Live do Cafezinho (18 h): Pós-verdade na política brasileira (uma conversa com Fabio Palacio)

Foto: reprodução.

Cid Gomes: “Risco zero de ruptura democrática”

Por Redação

06 de julho de 2020 : 13h11

A CNN entrevistou, neste domingo (5), os senadores Major Olímpio (PSL-SP) e Cid Gomes (PDT-CE).

Ambas as entrevistas, no programa O Ponto, foram conduzidas por tópicos especialmente relacionados à situação política do presidente Jair Bolsonaro e o que deve ocorrer com seu mandato nos longo e curto prazo.

O senador Major Olímpio apresentou crítica à postura do Governo Federal diante dos motins de PMs insurgidos no estado do Ceará, lembrando que, diferente do presidente, “apesar de ser petista”, o governador cearense tomou uma atitude.

“Não existe a menor possibilidade de uma força policial militar estadual se insurgir contra as forças da União, se insurgir contra um governador de estado por pior que ele seja”, apostou Olímpio. “Risco zero”, concluiu.

O senador paulista explicou também que sua ruptura com Jair Bolsonaro se deu após uma conversa regada a “xingamentos” e alimentada pelos filhos do presidente relacionada a exigências do “clã” de que Olímpio deixasse o “grupo independente” de 22 senadores de que faz parte.

Bolsonaro teria lhe dito, via telefone, após pressões de Flávio Bolsonaro a duas outras senadoras, que “Olímpio lhe devia a eleição ao Senado” e cobrando posicionamentos específicos do senador.

Segundo Olímpio, as cobranças de Flávio e do presidente tinham a ver com a posição dos senadores diante do que foi chamado à época de “CPI da Lava-Toga”.

Já Cid Gomes, quando perguntado sobre a possibilidade de ruptura democrática, afirmou que as riscos seriam “zero”, apesar dos “arroubos” do presidente.

Cid aposta em uma posição de neutralidade do Senado diante da situação de Flávio Bolsonaro, de acordo com a “tradição” do parlamento, mas lembra que há outros mecanismos agindo para pressionar o presidente a tomar uma atitude menos tresloucada e mais alinhada às necessidades dos brasileiros.

“O fato de [Jair Bolsonaro] estar dando cargos ao Centrão vai fazendo as pessoas perderem o encanto por ele”, afirmou Cid, explicando que a campanha de Bolsonaro se propôs a não fazer isso e apostando, contudo, que hoje o presidente deve ter “preferência” para ir ao segundo turno.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

8 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

helio

09 de julho de 2020 às 01h12

Quanto custará o metro cúbico da água privatizada pelo Cid_tratorista, com o apoio do Ciro_Arenista?

Responder

Paulo

06 de julho de 2020 às 18h04

Risco de golpe militar não há, aparentemente. Mas se o Capetão for reeleito terá 4 Ministros no STF. Barganhando com GM, DT e mais um, terá a maioria…E aí, teremos um “golpe branco”, plenamente constitucional…

Responder

    Paulo

    06 de julho de 2020 às 21h55

    Retificando (a coisa é ainda pior): precisará barganhar com mais dois e terá a maioria (seis Ministros).

    Responder

    Kleiton

    07 de julho de 2020 às 07h50

    O armário pariu um equino.

    Responder

Kleiton

06 de julho de 2020 às 16h05

Se o Brasil fosse minimamente sério após o que ele fez em cima de uma escavadeira deveria ser radiado da política e enterrado com uma escavadeira de baixo de um mar de vergonha.

O partido não tomou nenhuma providencia ou tá aparelhado igual ao Ceará…?

E o Congresso…?

E tem meios de informação que tem coragem de entrevistar…?

O titulo de Pais de Quarto Mundo não é a toa.

Responder

    Alan C

    06 de julho de 2020 às 19h41

    Esqueça, ninguém vai pedir desculpas a Lula.

    Responder

      helio

      09 de julho de 2020 às 01h11

      “O PT garantiu um debate público, garantiu o respeito à democracia, aceitou derrotas, aceitou perder no debate, recusou um terceiro mandato, recusou aventuras autoritárias, respeitou a imprensa que lhe era e é hostil, manteve relações civilizadas com as elites podres para sustentar a revolução silenciosa da inclusão social.”[Gustavo Conde]

      Responder

Elaine

06 de julho de 2020 às 13h42

Na semana que passou a mulher do meu tio morreu de Covid. Morreu também uma colega de trabalho de amigo meu. Detalhe: as duas eram evangélicas. A minha aparentada não acreditava na doença. A outra não sei.
Ontem morreu um pastor evangélico que vivia pregando que o Covid é invenção.
A mulher que trabalhava para mim como dog walker é evangélica, não usa máscara de jeito nenhum e eu a dispensei.

Tudo indica os evangélicos vão morrer na epidemia mais que as outras pessoas.

Vão aprender com a dor.

Responder

Deixe uma resposta