Mais de 70% dos eleitores já estão decididos sobre o voto presidencial, diz DataFolha

‘No Brasil é mais fácil destituir a presidente da República que retirar dos políticos suas licenças de rádio e TV’, diz Repórter Sem Fronteiras

Por Redação

22 de julho de 2016 : 09h35

por Carlos Eduardo, editor do Cafezinho

A Organização Não Governamental (ONG) Repórteres sem Fronteiras, sediada em Paris, divulgou um documento intitulado Relatório Mídia: Os oligarcas vão às compras, que apresenta um panorama dos conflitos de interesse que cercam o jornalismo e a liberdade de informação no mundo.

O Brasil é citado pela RSF como o país em que é mais fácil destituir um presidente da República do que retirar dos políticos suas licenças de exploração de concessões públicas de rádio e TV. Uma imoralidade proibida nos Estados Unidos e Europa.

A extrema concentração de mídia no Brasil, que hoje se restringe a meia dúzia de famílias, também é destaque no documento.

midia-rsf1

Clique aqui para ler o relatório (em inglês)

 

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

2 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

paulo

23 de julho de 2016 às 00h06

Concentração dos meios de comunicação, concentração de riquezas, concentração fundiária, concentração dos recursos públicos. Todos esses gráficos se entrelaçam. O poder econômico no sistema politico, o sistema politico garantindo o status quo da concentração. Poder para concentrar, concentrar para poder, e é claro, sem corrupção essa lógica não funcionaria tão bem.

Responder

Alexandre Oliveira

22 de julho de 2016 às 10h47

Verdade, inclusive aquelas concessões distribuídas a políticos ao longo de treze anos de governo de PT .

Responder

Deixe um comentário