Ato público pela valorização do serviço público

Produção brasileira de aço bruto tem queda de 9,0% em 2019

Por Redação

23 de janeiro de 2020 : 19h52

No Instituto Aço Brasil

23/01/2020 | Assessoria de imprensa Instituto Aço Brasil

A produção brasileira de aço bruto foi de 32,2 milhões de toneladas em 2019, o que representa uma queda de 9,0% frente ao apurado em 2018. A produção de laminados no mesmo período foi de 22,2 milhões de toneladas, queda de 6,3% em relação ao registrado no ano anterior. A produção de semiacabados para vendas totalizou 8,8 milhões de toneladas em 2019, uma retração de 10,9% frente ao registrado em 2018.

As vendas internas foram de 18,5 milhões de toneladas em 2019, o que representa uma retração de 2,2% quando comparada com o apurado em 2018.

O consumo aparente nacional de produtos siderúrgicos foi de 20,6 milhões de toneladas em 2019. Este resultado representa uma queda de 2,7% frente ao registrado no ano anterior.

As importações alcançaram 2,4 milhões de toneladas em 2019, uma retração de 1,9% frente ao apurado no ano anterior. Em valor, as importações atingiram US$ 2,5 bilhões e recuaram 5,9% no mesmo período de comparação.

As exportações atingiram 12,8 milhões de toneladas, ou US$ 7,3 bilhões, em 2019. Esses valores representam, respectivamente, retração de 8,1% e 17,5% na comparação com o resultado de 2018.

Em agosto de 2018 houve alteração na metodologia de apuração dos dados de exportação divulgados pelo MDIC, o que trouxe inconsistências nos números do segundo semestre de 2019. Desta forma, as variações das exportações do acumulado de janeiro a dezembro de 2019, quando comparadas com o mesmo período de 2018, devem ser analisadas com atenção.

Dados de dezembro de 2019

Em dezembro de 2019 a produção brasileira de aço bruto foi de 2,4 milhões de toneladas, uma redução de 10,8% frente ao apurado no mesmo mês de 2018. Já a produção de laminados foi de 1,4 milhão de toneladas, 14,3% inferior à registrada em dezembro de 2018. A produção de semiacabados para vendas foi de 873 mil toneladas, 2,5% inferior, em relação ao ocorrido no mesmo mês de 2018.

As vendas internas recuaram 2,7% frente a dezembro de 2018 e atingiram 1,4 milhão de toneladas. O consumo aparente de produtos siderúrgicos foi de 1,5 milhão de toneladas, 4,1% inferior ao apurado no mesmo período de 2018.

As importações de dezembro de 2019 foram de 133 mil toneladas e US$ 148 milhões, uma queda de 16,9% em quantum e 11,4% em valor na comparação com o registrado em dezembro de 2018.

As exportações de dezembro foram de 1,0 milhão toneladas, ou US$ 502 milhões, o que resultou em queda de 21,5% e 32,4%, respectivamente, na comparação com o ocorrido no mesmo mês de 2018.

Em agosto de 2018 houve alteração na metodologia de apuração dos dados de exportação divulgados pelo MDIC, o que trouxe inconsistências nos números do segundo semestre de 2019. Dessa forma, as variações das exportações de dezembro de 2019, quando comparadas com dezembro de 2018, devem ser analisadas com atenção.

Notas:

[1] Devido a uma perda que ocorre durante o processo produtivo do aço, a soma da produção de laminados e semiacabados para vendas não equivale ao total da produção de aço bruto.

[2] A SECEX/MDIC mudou a metodologia de coleta dos dados do Portal Único de Comércio Exterior e ainda poderão ser encontradas inconsistências nos dados de exportação. comexstat.mdic.gov.br/pt/informativo/25

[3] Compreende todo o parque produtor de aço brasileiro.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

3 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Marcio

24 de janeiro de 2020 às 12h30

Não podemos esquecer os seguintes pontos sobre o aço:

1 Apesar da economia patinar, a produção de aço no Brasil é uma das mais caras, o que gera perda de competitividade frente ao aço chinês, considerado de melhor qualidade e mais barato.

2 O Brasil é um país curioso, houve essa queda de 9%, mas o país estava comprando, desde os governos petistas, aço chinês e russo agindo contra sua própria indústria, quem entende??? Alguém imagina o Trump fazendo isso por acaso??

3 Agora vejam vcs, a menos de 20 anos a China comprava aço do Brasil, desenvolveu sua indústria siderúrgica e hoje não apenas produz como é o aço mais competitivo do mundo causando preocupação no mundo inteiro. A China estava atrás do Brasil, igualou, passou e hoje vende aço pra nós… Vale uma reflexão.

4 Trump taxou em 30% o aço brasileiro sem NENHUMA contrapartida por parte do atual governo. Vale outra reflexão.

Responder

Gilmar Tranquilão

23 de janeiro de 2020 às 22h44

“retomada” kkkkkkk

Responder

Alan C

23 de janeiro de 2020 às 20h02

10% apenas de um ano pro outro é MUITA coisa.

Consumo de aço é uma dos melhores indicadores de desenvolvimento da economia de um país.

A bozolândia está indo “muito bem”.

Responder

Deixe uma resposta