Análise em vídeo das manifestações do 2 de outubro e as vaias a Ciro

Mantida ordem de prisão contra acusado de ataque à sede do Porta dos Fundos

Por Redação

04 de fevereiro de 2020 : 15h06

No TJ RJ

O desembargador José Muiños Piñeiro Filho, da 6ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJRJ), decidiu nesta quarta-feira (29/1) manter a prisão temporária de Eduardo Fauzi Richard Cerquise, acusado de participação no ataque à sede da produtora Porta dos Fundos, ocorrido na madrugada do dia 24 de dezembro, no Humaitá, na Zona Sul do Rio de Janeiro. Insatisfeito com a exibição do Especial de Natal de 2019 “A Primeira Tentação de Cristo”, pela Netflix, o acusado, ao lado de outras quatro pessoas, atirou dois objetos incendiários dentro da sede da produtora.

Na decisão, o desembargador considerou que a forma do ataque demonstrou a periculosidade do acusado, implicando em risco à segurança de várias pessoas caso fosse concedido o habeas curpus. Após o ataque, Eduardo Fauzi embarcou para a Rússia, não tendo retornado desde que foi decretada sua prisão temporária.

“Tenho que pela maneira com que foi executado o delito, no ponto, todos os agentes que o cometeram fizeram exsurgir suas extremadas periculosidades e livrando-se soltos isso implicará, objetivamente, na insegurança de várias pessoas. Indefiro, pois, a tutela de urgência pretendida, ratificando neste momento a decisão impugnada”, destacou o desembargador.

Clique aqui para ler a íntegra da decisão.

Processo nº 0000480-75.2020.8.19.0000

JM/AB
Notícia publicada em 29/01/2020 20:08

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

Nenhum comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »


Deixe um comentário