Cafezinho & Cinema: conversa com Ducca Rios, diretor de Meu Tio José

Foto: Agência Senado

Aécio se une a Bolsonaro pelo voto impresso

Por Redação

10 de junho de 2021 : 15h03

Jair Bolsonaro não está sozinho na sua empreitada de fazer o Brasil voltar mais um passo atrás no que diz respeito ao voto impresso nas eleições de 2022.

Na Câmara, o presidente Arthur Lira (PP-AL) autorizou a criação uma Comissão Especial para tratar sobre o assunto e de acordo com o Estadão, os dois deputados do PSDB no colegiado, Aécio Neves e Nilson Pinto, se colocaram nessa barca furada do bolsonarismo.

Para relembrar, após ter sido derrotado pela petista Dilma Rousseff (PT), Aécio fez com que o PSDB pedisse ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) a recontagem do pleito. Como era esperado, o órgão constatou a lisura das urnas eletrônicas.

Apesar do posicionamento de Aécio, o PSDB afirmou nas redes sociais que a postura do parlamentar “não é a opinião externada pelo partido”.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

14 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Alexandre Neres

12 de junho de 2021 às 00h21

Várias vezes eu entro nesse assunto em tom de deboche.

Mas hoje vou tentar falar sério.

Vejo algumas poucas vozes progressistas defendendo a posição de vocês e acho que a pauta em si é legítima. Se até a Nasa não é indevassável, quanto mais as urnas brasileiras. Acho que está sujeita de alguma forma a ser fraudada, conquanto não haja nada consistente nesse sentido, mas acho que contribui para a democracia se puder tornar mais transparente e auditável todo o processo. Para mim,o maior atestado de legitimidade das urnas foi a Dilma ter ganho do Aécio em 2014. Se houvesse um esquema forte de fraude, o Aécio teria levado.

Porém, ah porém…

Uma causa está imbricada as suas circunstâncias.

Jair Bolsonaro está tentando construir uma narrativa de urnas fraudadas na medida em que é cada vez mais concreta a possibilidade de levar uma tunda. Está indo além disso, articulando um golpe e está cada vez mais enredando as Forças Armadas.

Ou seja, ainda que cheios de boas intenções, vocês estão dando palco às maluquices do capitão. O pleito legítimo de vocês não poderia ser mais inoportuno. No fundo, vocês estão legitimando o discurso golpista do capitão cloroquina.

Depois das próximas eleições, quando tirarmos do Palácio o ser mais abjeto que já passou por ali, e olha que a concorrência é grande, creio que essa discussão pode prosperar e quiçá chegar a um bom termo para o bem da democracia.

Nesse momento, ao lado da Carla Zambelli, parece mais uma conversa do gabinete paralelo, repleta de negacionistas e terraplanistas, com suas teorias conspiratórias amalucadas.

Responder

Ronei

10 de junho de 2021 às 20h30

Um cara com a moral que esse helicoca tem só poderia concordar com o jumento do bozo, nada mais.

Responder

    pfvm@r7.com

    11 de junho de 2021 às 12h31

    com todo respeito e concordância da sua visão sobre esses dois picaretas, o fato do Aécio concordar com o Bolsonaro na impressão do voto, não torna o voto impresso uma bandeira para lutarmos contra. este, o voto impresso, sempre foi uma bandeira da esquerda ,tornar o voto auditável é mais que um dever do estado uma obrigação! vc acha que o poder econômico que alcança e domina todo os poros do governo não alcança os programadores ou o sistema de coleta e contagem do voto?
    se o Asno é a favor do voto impresso dane-se, aposto que eles vão voltar atrás, pois eles são representantes do que manipulam o sistema! tem não vamos dar a menor chance de esse animal ,quando derrotado, ter o menor argumento para contestar a eleição, pois está e a verdadeira intenção dele, ele espera e sabe que que o voto impresso seria impedido pela esquerda apenas por ele apoiar, pois é assim que funciona a esquerda!

    Responder

ediverte amorim

10 de junho de 2021 às 16h46

me pergunto como um site, dito progressista faz campanha de desinformação, para inviabilizar o voto impresso. eu sei, e vcs sabem que o voto impresso, como está sendo proposto não é manual, ou levar para casa ou para entregar a tal “milícia “o eleitor não tem contato físico com o voto impresso! .O VOTO IMPRESSO SERVE PARA TORNAR AS ELEIÇÕES OU OS VOTOS AUDITAVEIS, pois hoje não são! não sejam desonestos! qual o interesse por trás desta campanha? dar motivo para Bolsonaro questionar as eleições em 2022? eleger ou ao menos nivelar o resultado das urnas eletrônicas com as pesquisas fraudulentas? com voto impresso Requião estaria no senado! Lindbergh teria sido eleito!

Responder

    EdsonLuiz.

    11 de junho de 2021 às 01h03

    Sim, tornar a urna auditável acima de qualquer dúvida é um aprimoramento do processo eleitoral. Se o custo para isto é caro para o momento ou o prazo até a próxima eleição é muito curto para implementar totalmente este aprimoramento, pode-se preparar conjuntos urna-impressora para uma amostragem matematicamente suficiente para possibilitar certeza acima de dúvidas. Essa amostra seriam 5%% , 2% das urnas?
    Qual a dificuldade em implementar?

    Tornar as urnas eleitorais efetivamente auditáveis serviria atė para torná-las um pruduto para exportação. Muitos países, grandes ou pequenos, não adotam as urnas por falta de certeza em sua segurança.

    No passado, Brizola pedia mais segurança das urnas; depois, o PT também já pediu. Foram demandas legítimas. Em eleiçôes democráticas, o processo tem não só que ser seguro como também passar a certeza dessa segurança. Afinal, o que fica de fato para o eleitor é a percepção que ele tem do processo. E a possibilidade de dúvida no processo eleitoral, mesmo que confiemos nas urnas e no STE, servem de combustível para insinuações levianas por aqueles que vivem de fomentar inseguranças.

    Responder

    Ricardo JC

    11 de junho de 2021 às 08h49

    Não seja ingênua. O voto impresso jamais tornara a eleição “auditável”. No tempo do voto em cédula de papel, as fraudes na contagem e nos preenchimento dos mapas eram imensas. Não havia fiscalização séria. Pesquise na imprensa da época e verás que os votos impressos eram roubados na cara dura (tem até notícias envolvendo Bolsonaro e outros parlamentares). Imagine as contagens manuais em áreas controladas pelas milícias. A urna eletrônica pode ser auditada de modo muito mais eficiente, ainda mais hoje em dia, com toda a tecnologia disponível para isso. Essa luta pelo voto impresso é justamente o que Bolsonaro quer para poder fazer aqui o que foi feito nos Estados Unidos, ou seja, colocar em dúvida o resultado eleitoral (que, atualmente, prevê a sua derrota) enquanto mobiliza sua tropa para tomar de assalto as instituições, alegando fraude. Quanto tempo levaremos para contar os votos impressos, sem garantia alguma de lisura no processo? Semanas, meses? Enquanto isso, a tropa bolsonarista se organiza para criar o caos. Esse plano é manjado e quem é contra o voto impresso, como eu, só quer evitar que isso aconteça.

    Responder

    Liliana

    11 de junho de 2021 às 10h27

    Bom dia, concordo com vc em tudo em que foi exposto. Infelizmente somos poucas vozes, no meio progressista legetimando o tema. A maioria do meio progressista, principalmente boa parte dos blogs, estão tratando este assunto com desinformação. Com abordagem desonestas, que o eleitor terá voto
    de cabresto, quando na verdade a impressão do voto nem sairá da sala de votação, simplesmente para eventual auditoria. Servindo de comparação entre o meio eletrônico e impresso.TSE alegar falta de verba é no minimo contraditório, pois os gastos com o meio Juridico representa 1,5% do nosso PIB. Temos várias tipos de benesses e mordomias para esta casta, será que não é possivel apertar os cintos em algumas delas. Este assunto está sendo protelado +/- desde 2012, em 2014 vetado pelo STF após aprovação do Congresso e da Dilma, com a promessa pelo proprio na eleição de 2018, pelo menos 6% das urnas serem apuradas por meio impresso também. Ja foi provado por vários Técnicos da area que ficar somente no meio eletrônico e passivel de manipulação interna ou externa. Por que certos parlamentares do campo da esquerda antes defendiam e agora tem aversão.

    Responder

carlos

10 de junho de 2021 às 16h36

O Ciro acabou de vez com a candidatura dele e com o PDT, esse energumeno Ciro o Carlos Lupi não são democráticos, porque ser democrático seria propor um plebiscito ou referendo, para saber se o brasileiro queria a urna com voto secreto, ou urna com voto aberto.

Responder

    pfvm@r7.com

    11 de junho de 2021 às 12h37

    cara creio que vc necessite se informar, lei o projeto
    “para saber se o brasileiro queria a urna com voto secreto, ou urna com voto aberto”
    vc é louco? que voto aberto?
    -não é levado para casa!
    -não e manipulado pelo eleitor!
    cara pelo amor de Deus e do Brasil, vá ler! se não quer ler veja os vídeos que mostra a urna!

    Responder

dcruz

10 de junho de 2021 às 16h21

Olha a Mangueira aí, minha gente, dizia o inesquecível Jamelão.Agora, infelizmente, a gente se lembra do jargão, mas chulo: olha o Aécio aí, minha gente. Deveríamos bradar, vade retro, satana. O cara ficou quietinho esse tempo todo, enquanto suas falcatruas eram jogadas pra baixo do tapete e ei-lo de volta, com as devidas manguinhas de fora, ele que foi um dos instiladores do ódio no país quando perdeu para Dilma, um precursor do gabinete de ódio, se isso serve como corrículo. Enfim, é o bananão/laranjal caminhando em seus túneis cada vez mais escabrosos, figuras horripilantes surgindo a cada instante: Aécio, Cunha, Temer e outros que voltam a perambular por aí. O bozo e sua comissão de frente bovídea. A praça da apoteose virou profundezas do inferno.

Responder

Eduardo

10 de junho de 2021 às 15h39

Ué, quer dizer que o fato de que o político, ou o cidadão comum, que defenda o voto impresso tal como elencado no projeto de lei, e que prima pela transparência e pela segurança do processo eleitoral, só o fato de ser a favor disto torna a pessoa “unida a bolsonaro”
Lastimável. O que acontece com a blogosfera de esquerda que não consegue aceitar o pensamento diferente (e que não é necessarimente ruim nem tóxico) e joga os que prezam pelo correto no mesmo colo do facista? Essa pecha não vai pegar.. só observem.

Responder

    Liliana

    11 de junho de 2021 às 10h37

    Parabéns por ser mais uma voz que defende a verdadeira democracia, com as opiniões divergentes desde que fundamentas. E existem vários fundamentos para este temas. Temos vários Profissionais da area de TI, que provaram técnicamente que é possivel sim manipular atraves do software interno ou extarnamente. Pois tivemos até hackers invadindo o sistema da Casabranca/EUA, que dirá o nosso.

    Responder

Alexandre Neres

10 de junho de 2021 às 15h30

O pai da criança, menino mimado, garoto dono da bola, que pelo fato de não saber perder nos conduziu a esta situação caótica. Nos deixou de legado o boçal-ignaro. Aff! Agora vai…

Responder

Ricardo JC

10 de junho de 2021 às 15h20

Ele está dando munição para o Bolsonaro contestar o pleito de 2022 que, ao que parece, ele deverá ser derrotado. Uma vez golpista, sempre golpista. Não tem nenhum apreço pela democracia ou pelo povo desse país. Na verdade, estamos entrando em um verdadeiro inferno, pois as eleições de 2022 estarão irremediavelmente comprometidas se isso for adiante. É a essa gente que o PDT está se juntando. Imagino Brizola se revirando em seu túmulo, neste momento.

Responder

Deixe uma resposta