Live do Cafezinho (19h): que segurança pública que queremos?

Datafolha: Boulos cresce, Covas cai. Diferença cai para 8 pontos

Por Redação

24 de novembro de 2020 : 01h19

A campanha de Boulos continua a dar mostras de vigor e crescimento. O Datafolha divulgado hoje, com pesquisas realizadas ontem, 23 de novembro, mostra a estagnação dos votos em Covas, e o aumento das menções a Boulos.

Em votos totais, a diferença, que era de 13 pontos na semana passada, caiu para 8 pontos agora. O placar está em 48 X 40.

Em votos válidos, Covas tem 55%, contra 45% de Boulos: o tucano caiu 3 pontos, e Boulos subiu 3. Em votos válidos de segundo turno, é sempre assim: a cada ponto que um perde, o outro ganha, o que torna as variações mais sensíveis.

Segundo a Folha, há um abismo geracional nas eleições paulistanas. Entre mais jovens, Boulos ganha com larga vantagem. Covas, por sua vez, tem uma performance muito superior ao adversário entre eleitores com mais de 60 anos.

Essa vantagem entre mais jovens pode significar um trunfo importante para Boulos, em tempos de pandemia, na medida em que a abstenção é muito maior entre eleitores mais velhos, que formam um grupo de risco mais vulnerável à Covid.

Trecho da matéria:

(…) Na semana passada, ele [Boulos] derrotava Covas entre eleitores de 16 a 24 anos por 59% a 35% dos votos válidos. Agora, vence por 65% a 35%.

Esse grupo representa 12% da amostra do eleitorado do Datafolha. Na faixa seguinte (25 a 34 anos), que corresponde a 20% dos ouvidos, houve oscilação no limite da margem: o psolista passou de 53% para 56%, enquanto o tucano foi de 47% para 44%.

No eleitorado intermediário em termos etários há um empate técnico: Covas tem 53% e Boulos, 47%. Esse grupo, que compreende quem tem de 35 a 44 anos, equivale a 21% das pessoas entrevistadas.

O tucano vê sua vantagem aumentar bastante, o que lhe garante a liderança, nas faixas mais velhas da população.

No volumoso grupo (25% da amostra) de quem tem de 45 a 59 anos, ele lidera por 58% a 42%, mesmo nível da semana passada. Já entre quem tem mais de 60 anos, 22% dos entrevistados, ele manteve a folgada liderança de 73% a 27%. (…)

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

12 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Sebastião

24 de novembro de 2020 às 17h11

Boulos diferente de Haddad, sabe agir contra as fakes News. É um cara que convive com a periferia, e conhece ele vivendo-a. Enquanto Covas, que era um bom vivant, está como candidato pra cumprir tabela somente.

Pra Bolsonaro, a vitória de Boulos é melhor, porque enfraquece Dória. E também, destrona o PT como representante da esquerda. Até porque, o candidato de Lula, nem sequer foi ao segundo turno.

Nem Lula, nem Bolsonaro e nem Ciro, tiveram força pra puxar votos em SP. Os candidatos dos três, não chegaram ao segundo turno.

Responder

    Batista

    25 de novembro de 2020 às 03h10

    E o PT teve a maior votação para vereadores, elegendo a maior bancada na cidade de São Paulo.

    Que coisa, né?

    Tu explica ou não vem ao caso, como tucanos na justiça lavajateira?

    Responder

Paulo

24 de novembro de 2020 às 16h52

Espero que essa juventude venha a se esclarecer mais! Boulos subverte o Estado Democrático de Direito…É um apologista de invasões de propriedade…Além de carregar no bojo todo o resto sinistro da pauta cultural e de costumes da esquerda, abortismo, etc…Está se vendendo pelo que não é…

Responder

Gedeon

24 de novembro de 2020 às 15h31

Essas últimas eleições demostraram claramente que para os prefeitos se reelegerem não precisam fazer muito esforço durante o mandato.

Se não enfiaram as mãos no dinheiro da prefeitura, não fizeram coisas estranhas filhas de ideologias idiotas mas fizeram uma gestão dentro da normalidade a reeleição é quase garantida.

Isso não valeu para administrações de esquerda cujas dotes de gestão, pragmatismo e controle das contas públicas não são propriamente o prato forte da casa…

Responder

Tony

24 de novembro de 2020 às 12h59

Dépois da asneira que fizeram elegendo o Andrade a mando de Lula feito gados duvido que os paulistas façam a mesma cagada novamente…que no caso do Boulos seria moltiplicada a enesima potencia.

Responder

Luan

24 de novembro de 2020 às 12h58

Se eu morasse em Sao Paulo votaria para o Boulos…pelo menos nao é falso, ele mesmo sabe que é retardado mas nao faz a minima questao de esconder….pro resto entre tucanos e esquerdistas amongolados ideologicos é mais ou menos a mesma porcaria, faz pouca ou nenhuma diferença.

Responder

Francisco

24 de novembro de 2020 às 11h39

Tratando-se de votos válidos, o caso dos números apresentados, a diferença caiu não para 8% e sim para 4%, ou seja, 4% + 1 votos válidos e Boulos vence.

Responder

MARINALVA

24 de novembro de 2020 às 09h43

BOULOS TEM TEMPO PARA VIRAR?

Pela últimas pesquisas datafolha, a virada já está em andamento. Agora, considerando a quantidade de eleitores em São Paulo Capital (8.886.3250), e uma provável abstenção de 25% (contando aí votos em branco, nulos e ausência o eleitores às urnas) temos aí um universo de aproximadamente 2 milhões de eleitores a serem conquistados, sem contar com aqueles votos dos indecisos que até domingo, na hora da votação, poderão ser roubados do Bruno Covas.

Considerando uma diferença de 10% entre os dois candidatos (Boulos 45% e Covas 55% de votos úteis, segundo o último datafolha), e o provável percentual de leitores presentes às urnas no 2º turno, a metade desses 10% corresponde a cerca 350 mil eleitores votantes. Arredondando, 400 mil: essa é a quantidade de eleitores a serem conquistados por Boulos até domingo próximo para se eleger prefeito de São Paulo, considerando a
atual velocidade de desidratação ou estagnação da candidatura Covas.

Temos muito pouco tempo pela frente, mas é possível. Inclusive porque o datafolha pode ter subestimado o percentual atribuído a Bolos na última pesquisa (45%), dentro da margem de erro, e superestimado o percentual do Covas, também dentro da margem de erro. Nesse caso o Boulos já estaria tecnicamente empatado com o Covas a essa altura do campeonato, mas a manipulação não permite que esses dados venham à tona. Eles sempre fazem isso quando um candidato de esquerda ameaça, na última semana de campanha, um candidato de direita.

Infelizmente eu só posso torcer pelo Bolos, porque não moro em SAMPA.

ATENÇÃO! MEU COMENTÁRIO ANTERIOR JÁ ESTÁ DESATUALIZADO

Datafolha: Boulos cresce, Covas cai. Diferença cai para 8 pontos

Vamos ganhar esta porra!

Responder

Alexandre Neres

24 de novembro de 2020 às 02h27

Vamo lá, porra. A diferença tá diminuindo. Cadê a turma que defendia a alternância no poder a todo custo, não vale no tucanistão? O jogo é jogado. Olha a onda!

Responder

    Alan C

    24 de novembro de 2020 às 14h05

    Cara, tava pensando sobre esse pleito em SP, uma vitória do Boulos seria ótimo pra desmistificar o campo progressista pra parte do eleitorado que votou no bozo por revolta, aquela parte que não é fascista, que sabemos que é a grande maioria. A vitória dele seria excelente pra 2022, principalmente se ele fizer uma boa gestão.

    Responder

      Alexandre Neres

      24 de novembro de 2020 às 16h50

      Pô Alan, o fato político mais importante do segundo turno foi Boulos trazendo para o seu programa no mesmo dia Marina, Flavio Dino, Ciro Gomes e Lula. O campo progressista está mais do que nunca no páreo em 2022. Bolsonero que se cuide.

      Responder

    Geisa

    24 de novembro de 2020 às 15h10

    É sempre a mesma táctica que as pesquisas usam poucos dias antes da eleição…colocar o quem vai perder com alguns pontos a mais.

    Responder

Deixe uma resposta