Entrevista de Haddad ao SBT

Podcast: Datafolha traz Ciro de volta ao jogo

Por Miguel do Rosário

21 de setembro de 2018 : 14h34

Ouça a nova edição do nosso Podcast Cafezinho! Compartilhe, faça download, espalhe para seus amigos.

Os números mencionados no podcast estão todos neste relatório Datafolha.

Acesse a página do nosso patrocinador, e veja como fazer um currículo profissional para você! Clicando neste link, você ganha 5% de desconto em todas as compras que fizer por lá.

Utilize o código “ocafezinho” para receber seu desconto.

Roteiro do Podcast

Olá, minhas amigas e amigos, eu sou Miguel do Rosário, editor do blog Cafezinho, hoje é sexta-feira, 21 de setembro de 2018, e eu falo do Rio de Janeiro.

No último podcast, a gente conversou sobre se Ciro Gomes ainda estava no jogo, ou se podia já ser considerado uma carta fora do baralho.

Durante os últimos meses, Ciro já foi descartado por analistas inúmeras vezes. Quando não conseguiu apoio do PSB, quando Lula avançava nas pesquisas, e, por fim, quando começou, desde semana passada, a migração em massa do voto lulista para a candidatura de Fernando Haddad, Ciro era sempre descartado. E, no entanto, ele resistiu a tudo isso.

Na última pesquisa Datafolha, aparece com 13% das intenções de voto, apenas 3 pontos atrás de Fernando Haddad, que tem 16%.

Ciro e Haddad estão, portanto, empatados tecnicamente.

A pergunta do podcast anterior, portanto, foi respondida pelo último Datafolha: sim, Ciro está no jogo.

Nenhuma pesquisa é perfeita, mas o fato é que este levantamento Datafolha, em particular, foi um dos mais abrangentes já feitos, com quase 9 mil entrevistas, além de ser o mais recente.

O Ibope divulgado dias antes, havia entrevistado pouco mais de 2 mil e quinhentas pessoas.

A pesquisa de campo do Ibope foi feita entre os dias 16 e 18 de setembro, a do Datafolha, nos dias 18 e 19.

E por que Ciro resiste?

O pedetista não tem tempo de TV, não tem um partido grande, não tem recursos financeiros para fazer uma campanha milionária, como tem candidatos como Bolsonaro, Haddad e Alckmin. E não tem um “padrinho” famoso, como tem Haddad, por exemplo, que recebe os votos que os eleitores gostariam de dar a Lula.

Por que, mesmo assim, Ciro se mantém firme com seus 13%, provocando agitação no PT, quando o PT já dava como certa a presença de seu candidato no segundo turno?

Vamos olhar a própria pesquisa Datafolha em busca de algumas respostas.

Onde está a força de Ciro?

Em primeiro lugar, entre os jovens.

Entre jovens até 24 anos, segundo o Datafolha, Ciro Gomes pontuou 19%, cinco pontos acima de Haddad, embora ainda atrás do líder no segmento, Bolsonaro, que tem 26% entre eleitores dessa faixa etária mais jovem.

Entretanto, essa mesma faixa etária, 16 a 24 anos, é a que mais rejeita Bolsonaro: 55% desses jovens não votariam de jeito nenhum em Bolsonaro.

Ciro tem base eleitoral distribuída equilibradamente em todas as faixas de renda, à diferença de Bolsonaro, muito mais forte entre mais ricos do que entre os mais pobres, ou Haddad, muito mais forte entre os mais pobres, do que entre os mais ricos.

E quando usamos o termo “rico”, não estamos falando de milionários com helicópteros, mas famílias remediadas, de classe média, que ganham 5 salários de renda familiar, ou seja gente muito simples, embora economicamente posicionadas acima da renda de famílias brasileiras mais pobres que elas.

Na primeira faixa de renda apurada pelo Datafolha, com eleitores com renda familiar até 2 salários, Haddad e Bolsonaro lideram, com 20%, e Ciro fica em terceiro, com 13%. Na segunda, 2 a 5 salários, Bolsonaro lidera com 34%, e Ciro e Haddad empatam com 14%. Na faixa de renda seguinte, 5 a 10 salários, Bolsonaro lidera de maneira ainda mais isolada, com 40%, e Haddad e Ciro tem ambos 15%.

Ciro tem uma vantagem, porém, sobre Haddad: uma rejeição muito menor na classe média e entre eleitores mais instruídos.

Segundo o mesmo Datafolha, a rejeição de Haddad junto ao eleitorado com renda familiar de 2 a 5 salários já é de 34%, contra 24% de Ciro. Bolsonaro tem rejeição de 40% nesta faixa do eleitorado.

A rejeição de Haddad cresce rapidamente conforme sobe a renda, até chegar a 54% entre eleitores com renda familiar superior a 10 salários (onde Bolsonaro tem rejeição de 35%, e Ciro, de 28%).

Entre eleitores com ensino superior, a rejeição a Haddad é de 43%, superior a de Bolsonaro, que é de 42%. Ciro tem rejeição baixa, de 26%, entre eleitores com ensino superior.

Entre eleitores homens, a rejeição de Haddad é de 35%, empatada tecnicamente com a de Bolsonaro, que é de 37% entre homens.

O Datafolha pesquisou ainda o desempenho dos candidatos em alguns estados e capitais.

Um dos melhores desempenhos de Ciro, fora do Nordeste, é no Rio de Janeiro, onde tem 13% no estado, contra 11% de Haddad, e 14% na capital fluminense, contra 12% de Haddad.

Desgraçadamente, Bolsonaro tem 38% dos votos no estado do Rio, e 36% na capital.

O Datafolha pesquisou ainda quem é o segundo melhor candidato do eleitor. Ou seja, se você, por alguma razão, não quiser mais votar no seu candidato atual, você o substituiria por quem?

Em primeiro lugar nesse ranking, vem Ciro Gomes, com 15%, seguido de perto por Marina, com 13%, e Alckmin e Haddad, com 12%. Bolsonaro vem em seguida, com 11%. No estado do Rio de Janeiro, Ciro é a segunda opção de 17% dos eleitores. Na capital, é a segunda opção de 19% dos eleitores.

Essa parte da pesquisa é importante para entendermos para onde podem ir os eleitores, caso mudem de ideia em relação a seu candidato.

Por fim, falemos de segundo turno. Ele também nos ajuda a entender a conjuntura.

O Datafolha simulou um segundo turno entre Ciro e Haddad. No caso, Ciro venceria por 42% a 31%.

Ciro é o candidato que obtêm a melhor pontuação no segundo turno, alcançando 45% das intenções de voto quando confrontado com Bolsonaro, que teria 39%.

Num eventual segundo turno entre Bolsonaro e Haddad, por sua vez, o petista empataria com o militar em 41%.

Essa diferença se explica pelas dificuldades de Haddad de atrair, num eventual segundo turno, eleitores de outros campos políticos. Por exemplo, num eventual segundo turno entre Haddad e Bolsonaro, apenas 24% dos eleitores simpáticos ao PSDB declaram voto em Haddad.

Ainda num cenário entre Haddad e Bolsonaro num eventual segundo turno, segundo a Folha, apenas 30% dos eleitores sem partido declaram voto em… Haddad.

Já num embate entre Bolsonaro e Ciro, o pedetista receberia 44% dos votos de eleitores que tem o PSDB como partido favorito.

Entre eleitores sem partido, 38% escolheriam Ciro num eventual segundo turno entre ele e Bolsonaro.

A conclusão que podemos chegar é que Haddad e Ciro disputam ombro a ombro uma vaga no segundo turno com Bolsonaro. Haddad tem a vantagem de ser o herdeiro de Lula, mas também arrasta a pesada rejeição do PT na classe média, além do desgaste inevitável que o partido enfrenta por seus 13 anos à frente do governo. Haddad tem generoso tempo de TV e ainda é o favorito para o segundo turno.

Ciro, por sua vez, é um candidato mais leve num eventual segundo turno com Bolsonaro. Com rejeição baixa, teria, em tese, mais facilidade para atrair o eleitor de centro, incluindo aqueles que não gostam do PT, mas que também não gostam de Bolsonaro.

Nosso programa tem um patrocinador, a empresa CV pra VC.

1 – Já pensou em ter ajuda profissional para fazer seu currículo? Então, conte com a CV PRA VC.
2 – Além da montagem completa do CV.
3 – Eles oferecem montagem e configuração do Linkedin.
4 – E também fazem a tradução de seu CV para outros idiomas.
5 – Utilize o código ” ocafezinho ” e receba 5% de desconto em sua compra.
6 – WWW. CV PRA VC .COM .BR
7 – Acesse o Link em nossa descrição: http://www.cvpravc.com.br/?utm_source=ocafezinho

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

156 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Serg1o Se7e

01 de outubro de 2018 às 11h59

De Leandro Mazzini, na Coluna Esplanada do jornal O Dia:

“Dados curiosos da Datafolha de 20 de setembro, com 8.601 eleitores em 323 cidades (TSE 6919/2018): 89 delas do Nordeste, e 50 só em Pernambuco – 15,47% das cidades pesquisadas são do estado (reduto de Lula), onde foram feitas pesquisas em 146 bairros desses municípios. Pernambuco foi disparado o estado onde houve mais pesquisas.
E mais:
“Do Nordeste, a maioria das cidades pesquisadas foram de Pernambuco, Bahia, Ceará e Piauí, estados onde o PT vence as eleições desde Lula da Silva. Nessa pesquisa, Fernando Haddad (PT) pulou para 16% e apareceu em segundo lugar.”

Só assim para ele subir repentina e abrutamente nas pesquisas.

Responder

Alex

24 de setembro de 2018 às 03h09

Pesquisa do BTG que sempre foi a mais favorável Bolsonaro. Bolsonaro 33%, Haddad 23%, Ciro 10%. Pelo jeito a pesquisa Datapoder estava certa. A tendencia é Bolsonaro achou um teto de 28% a 30% e Haddad já chegou aos 23%.

Responder

Marianne

24 de setembro de 2018 às 02h22

Sobre a FOTO acima:
Ciro NÂO é Brizola, nem vice-versa!!!
Acho que se Brizola estivesse entre nós, estaria MUCHO PUTO e com certeza teria mudado o rumo que seu PDT tomou.O partido está se tornando claramente uma legenda de aluguel que prestará serviço aos GOLPISTAS, principalmente a rede Globo. Seu recalque junto a sua ansia de ser eleito é tamanha que não está mais conseguindo esconder que decidiu vender sua alma ao diabo.
Espero MUITO que o PT consiga se eleger sem precisar da ajuda dessa ESQUERDA TORTA!!!

Responder

    Adam Smith Comuna

    24 de setembro de 2018 às 08h42

    Ciro não é Brizola, Ciro é Ciro. Assim como Haddad não é Lula e Dilma não é Temer.

    Só para lembrar que na última eleição presidencial vivo, 2002, Brizola escolheu apoiar Ciro e não Lula.

    Em 2003, em um dos seus últimos atos políticos, Brizola tirou o PDT da base governamental do Lula. Falou que Lula estava governando de maneira idêntica a de FHC, o que hoje sabemos que é verdade.

    Responder

Adam Smith Comuna

24 de setembro de 2018 às 00h42

Pelo fim do rentismo, vote 12!

Ciro é o único candidato, com chances, que defende mudança no regime macroeconômico criado pelo governo FHC, continuado pelos governos petistas e defendido pela Globo/Mercado.

Esse regime não só causou três grandes crises econômicas no país, ele tem a crise como seu principal objetivo.

A grande justificativa deste regime é que ele atrai investidores estrangeiros, o problema é que estes investidores vem para deixar seu dinheiro em fundos de renda fixa com taxas garantidas pelo governo. É um dinheiro que não gera emprego e nem tributos, com um custo altíssimo para o contribuinte.

Chega de pagarmos os maiores juros do mundo!
Chega de destinar 30% da arrecadação para uma dívida fraudulenta!
País sem indústria é país sub-desenvolvido!

Ciro 12!

Responder

Nilson Messias

23 de setembro de 2018 às 17h10

Somente ocafezinho e o datafalha acreditam em Ciro. Paulo Henrique Amorim, já se mancou…

Responder

    Damião Bonfim

    23 de setembro de 2018 às 22h50

    PHA não e mancou, ele simplesmente não tem opinião, tem discurso de conveniência. E gente assim, não merece crédito. Eleitor do Ciro acredita num programa nacional desenvolmentista. Por outro lado, a maioria do eleitorado do Haddad nem sabe em quem está votando. Vota porque “Lula mandou”. Seria bom que nosso povo valorizasse mais seu direito de escolha, sem transferi-lo a outrem. Seria muito respeitável a escolha de Haddad se a população votasse nele, entendo ser o mais indicado para o momento do País, não por uma ideia indecorosa de que se ele for eleito quem supostamente estará no poder é Lula (nesse caso, o que seria Haddad, um fantoche? Depois falam dos “manifestoches”).

    Responder

      Damião Bonfim

      23 de setembro de 2018 às 22h58

      Correção: PHA não se mancou, ele simplesmente não tem opinião, tem discurso de conveniência. E gente assim, não merece crédito. Eleitor do Ciro acredita num programa nacional desenvolmentista. Por outro lado, a maioria do eleitorado do Haddad nem sabe em quem está votando. Vota porque “Lula mandou”. Seria bom que nosso povo valorizasse mais seu direito de escolha, sem transferi-lo a outrem. Seria muito respeitável a escolha por Haddad, se a população votasse nele, entendendo ser o mais indicado para o momento do País, não por uma ideia indecorosa de que se ele for eleito, quem supostamente estará no poder é Lula (nesse caso, o que seria Haddad, um fantoche? Depois falam dos “manifestoches”).

      Responder

João Lucas Trevisan Alves

23 de setembro de 2018 às 12h23

Foto do Brizola com o Ciro é demais, um oportunista sem partido e sem lastro social, lamento a posição do blog e de alguns autores, obviamente não entendem o protagonismo da classe trabalhadora e acham que esta deve ficar a reboque de frações ditas progressistas da burguesia, o antipetismo é também um ódio de classe que se reproduz na esquerda de classe média, talvez venha uma matéria no Cafezinho como o PT está morto.

Responder

    André Romero

    23 de setembro de 2018 às 18h38

    Oportunismo, filho, e até mau caratismo, é petista falando de Brizola quando a história mostra o quanto o PT trabalhou para sabotar Brizola e seu partido em toda e qualquer eleição. A começar em 1989, justamente na 1a eleição pós-ditadura, quando o PT sem qualquer experiência administrativa lançou um Lula completamente despreparado e que só serviu para deslocar Brizola do 2o turno por um punhado de votos e entregar de bandeja o poder para Collor de Mello. Alguma semelhança com 2018?
    Mas claro, como sempre o petismo exercitando o que mais sabe fazer: apontar seu gordo dedo da hipocrisia para os outros.

    Responder

      João Lucas

      24 de setembro de 2018 às 14h00

      Lula era um representante legítimo e oriundo da classe operária, o apoio em torno de sua candidatura era muito grande, assim como o Brizola tinha direito de concorrer o Lula também tinha, o PT já caminhava para ser o maior partido de esquerda da América Latina, como era legítimo àquela época é legítimo agora termos candidato, alguns progressistas decidiram apoiar Ciro, o que é absolutamente legítimo também, porém alguns apoiadores praticamente exigiam que o maior partido do país, com a maior bancada de deputados, com estados importantes no governo, com o candidato à presidência com chances de ganhar ainda no primeiro turno, simplesmente abandonasse o direito à candidatura própria e embarcasse com Ciro Gomes, que, como fato incontestável, não possui lastro social e ligação com sindicatos e movimentos sociais, apesar do apoio de intelectuais como o Lula e o PT possuem, não vou me alongar aqui no fato de que existe um óbvio preconceito de classe contra o Lula e o PT pela origem social destes, veja o último artigo do Wanderley Guilherme aqui, ele não considera Lula de esquerda porque este não entende a luta de classes, mas ele obviamente entende e com certeza exerce um papel fundamental na luta política, confundem inteligência com diplomas obtidos nos bancos escolares e tem uma ideia romântica da disputa política, comparam Lula com Ciro Gomes de forma atabalhoada, são pessoas diferente com histórias diferentes, em momentos distintos.

      Responder

    Adam Smith Comuna

    23 de setembro de 2018 às 20h39

    Quem foi que o Brizola e o PDT apoiou na sua última eleição presidencial vivo? Ciro Gomes.

    Um dos últimos atos políticos do Brizola foi tirar o PDT do governo, quando viu Lula fazer 2 emendas neoliberais. Usa foto do Brizola com Lula, sendo que o primeiro morreu como opositor do segundo, é que é uma canalhice!

    Responder

Joel PinGuim

23 de setembro de 2018 às 10h09

Miguel deu um abraço de tamanduá no Ciro.

Responder

Spinoza

22 de setembro de 2018 às 23h30

Mais de 12 horas com comentário “aguardando moderação”…

Responder

    Miguel do Rosário

    22 de setembro de 2018 às 23h57

    não vi o comentário, spinoza. vou ver se foi para o spam

    Responder

      Miguel do Rosário

      22 de setembro de 2018 às 23h58

      não achei nenhum comentário não aprovado. deve ter sido publicado já, não?

      Responder

        Brasileiro da Silva

        23 de setembro de 2018 às 00h07

        Parabéns pela atenção ao leitor. Pouquíssimos fazem isso.

        Responder

          Conde de Nostradamus

          23 de setembro de 2018 às 12h47

          Patinho paneleiro esta de volta. Não puxa demais o saco que o homem está com os tomates invertidos na bolsa. Vai ser prejuízo na certa. Melhor atravessar a rua… vai… não vem jamanta… vai fofinho… foi…
          puft ! roooooooooooooonnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnn

          Responder

            Alan Cepile

            23 de setembro de 2018 às 20h08

            Já que são 12 horas aproveita e vota 12

            Responder

              Spinoza

              23 de setembro de 2018 às 20h54

              Não há outra possibilidade de voto!

              Responder

      Spinoza

      23 de setembro de 2018 às 21h02

      Grato pela atenção Miguel. Pode ser problema no envio.

      Um abraço.

      Responder

OTAVIO

22 de setembro de 2018 às 19h53

INTERESSANTE, O PODER 360 NÃO SERVE DE REFERENCIA POR SEUS DADOS SEREM QUESTIONÁVEIS, AGORA O DATAFOLHA, EU DISSE O DATAFOLHA, DO GRUPO FOLHA ( O MESMO QUE EMPRESTOU FURGÃO PRA DITADURA) ESSE SERVE PRA CRAVAR QUE O CIRO AINDA ESTA NO JOGO. O PIOR QUE PODE ACONTECER A UM ANALISTA É COMEÇAR A TOMAR PARTIDO, NÃO SOU ELEITOR DO HADDAD E NEM DO CIRO, VOU DE BOULOS, MAS É GRITANTE COMO NOS ÚLTIMOS TEMPOS O BLOG SE PERDEU E PASSOU A FAZER TORCIDA ORGANIZADA PARA O CIRO. VÁRIOS COMENTÁRIOS, E NÃO SOMENTE DE PETISTAS FIQUE CLARO, JA PERCEBERAM QUE O BLOG SE TORNOU A GLOBO COM SINAL TROCADO EM FAVOR DO SEU CANDIDATO E INCLUSIVE QUESTIONANDO PESSOAS E PARTIDOS DO NOSSO CAMPO. NISSO A DIREITA LEVA UMA GRANDE VANTAGEM O INIMIGO NUMERO 1 É O CAMPO PROGRESSISTA, TODO ELE, NO NOSSO LADO TENDO ALGUEM COMO O LULA PARA AGLUTINAR, DEVEMOS ESPERAR QUE ELE COM SEUS 40% ABRA CAMINHO PARA UM CANDIDATO COM 10%, PQ O CIRO NÃO ABRE MÃO DOS SEUS INFINITOS 10%PELA UNIFICAÇÃO DO CAMPO? PQ UM PARTIDO COMO O PT, NÃO É MEU ESCOLHIDO, LEMBRADO E PREFERIDO POR 1/4 DO ELEITORADO COM CAPILARIDADE NACIONAL DE MAIOR PARTIDO DE CENTRO ESQUERDA DO BRASIL DEVERIA SE SUJEITAR A ABRIR MÃO DA CANDIDATURA POR UM PARTIDO DE MUITO MENOR EXPRESSÃO E SEM CAPILARIDADE? E PARA FINALIZAR PQ O BLOG NUNCA COBROU O CIRO ABRIR MÃO DA CANDIDATURA PRA UNIFICAR O CAMPO PROGRESSISTA, PQ O PT DEVERIA TER A GRANDEZA QUE O CIRO E O PDT NÃO TIVERAM?
#SoAcho…

Responder

    Miguel do Rosário

    22 de setembro de 2018 às 19h55

    Olha… nem vou responder. Na próxima, tente ser mais sucinto e escrever em caixa baixa.

    Responder

      Henrique

      22 de setembro de 2018 às 21h16

      Que draga hein Miguel? Adorava seus textos lá do início, fazia um jornalismo sóbrio, inteligente, crítico ferrenho da imprensa, que é o principal cancro do nosso país. E agora volto aqui e te encontro no meio de um triplo carpado intelectual, quem diria, de mãos dadas com o candidato da Globo, o “Marino” da vez. O mundo dá voltas mesmo, e parece sempre desembarcar em Estocolmo.

      Responder

        Miguel do Rosário

        22 de setembro de 2018 às 21h28

        Bem, se você entrou nesse delírio lisérgico de “candidato da Globo”, então acho até bom que não esteja concordando com meus comentários.

        Responder

          Brasileiro da Silva

          22 de setembro de 2018 às 21h43

          Fala para ele assistir o JN de hj e repetir que o Cito é o “candidato” da Globo. Acho que nem o mais ferrenho ptminiom consegue.

          Responder

            Francisco

            22 de setembro de 2018 às 22h17

            Braseiro da Silva, fica esperto.
            Até parece que nunca assistiu denúncia amiga, ‘fogo de dispersão’, na Globo para, Aécio, Serra, Alckmin, FHC, etc., para salvar as aparências, não tendo a minima repercussão paralela na mídia coadjuvante e sem continuidade: aparece uma vez para fingir que denunciam todos, inclusive os aliados de sempre e os de ocasião, como agora, e depois desaparecem. Bem diferente da novela PT, Lula, etc., que está já na quarta temporada, todas as semanas, todos os dias.
            Cara, em pleno 2018, apresentar delação sobre o irmão ocorrida em 2010, é pior que acender rojão molhado, não dá para acender o pavio, quanto mais ouvir a explosão.
            Acorda, Mané!

            Responder

              Brasileiro da Silva

              22 de setembro de 2018 às 22h48

              Sim, é tudo um grande golpe, da CIA, do PT jurídico, de papai noel, da fada dos dentes. Ainda bem que temos vc, que é “esperto” para nos alertar. Não sei o que seria do país sem sua inteligência. Obrigado pelo aviso.

              Responder

                Francisco

                23 de setembro de 2018 às 12h46

                Braseiro da Silvia, o verbo não é “alertar” é “desmascarar”, pois essa “denúncia” fumaça de dispersão da globo é mais manjada que eleição no Vasco, tanto que qualquer sujeito que saiba o be-a-bá em política brasileira, sabe do que se trata, tanto que como bem indaga o catedrático Brito, no Tijolaço, confirmando o por mim escrito aqui, ontem, a que interessa essa denúncia:

                “Porque este ovo, chocado há tanto tempo, eclodiu ontem?
                A “reportagem” do JN não traz nenhuma informação nova… É, sem tirar nem por, uma coletânea de recortes do jornal… sem nenhum material de apoio.
                Destruir apoios de Ciro na classe-média…?
                Desqualificar seu apoio, num segundo turno a Haddad?
                [ou] Apenas demonstrar-se imparcial e por fim aos boatos de que estaria apostando numa “alternativa Ciro” na qual, entre todos os institutos, só o Datafolha, ainda que discretamente, põe suas fichas?
                Se é isso, assemelha-se às ilusões de Ciro com o ‘Centrão’, esperança que o fez cometer vários erros de condução da campanha.
                Seja o que for, pela idade e qualidade do material usado, bom jornalismo não é.
                Se fosse, um ano depois de levantada a acusação, o assunto já teria sido tema para muitos “exclusivos”, porque o conteúdo, como se viu pelo histórico, já tinha “aniversário de vazamento”.

                Tem batata nessa chaleira, diria Leonel Brizola.

                Responder

    Adam Smith Comuna

    22 de setembro de 2018 às 23h33

    Difícil de acreditar que um eleitor do Boulos estaria aqui falando sobre o Ciro abrir mão de candidatura. Se sua escolha por Boulos é verdadeira ela é incoerente.

    Responder

      otavio

      23 de setembro de 2018 às 20h10

      Incoerente não, realista. O meu voto é do Boulos por falta de unidade da esquerda, mas tanto Manu como Boulos e Haddad sinalizaram com a unidade. O Ciro também, com a condição FHC, abram mão da candidatura em prol da minha. No mundo ideal seria so uma candidatura, que levaria essa no 1º turno. Cobraram do Lula e do PT um desprendimento que além de Manu e do PCdoB nenhum outro partido teve. E outra se é para unificar o campo progressista, realmente no Ciro, com seu histórico, pra cabeça da chapa pra mim e pra muitos, so como ultima opção.

      Responder

Darcy Brasil Rodrigues da Silva

22 de setembro de 2018 às 16h55

Os irresponsáveis pelo portal 247, que nós, marxistas-leninistas, classificamos como típicos representantes de uma esquerda pequeno-burguesa oportunista, ao listarem os candidatos da direita que recusaram a estapafúrdia proposta de unidade do campo golpista em torno de uma candidatura única, sugestão defendida por FHC, como provocadores sem escrúpulos que são, incluíram o nome de Ciro Gomes entre os postulantes da direita que refrataram a proposta do “Príncipe da Privataria”. Esses pulhas, felizmente, não representam o grosso da militância petista, e, apesar do enorme esforço deles na arte da intriga, o campo democrático e antifascista, de que Ciro Gomes faz parte, não se fragmentará, travando todos que a esse campo pertencem unitariamente a batalha contra o fascismo no 2° turno. Deixemos a luta ideológica e política contra esses oportunistas travestidos de esquerda para o futuro.

Responder

    Alan Cepile

    22 de setembro de 2018 às 19h05

    Muito bom seu comentário, mas não creio que a maioria dos petistas pensa diferente daquele LIXO do 247, basta entrar no fórum de lá para constatar a soberba petista dos que lá comentam, é de assombrar, e aquele blog causa um desserviço sem precedentes ao campo progressista incitando o ódio petista a quem não pensa como eles.

    Comparo esse sentimento petista ao sentimento que nasceu e cresceu na Alemanha derrotada na 1ª guerra mundial, um sentimento que deu espaço para o aparecimento do nazismo.

    Responder

      Brasileiro da Silva

      22 de setembro de 2018 às 19h52

      Repare, o 171 não tem mais área de comentários. São 2 ou 3 robôs que postam o dia inteiro.

      Responder

      Darcy Brasil Rodrigues da Silva

      22 de setembro de 2018 às 19h55

      A maioria dos petistas, dos 2 milhões de filiados, sem contar outros tantos milhões de simpatizantes ativos, que desenvolvem algum tipo de ativade política vinculada a esse partido, sequer lê o 247. Todo mundo deveria conhecer o objeto que crítica. O PT é um partido de correntes, pretender desenhá-las a todas com um único traço é incorrer no subjetivismo. Sem essa militância petista, forjada em dezenas de anos nas lutas dos movimentos sociais, não transformaremos jamais o Brasil, porque o nosso país somente será transformado, de fato, a partir das ruas, e não pela vontade de qualquer presidente eleito, que jamais teria forças para comprir promessas no âmbito do atual Estado, controlado por dentro, política e ideologicamente, por agentes não eleitos da plutocracia financeira. Estamos lutando para eleger alguém para governar apoiado ativamente pelos militantes do campo popular e democrático, de todos os partidos e sem partido, sem qualquer ilusão de que o futuro Congresso aprovará o programa que defendemos.O 247 não representa a massa de militantes e simpatizantes do PT, onde possuo grandes amigos. Nela também se encontram brilhantes intelectuais, como Marcio Pochmann ou Ricardo Gebrim, entre tantos outros,, ou os combativos e exemplares militantes do MST, que nada têm a ver, do ponto de vista dos princípios, com os controladores do 247.

      Responder

        Alan Cepile

        23 de setembro de 2018 às 00h39

        Então a maioria desses petistas que vc se refere curiosamente deve ser avessa à tecnologia, pois é raro vê-los comentando em qq lugar da rede, pq nos espaços disponíveis pro nosso campo (ex: aqui, GGN, Duplo Expresso, 247, DCM e outros) a petezada se comporta não como militantes, mas como militares que, do alto da mais pura arrogância petista, desprezam qq coisa na esquerda que não tenha uma estrela, um fundo vermelho e o nº 13.

        Responder

baltazar pedrosa

22 de setembro de 2018 às 15h59

O cafezinho será tão logo a globo news,se o seu comentário for desfavorável a Ciro globo news,você com certeza será bloqueado,viva a democracia,haddad 13

Responder

    Adam Smith Comuna

    22 de setembro de 2018 às 17h54

    Tipo como DCM, 247 e Tijolaço fazem com quem Haddad com quem não demonstra subserviência ao culto petista?

    Responder

Justiceiro

22 de setembro de 2018 às 15h56

Ah, Miguel. Mandei um comentário de há umas 6 horas atrás e até agora não foi publicado.
Será que é porque eu faço críticas a truculência de Ciro? Mas você não vai esconder, Miguel. Outros blogs publicam.

Responder

    Spinoza

    22 de setembro de 2018 às 17h58

    Também estou com um comentário aguardando moderação, e sou eleitor do Ciro.

    Miguel, esse filtro está muito estranho.

    Responder

      Alan Cepile

      22 de setembro de 2018 às 19h06

      Pelo amor…. o Miguel já explicou isso 8745 vezes….

      Responder

        Spinoza

        22 de setembro de 2018 às 19h26

        O do justiceiro foi liberado e o meu continua “aguardando moderação”.

        Responder

        João

        23 de setembro de 2018 às 12h37

        burguesinho rs rs robozinho do Ciro

        Responder

        João

        23 de setembro de 2018 às 12h39

        Tá ganhando quanto Cepile pra defender o blog, já fez campanha pra família Gomes no Ceará??

        Responder

          Alan Cepile

          23 de setembro de 2018 às 20h11

          Pô, até ia falar o que tô ganhando, mas pra não baixar o nível achei melhor não falar kkkk

          CIRO 12

          Responder

baltazar pedrosa

22 de setembro de 2018 às 15h24

Ciro veste a camisa da globo do tamanho p a gg,se a globo investir nele, ele fará tudo, o mesmo que os ministros do STF fizeram,desde Jaquim Barbosa o negro de alma branca segundo a globo, até Dias Tofolli.O Ciro não tem compostura sempre foi um oportunista,é tanto que ele hoje posa de trabalhista,sendo que em todo o seu genoma mostra um sujeito averso ao povo,a distribuição de renda,porque não isso que família ferreira gomes prega no meu interior,muito pelo contrario,eles são faráveis a concentração de renda,a exclusão e o escravismo,não custa lembrar que Ciro nasceu na arena e fez curso de fascista no PSDB,por fim não dar para confiar nesse Coroné,que não é muito diferente do Capitão,um grande abraço em LULA E HADDAD 13.

Responder

    Adam Smith Comuna

    22 de setembro de 2018 às 18h27

    Ciro NUNCA foi do arena.
    Ciro era do PSDB, partido que defendia a social-democracia e fez diversas alianças com o PT até FHC assumir a presidência. Em 89, quando Ciro estava no PSDB, seu partido apoiou Lula contra Collor.
    Ciro tem livro, com mais de 20 anos, escrito com o professor Mangabeira pregando exatamente o que ele fala hoje, diferente do Lula que até 98 falava em auditoria da dívida, reforma tributária e reforma política e em 2002 abandonou todas essas bandeiras.

    Para quem diz que Ciro é camaleão pegue o livro dele de 1996 “O próximo passo: uma alternativa prática ao neoliberalismo”. O que ele falava em 1996 é o mesmo que fala 2018.

    Responder

      Francisco

      22 de setembro de 2018 às 22h09

      Ciro NUNCA foi da ARENA, nem poderia, pois quando filia-se ao partido que representava a ditadura militar, o mesmo de toda a família, ele já tinha sido rebatizado para PDS, para variar, por questões casuísticas para manterem-se no poder.
      Depois do PDS/ARENA, Ciro pulou de um partido a outro em seis ocasiões, sem repeti-los, até chegar ao atual, o PDT.

      Responder

      João

      23 de setembro de 2018 às 12h42

      para de bobagem PSDB nunca foi social democrata para de fazer invertida pra defender o Ciro, quem quiser acompanhar o coroné acompanhe mas não compare um imbecil daquele com o Lula, nem PDT de hoje com PT

      Responder

        Rodrigo Souza Gomes

        23 de setembro de 2018 às 18h22

        Amigo, Ciro era tucano no tempo que o PSDB da Bahia tinha lideranças como Waldir Pires e Lídice da Mata que ninguém pode dizer que são direitistas.

        Responder

        Alan Cepile

        23 de setembro de 2018 às 20h15

        Analisar um politico pelos partidos que ele passou faz tanto sentido quanto analisar um jogador pelos clubes que passou…

        Responder

        Adam Smith Comuna

        23 de setembro de 2018 às 20h42

        Quando Ciro era do PSDB Lula subia em palanque ao lado de FHC. Tem vídeo disso bonitão!

        Responder

JOAO TOLENTINO

22 de setembro de 2018 às 14h22

Miguel, como Ciro não fará a reforma dos meios de comunicação (afinal, ele quer o apoio da mídia corporativista, o que já esta acontecendo)_ e todos os blogs progressistas já perceberam “menos” O Cafezinho_, o que você está ganhando ou ganhará com Ciro eleito_o que não ocorrerá, OBVIAMENTE?

Responder

    Adam Smith Comuna

    22 de setembro de 2018 às 15h34

    PT ficou 13 anos frente ao executivo e não tentou nenhuma lei dos meios. Onde não precisava de apoio parlamentar, destinação da verba de propaganda, o PT cumpriu os interesses da Globo. Mais de 10 bilhões do dinheiro do povo dados ao grupo Globo pelo PT.

    A proposta do Haddad é de proibição de propriedade cruzada, ou seja, proibir a Globo de possuir seus já falidos jornais e revistas.

    Quem anda dando sinais ao mercado, abertamente, é o PT. Haddad já falou de um neoliberal na fazenda e um banqueiro no BCB, e disse que não cancelará compras da Embraer e poços do Pré-Sal.

    Responder

      Hell Back

      22 de setembro de 2018 às 16h47

      Rapaz, você tem que aprender a mentir melhor.

      Responder

        Adam Smith Comuna

        22 de setembro de 2018 às 17h56

        Minha resposta foi tão verdadeira quanto a sua refutação foi vazia.

        Responder

Sergio

22 de setembro de 2018 às 12h06

O cafezinho pirou de vez, é forçar muito a barra pra emplacar o Ciro , a onda Haddad é irreversível, muito embora se Ciro e Haddad fossem pro segundo turno seria cenário perfeito!

Responder

Justiceiro

22 de setembro de 2018 às 10h21

Miguel, você se abespinha quando a gente chama Ciro de coronel. Mas veja os atos dele: aje como um verdadeiro coronel que descia a porrada em seus desasfetos. Dias atrás, agrediu um jornalista em boa Vista por este ter feito uma pergunta sobre uma fala de Ciro. Em vez de responder – ou negar – Ciro partiu pra cima do rapaz mandando seus jagunços o tirarem de lá, e ainda chamou o cara de FDP, o palavrão que é sua marca registrada.

Ontem, em Goiânia, xingou um cara que estava com a camisa de Bolsonaro. Mas desta vez o seu palavrão preferido foi endereçado ao candidato que convalesce em um leito de hospital.
quem vê Ciro agir assim, imagina – ou tem certeza – que ele torceu pro Bolsonaro ter morrido.

O pior de tudo é Que Ciro estava pregando em Goiânia contra a cultura do ódio.

como critiquei Ciro, acho que meu comentário não será publicado.

Responder

    Adam Smith Comuna

    22 de setembro de 2018 às 18h15

    Seu comentário está publicado, assim como todos os outros que faz diariamente.

    Recomendo este texto sobre o assunto: https://vempramassa.com/news/chamar-ciro-de-coronel-e-preconceito-contra-nordestinos/
    Falar que Ciro é Coroné, sem ser dono de fazenda ou meios de comunicação é um absurdo.

    Quem acha que nordestino chamar outro de FDP é a maior ofensa do mundo desconhece completamente o nordeste. Poucos minutos atrás recebi uma ligação do meu sogro: “Alô, ô seu bandido. Tudo por aí? Como está meu filho da puta (perguntando sobre seu neto)? Bota o bandidinho para falar no telefone, quero falar com ele!”. FDP é um termo que eles utilizam inclusive com carinho.

    Responder

      Justiceiro

      22 de setembro de 2018 às 18h48

      Deixa de lorota. Ciro chama de filho da puta pra xingar mesmo. E mesmo que fosse trivial chamar fdp no nordeste, nas outras regiões não é.
      Veja que você diz que chamar Ciro de coronel é ofensa contra nordestino, mas pra outras regiões, coronel é sinônimo de fazendeiro mandão, o cara que manda na cidade, mas você se ofende em nome de Ciro.

      você me critica dizendo que estou ofendendo o nordestino, mas duvido que você reclamou quando lula acusou os branco de zóio azul pela ‘marolinha’ que derrubou Dilma, também não reclamou quando Lula disse que Pelotas é exportadora de viado, reclamou?

      Responder

        Adam Smith Comuna

        22 de setembro de 2018 às 19h24

        Como você disse coronel é um FAZENDEIRO, Ciro não tem fazenda. Bolsonaro também é truculento, alguém o chama de Coroné? Não. Logo isso é preconceito contra o nordestino.

        Não sabia dessas falas do Lula, são preconceituosas sim. Você nunca lerá qualquer defesa a Lula escrita por mim, tirando a transposição do Rio Francisco não há nada em sua gestão que eu aprove.

        Responder

          Alan Cepile

          22 de setembro de 2018 às 19h37

          Enfim, o bozo é um nazistinha fdp ou não é???

          Então vamos sim parar de lorotas!!!

          Responder

Maria Cicera da Silva

22 de setembro de 2018 às 10h03

Miguel é uma verdadeira má ideia forçar a barra e defender Ciro nessa altura do jogo. Haddad é quem está chegando perto de Bolsonaro, e o PT pode derrotar o fascismo.

Responder

    Adam Smith Comuna

    22 de setembro de 2018 às 11h36

    Não voto em candidato de banqueiro.

    Responder

JOAO BATISTA ALVES

22 de setembro de 2018 às 04h25

VOCE DISSE QUE O BOLSONARO TEM TEMPO NA TV, DINHEIRO PARA CAMPANHA MILIONARIA E PARTIDO GRANDE? ACHO QUE VOCE COMEU CRIANÇA QUANDO ERA BOSTA PEQUENA. FALA SERIO !!!

Responder

Alex

22 de setembro de 2018 às 01h42

Essa pesquisa Datapoder sempre dava resultados péssimos para a esquerda. Tanto que vários eleitores do Bolsonaro diziam que ela era “boa”. Tanto que se procurar na internet, verá que alguns eleitores do Bolsonaro estavam esperando ela hoje. Outra coisa, ela não e feita apenas em donos de telefones fixos, também pega celulares, o que atinge a classe C e D.

Responder

luis castro

22 de setembro de 2018 às 00h38

Pesquisa do DataPoder se aproximando do resultado aferido pelo Vox Populi há mais de uma semana atrás. Então vejamos: Vox – Haddad (22%) e Bolsonaro (18%). DataPoder – Haddad (22%) e Bolsonaro (26%). No DataPoder, Bolsonaro continua na frente mais já no empate técnico e Haddad já ganha dele no segundo turno ainda em empate técnico. Devagar, devagarinho eles vão chegando aos resultados do Vox Populi, Os institutos dos golpistas ainda têm 15 dias para blefar só que o tempo é cada vez mais curto e logo a verdade prevalecerá.

Responder

Adamsmithcomuna

22 de setembro de 2018 às 00h27

Pelo baixíssimo nível de mentiras que os porta vozes petistas estão fabricando as chances do Ciro disputar o segundo turno são imensas!

Responder

PETER PENDRAGON

22 de setembro de 2018 às 00h02

Quem chama Bolsonaro de Nazista não entende absolutamente nada das lendas do Rei Arthur, do santo Graal, de Parsifal, da jornada do Herói nem das óperas de Richard Wagner.
Bolsonaro é a representação das lendas dos antigos heróis da Bretanha, de Merlin , da espada Excalibur, todos são “Mitos”, são Lendas, São heróis que devem unir e pacificar uma nação dividida.
O Herói nunca é um intelectual, ele é sempre travestido com a figura do “louco”, do tolo, do bufão, é esse mesmo louco que deve chamar o antigo Rei numa batalha e vence-lo, através de uma longa jornada, O velho Rei deve ser vencido pelo tolo principiante, somente assim o principiante se torna o novo Rei

Responder

    Paulo

    22 de setembro de 2018 às 10h18

    Até ouvi a “Cavalgada das Valquírias”, ao fundo, rs…

    Responder

      Jessé Guimarães

      23 de setembro de 2018 às 01h30

      Será por esta explicação tão interessante, que Hitler era um fã de Wagner?

      Responder

    Benoit

    22 de setembro de 2018 às 11h42

    Só faltou explicar o que é que as lendas têm a ver com a realidade. Voce sabe de algum rei tolo na realidade que endireitou ou pacificou algum país usando os meios que ele trouxe e por mérito próprio? Acho que não.

    Na realidade o Bosonaro é um tolo incompetente, que não poderá levar o Brasil para a frente de modo nenhum e que tem ideias autoritárias que já foram parar na lata de lixo da história há muito tempo. Ele não é só o candidato tolo. Ele é o candidato para os tolos e dos tolos.

    Responder

      PETER PENDRAGON

      22 de setembro de 2018 às 20h21

      nde Obra.
      O “RICO PESCADOR”: PERCIVAL
      A lenda de Percival, que integra o mistério do Deus-Peixe Salvador e do Sangraal, ou
      Cálice Sagrado, tem origem controvertida. Aparece, certamente, em primeiro lugar, na
      Bretanha, a terra mais amada da Magick, a terra de Merlin, dos druidas, da floresta de
      Broceliande. Alguns eruditos supõem que a forma galesa desta tradição, que empresta
      muito de sua importância e sua beleza ao ciclo do rei Artur, é ainda mais antiga. Isto não
      tem relevância aqui, mas é vital compreender-se que a lenda, como aquela d’O Louco, é
      puramente pagã originalmente e chega a nós através de recensões latino-cristãs: não há
      nenhum traço de quaisquer de tais matérias nas mitologias nórdicas (Percival e Galahad
      eram “inocentes”: esta é uma condição da guarda do Cálice). Note-se, ademais, que
      Monsalvat, montanha da salvação, lar do Graal (Cálice), a fortaleza dos cavaleiros
      guardiões, fica nos Pirineus.
      Convém, aqui, introduzir a figura de Parsifal, porque ele representa a forma
      ocidental da tradição do Louco e porque sua lenda foi altamente elaborada por iniciados
      eruditos (a encenação dramática do Parsifal, de Wagner, foi arranjada pelo então chefe da
      O. T. O.).
      Parsifal, em sua primeira fase é Der reine Tor, O Louco Puro. Seu primeiro ato é
      atirar no cisne sagrado. É o desregramento da inocência. No segundo ato, é a mesma
      qualidade que o capacita a resistir aos agrados das damas no jardim de Kundry. Klingsor,
      o mago mau, que pensava em preencher as condições da vida pela auto-mutilação, vendo
      seu império ameaçado, arremessa a lança sagrada (que havia furtado da Montanha da
      Salvação) em Parsifal, mas esta se mantém suspensa sobre a cabeça do menino. Parsifal a
      agarra; em outras palavras, atinge a puberdade (esta transformação será vista nas outras
      fábulas simbólicas na seqüência).
      No terceiro ato, a inocência de Parsifal amadureceu em santificação; ele é o
      sacerdote iniciado cuja função é criar. É Sexta-Feira Santa, o dia das trevas e da morte.
      Onde buscará ele sua salvação ? Onde é Monsalvat, a montanha da salvação, que ele
      buscou por tanto tempo em vão ? Ele venera a lança: imediatamente, o caminho, há tanto
      tempo fechado para ele, está aberto; o cenário muda rapidamente, não havendo
      necessidade para que ele se mova. Ele chegou ao Templo do Graal. Toda religião
      cerimonial verdadeira deve ser solar e fálica em caráter. É o ferimento de Amfortas que
      removeu a virtude do templo (Amfortas é o símbolo do deus que morre).
      Conseqüentemente, a fim de redimir toda a situação, destruir a morte, reconsagrar
      o templo, basta-lhe mergulhar a lança no Cálice Sagrado. Ele redime não só Kundry, mas
      a si mesmo (esta era, então, uma doutrina somente apreciável em sua plenitude pelos
      membros do Santuário Soberano da Gnosis do Nono Grau da O. T. O.).

      Responder

Elena

21 de setembro de 2018 às 23h18

E deu no blog Brasil247 que nos próximos dias Alckmin e Marina desistirão de suas candidaturas para apoiar Ciro para que este vá para o 2o. turno contra Haddad. Já deu para perceber qual era o objetivo da carta do FHC: todos contra Haddad e para isso Ciro receberá o apoio de Ackmin e Marina e, quem sabe, dos demais candidatos. Sem falar no apoio da Globo. Diante disso Ciro vai partir para o ataque contra Haddad. Bem que eu li no portal UOL que Ciro não iria apoiar Haddad no 2o. turno. Ele disse: “Nem a pau, Juvenal”! Resta saber se o plano de FHC, Alckmin, Marina e Globo vai dar certo. E se der certo, todos verão que Ciro é a continuidade do golpe, conforme afirma o historiador Carlos D’Incao em seu post intitulado “O golpe vai fechar com Ciro contra Haddad”. https://www.brasil247.com/pt/colunistas/geral/369576/O-golpe-vai-fechar-com-Ciro-contra-Haddad.htm

Responder

    André Romero

    21 de setembro de 2018 às 23h49

    Falou uma amiga que mostra como prova uma notícia de um panfleto digital do PT na Internet. E como hábito recurrente, o de apontar o dedo para criticar os outros dos mesmos defeitos que possuem.
    Que Ciro vai disputar com Haddad movendo-se para o Centro, é claro e notório, pois fecharam-lhe as portas num conchavo. Que vão preferir ele ao PT ou Bolsonaro, isso também é óbvio.
    Mas quem possui extensa folha corrida de cooptação, acordo com a velhacaria política, negociatas e participação nos esquemas de corrupção, acordo de compadres com o chamado “Mercado” e financiamento da Globo com polpudas verbas de propaganda não é bem o Ciro não.
    As propostas de Ciro foram as primeiras a serem lançadas justamente para impedir esse tipo de especulação, ao contrário das do PT, que agora acena para o Mercado e “namora” economistas do Instituto Millenium para conduzir a Economia ano que vem. A fonte dessa informação? Carta Capital, a revista que foi a única a declarar honestamente seu apoio ao PT e Haddad.

    Responder

      Elena

      22 de setembro de 2018 às 07h54

      Então vamos aguardar para ver se o colunista Carlos D’Incao tem razão, se de fato Alckmin e Marina e outros presidenciáveis desistirão de suas campanhas e apoiarão Ciro para ajudá-lo a ir para o 2o. turno contra Haddad. E vamos ver como se comportará Ciro com relação a Haddad daqui pra frente, se vai atacá-lo ou se vai só apresentar suas propostas para seduzir o eleitor, já que, segundo Nassif, o programa de governo dos dois são semelhantes. Quero ver também se vai se confirmar a tendência da Globo de apoiar a 3a. via representada por Ciro, já que segundo ele basta o controle remoto para regulação da mídia, o que agrada em cheio a “poderosa”. Aguardemos, pois!

      Responder

        André Romero

        22 de setembro de 2018 às 10h37

        Elena, minha amiga, nada que vem desse panfleto do PT tem credibilidade ou pode ser usado referência. Ele veicula o que o PT quer, apenas isso.
        E quanto a aguardarmos, você está defendendo um sofisma, sem ofensa. Ciro desde o início não poupa ninguém e certamente não começou a criticar Haddad e o PT ontem. Isso é estratégia eleitoral de alguém que precisa ser reconhecido como uma alternativa ao eleitor ao petismo. E essas críticas até as eleições obviamente só vão se intensificar.
        E quanto à Rede Globo, sem conseguir emplacar seu candidato, só resta torcer extra-oficialmente e tentar fazer promoção de qualquer candidato contra o PT ou o nazista, como já fez no passado. É simplesmente a escolha do menos ruim para eles.
        Você briga com os fatos. A posição de Ciro que você desdenha sobre controle da mídia é dita por ele há anos, é só procurar no Youtube. Foi o PT quem nunca cortou as torneirinhas das enormes verbas de propaganda para a Globo durante seus 13 anos e 4 mandatos de poder e agora vem com esse papinho contra Ciro.
        Portanto, jogar com esses fatos não habilita esse colunista do PT (nem ninguém) de sair dizendo que Ciro e a Globo tem um conluio armado, um acordo de compadres, como os que o PT cansou de fazer com a nata da corrupção política em seus governos, além do chamado “Mercado”, que não foi incomodado durante a passagem do PT no poder.
        É uma questão de senso crítico e discernimento.

        Responder

          Elena

          22 de setembro de 2018 às 13h43

          Aguardemos, cara!

          Responder

            André Romero

            22 de setembro de 2018 às 16h38

            Não precisa repetir isso.
            Que tal agora parar de inventar bobagens e refutar os pontos que falei?

            Responder

              Elena

              22 de setembro de 2018 às 21h03

              Não tenho bola de cristal pra ficar fazendo previsões do que vai acontecer. Portanto, vamos ter que aguardar para ver se os passos dados por Ciro daqui pra frente irão confirmar o que disse o colunista Carlos D’Incao. E a única certeza que tenho é que Ciro NÃO É CONFIÁVEL.

              Responder

                André Romero

                23 de setembro de 2018 às 18h56

                Elena, não pedi para você adivinhar nada. Pedi apenas em nome da honestidade intelectual, rebater os pontos que apontei, que petista nenhum gosta de falar a respeito.
                Em tempo: a Globo resgatou uma “delação” contra Ciro, totalmente sem provas, a 15 dias das eleições. E agora, cadê o teu acordo?

                Responder

        Alan Cepile

        22 de setembro de 2018 às 14h06

        Ligar Ciro a Globo depois de todas as sabatinas que aconteceram lá onde imperou tudo menos a afinidade, ou é de uma total ignorância ou um enorme mau caratismo.

        Ninguém viu os embates com a Míriam Leitão? O Bonner quase aos gritos na bancada do JN?? Como a Loprete tentou encurralar Ciro e se deu mal? O Milton Young lendo nota das organizações Globo ao final da sabatina na CBN depois do Ciro ter falado umas verdades?

        E 247 é um mero puxadinho religioso extremista xiita do PT, não tem valor nenhum.

        Responder

    Alan Cepile

    22 de setembro de 2018 às 01h05

    O termo MENTIRA ganhou um novo sinônimo hoje….

    Esse 247 é a coisa mais suja que vi na vida, o G1 é um santo perto daquilo lá.

    Responder

    Paulo

    22 de setembro de 2018 às 10h16

    Esqueça! Se desistirem, entrarão pra história como arregões. Aliança, se houver, só no 2º turno…

    Responder

J. Cícero Costa

21 de setembro de 2018 às 23h02

A direita está buscando desesperadamente uma terceira via para fazer frente ao PT, que tem mantido ao longo dos anos um eleitorado fiel.

O Datafollha tem distorcido os resultados das pesquisas na tentativa de alavancar o Ciro e enfraquecer o Haddad, mas não creio que haja tempo hábil para isso. Faltam duas semanas, e o cenário para o segundo turno parece já estar desenhado.Tudo indica que será mesmo entre Haddad e Bolsonaro, com chances reais de vitória do candidato do PT, em razão da grande rejeição que tem Bolsonaro em todo país, sobretudo entre as mulheres.

Isso vai ficar mais evidente nos próximos dias com o resultado de nova pesquisa do VOX POPULI. Aguardemos.

Responder

Mané

21 de setembro de 2018 às 22h22

78% dos eleitores do Ciro , afirmam que votariam em HADDAD , num eventual 2º turno. BINGO !!!

Responder

    Alan Cepile

    22 de setembro de 2018 às 01h08

    Muitos podem até votar em branco/nulo, mas no bozo é IMPOSSÍVEL votar.

    Responder

Adam Smith Comuna

21 de setembro de 2018 às 22h17

Alguém leu a proposta de regulação da mídia do Haddad? Sua proposta se limita a proibição de propriedade cruzada. Sabe o que isso muda na prática? Nada! A mídia discursa perante o interesse da corporocracia mundial, se os donos são os Marinhos, Civitas ou Joãozinho o discurso será o mesmo.

PT deu quase 7 bilhões, só para a TV Globo, com verbas de propaganda no período que esteve na presidência. Somando valores para as filiadas e outras mídias pode somar mais 2 bilhões.

Responder

Paulo

21 de setembro de 2018 às 22h15

Achei interessante essa matéria, e peço licença para reproduzi-la na íntegra, para que possa merecer a reflexão que julgarem oportuna! Sei que se trata de um Blog de esquerda, mas gostaria de entender isso melhor. Não há desonestidade intelectual na proposição, talvez ingenuidade. Alguém gostaria de questionar a respeito?

“Relatório publicado ontem pela Anistia Internacional deveria ser um terremoto em todos os jornais do planeta. Mas não está sendo. Por quê?
A Anistia Internacional publicou, neste dia 20 de setembro de 2018, um detalhado e chocante relatório intitulado ‘Esta não é forma de vida: A segurança pública e o direito à vida na Venezuela’.

A partir de dados da procuradoria geral do país, o relatório revela que, entre 2015 e junho de 2017, foram registradas 8.292 execuções extrajudiciais na Venezuela, ou seja, assassinatos perpetrados pelo Estado venezuelano mediante as suas forças de segurança, tanto militares quanto policiais.

Números e fatos
Execuções – Os assassinatos são assim distribuídos pelo levantamento:

2015: 1.777 execuções (10% do total de homicídios daquele ano)
2016: 4.667 execuções (22% dos homicídios)
2017 (só até junho): 1.484 execuções.

Perfil – A quase totalidade das vítimas (95%) é masculina. 60% tinham de 12 a 29 anos e moravam nas áreas mais pobres do país. O perfil das vítimas, segundo a Anistia Internacional, é sobretudo de trabalhadores, pais de filhos pequenos, mortos em casa e na presença da família.

Feridos – Além das mortes registradas, a Anistia Internacional ressalta que, para cada pessoa morta, sobrevivem de três a quatro pessoas feridas em decorrência da violência perpetrada pelo próprio Estado venezuelano. Com isto, estima-se que, em 2016, de 65 mil a 87 mil pessoas foram feridas pela violência armada do regime.

Índice de homicídios – Em 2016, a partir de um total de homicídios superior a 28 mil, a taxa venezuelana de 91,8 assassinatos para cada 100 mil habitantes só foi superada, em todo o planeta, pela de El Salvador, com 103 assassinatos para cada 100 mil habitantes. A média mundial é de 8,9.

Números subestimados – É provável que os dados sejam ainda piores, já que a Anistia Internacional não considera confiáveis os dados do governo venezuelano. Caracas nem sequer contabiliza as mortes cometidas pelas forças de segurança governamentais. O governo da Venezuela não publica estatísticas sobre homicídios desde 2005. O Ministério Público, até setembro deste ano, ainda não tinha divulgado nenhum dado sobre os homicídios cometidos no país em 2018.

Impunidade – O relatório da Anistia Internacional aponta que 98% dos casos de violações dos direitos humanos na Venezuela, bem como 92% dos crimes comuns, não são julgados no país. Esta realidade não se aplica somente aos homicídios: há também uma infinidade de denúncias não investigadas de abusos de autoridade, invasões e destruição de casas, privações de liberdade, tratamentos cruéis e ameaças.

Refugiados venezuelanos – A Anistia Internacional enfatiza que a Venezuela vive uma ‘séria crise de direitos humanos há vários anos’, o que está na raiz do ‘crescimento dramático’ do número de pessoas que se veem forçadas a deixar o país: a ONU o calcula em 2,3 milhões desde 2014. A título de comparação, a mesma ONU estima em 4,8 milhões o total de refugiados da guerra na Síria desde 2011.

Responsabilidade do Estado – O relatório destaca explicitamente a responsabilidade do Estado venezuelano por essas mortes e pela violência em geral no país, ressaltando as medidas repressivas adotadas pelo regime de Maduro.

Comparação com outros regimes autoritários/ditatoriais na América do Sul
Se ficarmos só nos 2 anos completos que estão contidos nesse período abordado pelo relatório da Anistia Internacional (2015 e 2016), estaremos falando de 6.444 pessoas assassinadas em direta decorrência da repressão violenta praticada pelo governo de Nicolás Maduro.

É interessante comparar esses números assombrosos com os de outros regimes autoritários/ditatoriais que já estiveram em vigor em outros países da América do Sul.

Obviamente, não se trata de uma comparação que possa relativizar contextos: uma única dessas mortes, cometida pelo regime que fosse, já seria uma absoluta barbaridade, injustificável de qualquer ponto de vista. Trata-se apenas de uma comparação numérica, mas não por isso menos significativa – e o caro leitor conclua dela o significado que em consciência achar pertinente.

BRASIL
Segundo o relatório da Comissão Nacional da Verdade, instituída durante o governo de Dilma Roussef e que realizou um levantamento ao longo de dois anos e sete meses de trabalho, 424 pessoas foram assassinadas no Brasil por ‘agentes públicos, pessoas a seu serviço, com apoio ou no interesse do Estado brasileiro’, entre 18 de setembro de 1946 e 5 de outubro de 1988, incluindo mortes cometidas no exterior. Atenção: não estamos falando apenas dos 21 anos de governo militar (1964 a 1985), mas de um total de 42 anos que abrangem quase duas décadas anteriores e mais três anos posteriores a esse período.

Os números foram levantados principalmente por expoentes da esquerda brasileira, que costuma apresentar-se como a mais interessada em revelar os fatos ocorridos sob o regime militar no país. Um detalhamento desses mesmos números consta no livro ‘Dos Filhos Deste Solo’, cujas mais de 600 páginas foram escritas pelo deputado petista Nilmário Miranda, secretário dos Direitos Humanos no governo de Luis Inácio Lula da Silva, e pelo jornalista Carlos Tibúrcio. Trata-se de uma co-edição da Boitempo Editorial e da Fundação Perseu Abramo, ligada ao PT.

É imprescindível observar que essas 424 mortes perpetradas ao longo de 42 anos estão incluindo não só execuções diretas, mas também vítimas de acidentes, pessoas que se suicidaram, pessoas que morreram no exterior e até casos de justiçamento, ou seja, assassinatos de militantes cometidos por outros militantes que atuavam no mesmo bando por considerá-los ‘traidores’. Dos 424 casos elencados, os comprovadamente assassinados são 293 – e, mesmo assim, incluem os mortos na Guerrilha do Araguaia, que envolveu pessoas armadas e dispostas a matar ou morrer. O levantamento realizado chega a detalhar a vinculação desses 293 mortos com os seus respectivos grupos ideológicos e/ou partidários: ALN-Molipo (72 mortes, sendo 4 por justiçamento); PC do B (68, sendo 58 no Araguaia); PCB (38); VPR (37); VAR-Palmares (17); PCBR (16); MR-8 (15); MNR (10); AP (10); POLOP (7) e Port (3).

Comparação Brasil – Venezuela

Ao se colocarem os números brasileiros e venezuelanos lado a lado, constata-se que a Venezuela dita ‘democrática’ de Nicolás Maduro matou diretamente, em 2 anos, 15,2 vezes mais pessoas que o total de 424 mortos atribuídos ao Estado brasileiro em 42 anos. Se acrescentarmos os dados parciais de 2017, a Venezuela matou 19,5 vezes mais gente. E, se restringirmos as vítimas brasileiras às 293 comprovadamente assassinadas, observamos que a Venezuela matou, em 2 anos e meio, 28,3 vezes mais pessoas do que o Estado brasileiro em 42 anos. E estamos desconsiderando os números venezuelanos faltantes sobre o resto de 2017, todo 2018 e os anos anteriores a 2015.

Se extrapolássemos a média apenas do período de 2 anos completos que é citado no relatório da Anistia Internacional (2015 e 2016) e imaginássemos que a Venezuela mantivesse durante 42 anos o mesmo ‘comportamento democrático’ que o seu governo atribui a si próprio atualmente, teríamos o congelante resultado de 270.648 pessoas assassinadas em nome da ‘democracia’ socialista de Hugo Chávez e Nicolás Maduro.

Nicolás Maduro entrega retrato de Hugo Chávez à então presidente brasileira Dilma Rousseff – Wikipedia (CC)
ARGENTINA
A ditadura civil-militar argentina (1976-1983) é unanimemente reconhecida como a mais sanguinária de toda a história da América do Sul – pelo menos até o momento, dado que a Venezuela de Nicolás Maduro aparenta que continuará sendo a Venezuela de Nicolás Maduro durante não se sabe quanto tempo.

As vítimas mortais ao longo dos 7 anos desse aberrante regime argentino chegam a cerca de 30.000 segundo as estimativas mais elevadas, calculadas por ONGs e organismos internacionais de defesa dos direitos humanos. Os militares argentinos, por sua vez, as calculam em torno de 8.000, enquanto o Estado argentino informa que recebeu pedidos de indenização de parentes de cerca de 10.000 desaparecidos.

Mesmo com todos os dados faltantes e com toda a inconfiabilidade dos números sob os governos de Hugo Chávez e Nicolás Maduro, a Venezuela soma, em apenas 2 anos e meio, no mínimo 8.292 execuções extrajudiciais reconhecidas pela Anistia Internacional. Se os dados reais puderem ser consolidados (com números possivelmente superiores aos constatados até agora) e caso o regime venezuelano se prolongue pelos mesmos 7 anos que durou o regime argentino em questão, mantendo a mesma média de assassinatos extrajudiciais verificada pela Anistia Internacional no período abrangido pelo relatório recém-lançado, é tristemente plausível que Caracas consiga superar o terrível recorde mortífero de Buenos Aires.

CHILE
Levantamentos feitos por diversas organizações chilenas e estrangeiras estimam que o regime ditatorial de Augusto Pinochet (1973-1990) deixou no país em torno de 3.000 a 3.500 mortos e desaparecidos ao longo daqueles 17 anos. Sem que isto justifique de maneira alguma qualquer uma dessas mortes em quantidade ainda assim brutal, não deixa de ser imperativo constatar que se trata de menos da metade do total de pessoas assassinadas pelo Estado venezuelano em 2 anos e meio.

* * *

A comparação entre os números indignantes desses quatro países irmãos não pretende relativizar a gravidade dos assassinatos perpetrados pelos regimes autoritários/ditatoriais de um passado não tão distante no Brasil, na Argentina e no Chile.

Pretende, isto sim, questionar a relativização dos assassinatos perpetrados pelo regime ditatorial da Venezuela neste preciso instante, debaixo dos nossos narizes.”

Fonte: Aleteia.

E agora, José?

Responder

    Elena

    22 de setembro de 2018 às 08h26

    Interessante, mas e a Argentina hoje, está uma maravilha não é? Com uma taxa de 60% e uma dívida que acaba de contrair junto ao FMI de US$ 50 bilhões que vai comprometer gerações de argentinos, vc não fala nada? Sem falar nos saques ao comércio que está acontecendo todos os dias…. Macri, com o seu neoliberaismo, está levando o país para o buraco e o Brasil irá pelo mesmo caminho, dependendo de quem ganhar essas eleições. Acorda!!!!

    Responder

      Elena

      22 de setembro de 2018 às 08h31

      Correção: ….. estão acontecendo todos os dias.

      Responder

      Paulo

      22 de setembro de 2018 às 10h08

      Acordei, Elena! Olha, se não fosse por questões humanitárias e por interesses comerciais (Brasil e Argentina são parceiros comerciais), eu diria a você que eu quero que aos marrentinos se danem! Mas não é isso que está em discussão, e sim assassinatos de Estado. Não dá pra apoiar regimes ditatoriais, Elena, acorda!

      Responder

          Paulo

          22 de setembro de 2018 às 17h21

          Parei em “O Legislativo declarou guerra ao Executivo e foi colocado fora da lei pelo Judiciário, diante da recusa da liderança da MUD em aceitar a impugnação de três deputados por conta de fraudes na eleição de 2015”. E segue a narrativa “bolivariana”…não muito diferente da que temos por aqui, entre os petistas.

          Responder

          André Romero

          22 de setembro de 2018 às 17h48

          Você só traz para discussão panfletos de propaganda e se recusa a contra argumentar os pontos que os críticos do PT colocam. Isso não tem valor algum, Elena.

          Responder

Robson Bonelli

21 de setembro de 2018 às 20h55

“Se a Globo for a favor, somos contra. Se a Globo for contra, somos a favor”
Leonel Brizola.
E aí não é que eu vejo o Cirão de perfil na revista Época. Sei não. Sei não.
Aí tem.
Será que na semana que vem Cirão sai na Veja, de frente, corpo inteiro e com a tecla verde “confirma”?
Aí, aí, aí.

Responder

    Adam Smith Comuna

    21 de setembro de 2018 às 21h26

    Brizola apoiou Ciro em 2002, última eleição que presenciou.

    Brizola chamou Lula de neoliberal.

    Brizola saiu do governo Lula em 2003, falando que estava parecido com o de FHC.

    Responder

      NeoTupi

      22 de setembro de 2018 às 17h53

      Mas Ciro continuou no governo Lula. Apoiou a reeleição em 2006. Apoiou Dilma em 2010 e 2014 e na luta contra o impeachment. Indicou o ministro-chefe da secretaria dos portos nos governos Lula 2 e Dilma 1.
      Tá meio incoerente esse seu argumento.

      Responder

Edmundo Adorno

21 de setembro de 2018 às 20h54

Esse O cafezinho e o Conversa Afiada estão fazendo jornalismo dentro da margem de erro.
Não contava que a dinâmica dos meios de comunicação modernos, fossem parir tal modalidade.

Responder

giorgio xenofonte

21 de setembro de 2018 às 20h24

Torce, Miguel, torce… pena que não vai dar para os Ciristas :D

Responder

Marcos Carvalho

21 de setembro de 2018 às 20h18

Enfermeira grava áudio de Bolsonaro falando merda:
https://www.youtube.com/watch?time_continue=62&v=H2lN9CJUiEE

Responder

Nostradamus ( banquinho & bacia )

21 de setembro de 2018 às 20h02

Não é uma verdadeira fruta afrodisíaca oferecida pelo Miguel aos ciristas : ” desgaste que o PT inevitavelmente tem pelos 13 anos de governo ” ? Outra fruta afrodisíaca… Ciro é leve… !!!

Responder

    André Romero

    21 de setembro de 2018 às 20h11

    Comparação infeliz e patrulhamento indevido, Nostradamus. O Miguel apenas pontuou o óbvio.
    Por que vocês não debatem as coisas com coragem e argumentos, ao invés de ficar somente na hipocrisia?

    Responder

André Romero

21 de setembro de 2018 às 19h36

Difícil ler a opinião de alguns teleguiados aqui e ainda manter o sangue frio. Tento me lembrar que deveríamos estar todos juntos num 2o turno.
Os petistas tem de ter muita cara de pau para dizer que Ciro está ‘pipocando’, quando o PT teve uma década e meia para promover mudanças ao menos no monopólio dessa turma mas preferiu integrar a Globo e outras no grande acordo de compadres que foram os seus governos.
Se preferiram agir assim é problema deles. Mas então não me venham agora com mais essa velhacaria marota de dizer que Ciro está “cooptando” com a Globo, só porque essa não quer de jeito nenhum nem o PT, nem o nazista e no desespero é capaz de promover qualquer um contra esses dois. Isso é um síntese da hipocrisia e da desonestidade da propaganda petista, que não se cansa de reproduzir (uma vez mais) exatamente tudo que criticam de seus adversários.
Antes até de ter senso crítico, tenha senso de ridículo.

Responder

Francisco

21 de setembro de 2018 às 18h41

É melhor Ciro cair fora da “terceira fria” e ir para o acostamento enquanto é tempo.
Confiram o que escreve o ponderado repórter Ricardo Kotscho, patrimônio do jornalismo brasileiro, em seu blog, em artigo relativo a nova pesquisa do “Poder 360”.

“(…) Depois de apostar em Luciano Huck, Joaquim Barbosa, Geraldo Alckmin, Marina Silva e até Jair Bolsonaro, parece que agora o establishment e a grande mídia estão jogando suas fichas em Ciro Gomes, para impedir a quinta vitória consecutiva de Lula e do PT. Qualquer um serve, como sabemos.”

Responder

    Elena

    21 de setembro de 2018 às 19h16

    Pois é, até a Globo agora está enxergando a terceira via em Ciro. Quem diria, Ciro o candidato da Globo! É de chorar…..

    Responder

    André Romero

    21 de setembro de 2018 às 19h42

    Não seja leviano, filho.
    O “jornalista isento” a que você se refere foi Secretário de Imprensa do governo do PT e tem posição política assumida. O PT nunca tomou qualquer medida contra a Globo em quase uma década e meia e agora vocês insistem nesse papinho? A hipocrisia de vocês chega a ser inacreditável.

    Responder

Paulo

21 de setembro de 2018 às 18h33

Incrível como os frequentadores deste Blog se digladiam em torno de Haddad x Ciro. Aliás, e essa notícia requentada sobre “esquemas de corrupção no Ceará envolvendo a família Gomes”? A quem interessaria?

Responder

Nilson Moura Messias

21 de setembro de 2018 às 17h47

Somente no “ocafezinho” Ciro, vai ao segundo turno. Miguel do Rosário e Gilmar Mendes, têm o mesmo caráter, não abandona amigo na estrada. Agora na companhia de Merval Pereira.

Responder

Nilson Messias

21 de setembro de 2018 às 17h45

Somente no “ocafezinho” Ciro Gomes vai ao segundo. Miguel do Rosário e Gilmar Mendes, têm o mesmo caráter, não abandona amigo na estrada. Ainda mais na companhia de Merval Pereira.

Responder

hocuspocus

21 de setembro de 2018 às 17h16

Estamos perdendo o equilibrio,a direita atirou um osso ( as paqueras mutuas ciro/globo ) e estamos batendo de frente uns com outros.
Se levando em conta o pasado recente ,a mídia perdeu a máscara e mostrou a sua aberrante cara cheia de armações e manipulação.Por que agora que eles CONTRATAM PESQUISAS ,ELES SÃO CONFIÁVEIS ?????
ELES CONTINUAM FAZENDO O MESMO JOGO QUE VÊM FAZENDO.
Pesquisas são só uma falsa imagem momentánea que qualifica por meio de 8.500 pessoas(a maioria delas)a um universo de mais de 100 milhões.( quanto menor a amostra ,maior a margem de erro).
Se a isso agregamos o interesse em manipular os números a seu favor por parte do contratante,temos um enorme saco de LIXO.
E HOJE ESTAMOS A NOS CONFONTAR POR DADOS FORNECIDOS PELO GRUPO FOLHA !!!!!!!!!
PATÉTICO.

Responder

    Erismar

    21 de setembro de 2018 às 18h33

    Tenho dito que o segundo turno será entre Haddad13 e Ciro.
    Vai ser, antes de qualquer coisa uma derrota monumental do golpe… Até ai só vejo motivos para comemorar!
    Como eleitor de Haddad13 não abro nem pro trem, mas, militante do campo progressista aposto neste quadro. Não tivesse restrições e dúvidas em relação a Ciro, certamente eu seria eleitor dele, haverá o momento de fazermos este debate e espero participar com maturidade.
    Por outro lado, temos que ter a coragem de fazer o debate profundo entre progressistas de campos distintos e começar encontrar equilíbrio na emissão de nossos posicionamentos é um imperativo.
    Ciro e globo juntos pode até ter ser!, mas apontar isso agora, com uma capa de revista e acenos mais da globo do que do Ciro é deixar o debate raso…
    Deixa os progressistas crescerem, cabe dois no segundo turno!

    Responder

    André Romero

    21 de setembro de 2018 às 19h50

    Seu comentário é malicioso e falacioso, Hocus.
    Sugere uma “união” aqui, porém insiste marotamente em dar destaque a uma mentira. Não há paquera alguma de Ciro com a Globo e você sabe disso. Ela quer promover qualquer um que possa derrotar os dois da frente. Não transforme isso numa propaganda desonesta.
    E se essa pesquisa do Datafolha é falsa, apesar de extremamente detalhada, isso é um ponto a conferir mais a frente. Não é a sua retórica ou a minha que vão sacramentar um juízo sobre ela.

    Responder

Alex

21 de setembro de 2018 às 16h18

Pesquisa Datapoder Bolsonaro 26, Haddad 22, Ciro 14, Alckmin 6, Marina 4.

Responder

    NeoTupi

    21 de setembro de 2018 às 16h55

    E é pesquisa telefônica que sempre surrupia pontos do Haddad.
    Mas confirma a tendência do que venho falando. Ciro só tem chance na classe média conservadora com queda de Bozo. Haddad vai estar no segundo turno porque é candidato do lulismo que o povo quer.

    Responder

      Alex

      21 de setembro de 2018 às 17h09

      Eu acho que o próximo Ibope pode dar números parecidos a esses. So não acontecerá, se Ciro tiver uma reação meteórica no Ibope. Coisa que a tendencia do Ibope não indicava nos estados.

      Responder

        Damião Bonfim

        21 de setembro de 2018 às 17h45

        Pesquisa publicada pelo 247. Mas no site do DataPoder360, não há pesquisa nova publicada (estranho).

        Responder

          Paulo Figueira

          21 de setembro de 2018 às 19h08

          Foi divulgada só para assinantes, logo estará disponível para todos.

          Responder

    Alexandre Neres

    21 de setembro de 2018 às 17h13

    Não adianta. No Cafezinho, critica-se pesquisas pagas por centrais sindicais e elogia-se a de bancos, pouco importando se há um conflito ético, se há volatilidade na bolsa, se alguém ganha dinheiro com isso. Só se discute por aqui o Datafalha, um ponto fora da curva. Congelou-se esse momento e pronto. E ainda tem comentarista falando em imparcialidade. Que se lasque a pesquisa do Datapoder 360, na qual há empate técnico entre o coiso e Andrade.

    Responder

NeoTupi

21 de setembro de 2018 às 16h13

Acho que sua análise força um pouco a mão, brigando com a realidade e, pior, não vendo o cavalo encilhado passar.
Ignora 3 indicadores fundamentais dentro do próprio Datafolha:
1) “entre os eleitores de ensino fundamental, 47% disseram que votariam com certeza no candidato indicado pelo ex-presidente Lula, mas 49% ainda não sabem que Haddad é o candidato de Lula”.
2) no grupo dos que ganham menos de dois salários mínimos, 40% ainda não sabem que Haddad é Lula (45% votariam no indicado por Lula com certeza)
3) Haddad é o menos conhecido. 26% dos eleitores disseram não conhecer o petista e outros 27% “só de ouvir falar”, soma de 53%.

Isso sem contar no Nordeste. Na Bahia, Rui Costa tem 60% de intenções de votos, e Haddad ainda está com 33% em outras pesquisas. Mesmo em Minas, só o ainda incipiente conhecimento do eleitor explica Haddad ter só metade dos votos de Pimentel.

Lendo estes 3 indicadores, é claro que Haddad vai chegar acima dos 20% muito em breve. Ciro não tem nenhum indicador com potencial de crescimento como estes.

Mas esses indicadores de Haddad trazem uma esperança para Ciro. Haddad vai tirar um pouco de votos do Bozo entre os eleitores do segmento dos itens 1 e 2 acima, onde Bozo lidera sem Lula. Bozo pode começar a oscilar para baixo e começar a cair, abrindo caminho para o eleitor anti buscar outro candidato que leve o anti à vitória no segundo turno. É esse o cavalo que está passando encilhado para o Ciro, mas ele precisa focar no confronto ao Bozo na economia que afeta o orçamento doméstico da classe média.

Responder

João

21 de setembro de 2018 às 16h10

Você é um mau caráter, um CANALHA.

DEIXA DE SER PILANTRA E SE DÊ O RESPEITO, VAGABUNDO!

Esse CAFEZINHO é um picareta, um farsante do PIG, tentando se passar por blogueiro independente.

queimou geral!

Responder

    Miguel do Rosário

    21 de setembro de 2018 às 18h27

    você está sendo pago para me acusar levianamente?

    Responder

      Marcos Batista

      22 de setembro de 2018 às 05h20

      Eu posso acreditar que o Miguel possua alguma preferência pelo Ciro, aliás, alago absolutamente legítimo. Eu posso discordar das suas análises, coisa que realmente discordo, pois para mim a estratégia de Lula foi brilhante, ao menos até agora. Mas nunca insultar da forma como li aqui. Esse é típico comportamento dos camisas pretas do Bolsonazi!

      Responder

        Alan Cepile

        22 de setembro de 2018 às 13h18

        Os que reclamam não saem daqui, batem cartão em todos os tópicos.

        Sem mais meritíssimo.

        Responder

        maria do carmo

        23 de setembro de 2018 às 01h58

        Prezado Marcos Batista concordo o respeito e primordial!

        Responder

      Josa

      23 de setembro de 2018 às 15h56

      Miguel, Miguel você se pintou

      Responder

João Ostral

21 de setembro de 2018 às 15h54

Nem a pau, Juvenal. Ciro já era. Haddad tem Lula, portanto reserva de votos. Ele só cresce a medida que sabem que Lula é Haddad, Haddad é Lula. Ciro está sendo promovido pelos golpistas.

Responder

    João Ostral

    21 de setembro de 2018 às 15h58

    Quem sobe desce, quem está estagnado sobe. Esta é a narrativa dos golpistas. Até tu, Miguelito?

    Responder

Josa

21 de setembro de 2018 às 15h51

Miguel Fernando Brito,Brizolista de primeira linha não entrou na de Cyro,

Responder

    André Romero

    21 de setembro de 2018 às 16h30

    Isso aí para mim é mais outra empulhação. Considero uma vergonha e uma ofensa usar o nome dos artigos e o do próprio Brizola, líder que sempre foi torpedeado pela propaganda petista, no seu site que só se presta a fazer panfletagem do PT.

    Responder

      Ricardo JC

      21 de setembro de 2018 às 22h35

      Amigo, o Fernando Brito acompanhou o Brizola durante décadas. Eram extremmente próximos e a relação entre eles ia muito além daquela normalmente existente entre assessor de imprensa e político. Eu aceito tranquilamente que você (e o Miguel também) se posicione a favor do Ciro. O jogo democrático é assim. Entretanto, desprezar que o PT sempre foi a referência do campo progressista no país e que, por isso, é natural que os mais calejados se reunam em volta do partido em uma eleição com as caractrísticas desta é simplesmente fechar os olhos para a realidade. O Brito tem tanto direito de apoiar o Hadad quanto o Miguel tem de apoiar o Ciro. E olha que o blog dele não chega nem perto deste aqui em matéria de puxar a brasa para a prórpria sardinha.

      Responder

        Spinoza

        21 de setembro de 2018 às 23h01

        Brizola já chamou Lula de neoliberal, disse que seu governo era muito semelhante ao de FHC.

        Na sua ultima eleição vivo,2002, Brizola apoiou Ciro no primeiro turno,

        Brizola tirou o PDT do governo Lula em um dos seus ultimos atos politicos.

        Responder

        André Romero

        21 de setembro de 2018 às 23h26

        Tirando o direito do cara de defender quem ele quiser, o que eu concordo, discordo de todo o resto de seu post.
        Primeiro porque eu não acho (há muitos anos) o PT referência válida no campo progressista. Questão de opinião, por tudo que praticou quando teve a oportunidade de fazê-lo. Para mim e para muitos, o PT virou um partido qualquer, que só faz populismo de esquerda e que só se presta a desmoralizar uma corrente de pensamento. E que vai cooptar novamente, se voltar ao governo.
        Em segundo, me perdoe, soa como uma piada dizer que aqui a parcialidade é maior do que lá. Conte as matérias do Miguel e compare com as de lá. Lá, as matérias se dividem em dois grupos: ou são para fazer proselitismo de Lula/PT/Haddad, ou são para atacar os inimigos do PT. Tirando uma nota absolutamente neutra há alguns dias sobre o tal xingamento ao reporter, não publica uma mísera linha a favor de Ciro, a não ser para criticá-lo, quando esse declara ou faz algo que desagrade o PT. Veja se Miguel faz o mesmo, em relação à Haddad.

        Responder

Francisco

21 de setembro de 2018 às 15h46

A espertezas de Ciro, mais uma vez deixam-no com o rabo de fora, ao mostrar que há tempos ‘alinhava’ a possibilidade de vir a ser o candidato apoiado por Marinhos e o que representam, com tudo que isso implica, ao criteriosamente proferir o tal ‘controle remoto’, há bom tempo, como medida para resolver o gravíssimo problema político do monopólio da mídia no Brasil, previsto e não regulamentado, na Constituição, conforme em vigor nos países efetivamente democráticos pelo mundo.

Como a esperteza de contar com os votos petistas por gravidade, ao apostar no ostracismo e na fraqueza de ‘Lula preso’, podendo então dedicar-se à colheita junto ao ‘Centrão’, que custou-lhe as pernas, quer no ‘Lula Preso, quer no ‘Centrão’, agora revela a esperteza de porque escolheu, como futura justificativa e escudo, para quando viesse a ser cobrado, o mesmo nominativo utilizado por Dilma, ‘controle remoto’, para tal ‘política’, mostrando o agora candidato ‘terceira via global’ os verdadeiros propósitos que o norteiam, desde sempre, e que acabarão por quebrar-lhe também os braços, tirando-lhe em definitivo do ‘jogo’.

Triste fim!

Responder

Alex

21 de setembro de 2018 às 15h45

Parece que hoje ainda vai sair a pesquisa Datapoder. No mercado financeiro já teria vazado, não estão aceitando os números, já que não é o que eles querem kkkkkkk

Responder

Maurício Rubem

21 de setembro de 2018 às 15h36

Caro Miguel, sou assinante do cafézinho, mas está pegando mal a sua torcida por Ciro !
Nada contra apoiar o candidato !
Entretanto, todas as vezes que o dia que a pesquisa do ‘mercado”, do itaúuuu, foi publicada fizeste matéria sobre a mesma.
Hoje, essa pesquisa foi publicada, dando conta que Haddad passou batido pelo Ciro, nenhuma palavra !
Deixaste de comentar política para torcer?

Responder

NeoTupi

21 de setembro de 2018 às 15h25

Até entendo que ganhar uma capa branquinha na Época tem seu preço a pagar. Mas depois do golpe e do entreguismo visto, é obrigação de qualquer candidatura progressista ter no programa de governo mexer no oligopólio da mídia. Se depois não tiver voto no congresso para mexer a fundo, paciência. Pelo menos deixa uma espada na cabeça da Globo o tempo todo, sinaliza ao povo que a Globo é uma ameça à democracia, à soberania nacional e à prosperidade popular.

Responder

Alan Cepile

21 de setembro de 2018 às 15h09

Prevejo uma choradeira sem fim nesse tópico…

CIRO 12

Responder

    André Romero

    21 de setembro de 2018 às 20h15

    Não é só choradeira não, Alan. Certa ou errada, eles estão nitidamente perturbados com o resultado do Datafolha e do potencial que a pesquisa traz. E estão partindo para os ataques. Só vêm pedir união quando acham que o candidato deles está na frente.

    Responder

Mané

21 de setembro de 2018 às 15h09

…no entanto Ciro ,¨vira¨capa da Época , na reta final do Grand Prêmio???!!! kkkkkkk…voces acham mesmo que vai mudar alguma coisa? Ou é a Globo fatiando a esquerda?

Responder

Jandui Tupinambás

21 de setembro de 2018 às 15h07

Agora sim, esta manchete foi excelente!!!!

Data folha traz Ciro de volta ao jogo!

Data Folha, sim. Mas o povo já o jogou de escanteio….

Responder

paulo josé

21 de setembro de 2018 às 14h37

Em debate, Ciro deixa claro que não Lei de Mídias não é pauta de seu programa, achei interessante isso, justo no momento em que a Globo tenta a todo custo inflar-lhe a campanha num gesto de desespero

Responder

    Miguel do Rosário

    21 de setembro de 2018 às 14h50

    O plano é cortar o cabo submarino que liga os cofres públicos à Globo, coisa que o PT, infelizmente, nunca fez.

    O plano de Ciro me parece muito mais pragmático e simples do que esse que o PT inventou para iludir a militância petista ingênua.

    O plano dele, pelo que entendi, é acabar com a mídia técnica e distribuir a verba federal de publicidade para mídia alternativa. Ao invés de masturbação ideológica eterna em torno da “regulamentação da mídia”, conceito que o povo não entende o que é, nem nunca vai entender, investimos energia em coisas muito mais objetivas e consequentes: cortar a torneira pública da Globo, e distribuir os recursos para a mídia independente.

    Isso o povo vai entender.

    Responder

      Jandui Tupinambás

      21 de setembro de 2018 às 15h05

      Entrando pra turma do FHC “Esqueçam o que eu escrevi”?

      https://www.brasildefato.com.br/node/13481/

      Responder

      Alan Cepile

      21 de setembro de 2018 às 15h12

      Em qual governo mesmo a Globo teve sua concessão renovada??

      Hum…

      Responder

      Francisco

      21 de setembro de 2018 às 15h29

      Fala sério, Miguel, até parece que nunca ouviu falar em governo Lula e Franklin Martins.
      Até onde pretende avançar nesse ‘precipíciro’.
      Acorda, ‘controle remoto’ e Ciro não rimam, apenas revelam os planejados propósitos mais recônditos da esperteza ‘egociriana’, que derrota-o pela terceira e última vez.

      Responder

      Luis Campinas

      21 de setembro de 2018 às 16h06

      ” fez para iludir a militância” Miguel? Tem certeza que estás bem?

      Responder

      João Ostral

      21 de setembro de 2018 às 16h09

      O PT cometeu muitos erros, e realmente este foi um muito sério. Será que não aprendeu? Será que o Brasil não aprendeu? O Ciro é progressista, é democrático, é nacionalista, tem preocupação com o Brasil e com seu povo. Nada contra o Ciro. Mas o que aponta a lógica eleitoral é Lula-Haddad. E quanto maior o desespero da globosta, mais eu creio nisto. Tanto que a própria globosta está a promove-lo na disputa eleitoral. Já dizia o Brizola nos bons tempos, ” Se vocês estiverem para decidir algo importante na vida, atentem: Se a globo for a favor, nós somos contra, de for contra , somos a favor.”

      Responder

      Nostradamus ( banquinho & bacia )

      21 de setembro de 2018 às 16h41

      O Ciro, em que pese o Miguel ficar furioso conosco, não vai acabar com nada nadinha simplesmente porque não será presidente eleito. Simples assim.

      Responder

      André Romero

      21 de setembro de 2018 às 18h51

      É isso aí, Miguel.
      Mostre para esses iludidos a realidade e deixem os teleguiados ruminarem os fatos que não conseguem encarar ou dar uma justificativa.
      Esses caras só gostam mesmo é de propaganda.

      Responder

      maria do carmo

      22 de setembro de 2018 às 18h13

      Caro Miguel te admiro, mas eu observei quando do impedimento que voce aceitou fazendo criticas a Dilma eu sabia que era falta de entendimento e pressa no desfecho proprip dos jovens, e agora esta se confirmando e e triste, o estadista Lula foi o melhor presidente do Brasil reconhecido pelos brasileiros com o maior indice de aprovacao admirado e respeitado pelo mundo e bom refletir, pois quem nao sabe ser grato nao tem qualidade alguma, nao esqueca que o estadista Lula tirou o Brasil do mapa da fome e do desemprego e governoupara todos brasileiros de norte a sul, o PT ja deu provas do melhpr governo do Brasil nao sao promessas e realidade! O bom senso prevalecera!

      Responder

      maria do carmo

      22 de setembro de 2018 às 18h18

      Estou aguardando moderacao do meu comentario.

      Responder

    Antonio Passos

    21 de setembro de 2018 às 15h05

    Um candidato que começa a pipocar no tema regulação da mídia, vai ter mesmo muita coragem para cortar o dinheiro da Globo. É o famoso me engana que eu gosto. Essas críticas ao PT, feitas agora em 2018, são muito fáceis de serem feitas. Não me lembro de ter lido ninguém alertar o PT, nos primeiros anos de governo, que estava sendo preparado um golpe de estado. Pelo contrário, todos elogiavam a conciliação proposta por Lula. Querer imputar ao PT agora, a culpa de uma traição feita por uma elite canalha, é injusto e oportunista. É lamentável que, por razões eleitorais, se tente distorcer a história.

    Responder

    Antonio Passos

    21 de setembro de 2018 às 15h07

    Um candidato que começa a pipocar no tema regulação da mídia, vai ter mesmo muita coragem para cortar o dinheiro da Globo. É o famoso me engana que eu gosto. Essas críticas ao PT, feitas agora em 2018, são muito fáceis de serem feitas. Não me lembro de ter lido ninguém alertar o PT, nos primeiros anos de governo, que estava sendo preparado um golpe de estado. Pelo contrário, todos elogiavam a conciliação proposta por Lula. Querer imputar ao PT agora, a culpa de uma traição feita por uma elite canalha, é injusto e oportunista.

    Responder

      Claudio

      21 de setembro de 2018 às 17h14

      Miguel, a razão porque Ciro não vai para o segundo turno é porque ele joga em dois times ao mesmo tempo: ora ele tá no campo da Esquerda ora no da Direita fajuta, onde ele recebe claramente apoio dos Marinho. Veja a matéria da Época. Dessa forma, o eleitor de Ciro fica confuso.

      Responder

Deixe uma resposta

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com