Bahia: Refinaria privatizada provoca desabastecimento de Gás de Cozinha

Imagem: Agência Senado

Projeto sobre transparência de emendas RP9 está pronto para votação

Por Redação

15 de dezembro de 2022 : 13h50

O senador Marcelo Castro (MDB-PI) apresentou nesta quinta-feira (15) relatório favorável ao Projeto de Resolução que tem o objetivo de dar transparência às emendas de relator-geral do Orçamento da União, as emendas RP9. Apresentado em conjunto pelas Mesas do Senado e da Câmara dos Deputados, o texto (PRN 3/2022) define critérios de distribuição das emendas de relator e pode ser votado na sessão do Congresso marcada para hoje. Castro recomenda a aprovação na forma de um substitutivo. Ele incluiu a destinação de recursos para a educação. 

Pelas regras atuais, a decisão sobre repasse das emendas RP9 fica com o próprio relator do Orçamento, sem critérios objetivos. Pela proposta, o relator passará a fazer indicações para a execução das programações cadastradas por parlamentares, que poderão ser fundamentadas em demandas apresentadas por agentes públicos ou por representantes da sociedade civil.

A proposta prevê que as indicações para essas emendas serão feitas de acordo com o tamanho das bancadas partidiárias.

Conforme o projeto, a indicação da verba passará a ser dividida da seguinte forma:

  • 15% para o comando do Senado e da Câmara: 7,5% para a Mesa Diretora de cada Casa;
  • 5% para serem divididos entre o presidente e o relator da Comissão Mista de Orçamento (CMO), e
  • 80% para as indicações dos partidos, de acordo com o tamanho das bancadas: 23,33% para as indicações dos senadores e 56,66% para as indicações dos deputados

Saúde, educação e assistência social

A medida ainda determina que 50% das emendas deverão ser direcionadas para ações e serviços públicos de saúde, de educação e de assistência social.

O relator, Marcelo Castro, acatou uma emenda do senador Esperidião Amin (PP-SC) para incluir a liberação de dinheiro das emendas para a educação. Antes, o texto previa a reserva apenas para “saúde ou assistência social”. Outra emenda acatada, esta da senadora Eliziane Gama (Cidadania-MA), substitutiu a conjunção “ou” por “e” de forma a assegurar que ambas as áreas sejam contempladas.

No PLOA 2023, a reserva para as emendas do relator-geral é de R$ 19,4 bilhões.

Julgamento

O projeto de resolução foi apresentado em meio ao julgamento do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre a constitucionalidade das emendas de relator, que sofrem críticas pela falta de transparência. 

Na justificativa da proposta, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, o presidente da Câmara, Arthur Lira, e os demais membros das duas mesas afirmam que a medida confere transparência e implementa o critério de impessoalidade. 

Fonte: Agência Senado

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

1 comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

carlos

15 de dezembro de 2022 às 14h47

O conselho de ética da Câmara,é um conselho de vagabundos teleguiados, que o povo elegeu, sem nenhum conhecimento de ética, ética é fazer tudo procurando fazer bem feito, enquanto eles fazem o mau feito.

Responder

Deixe um comentário