Haddad no Ceará, ao vivo

Entrevista de Lilia Schwarcz para o Fluxo/Córtex

Por Redação

09 de fevereiro de 2019 : 00h35

A entrevista é de dezembro de 2018. Mas permanece muito atual.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

2 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Paulo

09 de fevereiro de 2019 às 12h26

Bela entrevista, só disse verdades. Mas, não deixa de ser curioso o “merchan” na parte final, rs…e, de outro lado, a Lilia não deixa de ser parte integrante que ajuda na sustentação da própria realidade que ela condena. A elite agrária não se via como racista; e a elite intelectual não se vê como elitista. Imagino ela em Nova Iorque, passeando em alguns endereços da moda. “Eu sou burguês, mas eu sou artista” (e, portanto, estou indulgenciado), já diria um cantor brasileiro, rs…

Responder

    Atineli

    10 de fevereiro de 2019 às 00h03

    Estranho vc falar isso. Li uns dois livros dela, mas foi a primeira vez q a vi numa entrevista. De fato ela é bem eletista e parece não se dar conta. Uma colega negra um dia contou-me q ela havia sido fortemente criticada por alunos negros durante uma aula na USP onde o assunto eram as cotas. Não lembro muito bem dos detalhes. Apesar de tudo, é uma historiadora de primeira qualidade e autora de obras excelentes.

    Responder

Deixe uma resposta