Comentários sobre o áudio vazado de André Esteves (BTG Pactual)

O golpe de Bolsonaro na organização sindical

Por Redação

07 de março de 2019 : 15h25

Abaixo, texto publicado no site da CUT, trazendo nota assinada por todas as centrais sindicais do país.

MP de Bolsonaro é um grave ataque ao direito de organização dos trabalhadores

Em nota, centrais sindicais afirmam que MP ataca o princípio da liberdade e autonomia sindical e alertam: medida não altera o desconto em folha de pagamento das mensalidades associativas e outras contribuições

Depois de reunião realizada na manhã desta quinta-feira (7), em São Paulo, a CUT e demais centrais sindicais divulgaram nota repudiando a edição da Medida Provisória MP 873, que dificulta o financiamento das entidades de classe.

A nota alerta que a medida não altera o desconto das mensalidades e outras contribuições em folha de pagamento e afirma que os empregadores que não efetuarem os descontos estarão cometendo ilegalidade e sofrerão as consequências jurídicas e políticas dos seus atos.

“As centrais sindicais denunciarão o governo brasileiro na Organização Internacional do Trabalho (OIT) e demais organismos internacionais por práticas antissindicais”, diz trecho da nota.

Veja a íntegra da nota

Nota das centrais sindicais sobre a edição da MP 873

A edição da MP 873 pelo presidente Bolsonaro é um grave ataque contra o princípio da liberdade e autonomia sindical e o direito de organização dos trabalhadores, dificultando o financiamento das entidades de classe, no momento em que cresce no seio da classe trabalhadora e do conjunto da sociedade a resistência ao corte de direitos de aposentadoria e previdenciários em marcha com a apresentação da proposta de Reforma da Previdência que já tramita no Congresso Nacional.

As centrais sindicais, os sindicatos, federações e confederações de trabalhadores tomarão todas as medidas de caráter legal e junto ao Congresso Nacional, as bancadas dos partidos políticos, e mobilizações para derrotar a MP 873 e os ataques contra o movimento sindical, que também são ataques contra a democracia brasileira duramente conquistada.

Reunidas em São Paulo nesta data, as centrais sindicais orientam que:

– A MP 873 não altera o desconto em folha de pagamento das mensalidades associativas e outras contribuições constantes nas Convenções e Acordos Coletivos aprovados em assembleias;

– Os empregadores que não efetivarem os referidos descontos, além da ilegalidade, incorrerão em práticas antissindicais e sofrerão as consequências jurídicas e políticas dos seus atos;

– As centrais sindicais denunciarão o governo brasileiro na Organização Internacional do Trabalho (OIT) e demais organismos internacionais por práticas antissindicais;

– O coletivo jurídico das centrais sindicais construirá estratégias unitárias para orientar seus filiados e recomenda que nenhuma medida jurídica relativa à MP 873 seja tomada individualmente.

É oportuno reforçar que as centrais sindicais e o conjunto do movimento sindical já convocaram, para o dia 22 de março próximo, o Dia Nacional de Lutas contra o fim das Aposentadorias e por uma Previdência Social Pública, quando serão realizados atos públicos, greves, paralisações e mobilizações contra o projeto da reforma da previdência do presidente Bolsonaro, um processo de mobilização crescente dos trabalhadores e da sociedade civil em defesa dos seus direitos sociais, econômicos, de aposentadoria e previdenciários.

São Paulo, 7 de março de 2019.

Vagner Freitas – Presidente da CUT

Miguel Torres – Presidente da Força Sindical

Adilson Araújo – Presidente da CTB

Ricardo Patah – Presidente da UGT

José Calixto Ramos – Presidente da NCST

Antonio Neto – Presidente da CSB

Ubiraci Dantas de Oliveira – Presidente da CGTB

Atnágoras Lopes – Executiva Nacional da CSP-Conlutas

Edson Carneiro Índio – Secretário-geral da Intersindical

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

36 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

LUPE

08 de março de 2019 às 13h11

Caros Leitores
Bolsonaro tira o Ministério do Trabalho
Tira a Justiça do Trabalho.
Agora quer acabar com os sindicatos.
E outros ataques ao trabalhador.
Veio para melhorar a vida das pessoas
ou veio para destruir a vida das pessoas,
como querem nossos inimigos?
Povo massacrado
é povo incapaz de reagir contra os roubos,
saques e pilhagens a que o Brasil e os brasileiros são submetidos constantemente.
E a Grande Mídia quieta, não comenta, silencia,
não noticia esses saques e pilhagens.
Será que a Grande Mídia é cúmplice,
trabalha e serve aos nossos inimigos?

Responder

lucio

08 de março de 2019 às 07h05

bolsonaro falou que se os brasileiros querem trabalho vao ter que renunciar aos “direitos”. no plano economico da campanha (eu li tudo) tem um simpatico projeito de cancelamento da CLT por acordo “voluntario” entre patrao e empregado.
bolsonaro quer acabar com a classe trabalhadora e por isto usa certos “defeitos” da organizaçao sindical. é a classica estrategia de jogar fora o bebé junto com a agua suja.
a mesma cosa que fizeram com a lavajato (cujo objetivo sempre foi acabar com a economia do pais a beneficio dos EUA)

Responder

    Roque

    08 de março de 2019 às 08h40

    Tadinha dela, tá chateada por que a maioria dos comentários é contra os sindicatos, buá buá buá buá… Luque pelego militonto, acorda cara, somente os alienados ainda defendem esta corja de bandidos travestidos de sindicalistas honestos. Basta olhar para a cara daquele safado presidente da cut, para perceber que ele é um bandido. E os outros então? Tá sozinho na empreitada de defender estes larápios aqui no Cafezinho? kkkk, Vá para o 247, tijolaço, dcm, blog da cidadania e outros sites pixulequentos. Lá vc pode babar a vontade nos bagos de bandidos da laia destes safados. Vira homem e pare de ficar choramingando

    Responder

      LUPE

      08 de março de 2019 às 13h01

      Caros leitores
      Alerto e digo que é fácil reconhecer
      os “comentaristas” que vêm ao Cafezinho
      pagos em dólares pelos patrões deles.
      Patrões que são os nossos INIMIGOS
      que nos roubam nossas riquezas
      sob os auspícios do silêncio da Grande Mídia
      que com eles colabora.
      Basta observar em seus “comentários”
      a SORDIDEZ sordidez,
      o não dizer coisa com coisa,
      o esforço em desviar raciocínios
      do que é tratado,
      ou o só NÃO DIZER NADA inteligível

      Responder

        Roque

        08 de março de 2019 às 14h18

        Buá buá buá buá, a grande mídia é covarde…. kkkkkkkkkkkk. Vira homem mané, larga de ser vaca de presépio de políticos bandidos.

        Responder

Jorge

08 de março de 2019 às 06h53

Sindicatos no Brasil precisam de uma refórma séria e profunda. A porcentagem de trabalhadores que acreditam na instuicao é baixissima.
A sensacao é que arealemente só existem para arrecadar a contribuicao anual.
Na opiniao um sindicato deveria ser composto por funcionarios da propria empresa, eleitos anualmente pelos funcionarios.

Responder

LUPE

08 de março de 2019 às 01h08

Caro Miguel editor e dono do Cafezinho Rosário/
Me desculpe, mas, parece que o Cafezinho é um engodo.
Publica o artigo e deixa que uma enxurrada de “comentaristas”
notórios agentes dos nossos inimigos ,
a serviço de nosssos inimigos,
entrem rápida e prontamente EM CONJUNTO
em ação para anular / neutralizar a denúncia do artigo publicado.
>>>>>>>>>>>>>>>> No caso, aqui,
mais um crime contra os trabalhadores e assalariados
DE QUALQUER NÍVEL DE SALÁRIO.
Esses “comentaristas” sÃO OS MANJADOS agentes do inimigo
>>>>>>>>>>>> lULA rÁPIO
>>>>>>>>>>>>> Gustavo
>>>>>>>>>>> Sérgio Araújp
>>>>>>>>>>>>> Justiceiro
>>>>>>>>>>> Alexandre
etc.
É uma quadrilha (ou um só)
agindo como tsunami do Mal do Mal,
não há como argumentar civilizadamente contra eles.
Eles vêm em enxurrada,
e têm a técnica da desinformação,
do dessvio do raciocínio,
da desconstrução do que é informado.
Desculpe, mas, o Cafezinho, agindo desta maneira,
acende uma vela para deus, para a causa do Bem ,
publicando artigos para denunciar o Mal com uma mão
e deixa os inimigos apagar a vela co outra.
Desculpe Miguel, mas, qual é a sua?

Responder

    Roque

    08 de março de 2019 às 07h11

    Tadinha dela, tá chateada por que a maioria dos comentários é contra os sindicatos, buá buá buá buá… Luque pelego militonto, acorda cara, somente os alienados ainda defendem esta corja de bandidos travestidos de sindicalistas honestos. Basta olhar para a cara daquele safado presidente da cut, para perceber que ele é um bandido. E os outros então? Tá sozinho na empreitada de defender estes larápios aqui no Cafezinho? kkkk, Vá para o 247, tijolaço, dcm, blog da cidadania e outros sites pixulequentos. Lá vc pode babar a vontade nos bagos de bandidos da laia destes safados. Vira homem e pare de ficar choramingando…

    Responder

      LUPE

      08 de março de 2019 às 12h59

      Caros leitores
      Alerto e digo que é fácil reconhecer
      os “comentaristas” que vêm ao Cafezinho
      pagos em dólares pelos patrões deles.
      Patrões que são os nossos INIMIGOS
      que nos roubam nossas riquezas
      sob os auspícios do silêncio da Grande Mídia
      que com eles colabora.
      Basta observar em seus “comentários”
      a SORDIDEZ sordidez,
      o não dizer coisa com coisa,
      o esforço em desviar raciocínios
      do que é tratado,
      ou o só NÃO DIZER NADA inteligível

      Responder

    Gustavo

    08 de março de 2019 às 14h00

    Caro LUPE,

    É grandeza aqueles que permitem o contraditório se manifeste. Nunca faltei com respeito e sempre ponderei o linguajar. Quem trata os divergentes como inimigos são os ditadores.

    Ao contrário do que você alega, eu me sempre me atenho ao conteúdo dos artigos e coloco meus pontos de vista. Já seus comentários (a exemplo desse) nada contribui com o assunto discutido. São vagos sem fatos, números ou qualquer experiência.

    Considerando que você seja CLT, responda com sinceridade se você realmente acredita no seu sindicato e que ele realmente luta por você. Se sente representado por ele ? Paga o desconto em folha com satisfação ? Se a resposta for sim você acreditaria que é a mesma resposta de todos os assalariados do Brasil ? Compartilhe sua opinião e não apenas a crítica. Agrega muito mais assim

    Responder

      LUPE

      09 de março de 2019 às 14h07

      Caro Gustavo
      Comentários construtivos que possibilitam o debate construtivo é uma coisa.
      O que prolifera no Cafezinho são comentários que não dizem nada construtivo.
      Só ataques desconexos com o assunto em pauta,
      que visam apenas destruir (ainda mais)
      a imagem e a reputação de tudo que diz respeito ao petismo.
      E desviar o raciocínio das pessoas do que está sendo denunciado
      (no caso, o ataque de Bolsonaro aos sindicatos).
      Como eu disse, é só prestar atenção nos “comentários”
      e ver que são agentes pagos em dólares pelos nossos inimigos
      para vir ao Cafezinho fazer ……………
      “comentários”…………

      Responder

        Gustavo

        09 de março de 2019 às 20h44

        Ok mas e aí ? Está satisfeito com seu sindicato ou não ? Sente-se representado ou não ? Paga o desconto em folha feliz da vida ou sente que essa contribuição em nada te ajuda ? É a favor de manter a continuidade do desconto em folha do seu dinheiro ?

        Responder

Lula Rápio

07 de março de 2019 às 22h37

Sindicato virou puxadinho de partido politico. Em troca os lideres sindicais ganham cargos nos governos que ajudaram a eleger. Tem mais é que por fim nessa mamata mesmo!

Responder

Gustavo

07 de março de 2019 às 20h49

Vejo a medida com bons olhos e digo mais: Tomara que o Bolsonaro emplaque a medida para que o trabalhador escolha o sindicato o qual quer contribuir. Não defendendo o energúmeno do Bolsonaro, mas tais medidas vão provocar um efeito de concorrência cujo o consumidor (no caso o trabalhador) sairá ganhando. Quem for sério vai sobreviver e fazer correta gestão dos milionários recursos que contribuição. Quem não for sério será extinto.

De cara deve quebrar as pernas desses tantos sindicatos que existem no Brasil que servem de fachada e vão fazer os sindicatos voltarem às origens, ou seja, defender os direitos do trabalhador e não financiar passeatas, partidos políticos, manifestações que legítimas ou não nada tem a ver com o sindicato, etc.

Quando lembro do Lula e seus apoiadores ocupando o sindicato dos metalúrgicos para fazer churrasco, missa, etc fico pensando se os metalúrgicos concordam que suas contribuições financiassem aquela estadia. Felizmente o confronto não se acirrou a ponto do sindicato ser depredado, pois, certamente a conta iria para os sindicalizados.

Sou empregado CLT e filiado a um sindicato que me cobra 16 reais por mês. Nos dois últimos anos, esse sindicato conseguiu aumentos acima da inflação e negociou excelentes benefícios. Pago com o desconto em folha com prazer e continuarei pagando via boleto com uma grata satisfação.

Responder

Sergio Araujo

07 de março de 2019 às 19h37

Ninguem acreditou quando disse que isso è chamado de “arte”: https://epoca.globo.com/quem-protagoniza-video-compartilhado-por-bolsonaro-23505905

Responder

Justiceiro

07 de março de 2019 às 19h26

Gente. Vejam quantas centrais sindicais tem no Brasil? Fora as Federações, como a FUP, dos petroleiros…fora isso, mais de 16 mil sindicatos espalhados pelo país.

Tem até sindicato dos trabalhadores…em Sindicatos. É serio.

A filha do Roberto Jefferson foi pilhada em falcatruas cobrando 4 milhões por uma Cara Sindical…

Agora, petistas, respondam: quem se atreve a pagar 4 milhões para abrir um sindicato, não é por que o negócio dá dinheiro? Podem receber tanto dos trabalhadores como dos patrões, que compram greve.

Responder

    Sergio Araujo

    07 de março de 2019 às 19h42

    Um tal ed Lulla era mestre anos atràs em vender grèves, o melhor da praça.

    Responder

      LUPE

      08 de março de 2019 às 13h04

      Caros leitores
      Alerto e digo que é fácil reconhecer
      os “comentaristas” que vêm ao Cafezinho
      pagos em dólares pelos patrões deles.
      Patrões que são os nossos INIMIGOS
      que nos roubam nossas riquezas
      sob os auspícios do silêncio da Grande Mídia
      que com eles colabora.
      Basta observar em seus “comentários”
      a SORDIDEZ sordidez,
      o não dizer coisa com coisa,
      o esforço em desviar raciocínios
      do que é tratado,
      ou o só NÃO DIZER NADA inteligível

      Responder

Justiceiro

07 de março de 2019 às 19h01

“– A MP 873 não altera o desconto em folha de pagamento das mensalidades associativas e outras contribuições constantes nas Convenções e Acordos Coletivos aprovados em assembleias;(…).
***********************

Realmente a MP não afeta, e não afeta por que as empresa não podem descontar o dinheiro do trabalhador sem o consentimento deste. Isso está proibido pela Lei Trabalhista, votada e aprovada no Congresso, e sancionada pelo presidente.

A MP veio para acabar com uma sacanagem entre algumas SRTE(antiga DRT) que, burlando a Lei Trabalhista, inventaram que uma simples decisão de assembleia sindical pode autorizar o desconto na folha de todos os empregados, à revelia destes.

Pra que serve uma CUT da vida, que, mesmo no péssimo governo de Dilma, saiu em defesa desta? Milhares de trabalhadores perdendo seus empregos diariamente e o canalha do Vagner Freitas gastando o dinheiro do trabalhador para defender quem os fazia perder o emprego?

FORA, PELEGOS!
VÃO TRABALHAR!

Responder

    Sergio Araujo

    07 de março de 2019 às 19h07

    Isso aì, coisa de bandido.

    Responder

Alan Cepile

07 de março de 2019 às 18h12

Esse assunto é complexo e tem várias facetas tipicamente brasileiras.
Todos sabem da importância mundial dos sindicatos e entidades de classe, inclusive os acordos internacionais da OIT, porém, como quase tudo no Brasil, essa prática foi distorcida com o tempo, e, ao invés de defender os interesses do trabalhador, boa parte dos sindicatos (não sei dizer se maioria ou minoria) passaram a se juntar com os patrões.
Eu precisei do sindicato da minha classe uma vez, estava desconfiando que o empregador estava nos enganando, fui ao sindicato e me deixaram esperando mais de hora pra ver se eu iria embora, como não fui me atenderam e só fizeram me enrolar, e eu logo entendi o que estava acontecendo, estavam protegendo o patrão.
Minha esposa é professora e uma vez tomou calote de 3 escolas num mesmo ano, fecharam e não pagaram os professores. Sabe o que o sindicato dos professores fez? Nada! Ficaram enrolando e diziam que era difícil pegar os empresários pq eles não tinham nada no nome deles. Isso é lá justificativa???
E outra, o povo não se vê representado pelas centrais sindicais. Eu moro numa capital, e sempre que havia protesto de alguma coisa organizado pelas centrais, só iam as pessoas ligadas à estas, do povo mesmo não ia ninguém, só os que eram pagos pelo PT que obviamente eram poucos pra causar algum impacto.
Eu cheguei a conclusão que, NO BRASIL, os sindicatos servem pra muito pouca coisa, e não conseguiram nada pro povo nessa lei trabalhista do capeta, então com eles ou sem eles, é a mesma coisa.

Responder

    Sergio Araujo

    07 de março de 2019 às 18h39

    Boa Alanzinho !!

    Nào se interessam porque sabem que a contribuiçào è obrigatoria e nunca faltarà dinheiro.

    Os sindicatos tinham um sentido 30/40 anos atràs, hoje sào completamente inuteis, servem sò para a politica.

    Responder

      Alan Cepile

      07 de março de 2019 às 18h55

      Serviriam se as instituições funcionassem nesse país, mas como aqui nada funciona (seguindo o raciocínio do outro tópico) e tudo acaba sendo distorcido, então pro trabalhador tanto faz.

      Antigamente ir num sindicato parecia que estavamos entrando numa delegacia, se olhássemos pra alguém era capaz de sairmos de lá presos tamanha a marra dos sindicalistas.

      Meu pai mora perto do sindicato dos rodoviários, uma vez teve eleição lá e teve até tiroteio, dois grupos que disputavam o poder deram tiros uns nos outros, um grupo confinado no prédio do sindicato, o outro na rua, ficou marca de tiro na fachada do prédio, só bandido!

      Responder

        Sergio Araujo

        07 de março de 2019 às 19h13

        Se tornou um negocio,

        apoio politico e votos dos operarios em traoca de dinheiro garantido…querer o que mais da vida ??

        Responder

          Alan Cepile

          08 de março de 2019 às 08h51

          Do jeito que estava antes era isso mesmo, um negócio muito bom pros sindicalistas.
          Algo que, originalmente, deveria ser bom pro trabalhador passou a ser contra o povo (tirando raras exceções como o SindiPetro, por exemplo).

Paulo

07 de março de 2019 às 18h06

Dois pontos:

1) O objetivo é de fato enfraquecer o movimento sindical, no esteio do corte de direitos trabalhistas, não vamos nos iludir;

2) Os sindicatos, no Brasil, se acostumaram à mamata do imposto sindical (1 dia de trabalho por ano, descontado do empregado em folha, no mês de março), e, não satisfeitos, passaram a instituir, em assembleias forjadas, novas cobranças a partir da “criação” de neologismos jurídicos como contribuição confederativa, associativa, negocial, etc, para escorchar o trabalhador.

PS: normalmente, para parecerem verdadeiros democratas, esses pelegos (incluindo CUT) instituíram, paralelamente a essas contribuições extraordinárias, o direito de oposição, mas, na prática, o trabalhador que quisesse exercê-lo teria que se submeter a um périplo de providências e “iters” que acabava por inviabilizar o pleno exercício desse direito, incluindo hostilização na própria sede do sindicato, ao tentar protocolar o termo de oposição.

Responder

Sergio Araujo

07 de março de 2019 às 17h46

Sò tem malucos nesse blog…mas esses tais de democraticos serà que sào democraticos tào assim como andam tentando se vender ?

Bah…

Responder

Roque

07 de março de 2019 às 17h45

O mito deu uma paulada na cabeça oca destes sindicalistas bandidos. Mamaram por 16 anos nas tetas do desgoverno petralha. Agora acabou, vão ter que trabalhar de verdade pra ganhar algum dinheiro. Mete a vara sem dó no lombo destes sindicalistas preguiçosos e bandidos. Bolsonaro, o povo e os trabalhadores do Brasil estão do seu lado.

Responder

    Sergio Araujo

    07 de março de 2019 às 18h29

    MST e MTST ou como se chamam, tambèm nào terào mais vòz e principalmente grana de quem trabalha e paga impostos.

    Responder

    LUPE

    08 de março de 2019 às 13h15

    Caros leitores
    Alerto e digo que é fácil reconhecer
    os “comentaristas” que vêm ao Cafezinho
    pagos em dólares pelos patrões deles.
    Patrões que são os nossos INIMIGOS
    que nos roubam nossas riquezas
    sob os auspícios do silêncio da Grande Mídia
    que com eles colabora.
    Basta observar em seus “comentários”
    a SORDIDEZ sordidez,
    o não dizer coisa com coisa,
    o esforço em desviar raciocínios
    do que é tratado,
    ou o só NÃO DIZER NADA inteligível

    Responder

Sérgio Araújo

07 de março de 2019 às 16h01

Grande Jogada,

chega de escravizar os trabalhadores.

Sindicalistas que começem a trabalhar.

Responder

    ari

    07 de março de 2019 às 16h18

    Ou vc não é trabalhador ou é mais um imbecil lutando por seu inimigo.

    Responder

      Alexandre

      07 de março de 2019 às 17h00

      Você, Ari, não é trabalhadora, é só mais um imbecil que se f.o.d.e.u com o fim imposto sindical. Vá trabalhar pelego !

      Responder

        Sergio Araujo

        07 de março de 2019 às 17h57

        Com certeza,

        nesse blog nào tem ninguem que paga imposto sindical obligatorio mas que mandam os trabalhadores pagar e calados tem demais.

        Responder

          Alan Cepile

          08 de março de 2019 às 09h16

          Serginho, a lei mudou, rsrsrsrs….

          Hoje não existe mais essa tal obrigatoriedade, hoje as empresas perguntam aos trabalhadores se eles querem contribuir com o sindicato da sua respectiva classe, e, devido aquilo que conversamos mais acima, os trabalhadores estão optando por não contribuir, daí a choradeira dos sindicalistas.

          Sergio Araujo

          08 de março de 2019 às 09h39

          Eu sei.


Deixe um comentário

Parlamentarismo x Semipresidencialismo: Qual a Diferença? Fernanda Montenegro e Gilberto Gil são Imortais na ABL: Diversidade Auxilio Brasil x Bolsa Família: O que mudou? As Refinarias da Petrobras À Venda pelo Governo Bolsonaro O Brasileiro se acha Rico ou Pobre?