Live de Flavio Dino, Ciro Gomes, Martha Rocha e Brizola Neto

Siqueira: exportar petróleo bruto e importar derivados é um erro estratégico

Por Redação

07 de janeiro de 2020 : 17h19

Siqueira classifica políticas do setor petrolífero como ‘sucessão de erros’

O desmonte da principal empresa estatal brasileira, a Petrobras, se reflete em diversas faces. Uma delas é a insegurança quanto a um novo aumento dos derivados de petróleo provocado pela insegurança global quanto à possibilidade de uma guerra no Oriente Médio após o assassinato do líder iraniano Qasem Soleimani.

Apesar de ter alcançado a autossuficiência na produção de pretóleo bruto, o Brasil ainda depende da importação de derivados. Além disso, a política de preços adotada pela companhia nacional é vinculada aos valores praticados no mercado mundial.

Um dos maiores especialistas do setor petrolífero no país, o diretor da Associação de Engenheiros da Petrobras (Aepet) e conselheiro da Petros Fernando Siqueira citou as falhas cometidas pelo Governo Federal na gestão da estatal.

“É uma sucessão de erros. Estavam previstas duas refinarias importantes, do Comperj e a de Pernambuco (Abreu e Lima). A de Pernambuco foi feita a metade, um dos trens de refino, e a do Comperj foi totalmente desprezada. Hoje você tem uma capacidade de refino inferior à produção nacional, tem de se exportar petróleo e importar derivados, o que é um erro estratégico gravíssimo”, avaliou.

Declarações recentes de Roberto Castello Branco, mandatário da empresa, e da cúpula da administração federal indicam a necessidade de privatização das refinarias existentes no país, indo de encontro às práticas das nações que detém o monopólio do insumo.

“O presidente tem dito que quer que a Petrobras fique com apenas 50% do refino. O correto seria incentivar empresas privadas a construir refinarias e não vender a preço de banana as da Petrobras. Quando você vende metade das refinarias, não acrescenta nada na capacidade de refino”, ressaltou o dirigente.

Atualmente o Brasil produz cerca de 2 milhões e 800 mil barris de petróleo por dia. As projeções são de que, daqui cinco anos, esse número salte para 5 milhões e 200 mil barris. Fernando Siqueira levantou a necessidade de ampliação da indústria de óleo no país.

“A capacidade de refino de hoje até 2025 teria de ser dobrada e isso não está sendo levado em conta. Você tem um parque de refino hoje abaixo da capacidade de produção nacional, portanto gerando exportação do petróleo, e essa produção vai dobrar até 2025. Em uma administração estrategicamente correta teria de se procurar incentivar refinarias novas”, lamentou Siqueira.

“Era previsto, nos governos anteriores, se ter a RNEST, em Pernambuco, com uma capacidade de 300 mil barris, o Comperj e mais duas refinarias, no Maranhão e no Ceará, mas essas foram abandonadas depois que a Petrobras gastou milhões em projetos e compra de terrenos. Por uma questão política, foram totalmente abandonadas, houve uma sucessão de erros no projeto das refinarias”, concluiu.

Ouça a entrevista de Fernando Siqueira:

***

Leia também: O petróleo é o novo pau-brasil?

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

19 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Alan C

08 de janeiro de 2020 às 13h08

O Brasil de Bolsonaro está em guerra, contra a Petrobras: beneficia importadores, exporta empregos e cobra caro a gasolina na bomba

https://www.viomundo.com.br/politica/o-brasil-de-bolsonaro-esta-em-guerra-contra-a-petrobras-beneficia-importadores-exporta-empregos-e-cobra-caro-a-gasolina-na-bomba.html

Responder

Gilmar Tranquilão

07 de janeiro de 2020 às 20h23

19:37
19:18
19:34

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Responder

    Alan C

    08 de janeiro de 2020 às 10h13

    Relaxa, é só um camundongo.

    Responder

Evandro Garcia

07 de janeiro de 2020 às 19h18

É só refinar na Abreu e Lima, cadê o problema…?

Responder

    Andressa

    07 de janeiro de 2020 às 19h34

    Importa o diesel e ainda ganha 35% revendendo.

    Responder

Alan C

07 de janeiro de 2020 às 17h36

Que algum bolsomínion acéfalo explique em qual país do planeta Terra acontece algo parecido.

Usando quantos nomes quiserem, podem fazer bastante volume, tá liberado kk

Responder

    Wellington

    07 de janeiro de 2020 às 19h17

    No Brasil.

    Responder

      Andressa

      07 de janeiro de 2020 às 21h05

      No Brásil de Dilma, Lula e Paulo Freire….Kkkkk

      Responder

      Alan C

      07 de janeiro de 2020 às 22h09

      E onde mais bolsoburro?

      Responder

        Andressa

        08 de janeiro de 2020 às 00h11

        Só no Brasil mesmo as empresas estatais são assaltadas por quem você elegeu, os mesmos que compraram o parlamento.

        Responder

          Alan C

          08 de janeiro de 2020 às 09h22

          Sempre fugindo do assunto hein wellington.

          Andressa

          08 de janeiro de 2020 às 10h38

          Vai là na Abreu e Lima produzir diesel…Kkkkkkkkk

          Alan C

          08 de janeiro de 2020 às 16h06

          Vamo pedir pro Queiróz huauhahu

        Evandro Garcia

        08 de janeiro de 2020 às 08h38

        Onde projetam uma refinaria para garantir 100% do diesel nacional, começa a ser assaltada antes de sair do papel, custa sei lá quantos bilhões a mais do orçamento, agora está lá sem chegar a 5% de produção e não se pagará nunca mas gerará prejuízos bilionários…. só no Brasil do voto ideológico.

        Más o problema é o inimigo imaginário, quem tem alucinações ideológicas e vê coisas que não existem se não me engano é afeito por esquizofrenia.

        Responder

          Alan C

          08 de janeiro de 2020 às 10h09

          Wolksvagen, GE, Uber (no exterior), FIFA, Nissan, United Airlines, Siemens, Johnson & Johnson tb foram pegas em corrupção, bem como vários governos mundo afora, os responsáveis foram presos e as empresas liberadas para seguirem adiante gerando divisas pro seus respectivos países e empregos, ninguém quebrou por isso.

          Leia e entenda um pouco antes de falar m… com vários nomes, camundongo.

          Evandro Garcia

          08 de janeiro de 2020 às 10h23

          Bela tentaiva inutil de passar pano da desgraça que o voto ideologico faz…cavalo.

          Wellington

          08 de janeiro de 2020 às 10h29

          E a Petrobras tà empedida de fazer o que, nao tà funcionando e fazendo recordes de producao sem os vermes vermelhos colocarem as maos…? Sem precisar ir pro cara do PT para comprar um parafuso…?

          Levaram o Brasil arruina com o voto ideologico…agora è tarde.

          Uma vergonha internacional sem antecedentes.

          Abdel Romenia

          08 de janeiro de 2020 às 10h43

          Entregaram o Brasil nas maos de vermes imundos e ainda a arrogancia e a presunçao ideologica fazem voce achar que sua opiniao è melhor que a dos outros, faça me rir pra là…mulo.

          Alan C

          08 de janeiro de 2020 às 10h46

          Organize melhor as ideias, faça um único comentário com coerência ao inves de 3 com 3 nomes diferentes, camundongo.


Deixe uma resposta