Análise em vídeo das manifestações do 2 de outubro e as vaias a Ciro

Foto: Agência Câmara

Bloco de oposição recorre ao STF para barrar privatização da Eletrobras

Por Redação

16 de julho de 2021 : 10h31

Nesta quinta-feira, 15, o bloco de partidos de oposição ao Governo Bolsonaro entrou com uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) para barrar a Medida Provisória que permite a privatização da Eletrobras.

A MP já foi aprovada no Congresso Nacional e sancionada pela presidência da República. O anúncio da ADI foi feito pelo líder da Oposição, deputado federal Alessandro Molon (PSB-RJ).

Atualmente, o estado brasileiro é proprietário de 61% das ações da empresa e com a aprovação da MP, a União poderá abrir mão do controle acionário e abrir caminho para a desestatização da maior geradora de energia da América Latina.

O bloco de oposição alega que a medida foi editada sem urgência e que por isso atropelou a Constituição Federal.

Ainda de acordo com os partidos, a MP foi aprovada com emendas sem vínculo com a matéria principal, o que na prática se torna uma gambiarra e que essas emendas alteram o planejamento energético, chamadas pelos congressistas de “jabutis”.

“Conforme sólida jurisprudência desta Corte, a desvirtuação da MP com a profusão de ‘jabutis’ ou ‘contrabandos legislativos’ representa flagrante violação ao art. 1°, art. 2° e art. 5° da Constituição Federal”, afirma um trecho da ADI.

“O Congresso, ao votar a conversão da MP em lei, não se limitou a apreciar a proposta da privatização, acrescentando no texto previsões que não guardam qualquer pertinência com o processo de desestatização da empresa”, completa.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

1 comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Valeria

16 de julho de 2021 às 11h26

Perdem as eleiçoes, perdem no Congresso e choram no STF.

Responder

Deixe um comentário