marca “PT” hoje é negativada junto à maioria da população. Coloquem isso na conta da Dilma, do Berzoini, do Mercadante, do Cardozo. Se o Lula falece amanhã, que protagonismo eleitoral ou político restaria ao PT? A Dilma conseguiu entregar tudo para o PMDB ao longo dos anos, até mesmo a Presidência. O PSDB tinha mais cargos comissionados nos governos Dilma do que o PDT, aliado de primeira hora [4]. Arrisco a dizer que caso o PT apontasse um vice para o Ciro, o partido teria mais protagonismo do que no Governo Dilma, onde a maioria dos cargos estava com PMDB e PSDB.

Por último, item 4, o pior cenário não é de entrar numa frente de esquerda, perder a Presidência e a base social. O pior cenário é o PT não consolidar uma frente de esquerda, perder as Eleições Presidenciais, a base social e levar a culpa sozinho por isso. O PT precisa entender que ser protagonista isolado tem também um custo grande: a derrota vai ser dele e só dele, não podendo dividir o peso dela com os demais partidos que já terão lavado as mãos.

E, caso ganhe um poste que não consiga governar, que a partir de agora isso não seja com o apoio do PDT, PSB e PCdoB. Que o PT se vire sozinho protagonizando, escancarando sua fraqueza mobilizadora e se destrua de vez sozinho, abrindo caminho para uma nova esquerda, uma real esquerda que não engana o povo nem se alia a banqueiros. Quem acha que chegou ao poder sozinho e se manteve sozinho não merece apoio nas horas mais difíceis. Que se autodestruam longe dos demais.

Em 2014 a Dilma ganhou por parca margem com apoio do Centrão, PDT, PSB, PcdoB. Esperam ganhar em 2018 sem o apoio de todos estes partidos? Porque se eu fosse do PDT ou do PSB, eu deixaria o PT ruir sozinho num segundo turno, escancarando sua fraqueza mobilizadora, para logo após entrar com um discurso da nova esquerda desconstruindo o petismo que àquela altura estará sendo caçado pela justiça país a fora. Que se virem sozinhos protagonizando em malefício do país.

Em caso de vitória de um poste petista, alguém consegue visualizar Haddad, Jacques Wagner ou Celso Amorim na Presidência da República governando contra MPF, PF, JF, Congresso, TCU, partidos de oposição, Globo, FIESP, MBL, CIA, NSA… todos juntos e alinhados jogando contra de novo?

Acho muito conveniente para os petistas esse atributo “um estrategista do PT”, anônimo, dado pelo Nassif dentro do seu belíssimo texto. É bem conveniente não se dar nomes aos bois. Assim, quando as coisas derem errado, não haverá a quem se culpar. Mas desta vez tal estratégia não colará, pois a decisão final do destino de milhões de vidas sofridas cabe a uma e somente uma pessoa: Luiz Inácio Lula da Silva.

Atribui-se a George Orwell o dizer: “A vitória é escrita pelos vencedores”. Ao longo da História da Humanidade, esse é um fato que ocorre com muita frequência, deixando aos vencidos não só o sabor da derrota como a eterna lembrança da mesma às gerações futuras.

A derrota da esquerda nas Eleições Presidenciais de 2018 com a consequente positivação do Golpe nas urnas é eminente. Com a vitória do Alckmin ou do Bolsonaro, os historiadores de direita poderão dizer que a vontade do povo imperou de forma inconteste ao confirmar nas urnas que as políticas implementadas após a deposição da Dilma estão corretas, mais do que isto, que a deposição da Dilma, do PT, foi correta e confirmada nas urnas. Poderão dizer que Lula nem de longe é aquele mito eleitoral já que não conseguiu emplacar uma vitória em seu nome.

Os historiadores de esquerda poderão dizer que o impedimento do Lula para concorrer à presidência foi desleal, e realmente o foi. Mas complementarão dizendo que, apesar da armação, o mito Lula não foi capaz de dar a volta por cima, de se reinventar, não foi capaz de contra-golpear à altura, se rendendo à narrativa do injustiçado, do Cristo crucificado, do Tiradentes enforcado.

Em 1954, Getúlio Vargas foi capaz de dar um tiro em seu coração para contra-golpear com grande êxito um levante golpista zerando o jogo a favor de Juscelino e entrando para a história. Em 2018, nos próximos dias, o Lula poderá dar um tiro no coração do já encarcerado povo brasileiro fazendo-o sofrer por mais longos anos para depois disso os estrategistas PT poderem dizer que a culpa de tudo é dos golpistas, ou poderá dar um tiro no coração dos estrategistas do PT para zerar o jogo que estamos a perder, apoiar uma candidatura de união da esquerda e assim entrar para a história sem precisar sair da vida, muito pelo contrário, trazendo vida a milhões de cidadãos.

Fato é: o resultado que vier das urnas em 2018 não deverá ser creditado ou debitado na conta de anônimos estrategistas do PT, deverá ser creditado ou debitado na conta de uma única pessoa que se chama Luiz Inácio Lula da Silva, aquele que hoje tem a oportunidade de ajudar a eleger um novo Presidente do Brasil, mais nacionalista e esquerdista que a senhora Dilma (… a qual iniciou a entrega do Pre-Sal e entregou aeroportos) , caso opte por uma chapa Ciro-Haddad matadora. O Lula tem hoje o poder eleger o Ciro na esqueda ou eleger qualquer ameba da direita, ser a favor do povo ou a favor dos estrategistas do PT porque do jeito que se encaminham as coisas só um destes dois sairá vitorioso em outubro de 2018.

Flávio Louzada (Cientista da Computação-UFF, Especialista em Marketing-COPPEAD/UFRJ, Bacharelando em Direito)

Referencias:

[1] https://jornalggn.com.br/noticia/xadrez-da-logica-do-pt-com-as-eleicoes-por-luis-nassif

[2] https://www.jb.com.br/pais/noticias/2017/06/05/haddad-dilma-e-lula-foram-alertados-por-putin-e-erdogan-sobre-protestos-de-2013/

[3] https://www.redebrasilatual.com.br/mundo/2010/03/mujica-toma-posse-no-uruguai-e-promete-estabilidade-economica

[4] https://www.redebrasilatual.com.br/blogs/helena/2016/05/devassa-ordenada-por-temer-frustra-planos-de-cortes-no-funcionalismo-6394.html

[5] https://www.jb.com.br/pais/noticias/2018/05/16/pesquisa-pt-tem-maior-rej

Responder

Ricardo

25 de julho de 2018 às 23h14

Estratégia do avestruz …

Responder

    Zé dos Bagos

    26 de julho de 2018 às 09h20

    É Lula até o fim!

    Responder

Minos Adão Filho

25 de julho de 2018 às 22h35

Eu não acredito que o PT vá abrir mão da candidatura de Marília Arras, será um erro brutal o PSB não é um partido que mereça confiança, quem tem 40% dos voto é o PT e Lula eles é que tem que negociar, quem tem a perder são eles, mesmo que a justiça afaste Lula quem garante que o Brasil terá paz ? ou quem for eleito governará o país ? essa é a questão se acontecer esse outro golpe será mais um erro dos golpistas, “todo erro que tem exito, continua sendo um erro” de qualquer forma Lula e o PT vão ficar mais fortes depois disso, o país poderá pegar fogo, e o próximo presidente do golpe não terá condições morais e legal pra governar se a eleição for uma fraude. É Lula até o fim, sem plano “B” vamos ver no que dá, eles vão ter que sujar as mãos.

Responder

Fernando Velloso

25 de julho de 2018 às 22h35

Se o Lula der um caminhão de votos para o Ciro Gomes ele segura ? Quem segura ? Ninguém.
A lavajato é antiesquerda, nao importa quem seja o candidato. O objetivo da lava jato é passar o poder para a direita. De certo modo quem governa o país hoje é a lava jato bancada pela mídia. A lava jato nao vai passar o poder assim tao facil qto é o Lula passar o bastão para o Ciro Gomes.
Se a estratégia fosse ruim o Lula nao seria lider nas pesquisas e nem o Alckimin ficaria lá atras nessas mesmas pesquisas.
O Alckimin está pressionado para pelo menos chegar ao 2 turno e nesse momento nem isso ele consegue.

Responder

Alan Cepile

25 de julho de 2018 às 21h38

Bom texto, Nassif (lulista) pegou leve, mas continuo enxergando muitas inconsistências nessa “estratégia” do PT.

1) O golpe não teve nenhuma derrota política e continua muito a vontade fazendo o que bem quer com todo o aparelhamento disponível. Não consigo enxergar essa derrota do golpismo, e isso chega a ser uma ingenuidade, pois se o PT confiar em Rosa Webber vai se dar muito mal, de novo.

2) “No entendimento dos estrategistas do PT, montar uma frente de esquerda e entregar a cabeça de chave a alguém de fora do partido seria jogar fora o protagonismo futuro do PT.” A verdade apareceu! É esse o verdadeiro projeto do PT, protagonismo e hegemonia, e só!

3) “O terceiro motivo foi o fato do PT, e Lula, terem se aproximado novamente das bases, das quais se afastaram no período em que foram poder.” Outra verdade! O governo Lula se afastou das bases que queriam um governo mais social e menos pró-banqueiros. Essa aproximação pode até não seu oportunista, mas fica parecendo.

4) “Há um quarto motivo, a resistência a Ciro Gomes devido à sua trajetória política errática, pelas posições que tomou, de claro antagonismo ao PT e a Lula.” O petismo é a entidade mais mal agradecida do planeta! Ciro apoiou Lula e Dilma em todas as eleições menos em uma quando Lula foi totalmente infeliz de se posicionar contra o Plano Real, foi ministro de ambos, ficou com a Dilma até as vésperas do impeachment, mas a trajetória política do Ciro é “errática”, ok, fiquem com o golpista Renan Calheiros, abraçado por Lula na caravana, elogiado, foto juntos, recebido em palanque… Renan deve ter uma carreira política muito boa aos olhos do “protagonismo”….

Responder

    Ultra Mario

    26 de julho de 2018 às 03h27

    Perfeito comentário, e não só isso, Eunicio Oliveira, Eduardo Cunha… todos empoderados pelo PT.

    Pode pôr o defeito que quiser no Ciro, mas se tem uma coisa que não pode dizer é que ele é “erratico”… putz, o cara previu o golpe já em 2014, já chamava o Cunha e o Temer de ladrões… está na hora dos petistas começarem a respeitar o Ciro, não é possível, o cara nem é do PT e ainda assim até apoia o candidato do PT no estado dele… e o que ele recebe em troca? Só patadas, tanto dos petistas quanto da militância.

    Responder

      Alan Cepile

      26 de julho de 2018 às 10h43

      Exatamente Mario, esse comportamento até certo ponto infantil é a marca do PT, que até respeita o Ciro sim, Lula e Ciro são amigos, mas o PT respeita enquanto Ciro estava apoiando, sendo ministro, perdendo a eleição no primeiro turno e apoiando no segundo, ficando junto com Dilma no processo do impeachment quando nem era responsabilidade dele, pro PT tudo isso é nada mais que obrigação de QUALQUER político de centro esquerda, se ajoelhar e beijar a mão do “partido da hegemonia”.

      O quadro do PT parece ser formado majoritariamente por criancinhas mimadas, e o pior, criancinhas que não se entendem… Lula não é unanimidade nem no próprio partido, Tarso Genro e Olívio Dutra não queriam Lula candidato nem se ele não estivesse preso, Gleisi, além de todas as besteiras que fala semanalmente, disse que o partido jamais apoiará Ciro, já Haddad disse exatamente o contrário, no impeachment todos os petistas de renome pularam do barco, enfim, o PT é uma ZONA!

      Responder

    Carcará

    26 de julho de 2018 às 08h58

    1) O golpe tem derrotas sim, a rejeição do Moro nas pesquisas, a dificuldade da direita encontrar candidato saia do chão até agora…;
    2) Um partido existiria para angariar 40% de votos com o Lula e dar para o Ciro 5% todos estes votos numa aliança… bem pensado… e os 54 milhões de eleitores roubados com o golpe ficariam chupando no dedo a sua hora da vingança, a hora de trazerem seu país de volta… muito bem pensado… todos vão adorar e aplaudir !!! Vocês estão com a moléstia do cachorro… estão louco!!!
    3) Rapaz, quem é colarinho branco é o Ciro e o PDT não o Lula e o PT. Este é justamente o ponto! O Lula e o PT são povo, povão, cheiro de povão, de buzão etc etc etc etc etc etc…;
    3) O Ciro tem que agradecer Lula ter sido ministro ou o inverso, o poste mijar no cachorro, Lula agradecer a Ciro ter sido ministro ? Que lógica é essa ? Você não viu com certeza aquele vídeo ( autêntico ) feito ne rua embaixo do prédio onde o Ciro morava, onde uma turba de uns oito cara foram aporrinha-lo… fazendo algazarra meio bebuns… O Ciro desceu já embalado e começou a discutir com os caras… veio o nome do lula na história… ” O Lula é um merda! ” falou o Ciro. Está na mídia para quem quiser ver. E todos sabem que ele é bocudo. Seu direito. Mas agora vir com historinha de serem mal agradecidos e terem resistência ao Ciro ? O Lula e o PT sabem muito bem que as bases não o suportam! Ele construiu esta posição que não mudará jamais por motivo algum.

    Responder

    Carcará

    26 de julho de 2018 às 09h22

    ?

    Responder

    Zé dos Bagos

    26 de julho de 2018 às 09h26

    Libera meu comentário. Ainda podemos contradizer. Pelo menos é o que estou considerando. Senão não o escreveria nem leria o blog.

    Responder

    Ro

    26 de julho de 2018 às 10h21

    “No entendimento dos estrategistas do PT, montar uma frente de esquerda e entregar a cabeça de chave a alguém de fora do partido seria jogar fora o protagonismo futuro do PT.” A verdade apareceu! É esse o verdadeiro projeto do PT, protagonismo e hegemonia, e só!

    acho completamente bizarra essa acusação. até porque certamente é um crime um partido querer ser protagonista.

    incrivelmente só vejo essa crítica em relação ao PT, que é o único partido construído de baixo para cima, por trabalhadores mesmo, e não por acaso foi capaz de protagonizar as lutas que trouxeram a melhor constituição que o Brasil já teve

    – petistas mal agradecidos ao… Ciro? haha sério isso, quem foi mal criado e mal agradecido até o ponto do mau caratismo explícito foi Ciro. mau caratismo e descompromisso com valores democráticos, mostrou ser fraco, se apequenou demais por nada.

    as pessoas perdem a noção das coisas, olha o tamanho do Ciro, por favor, a sua trajetória em algum momento se aproximou do PT e depois ele quis se afastar, foi só isso que aconteceu. Se afastou de forma pouco digna e se arrependeu, mas aí é problema dele, não é mesmo?

    Responder

      Zé dos Bagos

      26 de julho de 2018 às 21h31

      Ro vamos direto ao assunto… o Ciro é um coroné muito do antipático. Culpado, se achão, boca suja… não gosta do Lula porque inveja seu lugar. O povo não votará nele. Não será eleito e a culpa não é do Lula nem do PT.

      Responder

Tita Barretto

25 de julho de 2018 às 21h23

Entendeu nada. Desde quando jornalista que chama “esquerda de fascista” por discordar dele( não agressão, discordar mesmo), desfaz amizade no face e bloqueia quem não diz amém a ele, é capaz de entender algo bem maior? Eu sou uma que nunca o agredi e não fui expulsa. Na boa, ali tá cheim de coxinhas, sem falar que ele agora adora ser vítima.

Responder

Carcará

25 de julho de 2018 às 21h05

Já está mais do que na hora de o Ciro bater forte no judiciário para livrar o Brasil do Golpe e Lula da prisão política! Sua campanha a presidente não pode ser maior do que isso. Ele deve apoiar neste momento o PT para merecer o nome de esquerda, ele e o seu partido… mas… por que não retira a candidatura para acabar com a divisão da esquerda ?Tá… tudo bem… água e vinho… azeite e vinho não se misturam… então fica assim mesmo, tudo numa boa… Ciro é Ciro, Lula é Lula… Não tem que aporrinhar os outros para mudar o voto! Pô!!!
Lula Livre! 40% Lula presidente! Povo na rua!

Responder

    Brasileiro da Silva

    25 de julho de 2018 às 21h10

    Discordo. Por mais que vcs queiram, o presidiário não é o centro do Universo, nem o PT. Vc pode não acreditar, mas existe vida além dos ptminions.

    Responder

      Nostradamus

      25 de julho de 2018 às 21h24

      O maior líder político que o Brasil já teve. E está preso-político sem que a sentença tivesse passado por trânsito em julgado. Pode até ser um preso mas não é presidiário como você imagina não senhor. Intriguento de uma figa !!! Vai aporrinhar a outro, não a mim! É Lula livre! Valeu Carcará! Pinica nessa cabeça de mamão macho desse cabra da peste!

      Responder

Pedro Cândido Aguarrara

25 de julho de 2018 às 20h30

Entendeu, Miguel?

Responder

    Miguel do Rosário

    25 de julho de 2018 às 20h34

    Sim. E, democraticamente, discordo. Escreverei ainda sobre isso.

    Responder

      Brasileiro da Silva

      25 de julho de 2018 às 21h07

      Também discordo do Nassif, mas aguardo ansioso seu comentário.

      Responder

        Alan Cepile

        25 de julho de 2018 às 21h42

        O GGN é pró-Lula e está banindo do blog quem comenta desfavoravelmente ao PT, assim como está fazendo o 247.

        Responder

          Jandui Tupinambás

          26 de julho de 2018 às 08h15

          Você está mentindo em relação ao GGN.

          Se calar, se reconhece como um pinóquio.
          Se não calar, mostre evidências.

          Alan Cepile

          26 de julho de 2018 às 10h50

          Evidências de banimento? Que coisa mais sem sentido….

          Vc quer o que? Que o Nassif me envie um documento?? Quer autenticado em cartório com firma reconhecida? rs

          É cada uma dessa “hegemonia” mofada…. :-))

          Thiago Melo Teixeira

          26 de julho de 2018 às 08h51

          Estou banido também do G1, UOL, R7, BAND, ABRIL, JP, BOL, IG, por criticar o PSDB. Vem ao caso?

          CezarR

          26 de julho de 2018 às 09h37

          Olha só, não acho que o GGN seja pró-Lula, aliás, o Nassif sempre teve uma certa antipatia pelo Ciro (desde a discussão que eles tiveram no Roda Viva há mais de 20 anos), só que ele está vendo onde essa estratégia do Lula vai dar. O Nassif tenta ser bem imparcial em suas análises, isso nos dias de hoje lhe rende criticas de todos os lados.

        Alan Cepile

        25 de julho de 2018 às 21h49

        Tb discordo, mas não do Nassif e sim dos estrategistas do PT, pois o Nassif, aparentemente, apenas transcreveu o que ouviu na reunião e não emitiu opinião.

        Responder

    Olinto Godoyy

    25 de julho de 2018 às 21h10

    Bolsominions, peteminions… Mas miguelminions eu não conhecia kkkk

    Responder

Deixe um comentário

Parlamentarismo x Semipresidencialismo: Qual a Diferença? Fernanda Montenegro e Gilberto Gil são Imortais na ABL: Diversidade Auxilio Brasil x Bolsa Família: O que mudou? As Refinarias da Petrobras À Venda pelo Governo Bolsonaro O Brasileiro se acha Rico ou Pobre?