Ato público pela valorização do serviço público

Um funcionário trabalha em uma empresa de máquinas no distrito de Kaiping, município de Tangshan, Província de Hebei, norte da China, em 17 de novembro de 2019 (Xinhua/Yang Shiyao)

Indústrias de alta tecnologia cresceram quase 9% na China em 2019

Por Redação

17 de janeiro de 2020 : 18h41

O governo chinês divulgou ontem os números do crescimento do país em 2019. O país cresceu 6,1%. Foi o menor crescimento em muitos anos, e ainda assim, um dos maiores crescimentos do mundo.

Entretanto, o que chama atenção, ao se olhar a página do Departamento de Estatísticas do governo chinês, é que o crescimento chinês está se movendo para os setores mais avançados tecnologicamente. Os números da produção industrial revelam, por exemplo, que o valor adicionado das manufaturas de alta tecnologia subiu 8,8% em 2019.

Já o valor adicionado das “indústrias estratégicas emergentes” subiu 8,4%. Esta categoria se refere a indústrias das áreas de biologia e genética,  veículos movidos a novos tipos de energia, tecnologias de informação, produtos aeroespaciais,  entre outros considerados “estratégicos”.

A mesma coisa vale para o setor de serviços. Os setores de transmissão de informação, software e serviços tecnológicos de informação, cresceram bem acima da média.

No National Bureau of Statistics of China

National Economy was Generally Stable in 2019 with Main Projected Targets for Development Achieved

17 January 2020

In 2019, faced with mounting risks and challenges both at home and abroad, under the strong leadership of the Central Committee of the Communist Party of China with Comrade Xi Jinping as the core, all regions and departments implemented the decisions and arrangements made by the CPC Central Committee and the State Council, insisted on the general working guideline of making progress while maintaining stability, stuck to the new development philosophy, focused on the supply-side structural reform, advanced the high-quality development and strengthened efforts on maintaining stability in areas of employment, financial sector, foreign trade, foreign investment, domestic investment, and market expectation. As a result, major progress were made in Three Critical Battles. The national economy was generally stable with main projected targets for development achieved, which laid a solid foundation for completing the building of a moderately prosperous society in all respects.

According to the preliminary estimates, the gross domestic product (GDP) of China was 99,086.5 billion yuan in 2019, an increase of 6.1 percent over the previous year at comparable prices, which met the projected target of maintaining the economic growth between 6 percent to 6.5 percent. The year-on-year GDP growth for the first quarter was 6.4 percent, 6.2 percent for the second quarter, 6.0 percent for the third quarter and 6.0 percent for the fourth quarter. The value added of the primary industry was 7,046.7 billion yuan, a growth of 3.1 percent over the previous year; the secondary industry was 38,616.5 billion yuan, up by 5.7 percent; and the tertiary industry was 53,423.3 billion yuan, up by 6.9 percent.

***

Abaixo, matéria publicada no Xinhua, rede de notícias oficial do governo chinês.

Economia chinesa cresce 6,1% em 2019
2020-01-17 14:45:07丨portuguese.xinhuanet.com

Beijing, 17 jan (Xinhua) — A economia chinesa registrou um crescimento anual de 6,1% em 2019, ficando dentro da meta para o ano estabelecida pelo governo entre 6% e 6,5%, anunciou nesta sexta-feira o Departamento Nacional de Estatísticas (DNE).

A leitura foi menor do que a expansão de 6,6% registrada em 2018.

O crescimento no quarto trimestre ficou em 6%, mesma alta do terceiro, mas inferior ao aumento de 6,2% no segundo trimestre e de 6,4% no primeiro, mostraram os dados do DNE.

Em 2019, o produto interno bruto (PIB) totalizou 99,09 trilhões de yuans (US$ 14,38 trilhões), com o setor de serviços representando mais da metade.

A produção industrial de valor agregado, um importante indicador econômico, se expandiu 5,7% em termos anuais em 2019, desacelerando do crescimento de 6,2% em 2018.

O investimento em ativos fixos aumentou 5,4% na base anual em 2019, estável com o nível registrado nos primeiros três trimestres.

As vendas no varejo de bens de consumo, um importante indicador de crescimento do consumo, subiram 8% anualmente em 2019.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

12 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Ali

18 de janeiro de 2020 às 11h29

China’s investment in R&D was $370.6 billion (USD) in 2017.

Responder

    Evandro Garcia

    20 de janeiro de 2020 às 11h56

    Brazil investments: – 84329.949498. 3293.248539.93494000,001 trilhoes debt to pay.

    Responder

Alvim

18 de janeiro de 2020 às 09h47

China

Responder

Andressa

17 de janeiro de 2020 às 20h10

Tava aqui me perguntando…serà que na China usam o metodo Paulo Freire…? Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Responder

    Evandro Garcia

    20 de janeiro de 2020 às 12h04

    Kkkkkkkkkkkkkkkk Dizem que Paulo Freire alfabetizou até Leonardo da Vinci e que me screveu a Divina Comedia foi ele e Alessandro Manzoni sò hackeou e mandou para a Najila Greenwald publicar no Intercept…Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Existe na face da terra um povo mais imbecil que o brasileiro….? Kkkkkkkkkkkk

    Responder

      Evandro Garcia

      20 de janeiro de 2020 às 12h05

      Vamos ver se alguem acha o erro…

      Responder

        Alan C

        20 de janeiro de 2020 às 18h20

        O camundongo comenta um comentário seu com outro nome e pergunta onde está o erro!

        huAHUHAuAuAuhauhAuaHuahaUhAuhauahuAHAUaha

        Responder

          Evandro Garcia

          20 de janeiro de 2020 às 18h51

          Nào achou nè…?

    carlos

    20 de janeiro de 2020 às 20h21

    A China usou o método da tua burrice, jumenta analfabeta.

    Responder

Paulo

17 de janeiro de 2020 às 19h46

A China cresce 6% e acham pouco, por lá. Impressionante…

Responder

Alan C

17 de janeiro de 2020 às 19h17

E pensar que nos anos 60 o Brasil era a China de hoje e vice versa.

Responder

Wellington

17 de janeiro de 2020 às 19h11

…e no Brasil atè os monopolios do estado dao prejuizos milionarios….Kkkkkkkkkkkkkk

Responder

Deixe uma resposta