Comentários sobre o áudio vazado de André Esteves (BTG Pactual)

ISP: homicídios dolosos caem 23% em jan/jun no Rio

Por Redação

23 de julho de 2019 : 14h51

No ISP

Principais indicadores apresentam queda no primeiro semestre

Karina Nascimento
23/07/2019 12:35h

Seguindo a tendência dos últimos seis meses, os crimes contra a vida apresentaram queda no estado em junho e no primeiro semestre deste ano em relação ao mesmo período do ano passado. Entre janeiro e junho de 2019, o homicídio doloso registrou queda de 23% quando comparado com o mesmo período do ano passado – foram 608 homicídios a menos nos primeiros seis meses do Governo. O mesmo aconteceu com o indicador estratégico letalidade violenta (homicídio doloso, roubo seguido de morte, lesão corporal seguida de morte e morte por intervenção de agente do Estado): redução de 15% no primeiro semestre deste ano em relação ao mesmo período de 2018 (541 mortes a menos). Os roubos seguidos de morte (latrocínio) também caíram este semestre quando comparamos com o primeiro semestre do ano passado: diminuição de 34% no número de vítimas, ou menos 35 mortes. As mortes por intervenção de agente do Estado aumentaram 15% entre janeiro e junho deste ano em relação ao mesmo período do ano passado.

No primeiro semestre de 2019, as mortes de policiais civis e militares em serviço e em folga reduziram 54% se comparado com os mesmos meses de 2018. Nesse período, 31 policiais civis e militares perderam suas vidas no estado, enquanto que em 2018 foram 67.

Até junho, as polícias Civil e Militar apreenderam 4.368 armas de fogo, ou seja, foram retiradas das ruas do estado em média 24 armas por dia. No mesmo período foram apreendidos 280 fuzis – 18% a mais do que nos primeiros seis meses de 2018.

Os crimes contra o patrimônio também atingiram resultados relevantes no primeiro semestre de 2019. Entre janeiro e junho os roubos de veículos registraram queda de 24% em relação ao mesmo período do ano passado – sendo que em junho esse indicador registrou o menor número desde agosto de 2016, 3.116. No primeiro semestre, foram menos 6.853 veículos roubados no estado. Os roubos de carga apresentaram diminuição de 21% no primeiro semestre, e, no mês de junho, o indicador registrou o menor número do ano, 599 – foram menos 1.037 cargas roubadas no estado em seis meses.

Os roubos de rua (roubo a transeunte, roubo em coletivo e roubo de aparelho celular), reduziram 2% no acumulado do ano quando comparado com o mesmo período do ano passado. O indicador também apresentou resultados expressivos no mês de junho quando comparado com o mesmo mês de 2018: redução de 16%, ou menos 1.762 roubos. Cabe ressaltar que o indicador registrou em junho (9.566) o menor número desde dezembro de 2017 (9.522).

Comparação semestral por AISP

Na comparação entre o primeiro semestre de 2019 com o mesmo período de 2018, duas Áreas Integradas de Segurança Pública (AISP) da Zona Norte da Capital se destacaram: AISP 16 (Olaria e adjacências) apresentou a maior queda em roubo de carga e a AISP 41 (Pavuna e adjacências) teve a maior redução nos roubos de veículos.

Na Baixada Fluminense, duas regiões também apresentaram quedas importantes: a AISP 21 (São João de Meriti) registrou a maior diminuição nas mortes por intervenção de agente do Estado e a AISP 24 (Queimados e adjacências) apresentou a maior redução nos homicídios dolosos. As cidades de Niterói e Maricá (AISP 12) tiveram a maior queda nos roubos de rua.

Os dados divulgados pelo Instituto de Segurança Pública são referentes aos Registros de Ocorrência (ROs) lavrados nas delegacias de Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro durante o mês de junho.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

21 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

NeoTupi

24 de julho de 2019 às 01h40

Aumentou assaltos a ônibus e roubo de celulares. Me parece que roubo a transeuntes também, apesar de serem crimes subnotificados.
Não vejo ainda motivo suficiente para comemorar.

Responder

Jeferson

23 de julho de 2019 às 20h13

Tudo isto graças ao nosso verdadeiro herói do povo brasileiro. Ministro Dr. Sérgio Moro, o carrasco dos bandidos pixulequentos…

Responder

    Luiz Schmitz

    24 de julho de 2019 às 10h37

    É que a bandidagem maior e as milícias se mudaram pra Brasília!

    Responder

Rick

23 de julho de 2019 às 16h21

Não acredito muito nesses indicadores! O fato é que, com sete meses de Witzel, os índices de assaltos, furtos e roubo de veículos ainda está bem elevado, superior ao do ano passado. Cadê aquele candidato valentão que dizia bater de frente, exterminar vagabundos e etc? Enquanto isso continuamos a mercê da vagabundagem como meras presas prestes a sermos atacados em qq hora e lugar. Ainda mais com um governante que se inspirou em divulgar números falsos com seu guru Bozonaro!

Responder

Alan C

23 de julho de 2019 às 16h03

Como chegaram a esse número se nem 8% dos homicídios são solucionados???

Inventa um número qualquer produzido por alguma instituição subordinada à essa palhaçada da bozolândia e joga pra mídia divulgar, é isso.

Só pobre de direita acéfalo cai…

Responder

    Marcio

    23 de julho de 2019 às 16h34

    Tá que nem o Bolsonaro,

    quando os dados não são bons é a fonte que tá errada. Kkkkk

    Responder

      Alan C

      23 de julho de 2019 às 16h50

      Exato, o universo tá errado, a bozolândia tá certa hohohohohoho

      Responder

    Onfre Junqueira

    23 de julho de 2019 às 17h04

    Meu Deus; como sao burros esses petistas. O sujeito toma um tiro e morre. Não se precisa saber quem matou o sujeito para saber que o crime foi doloso, né . Além de pobretao de esquerda, o sujeito é acéfalo ! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Responder

      Gilmar Tranquilão

      23 de julho de 2019 às 17h16

      E bala perdida é o que asno???? kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      Responder

        Onofre Junqueira

        24 de julho de 2019 às 01h03

        Na concepçao dos burros encantados por Lula bala perdida homicídio culposo . ! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

        Responder

          Gilmar Tranquilão

          24 de julho de 2019 às 11h59

          “Não se precisa saber quem matou o sujeito para saber que o crime foi doloso, né .”

          CARALEO MAS QUE BURRO DÁ ZERO PRA ELE!!!!! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      Marcio

      23 de julho de 2019 às 17h35

      Também não entendi (nem quem escreveu sabe o que disse) …se o crime não é solucionado significa que não aconteceu !! Bah !!

      Deve ser o 05 comentando, o filho segredo de Bolsonaro, só pode.

      Responder

        Alan C

        23 de julho de 2019 às 17h37

        As 3 primeiras palavras do teu comentário fazem a tua marca registrada, kk

        Responder

    degas

    23 de julho de 2019 às 22h57

    Se aconteceram x homicídios num período e um número menor que x no seguinte, houve queda e é só calcular o percentual. Fim.

    Isso não tem nada a ver com o número de homicídios solucionados.

    Espero que você tenha conseguido entender.

    Responder

      Marcio

      24 de julho de 2019 às 11h46

      Claro.

      Responder

Robert

23 de julho de 2019 às 15h26

Tem uma pulga atrás de minha orelha insistindo com o fato de que esses “indicadores” devem ser melhor investigados, bem mais a fundo. Não sei, algo relacionado aos recentes questionamentos presidenciais dos índices de desmatamento do INPE e aos cortes do Guedes no número de perguntas do censo do IBGE…

Responder

    Marcio

    23 de julho de 2019 às 17h36

    E o que diz sua pulga sobre o mensalão e o peteólão…?

    Responder

      Robert

      23 de julho de 2019 às 18h50

      Vai ali, dá uma lida atenta nos diálogos trocados pela camarilha de Curitiba, publicados no The Intercept Brasil, para saber o que minha pulga anda falando sobre o assunto.

      Responder

Marcio

23 de julho de 2019 às 15h24

Foi só mudar o papo com a bandidagem (em vez de passar a mão na cabeça) para dar resultados, não precisou de nada.

O pacote anticrime deveria ser aprovado amanhã antes de qualquer outra coisa para poupar milhares de vidas e deveriam ser construídas mais cadeias.

Isoo se o Brasil fosse um país minimamente sério, mas é utopia.

Nesses lugares preferem construir estádios bilionários absolutamente inúteis para desviar dinheiro público e engordar porcos bandidos fantasiados de políticos (que alguém elegeu…).

Passou da hora de pôr a prisão perpétua para assassinos na Constituição.

O dono desse site votou para o Cabral na época em que o Lula fazia campanha para ele…?

Responder

    Robert

    23 de julho de 2019 às 19h07

    Tá incluindo o fraudador eleitoral, o atual ministro da justiça do Jair Bozo, os procuradores da vaza a jato, o Queiroz, o Onix Lorenzoni caixa dois, o filho milíciano do presidente, o ministro do turismo laranjeiro, o pessoal dos 39k no avião presidencial, o sonegador do Havan e tantos apoiadores mais do atual governo nessa leva? Ou é só papo furado de direitista mesmo?

    Responder

      Alan C

      24 de julho de 2019 às 12h01

      É só papo furado de direitista mesmo.

      Responder

Deixe um comentário

Parlamentarismo x Semipresidencialismo: Qual a Diferença? Fernanda Montenegro e Gilberto Gil são Imortais na ABL: Diversidade Auxilio Brasil x Bolsa Família: O que mudou? As Refinarias da Petrobras À Venda pelo Governo Bolsonaro O Brasileiro se acha Rico ou Pobre?