Analista da Ideia fala sobre “voto útil” dos eleitores de Ciro a Lula no 1° turno

Imagem: Reprodução

Boulos sugere cautela em relação as pesquisas eleitorais

Por Redação

19 de fevereiro de 2022 : 10h36

Neste sábado, 19, o líder do MTST e pré-candidato a governador de São Paulo, Guilherme Boulos (PSOL), sugeriu cautela em relação as pesquisas eleitorais. Nas palavras do psolista, “Lula é o favorito, mas a eleição não está ganha”.

Boulos avalia que apesar da liderança do ex-presidente Lula (PT) nesses levantamentos eleitorais, ele acredita que Jair Bolsonaro (PL) ainda tem margem para crescer, e um dos pontos citados é o fracasso da chamada terceira via.

“Mas insisto aqui num ponto que tenho martelado em todas as conversas políticas: o jogo não está ganho. A disputa será mesmo, ao que tudo indica, contra Bolsonaro. Nenhum nome da chamada terceira via – a começar pelo patético Sergio Moro – demonstra condições de crescimento”.

Sobre o Auxílio Brasil, programa social do atual governo que substituiu o Bolsa Família, o psolista alegou que não se deve desprezar o impacto eleitoral.

“Seria um erro grosseiro subestimar o efeito de um benefício de R$ 400 para 18 milhões de famílias brasileiras que se encontram na extrema pobreza”.

“Enquanto a grande mídia e a maioria das forças partidárias focam suas atenções em federações, coligações, montagem dos palanques etc. – pode estar em curso, silenciosamente, uma recuperação relativa de Bolsonaro nas periferias urbanas e interiores do país”, complementa.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

11 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Marcelo

20 de fevereiro de 2022 às 22h49

Alberto, mas o Haddad de fato não tem 38%. Ele tem 28%

Não sei de onde você tirou 10 pontos a mais

Responder

Alexandre Neres

20 de fevereiro de 2022 às 18h57

Boulos está coberto de razão, como de costume.

As eleições serão difíceis. Não vai haver passeio.

O boçal-ignaro tem a chave do cofre. Temos o caso do eleitor envergonhado, que tem razão de esconder que vota num rematado imbecil, além de despreparado.

Temos que vestir as sandálias da humildade. Seguir em frente na ponta dos cascos, como nosso candidato tem feito até aqui, com erro zero. Entrementes, tá cheio de candidato por aí que comete um erro após o outro.

Na disputa entre civilização e barbárie, temos que ter todo o cuidado do mundo, já que não podemos correr riscos. A eventual derrota de Lula significaria não só a fragilização da nossa democracia como também a perda de uma das últimas chances de ajustarmos nossas contas com um passado que teima em não ir embora.

Responder

Claudio Freire

20 de fevereiro de 2022 às 09h01

Alberto, mas tem um fator que Boulos não falou e que é fundamental.
Por estarmos ainda longe das eleições, é muito importante nas pesquisas prestar mais atenção as pesquisas ESPONTÂNEAS, e isso está sendo pouco falado.
Nas simulações de primeiro e segundo turnos, o entrevistador mostra os nomes dos candidatos e pede para o entrevistado escolher seu candidato. Nessas, o Lula tem boa dianteira e isso é de fato importante, mostra que neste momento ele é o favorito.
Mas temos toda uma campanha pela frente. E o mais importante: nas espontâneas, quando o entrevistador pergunta em quem a pessoa vai votar sem mostrar os nomes, 40% não respondem ninguém (60% escolhem candidatos, Lula é o mais citado mas Bolsonaro não está muito atrás não). Ou seja, nesta altura do campeonato, antes de começar a campanha, temos 40% que podem ser classificados nesse momento como indecisos (ou que, pelo menos, não escolheram até agora nenhum candidato com firmeza). Tanto Lula quanto Bolsonaro sao bem citados nas espontâneas (Lula um pouco a frente).
O jogo ainda nem começou. Boulos tem toda razão. Não dá para dizer que Lula está praticamente eleito com base nessas pesquisas. Dá sim para dizer que ele é o favorito. Mas a eleição será dura, temos que fazer campanha com garra.

Responder

Celso Loyola

20 de fevereiro de 2022 às 05h57

É ser muito retardado, achar que um ladrão vai dar jeito no Brasil.
O pai do pobre ‘ Lulinha’.

Responder

Alexandre

20 de fevereiro de 2022 às 01h27

E vem aí o Eduardo Leite, candidato do Deep State norte-americano p/ substituir a besta Moro, que nem com td ajuda financeira e da mídia conseguiu emplacar.
O jogo é muito, muito pesado…

Responder

Alberto F. Barbosa

19 de fevereiro de 2022 às 17h38

Ah, o Boulos. É um neófito na política. As pesquisas que coloca Lula no primeiro lugar e vencendo todos os oponentes tem 1 ano que os resultados são os mesmos. Portanto, segundo Boulos, elas podem estar errando por 12 meses seguidos. Incrível! Ele em todas as suas entrevistas coloca um aviso. Cuidado porque Bolsonaro pode crescer nas pesquisas. Cuidado pois Lula não está em primeiro lugar. Cuidado, Haddad não tem os 38% de intenção de votos. Cuidado, cuidado. Quem tem que ter cuidado é o Boulos, pois seus cuidados não tem nenhuma importância.

Responder

William

19 de fevereiro de 2022 às 15h54

De 2018 pra cá não mudou nada.

Responder

Batista

19 de fevereiro de 2022 às 12h28

É isso ai!

Não é por que está 3 x 0 que devemos botar salto alto ao invés de partirmos logo para o 7 x 1.

Quando abril vier e junto definidas as possibilidades das candidaturas, com o fim do prazo de descompatibilizações, criação de federações e trocas partidárias, além dos resultados das pesquisas presenciais do Datafolha e do Ipec (ex Ibope), será chegada a hora de botarmos o nosso bloco nas ruas, pra fechar a goleada e botar de volta à cripta de onde escapou, o xucro nazi-fascismo militiano brasileiro.

Com o xucro nazi-fascismo militiano de volta às catacumbas e o gado dominante contido ‘na formiga’, o Brasil desatola do brejo do atraso, onde novamente o atolaram com o golpe de 2016, e ruma para o futuro, democrático, justo e soberano, que todos brasileiros, de fato, sem embrulhar-se na bandeira, desejam.

E quando outubro chegar, em São Paulo, esperamos eleger o deputado federal mais votado do Brasil e o governador, para ajudar o Brasil sair do atoleiro e ser de novo governado.

Responder

Rony

19 de fevereiro de 2022 às 10h59

Lula não é favorito.

Responder

Tony

19 de fevereiro de 2022 às 10h58

Se até um elemento como Boulos sabe que as pesquisas não valem nada…

Responder

Kleiton

19 de fevereiro de 2022 às 10h56

Bolsonaro já está reeleito, basta ter mais de 12 anos de idade para perceber isso claramente.

Responder

Deixe um comentário

O Xadrez para Governador de Minas Gerais O Xadrez para Governador de São Paulo O Xadrez para Governador do Rio de Janeiro Novo Presidente da PETROBRAS defende preços altos Cadê o churrasco do povo, Bolsonaro? Preço explodiu! Conservadores? A atual juventude brasileira O Indulto sem Graça de Bolsonaro Os Principais Eleitores de Lula Os Principais Eleitores de Ciro Gomes Os Principais Eleitores de Bolsonaro