Câmara discute privatização da Eletrobras

Lupi fala sobre a decepção com o voto de Tábata Amaral

Por Redação

11 de julho de 2019 : 15h24

No Jornal O DIA

PDT decide em dois meses se expulsa Tabata Amaral

Em entrevista à coluna, o presidente do PDT diz como tentou demover os deputados rebeldes que votaram a favor da Reforma da Previdência

Por Chico Alves
Publicado às 11/07/2019 10:58:52

O presidente nacional do Partido Democrático Trabalhista, Carlos Lupi, assistiu desolado a atitude de oito deputados da sua legenda que votaram a favor da Reforma da Previdência no plenário da Câmara. Cinco meses antes, a Convenção Nacional pedetista fechou questão contra o projeto de mudança nas aposentadorias. Entre os que desobedeceram, teve maior repercussão o voto de Tabata Amaral (PDT-SP), algo proporcional ao sucesso que a parlamentar fez em seus primeiros seis meses de mandato. Tida como estrela no Congresso por enquadrar dois ministros da Educação, antes cotada para ser candidata do partido à Prefeitura de São Paulo, ela tentou justificar em vídeo a desobediência, mas corre o risco de ser expulsa. “Quando as pessoas acham que elas são mais fortes que as instituições, tem alguma coisa errada”, critica Lupi. Ele explica nessa entrevista a BASE o que vai acontecer aos desobedientes do PDT:

BASE – Como o partido vai encaminhar a questão da Tabata Amaral e dos outros sete deputados que desobedeceram o partido?

Carlos Lupi – Nós temos um processo regulamentado pelo estatuto. Na semana que vem abrimos o processo disciplinar através da Comissão de Ética do partido, que vai ouvir cada um dos deputados com a sua justificativa. Depois, a comissão apresenta para a Executiva Nacional o tipo de avaliação, punição ou não, que eles sugerem para os deputados. Então, o Diretório Nacional é convocado para uma decisão. É esse o trâmite, que deve levar de um mês e meio a dois meses para ser resolvido.

BASE – O sr. tentou fazê-los mudar de ideia?

Lupi – Tentei de várias maneiras, falei com um a um. Há convicções pessoais, a meu ver equivocadas, porque essa reforma é contra os pequenos, 80% do sacrifício é de quem ganha até três salários mínimos. Eles vão ter perda de 20% em média do seu salário, já que a média da aposentadoria vai ser para os 35 anos de contribuição, não mais dos últimos 60 meses, aumenta o tempo de idade. Viúva ou viúvo vão receber em média 30% a menos de pensão do que recebia antes. Todo esse processo apresentado não corta nenhum privilégio. Foi um equívoco dos companheiros. Algo grave, porque tem uma deliberação da convenção nacional desde 18 de março. Fizemos pelo menos quatro reuniões com todos os deputados sobre o assunto. Todos tinham a mesma posição até à véspera da votação, quando me procuraram.

BASE – Como sr. vê o caso de Tabata Amaral, que se destacou nesses seis meses de Congresso?

Lupi – Muitos quiseram usar a deputada, que está no seu primeiro mandato, tem 25 anos. Não vejo má fé por parte da Tabata. Vejo inexperiência e falta de maturidade para entender o processo. Então, fazer ela de Cristo ou de vítima, para colocar o partido como algoz… eu estou velho para isso, entendeu? Nessa eu não caio.

BASE – O sr. cogitava inclusive lançar o nome dela para concorrer pelo PDT à Prefeitura de São Paulo. Uma expulsão seria uma grande perda.

Lupi – Claro que o partido em São Paulo vai reavaliar tudo isso. Tem um impacto, a pessoa faz uma opção. Todo mundo fala em democracia, aí você tem uma convenção nacional, com 550 membros presentes, inclusive ela, se posicionando pelo fechamento de questão (contra a reforma), depois ela muda…. E fica por isso mesmo? Então, para que existe o partido? Já estamos tão desmoralizados, se isso passar em branco, se não acontecer nada, aí é muito ruim. A história do trabalhismo é a história da defesa dos mais fracos. se na hora que os mais fracos precisam da gente a gente vota contrário e favorece aos poderosos, como vai ser?

BASE – Tabata costuma dizer que veio da periferia e que por isso conhece bem as necessidades dos mais pobres. O que o sr. acha desse argumento?

Lupi – Não conhece mais do que eu. Minha origem é tão ou mais humilde que a dela. Só que meus vínculos são da profundidade que o trabalhismo me deu. Estou no PDT há quase 40 anos. O partido, a instituição, é mais forte que as pessoas. Quando as pessoas acham que elas são mais fortes que as instituições, tem alguma coisa errada. As instituições são perenes, as pessoas são passageiras. Quando o Brizola morreu, o PDT tinha oito deputados federais e todo mundo achou que com isso acabava o PDT. Já se passaram 15 anos, o partido não acabou e temos 28 deputados. Ou seja: as ideias são maiores do que as pessoas.

BASE – Qual a última vez em que o sr. falou com ela para tentar mudar o voto?

Lupi – Falei com ela anteontem, antes da votação. Nós tivemos duas reuniões, fizemos um apelo, imploramos, fiz de tudo, mas não adiantou. Ela disse que ia manter o voto. Agora, as possibilidades são a advertência, a suspensão e a expulsão. Hoje, alguns desafiam para ser expulsos por causa do parecer no Supremo que diz que, quando o deputado sofre expulsão, o partido não pode pedir o mandato de volta. Tudo isso vamos pesar, porque ninguém aqui é bobo.

BASE – Qual o prejuízo para o PDT se perder alguém de tanto destaque quanto a deputada Tabata?

Lupi – Nunca é bom. Mas se pegar a história vai ver que perdemos o governador do Paraná, Jayme Lerner, o governador do do Mato Grosso do Sul, Dante de Oliveira, do governador do Rio, Garotinho. Perdemos na outra legislatura quatro dos seis senadores. E aí? Estamos aqui. As pessoas estão equivocadas ao pensar que um partido que tem uma história como a nossa vai diminuir quando sai alguém. Cristovam (Buarque) foi nosso candidato à presidente, saiu do partido, disputou a eleição ao Senado e perdeu. Quem perdeu? Ele ou o partido? Já apanhamos muito, quando a chuva vem o coro já está grosso.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

30 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

LUPE

11 de julho de 2019 às 21h36

Caros leitores

Bidu.

O Lupi tá surpreso. Que coisa!!!!!!

O Ciro também deve tá surpreso. Qui coisa!!!!

Precisa ser muito esperto politicamente para detectar precocemente bandidinhos e bandidinhas?

PDT = jogo de hipocrisia?

Olhem os partidos de real esquerda,
em luta por um Brasil melhor.

TODOS eles recusaram os 40 MI MI MI do Bolsonaro
para votar por este crime contra os brasileiros.

As TVs não noticiam isto.
Não comentam ,
escondem este ato patriótico dos partidos de esquerda.

Afinal, quem são os bandidos,
quem são os verdadeiros criminosos????????????

Responder

Oblivion

11 de julho de 2019 às 19h31

“80% do sacrifício é de quem ganha até três salários mínimos.” Só isso basta pra abrir de uma vez o processo de expulsão, que ela aceite o convite do frota e vá para o psl virar na Cristóvão Buarque deles, neoliberal que finge se preocupar com educação. Porque usei a palavra finge? Por que no caos social que isso aqui irá se tornar, com o abismo da desigualdade cada vez maior, educação voltará a ser privilégio de poucos. E poucas bolsas ofertadas por colégios caros voltarão a ser ótima propaganda de “filantropia” . O que tivemos uns anos atrás foi só um tímido suspiro. Para os que aproveitam para tentar atacar o Ciro e o PDT, engraçado que os sites do pt adoram usar as entrevistas e argumentos do ciro/pdt, que inclusive deixam o pt e seus sites no chinelo qd o assunto é progressismo.

Responder

Wenceslau

11 de julho de 2019 às 18h50

O apoio de Miguel à Tábata é a prova de que ele está muito à direita , mesmo do PDT.
E os “galãs” bolsominions ofendendo mulheres , zombando da morte do PHA.
Que lindo blog ” progressista”.
Eu fico imaginando como o Marcio deve ser lindo , tem filas de mulheres atrás dele.
Você tem os comentaristas que merece Miguelito.
Me incluo entre eles , claro.
Esse blog é um retrato de como o Brasil está perdido.

Responder

Nilson Messias

11 de julho de 2019 às 18h40

A deputada e o coroné, tudo a ver. Partido de direita é assim mesmo, é uma balbúrdia…

Responder

Guilherme Nagano

11 de julho de 2019 às 18h24

E o PDT já esta falando q não vai expulsar ninguém! Complicado quando são 1/3 da bancada!

Responder

    Marcio

    11 de julho de 2019 às 18h39

    Claro que nào vào…desde quando esses esquerdistas mofos cumprem o que falam ??

    Responder

Ricardo

11 de julho de 2019 às 16h52

Porque essa misogenia c a menina…e os outros 7 barbados q tb votaram nada ?? Ninvuem falara nada?? Bando de covardes…atacar mulher e mais facil ne!!

Responder

    Marcio

    11 de julho de 2019 às 17h45

    A moça não é nada de especial, aliás é bem básica, mas é bonita, só por isso.

    Se fosse feia ninguém daria a menor bola.

    Responder

    Marcio

    11 de julho de 2019 às 17h47

    Imagine o Jandirão Réd Dragon Feghali falando as mesmas coisa da Tábata…acha que alguém ia dar bola ? Kkkk

    Responder

    Paulo

    11 de julho de 2019 às 18h02

    Porque ela era a nova “namoradinha do Brasil”, encantava…e parecia a candidata natural a qualquer cargo público. O PDT não terá como “passar pano” pra ela, depois do que fez. E o pior, pra mim – que não ligo se ela vai ser candidata ou não -, é que as justificativas técnicas que apresentou não foram sequer adequadas. Mostrou desconhecer o que estava em discussão. Ou fingiu, pra abraçar o discurso do “fim dos privilégios”, que já vinha da proposta anterior, do Temerário…

    Responder

      Marcio

      11 de julho de 2019 às 18h38

      Sua aposentadoria gorda jà era ?

      Responder

Alexandre Rocha

11 de julho de 2019 às 16h45

Esse pessoal só quer a legenda para se candidatar. No fundo, só tem um projeto pessoal de poder. Esse estrelismo da Tabata, seus discursos montadinhos e holofotes da grande mídia sobre ela já eram um prenúncio de que, como dizia o Brizola, ela estava costeando a alambrado. Vá para o Novo, o DEM, o PSDB!

Responder

Michel Pereira

11 de julho de 2019 às 16h26

Exatamente. O PDT tem uma história com o trabalhismo. Não é um psl da vida, para os seus deputados usarem apenas para suas candidaturas.

Responder

Justiceiro

11 de julho de 2019 às 16h09

E o coronel…não vai expulsar Tabata? Ele insinuou que a Deputada se vendeu pro governo.

Agora, se expulsarem Tabata, vão ter que expulsar mais sete.

E o Lupi, hein? Já deveria estar era preso.

Responder

    Justiceiro

    11 de julho de 2019 às 17h41

    O que está me deixando louco é ver que o PT, Psol e Pc do B ficaram ao lado dos trabalhadores. Estou achando muito bom ver a esquerda perder, só que não percebi que sou um trouxa e vou trabalhar até morrer, se é que haverá trabalho…

    Responder

      Adevir

      11 de julho de 2019 às 18h18

      Comece a guardar dinheiro e aplique-o a juros compostos. Aí não precisará trabalhar até morrer.

      Responder

      Marcio

      11 de julho de 2019 às 18h42

      “Giumà Tontolào” tava caladinho hoje…

      Responder

chichano goncalvez

11 de julho de 2019 às 16h08

Um cara daqui do sul ( PDT) é tambem a favor das privatizações o tal Vieira da Cunha, ai o grande lider deles saudoso Leonel de Moura Brizzola se virou e revirou no tumulo. E com esse parecer da quadrilha do supremo é tudo pela negociata, uma pergunta? qual deles deputados e senadores se elegeram pelo seu cociente eleitoral, poucos acho que menos de 10%, portanto o mandato é do partido.

Responder

Marcio

11 de julho de 2019 às 16h01

#tabataneles. Kkkkk

Responder

    Alan C

    11 de julho de 2019 às 18h12

    #aecioneles kkkkk

    Responder

      Marcio

      11 de julho de 2019 às 18h44

      Isso aì, todo mundo !!

      #magnomaltaneles. Kkkk

      Ninguem mereçe mais ouvir falar de Previdencia…cadè o Queiroz ?? Kkkk

      Responder

        Alan C

        11 de julho de 2019 às 20h08

        Ah, esse tá proibindo gays na piscina em algum lugar secreto que só as milicietes do carluxo sabem kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

        Responder

marco

11 de julho de 2019 às 15h48

Essa Tábata nunca me enganou !

Responder

Marcio

11 de julho de 2019 às 15h29

É cada susto vendo esses velhos barbudos, podres, retrógrados.

Vão deixar acalmar as águas e daqui uns dias ninguém mais lembra disso e a Tábata vai continuar no partido.

Fanfarrões.

Responder

    Zé Trindade

    11 de julho de 2019 às 15h53

    Seria até bom q ela fosse expulsa. Não perderia o mandato. Pra mim ela se enganou com esse partido mequetrefe PDT.
    Não sei qual partido seria melhor pra ela (afinal, partido político no Brasil……) mas certamente teria q ser algo mais de centro.

    Responder

    Darcy Brasil

    11 de julho de 2019 às 16h18

    O PDT também disse, no passado, q expulsaria os q votassem a favor do impeachment de Dilma. Não o fez! Parece q, mais uma vez, não fará nada, a não ser uma advertência.

    Coitado do Brizola! Não sou do PDT, mas meu avô, gaúcho de Pelotas, pesquisador e professor da UFRRJ, era um entusiasta do PTB trabalhista de Getúlio Vargas, de quem minha tia, sua filha, dizia q o meu avô era primo de 2° grau (Não sei. Jamais tentei confirmar essa informação,pois, para mim, tem relevância apenas no plano do pitoresco). Por isso, me faço sentir um pouco da decepção que meu avô sentiria.

    Não sou do PDT, sou comunista. Não vejo nenhuma possibilidade de transformar o Brasil pela via institucional, no seio dessa “democradura”, dessa democracia de fachada.

    A grande novidade que surgiu no meu espírito é a reflexão atualizada sobre o Parlamentarismo. A pergunta que tenho feito para mim mesmo é: fosse o sistema parlamentarista, teriam ocorrido golpes contra a democracia? Um Temer, sem densidade política, teria governado o Brasil? O país elegeria um fascista, como Bolsonaro ou João Dória ou Witzel? O Congresso destruiria a Previdência Social?A direita sentiria necessidade de prender Lula? E, o q é, para mim, mais importante, os trabalhadores e o povo seriam mais ou menos organizados? Mais ou menos acostumados a lutar nas ruas pelos seus direitos?

    Creio q a esquerda deveria considerar a hipótese de lutar pelo Parlamentarismo. Nele, os partidos são muito mais importantes que seus líderes, seus deputados, seus salvadores da pátria de ocasião. Nele, seria inútil prender alguém para impedi-la de vencer as eleições. Nele, o povo aprenderia q as pressões das ruas podem derrubar ministros a qualquer momento, se educando politicamente nessa práxis mediada pelo partidos fora dos parlamentos, como organizadores e mobilizadores políticos dos trabalhadores e da sociedade civil.

    Responder

      Alexandre Rocha

      11 de julho de 2019 às 16h40

      Está parecendo que o partido vai passar o pano. Consequência: total desmoralização. Se cada deputado não respeitar as decisões do partido e votar como lhe der na telha, não é mais um partido, mas um saco de gatos. Aliás, já é desde que o Brizola morreu

      Responder

      Paulo

      11 de julho de 2019 às 18h11

      Boa reflexão! Mas creio que uma democracia direta seria mais interessante. Não digo como na Suíça, pois o tamanho do nosso país e da nossa população inviabilizariam a adoção de consultas populares regulares. Se bem que, por outro lado, nem o decidido em referendo a politicalha acolhe. Ou seja, continuaremos sob o jugo do presidencialismo, e de coalizão…

      Responder

Deixe uma resposta