Live do Cafezinho: balanço dos partidos de esquerda

Campanha para fortalecer o Cafezinho!

Por Miguel do Rosário

04 de outubro de 2015 : 22h10

Amigos e amigas, dentro de alguns dias, estrearemos o novo design, além de muitas outras novidades. Prometo que será uma reforma para melhor. O blog ficará mais funcional, mais simples, mais moderno, mais ágil. Terá uma aparência mais profissional sem perder o seu charme blog, a sua singeleza um pouco artesanal.

Tem só uma coisa que certamente não agradará a todos, mas integra uma das estratégias mais importantes para dar sustentabilidade ao blog. As Análises Diárias de Conjuntura serão fechadas para assinantes. Serão apenas as Análises – na verdade, eu comecei a fazê-las já pensando nisso. Todos os outros conteúdos do blog continuarão livres e gratuitos.

As análises de conjuntura serão publicadas às 15 horas, bem objetivas, com uma ou duas laudas.

Apesar da publicidade estar crescendo, as assinaturas continuam o principal subsídio do blog, e considero saudável que a sustentabilidade seja sempre diversificada: assinaturas, publicidade, projetos especiais (vídeos, reportagens, etc).

Então venho aqui repetir minha periódica campanha por mais assinaturas para o blog.

Não vou apelar para nenhum fatalismo dessa vez, tipo SOS Cafezinho, ou ameaçar com o fechamento do blog, porque isso é impossível. O mais trágico que pode acontecer com o Cafezinho é retroceder para um blogspot gratuito e bola pra frente.

Também é impossível o Cafezinho mudar de lado. É um blog de esquerda, que apoia os movimentos sociais, os sindicatos e todas as organizações que defendem a classe trabalhadora e os estudantes.

Da mesma forma, não vamos abandonar o governo Dilma ou o partido dos trabalhadores em seu momento mais difícil.

É muito fácil apoiar o governo quando este goza de popularidade nas alturas, como já aconteceu com Lula e com a própria Dilma. Aliás, na época, alertamos que Dilma não devia se deslumbrar com a alta popularidade. O importante, para qualquer governo ou partido, é construir um apoio orgânico e organizado, não um apoio de “ibope” e “datafolha”.

Quanto ao PT, a mesma coisa. O partido precisa se renovar, criar programas de transparência, democratizar-se, voltar às bases, capilarizar-se, reconquistar a juventude.

Como cidadão brasileiro e blogueiro de esquerda entendo a importância de ajudar o PT a reconstruir a sua imagem.

Não só o PT. Todos os partidos estão em crise e precisam ser melhorados.

Como o PSDB, por exemplo, sairá da armadilha de extrema-direita em que se meteu?

Acho extremamente arrogante, por parte de qualquer um, fazer previsões taxativas sobre o fim de algum partido. Um partido, quando é orgânico, nunca morre. Pode experimentar crises, ficar por baixo, ser perseguido, porque tudo na vida passa por ciclos. Mas sobreviverá – quiçá mais forte, em função da experiência.

Não cometerei o erro de repetir a estratégia fascista de alguns setores da oposição e criminalizar quem pensa diferente de mim. Não, o Cafezinho acredita na democracia, e por isso entende que podemos crescer ouvindo o outro.

Por outro lado, também não sou fatalista. Se derrubarem Dilma e fizerem algum derrotado eleitoral assumir seu lugar, terão cometido o pior de todos os erros, um erro que redimirá todos os erros da esquerda.

E se perseguirem os movimentos sociais, os sindicatos, os blogs, o que será uma consequência necessária da escalada autoritária (cujo primeiro passo seria o golpe), apenas estarão cavando um buraco mais profundo para serem enterrados pela história num momento seguinte.

Se hoje ainda conseguimos constranger os autoritários, os barões da mídia, com a lembrança do que eles fizeram “no verão passado”, a saber, as suas mentiras e conspirações para derrubar Jango, nosso poder aumentará em vinte vezes se eles patrocinarem, pela segunda vez em cinquenta anos, um outro golpe de Estado.

Tirar um partido do poder é muito fácil. Temos eleições de dois em dois anos. Votem em candidatos de outros partidos, assim são as regras do jogo democrático.

O momento é complexo, de crise, mas o Cafezinho acredita que o resolveremos nossas divergências políticas com debate, esclarecimento, informação e pesquisa.

A palavra crise é um dos vocábulos mais antigos e mais ricos do mundo ocidental.

A raiz de crise, “kri”, forma as palavras essenciais da nossa cultura política: crítica, crise, critério, crime, criminoso. Os vocábulos gregos originais remetiam todos ao sentido de “julgamento”, “seleção”, “depuração”.

Até mesmo “grito” vem da mesma raiz, e da palavra grega “kritzo”.

O vocábulo grego “krisis”, segundo o A.Bailly, dicionário grego-francês, significava: ação ou faculdade de distinguir; ação de escolher; ação de separar, dissenção; contestação em justiça, processo; fazer uma acusação; ação de decidir, de onde: decisão, julgamento; julgamento de uma luta. O significado que mais parece com o sentido atual da palavra, em português, é: fase decisiva de uma doença.

Por fim, krisis também significava: explicação ou interpretação de um sonho.

crisis

Todos esses significados – decisão judicial, escolha, fase decisiva de uma doença, e até mesmo interpretação de sonhos – conferem à palavra crise uma rica e complexa densidade semântica, sempre coerente com o sentido da raiz kri: de julgamento e escolha.

O momento de “krisis”, portanto, é o momento de fazer escolhas. Para isso, é preciso informação. E a imprensa parece cumprir a missão antes de desinformar e emburrecer.

O que eu sugiro, humildemente, é que os leitores e leitoras apostem num outro tipo de informação.

Em suma, sugiro que assinem o blog O Cafezinho.

A contrapartida, conforme já adiantei acima, será o acesso – mediante login e senha – à Análise Diária de Conjuntura.

Para assinar, entre na página Assine, ou clique aqui. Se já foi assinante ou esqueceu qual é o seu status atual, entre em contato com a Mônica Teixeira, secretária comercial do Cafezinho, pelo email assinatura@ocafezinho.com, ou pelo cel/whatsapp 5521995307519.

Use os mesmos contatos para tirar qualquer dúvida.

Apostar numa informação realmente livre, é apostar na democracia!

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

14 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Mardete Sampaio

05 de outubro de 2015 às 18h33

Os blogs nos salvaram do, cada vez mais pobre, jornalismo nacional. Mas alguns blogs nos ofereceram qualidade. Obrigada.

Responder

Everton Araujo Ferralli

05 de outubro de 2015 às 18h22

Não gostei a respeito da privação de conteúdo. Uma pena para nós que sempre estivemos do lado do cafezinho!!!

Responder

Célia Nadir Anselmi

05 de outubro de 2015 às 15h38

Vamos fazer campanha contra esse site que só faz proteger os malfeitores.

Responder

Amarilia Teixeira Couto

05 de outubro de 2015 às 14h26

Aguardamos as novidades .

Responder

Mônica Dias Rêgo

05 de outubro de 2015 às 02h38

Com muito gosto, tomarei meu cafezinho diariamente

Parabéns. Sei que estarei super bem informada através do seu talento e imparcialidade.
Aos outros, bem: só lhes restam tacar pedras. Sim, tacar pedras.
Árvores boas dão bons frutos e eles precisam muuuuiito desses frutos para sobreviverem. Por isso perdem tempo vindo aqui atacar de maneira tão mesquinha.
Cada um dá o que tem.

Responder

Marcelo Nicolau

05 de outubro de 2015 às 01h52

Edu Guimarães, João Manuel Tiago Carvalho

Responder

Marcos Alexandre

05 de outubro de 2015 às 01h26

Parabéns pelo trabalho, o Brasil e a democracia agradecem!

Responder

Loloano C. Silva

05 de outubro de 2015 às 01h19

Que foi, defender o PT não tá dando ‘likes’ mais? :P

Responder

    Renata Js

    05 de outubro de 2015 às 01h26

    Vamos acender uma vela para Lacan e Freud ajudarem você a entender essa sua mente e alma atormentadas.

    Responder

    Valdir Dantas

    05 de outubro de 2015 às 01h28

    KKKKKKKKK

    Responder

    Edilson José Stocco

    05 de outubro de 2015 às 01h50

    Atormentado é quem ainda defende o Lula, Dilma, José Dirceu, PT, etc, mesmo depois de toda a bagunça que fizeram nos treze anos que estão governando o Brasil.

    Responder

    Loloano C. Silva

    05 de outubro de 2015 às 01h54

    Admito que houve avanços sociais importantes feitos pelo governo PT. Mas agora eles se venderam e não passam de um capacho do PMDB e das políticas de cabresto com as quais o Brasil sempre esteve acostumado. Há que se abrir os olhos.

    Responder

    Renata Js

    05 de outubro de 2015 às 17h37

    Edilson José Stocco Defendo a democracia e o direito de as pessoas poderem votar em quem consideram adequadas, respeitando o direito do outro e os resultados das urnas. Defendo a formação política, a informação como antidoto à barbárie e à ignorância. Agora acenderei também uma vela para Hannah Arendt iluminar sua mente fascista.

    Responder

    Mardete Sampaio

    05 de outubro de 2015 às 18h30

    Renata Js, a leitura de alguns comentários me recorda duas frases que considero sábias. A primeira… Deixa o ódio pra quem tem”. A segunda, aquele maravilhoso provérbio árabe: “Os cães ladram a caravana passa.” Salve!

    Responder

Deixe uma resposta