Fórum Reforma Tributária BandNews

O projeto do governo para a indústria 4.0

Por Redação

18 de setembro de 2019 : 16h32

No MCTIC

Governo Federal lança plano para alavancar indústria 4.0

O plano terá validade para o período de 2019 a 2022, devendo ser avaliado e revisado periodicamente. A implementação das ações e iniciativas será de responsabilidade das instituições que atuaram na formulação do plano.

publicado 17/09/2019 21h18.
Última modificação 17/09/2019 21h41.

Plano de Ação da Câmara Brasileira da Indústria 4.0 do Brasil 2019-2022

Com o objetivo de aumentar a competividade e a produtividade das empresas brasileiras por meio da manufatura avançada, a Câmara Brasileira da Indústria 4.0 – coordenada pelos ministérios da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) e da Economia (ME) – construiu um plano de ação para o período de 2019 a 2022, em parceria com mais de 30 instituições do governo, da iniciativa privada e da academia.

O plano de ação busca alavancar o uso de conceitos e práticas relacionados à indústria 4.0 no Brasil e, com isso, aumentar a competitividade e produtividade das empresas nacionais. Outros objetivos são melhorar a inserção do país nas cadeias globais de valor e introduzir o uso de tecnologias da manufatura avançada nas pequenas e médias empresas.

O secretário de Empreendedorismo e Inovação do MCTIC, Paulo Alvim, ressalta que se trata de uma construção coletiva dos setores público e privado, com ações concretas em benefício da indústria brasileira. “O plano vai contribuir para acelerar o processo de capacitação de recursos humanos e disseminar ferramentas para o setor produtivo incorporar tecnologias 4.0. Isso vai impactar no aumento da produtividade das empresas e trazer ganhos para a sociedade”, afirma.

O documento é formado por ações e iniciativas divididas em quatro temas: Desenvolvimento Tecnológico e Inovação; Capital Humano; Cadeias Produtivas e Desenvolvimento de Fornecedores; Regulação, Normatização Técnica e Infraestrutura. Para todos esses temas foram previstas formas de financiamento e de fomento para inserir as empresas no ambiente da indústria 4.0.

O plano terá validade para o período de 2019 a 2022, devendo ser avaliado e revisado periodicamente. A implementação das ações e iniciativas será de responsabilidade das instituições que atuaram na formulação do plano.

A Câmara Brasileira da Indústria 4.0 foi lançada em abril deste ano pelo MCTIC e ME, com a colaboração de instituições do setor público, produtivo e acadêmico. O conceito de indústria 4.0, também conhecida como manufatura avançada ou quarta revolução industrial, engloba inovações no campo da automação e utiliza tecnologias como a Internet das Coisas e a computação em nuvem.

Confira o documento completo clicando aqui.

Mapeamento 4.0

O governo também trabalha para identificar todos os cursos, capacitações, eventos, programas de apoio financeiro e gerencial, além de outras ações relacionadas ao tema. Chamada de “Mapeamento 4.0”, a iniciativa tem parceria com o Senai Nacional.

Atualmente, os representantes da Câmara da Indústria Brasileira 4.0 estão inserindo novas iniciativas e divulgando o mapeamento a seus parceiros.

Acesse o site pelo endereço: www.mapeamento40.com.br

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

2 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Henrique Mader

23 de setembro de 2019 às 13h27

Iniciativa valiosa, necessária, fundamental e urgente.
Somos um país riquíssimo, porém com estrutura governamental colonial… que isso seja adotado e apoiado pelas três esferas: federal, estadual e municipal (esta última, a mais importante e muito ruim de gestão) para chegar às empresas pequenas e médias, com vistas a gerar produtividade e lucratividade reais, syn!

Responder

brasileiro

18 de setembro de 2019 às 16h41

Nem a indústria 2.0 do petróleo conseguiram manter, imagina a 4.0

Responder

Deixe uma resposta