Mais de 70% dos eleitores já estão decididos sobre o voto presidencial, diz DataFolha

As novidades da pesquisa IPESPE

Por Cleber Lourenço

23 de setembro de 2022 : 13h51

ANÁLISE DA PESQUISA IPESPE | 23/09

Mais uma vez temos espontânea e estimulada se aproximando, além disso, é possível ver que Lula cresceu 3% enquanto Ciro perdeu 2% e Tebet 1%. Seria o voto útil? Talvez!

A estagnação do presidente nas intenções de voto tem explicação: estagnação na aprovação do governo que segue mal avaliado por maioria da população.

Consequente isso também refletiu na probabilidade de voto do presidente. Não só Lula como também Bolsonaro seguem com os dados estáveis assim como se repete desde janeiro deste ano.

Aqui um dado que poderia ajudar, seria a avaliação do governo, que também está estática. Muito ruim para o Jair faltando menos de 10 dias para o primeiro turno.
A percepção do público sobre economia e a cobertura do presidente seguem bem ruins também.

Como eu venho apontando, a cobertura do presidente é majoritariamente negativa como podemos ver.

Já a expectativa de melhora pode estar relacionada diretamente com as eleições.

Lula conseguiu avançar em todas as faixas rendas, o que é algo muito positivo, além disso, segue empatado com a classe média (2-5 SM). Bolsonaro cresceu apenas entre quem tem +5SM de renda e ficou estagnado nos outros grupos.

Já nas regiões do país, Lula cresceu no sul e sudeste enquanto Bolsonaro ficou estável em todas as regiões.

Sul e sudeste deram uma ampla votação para Bolsonaro em 2018, além disso, a vantagem do Bolsonaro no Sul encolheu. Essa estagnação do Bolsonaro se reflete nos cenários de 2T, onde – como sempre – Bolsonaro fica preso na casa dos 30%.

Mostra que independente de Lula, Tebet, Ciro ou afins, o eleitor tem uma certeza: Bolsonaro não. Isso é corroborado pelas avaliações de governo e potencial de voto que estão muito negativas para o governo faltando menos de 10 dias para o primeiro turno.

Bolsonaro precisa de algum fator externo para virar. A maior dúvida aqui, aparentemente, é se o presidente irá perder no primeiro ou no segundo turno. Já a campanha do Lula segue com a mesma recomendação: foco na classe média, abstenções e sudeste.

Ainda há muito trabalho pela frente para uma vitória em primeiro turno. É impossível? Não! Mas também não está na próxima esquina

Cleber Lourenço

Defensor intransigente da política, do Estado Democrático de Direito e Constituição. | Colunista no Brasil de Fato e O Cafézinho e roteirista do canal Galãs Feios com passagens pelo Congresso em Foco e Revista Fórum | Nas redes: @ocolunista_

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

Nenhum comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »


Deixe um comentário