Análise em vídeo das manifestações do 2 de outubro e as vaias a Ciro

PTB critica carta de Bolsonaro e se refere ao STF como ‘tirania’

Por Redação

10 de setembro de 2021 : 10h34

O PTB, partido liderado por Roberto Jefferson que está preso em Bangu 8 por ordem do ministro Alexandre de Moraes (STF), criticou a carta divulgada por Jair Bolsonaro onde pede desculpas a Suprema Corte e transparece um suposto recuo nos ataques.

Em resposta ao Estadão, a legenda diz o que “não se transige com tirania”, se referindo ao STF. Sem citar Bolsonaro, o PTB também diz que “alguns líderes libertam seus liderados, enquanto outros os tornam livres”.

Leia a carta na íntegra!

O Presidente Nacional do Partido Trabalhista Brasileiro, Roberto Jefferson, está pagando um alto preço por lutar pela liberdade do povo brasileiro. Outros também passam pela mesma situação, contudo, alguns líderes libertam seus liderados, enquanto outros os tornam livres. A coragem de Roberto Jefferson torna a todos livres.

Não se transige a tirania. Roberto Jefferson, líder petebista, paga um alto preço pela luta por liberdade e por justiça. Ele não se rende, não recua, não teme e caminha na vereda da Justiça de Deus. O PTB clama pela liberdade de Roberto Jefferson e pela
nação brasileira.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

1 comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Sebastião de golveia

10 de setembro de 2021 às 20h55

Essa cjoradeira dos aloprados de prisão política não encaixou houve sim prisão de policos bandidos que por acaso chegaram a política agora prisão política se dar em outro contexto povinho?

Responder

Deixe um comentário