Análise em vídeo das manifestações do 2 de outubro e as vaias a Ciro

Moraes decide que Daniel Silveira pode cumprir prisão domiciliar

Por Redação

14 de março de 2021 : 11h42

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, determinou que o deputado federal Daniel Silveira (PSL-RJ) possa cumprir prisão domiciliar. Antes da decisão, Moraes teve que revogar a prisão em flagrante.

O parlamentar bolsonarista foi preso no dia 16 de fevereiro após publicar um vídeo na internet onde ameaça e ataca os ministros da Suprema Corte.

No despacho, Moraes também determina que Daniel Silveira faça o uso da tornozeleira eletrônica e use o sistema remoto da Câmara dos Deputados para registrar suas atividades.

O deputado será vetado de “frequentar ou acessar, inclusive por meio de sua assessoria de imprensa” as redes sociais como Facebook, Twitter, Instagram e o seu canal no YouTube.

Silveira também é investigado no inquérito que apura os atos antidemocráticos e por isso o magistrado ordenou que o parlamentar não tenha contato com outros investigados.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

6 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Paulo

14 de março de 2021 às 12h50

Será que o bombadinho nervoso aprendeu a lição?

Responder

    Tony

    14 de março de 2021 às 13h26

    Foi intimidação então ?

    Responder

      Gilmar Tranquilão

      14 de março de 2021 às 15h16

      O cérebro de bucho chorou que nem maricas, vai ficar chorando até quando, porra??? kkkkkk

      Responder

      EdsonLuiz.

      14 de março de 2021 às 17h21

      Exercido com legitimidade, o Estado tem o poder de polícia.

      Responder

      Guilherme

      14 de março de 2021 às 17h53

      O pior é que foi mesmo.

      Responder

      Paulo

      14 de março de 2021 às 20h21

      Não. Foi legítimo, o ato, pois o crime era permanente, e, portanto, a possibilidade do flagrante de manteve presente…

      Responder

Deixe um comentário