Cafezinho 5 minutos: o conceito de autocrítica

Bolsonaro dá show de racismo, até contra judeus, e a comunidade judaica o aplaude

Por Bajonas Teixeira

07 de abril de 2017 : 18h48

Por Bajonas Teixeira,

Embora o fato tenha ocorrido há quatro dias, ele dá muito o que pensar e não vai ser facilmente esquecido. O clube A Hebraica do Rio de Janeiro, dentre os locais que preservam a cultura judaica,  foi único lugar do mundo em que um líder extremista de direita e racista foi recebido, fez apologia do extermínio, ganhou aplausos e arrancou gargalhadas do público. Uma afronta à memória do genocídio judeu que, no mínimo, deve ter horrorizado a comunidade judaica internacional.

Vejamos primeiro o que ocorreu durante o evento e deixemos para o final a tentativa de explicar essa surpreendente abertura das portas para Bolsonaro exercitar a sua especialidade: a propaganda do ódio.

Jair Bolsonaro deu um show de racismo no clube judeu, mais ostensivamente contra negros e índios, mas também contra os próprios judeus. Usou o termo “raça” – que em seu contexto político de extrema direita deveria soar horripilante aos judeus presentes –  para atacar os manifestantes que o vaiaram: “Alguém já viu um japonês pedindo esmola por aí? Não, porque é uma raça que tem vergonha na cara. Não é igual a essa raça que tá aí embaixo, ou como uma minoria que tá ruminando aqui do lado”.

A palavra “raça”, como se vê, com uma carga abominável de preconceito, foi lançada contra os próprios judeus, contra aqueles que protestavam dentro (“uma minoria que tá ruminando aqui do lado”) e contra os que protestavam do lado de fora (“essa raça que tá aí embaixo”). E, enquanto isso, a maioria dos judeus presentes gargalhava e aplaudia.

Para ir fundo na abjeção, Bolsonaro atacou os negros. Afirmou que em um quilombo que visitou “o afrodescendente mais magro pesava sete arrobas”.  É evidente que, mesmo sem considerar o resto, a mera aplicação da palavra “arroba” para se referir a um negro, o reduz à condição de gado e o animaliza.

O público foi ao delírio, aplaudindo e gargalhando com entusiasmo.

E isso é incrível porque os precursores da animalização, os nazistas em seus filmes de propaganda, investiram justamente na associação entre os judeus e os ratos. Como se sabe, a animalização é a preparação para o extermínio. Mas ninguém, nenhum dos judeus que foram prestigiar Bolsonaro na Hebraica, lembrou-se disso. Ao contrário, todos extravasaram alegremente  o prazer com a degradação dos negros.

Mas Bolsonaro foi além, nesse processo de animalização, retratando de forma ainda mais degradante o negro na perspectiva da animalização ao afirmar que  “nem para procriar”  serviam.  Ora, um animal que não serve nem para a reprodução, o que se faz com ele? Se abate. É preciso desenhar para que se veja aí as premissas de um genocídio?

Ele justificou também, como sempre fez,  a execução sumária  por policiais, chamando as vítimas de “vagabundos”. E, apesar de ter dito que os que estavam “lá embaixo” – um grupo de judeus indignados que protestavam contra sua presença na Hebraica –  eram também “vagabundos”, foi aplaudido pelos judeus que estavam acompanhando seu discurso.

Mas isso foi pura apologia ao crime, já que as leis brasileiras proíbem a execução sumária. Tanto é assim que, já ontem, se lia que os PMs que assassinaram os “dois vagabundos” foram  indiciados por homicídio doloso.

Esses judeus deveriam ter refletido sobre o seguinte: se os jovens judeus que protestavam lá fora eram, eles também, “vagabundos”, também estavam sendo postos na linha de tiro de Bolsonaro, sendo justificada a sua execução sumária, já que, no contexto, a ideia era a de que vagabundo bom é vagabundo morto.

Todos os aplausos e gargalhadas ouvido no interior da Hebraica, não esqueçamos porque é um agravante, ocorreram enquanto o Rio de Janeiro se encontrava sob o impacto da morte brutal da estudante Maria Eduarda Alves, trucidada por policiais que realizavam uma execução.

Cumpre lembrar que em SP, no dia 27 de fevereiro, a Hebraica cancelou evento com Bolsonaro. O incrível, porém, é como podem ter programado um evento com Bolsonaro.

De todo modo, foi o manifesto assinado por milhares de pessoas, a maioria certamente judeus indignados, que demoveu a direção da Hebraica-SP de levar à frente o projeto. Já no Rio de Janeiro, ao contrário, foi justamente como uma vingança contra a desfeita ao líder da direita em São Paulo, que se promoveu o evento. Foi um desagravo.

O que se perguntará em futuro próximo é se essa reação do Rio de Janeiro, estranha e surpreendente, guarda alguma relação com a feira de armas do Rio, um evento internacional que tem Israel e as empresas israelenses de armamento (os caveirões, afinal, não caem do céu) como principais promotores e beneficiários. E Bolsonaro, como todo mundo sabe, ao pedir a liberação das armas, atua em consonância com os interesses da indústria de armas.

E mais: os interesses da indústria de armas de Israel, vão infinitamente além de fuzis e pistolas. Trata-se de alta tecnologia militar que, em caso de um Bolsonaro na presidência, iriam drenar bilhões para a indústria da morte.  E, afinal, não será isso que explica os aplausos, as gargalhadas, enfim, o delírio causado no público presente?

COMPARTILHE. Visite e curta a MÁQUINA CRÍTICA: https://www.facebook.com/MaquinaCritica/

 

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

233 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Luis de Almeida Nobrega

12 de maio de 2018 às 17h14

Uma carta aos judeus que riram da fala racista de Bolsonaro

Riram. Ouvem-se risos da plateia que achou graça; riram quando o mais abjeto sub-produto da cultura do ódio que nos une, afirmou, solene e para quem quisesse ouvir, que, em “visita” a um quilombo, o afrodescendente mais magro pesava sete arrobas, que sequer para reproduzir serviria. Utilizou-se, não à toa, de uma unidade de massa que se pratica no comércio do boi de corte, no matadouro ou nos frigoríficos.

Explicitamente, animalizou os moradores das comunidades quilombolas, não sem antes assegurar que nenhuma demarcação de terra indígena deveria ser feita. Disse de forma jocosa, irônica. Os que riram, por certo o fizeram porque concordavam com o sarcasmo daquele um, cujo nome me soa impronunciável como o pior dos palavrões. Sórdido, conhecido como sórdido, o que disse estava à altura de seu nefasto repertório. Quem diz isso na frente de todos, deve dizer coisas muito piores na sua intimidade: se é ruim em público, deve ser horroroso no privado.

O que me chamou a atenção não foi somente sua afirmativa, mas quem ria, de quem partiam as risadas ao fundo. Eram judeus, que reuniam o pior de sua colônia, em torno de uma fogueira hebraica, onde foram ouvi-lo aquele abominável parlamentar. Cada um deles, cada um daqueles que riu da anedota do deputado, vulgarizou a perseguição que seus antepassados próximos sofreram; cada judeu que riu, cobriu de vergonha a memória dos judeus mortos no Holocausto, cada judeu que riu traiu sua história, sua gente, seu povo. Riram diante do extermínio dos quilombolas, que somente existem porque ante o massacre e humilhação da escravidão, ergueram comunidades, onde pisariam o chão como seres humanos, senhor cada qual de sua história, e não como reses, na forma que os reduziu as arrobas do canalha palestrante.

Como os judeus fizeram abrir o mar, os negros quilombolas abriram a mata fechada para fugir da opressão, para uma terra prometida onde jamais fossem torturados e mortos. A diferença é que os negros foram isolados na própria miséria, a diferença é que pagam até hoje pelo sonho de liberdade, a diferença é que morrem silenciosamente, sem protestos, sem indignações.

Como os judeus escravizados, os quilombolas enfrentaram doenças e mortes, pragas e feras, para que erguessem heróis que, todavia, jamais foram estudados pela História Oficial, que traça a biografia do bandeirante branco exterminador e que silencia o negro libertador e libertário. Quem conheceu uma comunidade quilombola – eu conheci – viu muita história e cultura, mas também isolamento e miséria, sem que coubesse qualquer anedota ou sarcasmo.

Os judeus, que protestavam fora do anfiteatro onde se dava a conferência (se é que assim se pode chamá-la) e nada mais faziam que sua obrigação, deveriam ter invadido o recinto e esmurrado um a um dos que estavam sentados, comportados e risonhos. Deveriam ter chutado de lá dentro o deputado e sua corja. Os judeus que protestaram fizeram apenas um contracanto, que serviu para elevar ainda mais o tom do genocida palestrante.

Um ator global, beirando os setenta anos de vida e lutando contra a velhice, uniu contra si toda a burguesia global bem nascida, ao de forma estúpida e abjeta assediar uma sua colega de trabalho, não atriz, mas uma figurinista, dirigindo-lhe vulgaridades machistas e misóginas. De galã da terceira idade, viu-se transformado no Conde Drácula e sua falta grave foi tema do Jornal Nacional, a quem teve que apresentar publicamente seu quinhão de culpas, após ter passado por intensa mobilização nas redes sociais.

Todavia, a anedota do deputado teve seus protestos circunscritos à turma de sempre. Esperaria vê-lo amaldiçoado pelo Diretor da Hebraica Carioca, fulminado por alguma autoridade consular importante de Israel, ter sobressaltado o Supremo e a Mesa da Câmara para que fosse processado por difamação e cassado por quebra de decoro parlamentar (jamais se viu algo assim), ter sido desmentido por alguém que lhe fosse próximo e amigo, que tivesse fechadas as portas de cafés, bares, restaurantes e posto isolado nos aeroportos.

Imaginaria que finalmente ele houvesse encontrado o fim de sua caminhada e que fosse processado criminalmente, que os sacripantas que riram de sua anedota fossem expulsos da comunidade judaica. Imaginaria que ele fosse condenado a pagar uma indenização ao Clube Hebraica e o Clube Hebraica condenado a pagar uma indenização a sei lá a quem, por ter convidado um verme para falar a seus associados.

Que o Ministério Público saísse de seu casulo protegido e monotemático e o processasse civilmente. Imaginaria o Procurador Geral da República e o Presidente do Supremo Tribunal Federal livres de picuinhas menores, lamentando e tomando todas as medidas contra o deputado.

Nada. A julgar pelas reações, a ofensa de José Mayer foi muito mais grave de a Jair Bolsonaro. Estamos definitivamente doentes. Atordoados pelo nosso ódio, atordoados porque nunca estivemos e fomos tão ruins.

Humanamente ruins.

Roberto Tardelli é Advogado Sócio da Banca Tardelli, Giacon e Conway. Procurador de Justiça do MPSP Aposentado.

Responder

Sjir

14 de abril de 2018 às 14h56

São protegidos dos Estados Unidos..abusam dos pobres palestinos.. judeus covardes um dia este estado de coisa vai mudar
Vergonha do mundo

Responder

Sjir

14 de abril de 2018 às 14h51

Judeus a vergonha do mundo não aprenderam com o sofrimento e continuam a roubar e matar inocentes são sem vergonha .

Responder

Hao

09 de abril de 2018 às 07h23

Bolsonaro tem visões que contradizem os ideais de Cristo.
Até parece que o Bolsonaro não lê a bíblia quando sai aí defendendo torturas e a morte de bandidos.

Em passagens da Bíblia, Jesus foi colocado de frente com uma mulher acusada de adultério e disse aos acusadores “Quem nunca pecou, que atire a primeira pedra.”

Assim, pouco a pouco quem a acusou saiu do local e Jesus disse a mulher que ninguém havia a acusado, mas pediu para que parasse de pecar.
Ou seja, Jesus não defendia bandido e pecadores, ele queria salvar a alma deles do pecado.
Quem queria que Jesus fosse um socialista agitador era Judas.

Durante o julgamento de Jesus o povo teve a opção de escolher quem deveria ser crucificado.
Barrabás queria salvar o povo através da selvageria e Cristo queria salvar o povo através do amor e perdão.
E o povo pediu Barrabás que era um assassino e quem foi para a crucificação foi Jesus que era inocente.

Aí é a pergunta que fica: Se Bolsonaro, que é um pecador de carterinha por defender banalidades, quer mesmo usar o título de Messias, então quer dizer que ele vai se sacrificar para salvar o Brasil do pecado?

Eu particularmente não defendo nenhum partido seja de direita ou esquerda pois ambos estão sujos com a corrupção, mas mesmo assim é um disrespeito ao cristianismo ter alguém como Bolsonaro querer usar a religião por puro oportunismo.

Responder

Pedro

14 de fevereiro de 2018 às 04h32

Kkkkk, o bagulho tava pesado hein?

Responder

André Faermann

03 de fevereiro de 2018 às 01h30

Lamentável a forma com que vocês usam de hermenêutica direcionada para distorcer a fala de Jair Bolsonaro, claramente fazem uma mídia aparelhada que leva ao entendimento do que foi dito.
Porque vocês não fazem o mesmo sobre lula, Dilma e temer, Aécio, Alckmin, FHC, vcs estão preocupados com o Bolsonaro ou com os venezuelanos que invadem o Brasil fugindo de lá?
Apóiem corruptos de esquerda e logo a liberdade de imprensa morrerá.

Responder

Ricardo

27 de novembro de 2017 às 14h54

A espontaneidade e sinceridade de Bolsonaro virou as últimas migalhas da esquerda para tentar queimar o filme dele. As pessoas fracas hoje em dia estão com a auto estima tão baixas e com as vidinhas tão medonhas e irrisórias, medíocres que procura qualquer fonte de vitimismo para se agarrar. Efeito Patricinha e Playboyzinho revolucionário (ou ocioso). Quem conhece e acompanha o Bolsonaro há anos como eu, sabe que o cara não tem nada de racista, nem contra gays, negros, judeus etc… Ele ABOMINA são os privilégios que essas certas ditas cujas “minorias” conforme a esquerda ama apelidar para vitimizar e dividir (população negra e parda brasileira é a maioria …). Kit Gay e cotas raciais (o absurdo do absurdo) ele é contra pois tanto um quanto outro traz benefícios para grupos específicos de pessoas. Cota ele é a favor desde que seja para pobres, não divididas por raças. Quanto aos quilombos e as comunidades indígenas ele falou alguma mentira?? Índio não quer canoa, quer HiLux, Índio não quer mais viver isolado na mata, ele quer inclusão social. Aos pseudos iludidos, a escravidão já passou há muito tempo. Quilombolas caso queiram existir e se isolar da sociedade que o façam, mas sem mamar nas tetas do governo ou afetar o desenvolvimento do país. Quilombola é oriundo da palavra auto sustentável.

Responder

Aline Wolffenberg

09 de outubro de 2017 às 00h00

Como judia, venho manifestar a minha indignação com a citação do Estado de Israel neste caso. Não, a venda de armas isralenses nada tem a ver com este caso. O que ocorre é que a esquerda brasileira está contaminada por um discurso falso anti-Israel. Digo falso porque é baseado em falsificações históricas, porque fala de um falso genocídio palestino, falso porque nunca ocorreu nada disso. Então, o que acontece? Judeus que amam Israel, que conhecem o país e não podem concordar com a posição da esquerda brasileira, mas estão descrentes de que possam mudar a cabeça de partidários da esquerda nacional optaram por se agarrar ao Bolsonaro, que tem dito que ama Israel. Eu digo sempre que Bolsonaro é um mentiroso, mas, mesmo que fosse verdade, nós não podemos nos unir a um homem que é claramente preconceituoso e racista. Enfim, a própria esquerda tem culpa no que vem ocorrendo. Espero que meu comentário seja postado. Eu virei à página daqui a 3, 4 dias ver se meu comentário está visível. Espero que a esquerda brasileira possa fazer auto-crítica, principalmente quanto às mentiras que vem dizendo sobre o Estado de Israel. Se não querem ver judeus apoiando o Bolsonaro (concordo que é muito triste), comecem por parar de propagar mentiras sobre Israel.

Responder

Luciano

24 de setembro de 2017 às 13h35

Oĺa Mauricio, cuidado com mídia escrita, procure o vídeo e tire suas conclusões, na verdade se essa matéria fosse séria ela teria o link do vídeo.

Responder

Mauricio do como

29 de julho de 2017 às 13h46

Eu pensava em apoiar o Bolsonaro mas seu texto abriu meus olhos, muito obrigado.

Responder

Anônimo

20 de julho de 2017 às 23h47

Não li o seu texto. Mas deve estar cheio de abobrinhas.
o Bolsonaro não é premeditado como os que aclamam contra a racismo que na realidade querem é dizer : eu não sou racista. Como se isso fosse ser diferente e não os contrários que são uma minoria de imbecis que não aceitam o obvio. Que ~ser preto não é ser de raça diferente, mas de tipo estético deferente.
Logo alguns deveriam dizer. Eu não sou preconceituoso ( não é racista ) contra os pretos, ou contra os velhos, afinal se uma velha te quer, tu fala: vê se te manca velha … tu vai no ” shopping ” por que o centro é lugar de pobre, tu come a R$ 80,00 Kg e não no salve servisse a R$ 10,00 e … e tudo mais e ao menos se saca. Bom mais ao menos quanto as pretas tu se controla, mas não consegue fazer sexo oral.

Responder

Anônimo

20 de julho de 2017 às 23h36

Não li o seu texto. Mas deve estar cheio de abobrinhas.
o Bolsonaro não é premeditado como os que aclamam contra a racismo que na realidade querem é dizer eu não sou racista. Como se isso fosse ser diferente e não os contrários que são uma minoria de imbecis que não aceitam o obvio.
Logo alguns deveriam dizer. Eu não sou preconceituoso ( não é racista ) contra os pretos os contra os velhos, afinal se uma velha te quer tu fala: vê se te manca velha … tu vai no ” shopping ” por que o centro é lugar de pobre, tu come a R$ 80,oo o Kg e não o salve servisse de R$ 10,00 e … e tudo mais e ao menos se saca. Bom mais ao menos quanto as pretas tu se controla, mas não consegue fazer sexo oral.

Responder

20 de abril de 2017 às 00h33

Miiitoo,
Miiitoo,
Miiitoo!!!

Responder

Klesio

15 de abril de 2017 às 09h35

Só se valendo de mentiras como estas que a Petralhas tenta arranjar a postura de um político que não se parece em nada com esta cambada de bandidos que aí estão. Já que não podem chamá-lo de bandido então inventam mentiras de todos os tipos sobre ele. Cada vez que o atacam, mas o povo sabe que Bolsonaro é o homem certo para acabar com esta bandalheira no país.

Responder

Maria Telvira da conceicao

14 de abril de 2017 às 12h19

A evidencia de um sujeito que nem bolsonaro nas ruinas do que restou da republica sem virtude e sem projeto, talvez seja o produto mais real derivada de uma parte significativa de uma sociedade que abdicou da necessidade de pensar criticamente.

Responder

Eduardo de Paula Barreto

11 de abril de 2017 às 10h18

.
HITLERS TUPINIQUINS
.
Já não se fazem mais ditadores
Como faziam antigamente
Quando com coturnos reluzentes
Chutavam os seus opositores
Hoje os ditadores usam gravatas
E lindos ternos Prada
Impecavelmente na moda
E se deixam ser fotografados
Com os braços esticados
Exibindo como asas as togas.
.
Como Hitlers tupiniquins
Aplicam as leis do seu jeito
Porque acham que os meios
São justificados pelos fins
Assim trocam a baioneta
Pela ponta da caneta
E com ela ferem a dignidade
Daquele que tem a ousadia
De repudiar a tirania
Disfarçada de autoridade.
.
O alicerce da República
É o Estado de direito
Que tem como preceito
O repúdio à autoridade única
Por isso saiamos às ruas
Desmascarando quem manipula
As leis de maneira temerária
Antes que sejamos
Obrigados a viver muitos anos
Sob uma ditadura judiciária.
.
Eduardo de Paula Barreto
.

Responder

José Antonio

11 de abril de 2017 às 02h11

Ele se manifesta com um vomitório de ódio e de segregação que deixa o Brasil mais cinza ainda. Que triste…

Responder

José Antonio

11 de abril de 2017 às 02h01

Esta criatura é torpe. Não é digna de se ouvir; nem por um minuto sequer. É o fim do Mundo.

Responder

zezetneves@hotmail.com

10 de abril de 2017 às 22h23

Quem vê cara vê coração. A Cara do boçalnaro lhe inspira confiança!!!!!!

Responder

Enilce Albergaria Rocha

10 de abril de 2017 às 20h31

A comunidade hebraica do Rio de Janeiro ao receber esse verme, esse crápula, envergonha a memória do holocausto, envergonha a nós todo(a)s brasileiro(a)s.

Responder

eduardo

10 de abril de 2017 às 19h45

Afinal quem somos nós enquanto naçao?
Policias e Judiciario tem partido
Parlamentar negro é fascista
Judeus batem palmas pra nazistóides.
Ladrões tomam poder derrubando uma mulher legalmente eleita
e praticam do que a acusaram.

Responder

    Teka

    10 de abril de 2017 às 20h43

    ???

    Responder

    Klesio

    15 de abril de 2017 às 09h41

    Uma bandida você quer dizer. Terrorista,guerrilheira, ladra e todos adjetivos ruína que possam qualificá-la.
    Roubou a Petrobras através da refinadora de Passadena. Ajudou os empresários dá quadrilha através do bolsa empresário que saqueou o BNDES. Abre o olho PETRALHAS IDIOTIS IMBECILYS.

    Responder

Francisco

10 de abril de 2017 às 17h40

O comportamento da elite fascista judaica vai, como em outros momentos da História, juntando argumentos para os seguidores dos Bolsonaros da vida.

Naturalmente, quando os Bolsonaros baixam o cutelo, quem está com o pescoço no cepo é a raia miúda judaica .

A “raia graúda” ou já se escafedeu ou já “diversificou investimentos”…

Como se vê, a lama é uma condição humana (e burguesa), não uma condição racial.

Mas esse raciocínio faço eu, que estudei. E o povão?

O povão vai, certo ou errado, carimbar sobre o TODO da comunidade judaica: “são todos da mesma laia”.

Desde que começaram a assassinar palestinos, o povo judeu bem que precisa de um relações públicas…

Nessa batida, o sionismo fascista (para quê rodeios? Nazista!), está conseguindo fazer renascer senão o ódio anti-semita, pelo menos a indiferença por qualquer mal que esse povo venha a sofrer por uma besta racista qualquer.

Bolsonaro conseguiria fazer esse discurso na sede de um movimento negro?

Acho difícil. Bem difícil.

Acho difícil até que conseguisse sair andando.

No fim das contas, judeus e Bolsonaros são todos brancos e morando bem – no gueto, na favela estou eu.

Eu e os judeus pobres, que arderão junto comigo, na hora que Bolsonaro parar de rir.

Responder

Carlos Valentin

10 de abril de 2017 às 13h58

Não é racista? Esqueceram do episodio da Preta Gil? Este infeliz é perigoso, mas meu desprezo é maior contra os fanáticos que o seguem, do que para com ele.

Responder

Carlos Valentin

10 de abril de 2017 às 13h54

Pois é, no Brasil tudo é avacalhado mesmo, desde o holocausto até a mafia, judeu bate palmas para nazista,o mafioso entrega o comparsa (Tomaso Bruschetta), avacalhou o código de honra dedurando os mafiosos? Infelizmente no Brasil tudo é no contrario.

Responder

Luiz Carlos

10 de abril de 2017 às 11h01

YESHURUN BEN TZION
10/04/2017 – 02:13:37
“SHALOM LEKULAM!”(PAZ PARA TODOS!)

Acho que voces ficaram assim tão “inteligentes” de tanto dar cabeçadas naquele muro ridículo. Fanáticos! Se matam há séculos por causa de um Deus único. Estúpidos! Evoluam estamos no século XXI .

Responder

paulo

10 de abril de 2017 às 09h41

Bolsonaro racista? nao força meu. Ele pode ser descontrolado, raivoso, mas o discurso dele é cheio de verdade, o mal dele é ter odio.

Responder

    Atreio

    10 de abril de 2017 às 10h22

    esse ódio dentro dele q gera o racismo q ele prega.

    pessoa atroz.
    escolheu a vala moral da história e lá repousará eternamente enquanto sua familia passa a pela vergonha e pelo o ridículo devido suas pregações infundadas.
    a história segue registrando.
    fascistas não passarão.

    Responder

    Carlos Valentin

    10 de abril de 2017 às 13h56

    Caro, você esqueceu do episodio da Preta Gil?

    Responder

    Klesio

    15 de abril de 2017 às 09h50

    Ódio? Contra quem? Negros (a esposa e filha são mulatas), gays (a maioria dos homossexuais artistas ou não apóiam suas ideias contra o kit gay nas escolas), judeus (batizou-se no Rio Jordão e foi procurar aproximação com Israel. Aproximação que os Petralhas desfizeram). Ódio ele tem de dos bandidos que estão acabando com o nosso país.

    Responder

YESHURUN BEN TZION

10 de abril de 2017 às 02h13

“SHALOM LEKULAM!”(PAZ PARA TODOS!)

EU SOU JUDEU, BRASILEIRO E ISRAELENSE, EU NUNCA LI UM ARTIGO TAO VERDADEIRO, EMBORA EU RECONHECA A ALTA QUALIDADE DOS NOSSO ARMAMENTOS(FALO AGORA COMO ISRAELENSE).

EU SEMPRE DIGO:

“O POVO JUDEU E O POVO MAIS INTELIGENTE DA FACE DA TERRA, POREM, INTELIGENCIA NUNCA FOI SINONIMO DE SABEDORIA!”

FRATERNALMENTE,

YESHURUN BEN TZION

Responder

    Sjir

    14 de abril de 2018 às 14h26

    Judeus tomem vergonha e não matem e tomem terras de inocentes.

    Responder

Luiz Carlos

09 de abril de 2017 às 21h17

Cuidado Bolstanaro, qualquer dia aí no seu Rio de Janeiro algum Afrodescendente AVANTAJADO PROCRIADOR E COM ALGUMAS ARROBAS, possa querer fazer vc de noivinha virgem(?) ou pior alguem de sua família. Quem fala muito pode dar bom dia a cavalo.

Responder

Luiz Carlosl

09 de abril de 2017 às 21h14

Cuidado Bolstanaro, qualquer dia aí no seu Rio de Janeiro algum Afrodescendente AVANTAJADO PROCRIADOR E COM ALGUMAS ARROBAS, possa querer fazer vc de noivinha virgem(?) ou pior alguem de sua família. Quem fala muito pode dar bom dia a cavalo.

Responder

Marcelo

09 de abril de 2017 às 21h11

Existem bons Judeus. Mas Judeus Sionistas estes são odiosos. Espero que haja mesmo quem ainda os condene.

Responder

Carrie Coleman

09 de abril de 2017 às 23h49

Vagabundo! Peso morto! Zero à esquerda! Escroto humano!

Responder

Luiz Carlos

09 de abril de 2017 às 19h49

Judeus raça ruim, opressores e assassinos de Palestinos, tem que morrer mesmo. Não aprenderam nada na 2ª guerra. São piores que os nazistas. Deveriam dar exemplo para o mundo. São egoistas, radicais e desumanos. Hitler estava certo. Vendem armas sofisticadas e terror ao mundo, como os sanguinarios americanos. Viva Bin Laden e seus sucessores!!!

Responder

    Vitor

    10 de abril de 2017 às 07h16

    Vai se tratar….

    Responder

Luiz Carlos

09 de abril de 2017 às 19h37

Bostalnaro e judeus analfabetos politicos e ainda por cima “paulistas”. O quê esperar desse conjunto de amebas? Só faltou mesmo aquela bichinha enrustida do Doria.

Responder

Luiz Carlos

09 de abril de 2017 às 19h33

Bolsonaro e judeus analfabetos politicos e ainda por cima “paulistas” , esperar o quê dessas amebas?

Responder

Mirko Kraguljac

09 de abril de 2017 às 19h26

Fascismo tem que ser combatido e não discutido. Fascista nem morto é bom. Ponto final. Quem perdeu família lutando contra o fascismo, perfeitamente sabe de que estou falando. Uma vez, só uma vez, o mundo deixou o monstro crescer e pagou caro, muito caro, com 60 milhões de vitimas. Nunca mais! Melhor combater até ainda temos tempo, do que depois lutar de sobreviver. Simples assim.

Responder

Luiz Carlos

09 de abril de 2017 às 19h25

Não sou a favor do nazismo, nem terrorista, mas, acho mesmo que judeus não valem nada. O Hitler deveria ter exterminado essa raça. Vejam tambem o que eles fazem com os Palestinos e o que o primeiro ministro deles falou sobre o Brasil.

Responder

    Luiz Carlos

    09 de abril de 2017 às 19h31

    Pode ser que você não é nazista, nem terrorista, mas com esse pensamento torto, você é RACISTA!

    Responder

JB Andrade

09 de abril de 2017 às 12h48

Com a mente deformada pelas teorias racistas dos mentores de Hitler – Gobineau (1852) e Chamberlain -, Bolsonaro ignora que o conteúdo de seu discurso na Hebraica-Rio tenha sido demolido por Anténor FIRMIN em 1885 e, dai em diante, progressivamente reduzido a pó pela ciência e pela vivência histórica, até que – num esforço de reavivamento – a “raça” dos judeus fosse usada como “ratos de laboratório” na experiência nazista do último grande holocausto. Ao constatarmos que existem imbecis dentre os judeus (os que hoje aplaudem Bolsomico), fica evidenciado que teoria racial é mico.

Aqui, um resumo das ideias racistas de Gobineau & Chamberlain que dão conteúdo ao discurso nazista de Bolsomico : http://bit.ly/2obBQG9

Responder

João Carlos

09 de abril de 2017 às 11h41

Existe um estudo detalhado dos laços entre Israel e o Brasil no assunto das armas de alta tecnologia e a Feira da Morte no RJ. O título é RELAÇÕES MILITARES BRASIL – ISRAEL: O PAPEL DO RIO DE JANEIRO. Os interesses econômicos são muitos devido aos altos valores movimentados e começa pela “feira da morte” no Rio, a maior feira de armas da América Latina. Armas que vão ser usadas contra os palestinos e outras populações insurgentes, são usadas também contra as populações civis do Rio de Janeiro. O fuzil do PM que disparou em um segundo cinco projéteis em cima da menina Maria Eduarda pode ser uma aquisição feita nessa feira. Mas eles querem mais, fazer grandes negócios e espalhar caveirões, drones, câmeras de seguranças, radares por toda a superfície do Brasil. Já pensou o que Bolsonaro pode fazer em favor desse projeto se chegar ao poder?

Tem uma versão resumida do estudo aqui:

http://stopthewall.org/pt-br/rela-es-militares-brasil-israel-o-papel-do-rio-de-janeiro

E a versão completa com 31 páginas aqui:

http://stopthewall.org/enginefileuploads/content/rela__es_militares_entre_brasil_e_israel.pdf

Responder

Carlos Dentista

09 de abril de 2017 às 11h16

A frase mais repulsivamente racista que já vi tive notícia sair da boca de um político brasileiro: “Alguém já viu um japonês pedindo esmola por aí? Não, porque é uma raça que tem vergonha na cara. Não é igual a essa raça que tá aí embaixo, ou como uma minoria que tá ruminando aqui do lado”.

O racismo é fruto de uma ignorância histórica e de um espírito mesquinho.

Responder

Valéria Miguez

09 de abril de 2017 às 10h32

A História nos conta que Hittler pegou a ideia de “raça pura” dos judeus. E esses ainda a mantém…

Então não causa estranheza reação do público e nem da escolha do palestrante.

No mais…

Pelo Estado Palestino!

Responder

Valéria Miguez

09 de abril de 2017 às 10h27

A História nos conta que Hittler pegou a ideia de “raça pura” dos próprios judeus. E esses ainda a mantém…

Então não causa estranheza reação do público e nem da escolha do palestrante.

No mais…

Pelo Estado Palestino!

Responder

    Valéria Miguez

    09 de abril de 2017 às 10h35

    Saiu em duplicata. Moderador do site desconsidere um dos comentários.
    Grata!

    Responder

josias rodrigues

09 de abril de 2017 às 09h47

Será que Fernando Holiday pesa mais que “sete arrobas”, “judeu bom é judeu morto” pode muito bem sair do mundo dos palestinos e ganhar o mundo como um todo e ainda ser aplaudido pela Hebraica-………..

Responder

Israel Just da Rocha Pita

09 de abril de 2017 às 06h34

A Judaica (do Rio obviamente, mesmo com alguns protestando) esta fazendo o papel dala apoiar os farsistas. Esqueceram que o capital dos Judeus ricos financiaram no inicio da ascensão de Hitler, que depois tentou extermina-los? Não generalizo pois, tem judeus honestos e que não se prestam a este papel.
Agora a entidade judaica do Rio deve desculpas ao povo brasileiro pala burrice cometida. Cada um dá o que tem.

Responder

Henrique Nunes

09 de abril de 2017 às 05h15

Perfeito o texto.
Onde vamos parar?
Um fascista não assumido, hipócrita, já que desviado de sua preferência pelas condições sociais e humanas que nos restam, é aplaudido por vítimas do fascismo… Em sua própria casa…
Deveriam golpear, democraticamente, o presidente ou responsável pela auto dilapidação dos princípios morais judaicos, se é que essa entidade se preocupa com eles.

Responder

Marcos Galvão

09 de abril de 2017 às 05h21

Vejo que o país entrará em trevas e nunca mais sairá, o comunismo e a imbecilização já está na alma da maioria, esta desgraça é um impulsionamento mundial dos senhores do mundo, mas o Brasil já está em estado terminal……

Responder

Renato

09 de abril de 2017 às 01h17

O deputado federal Jair Bolsonaro é o “macaco de circo” da extrema direita brasileira. Merece ser candidato em 2018: se eleito, se “desanimalizará” aprendendo a viver num regime pluripartidário; se não for eleito, dará a todos saber quem apóia seus “ideais”, acolhendo-o em um palanque para o segundo turno. É esperar pra ver.

Responder

    Hammer

    20 de abril de 2017 às 00h41

    Tenho más noticias pra você, camarada…

    Responder

Josetania Bandeira

09 de abril de 2017 às 04h04

O que esperar quando a escória está no poder??

Responder

Aurelio Laborda

09 de abril de 2017 às 00h18

O capital passa por mais uma crise, desta feita a mais prolongada e o nazifascismo é um recurso que ele se utiliza para manter a exploração que já está bem exposta e compreendida por uma porção cada vez maior da população. Argumentos mais leves para explicar a exclusão como a meritocracia já não funcionam. Agora, é a tentativa de apelar para argumentos já superados, como superioridade racial. O Bolsonaro é um psicopata, vivendo no século XXI como estivesse no início do século XX. Acho que não deveríamos dar importância a ele. Infelizmente não existe transplante de cérebro, ao qual deveria submeter-se.

Responder

    Jose BAndrade

    09 de abril de 2017 às 12h11

    “O Bolsonaro é um psicopata, vivendo no século XXI como estivesse no início do século XX.”
    Menos, amigo, menos. Bolsomico revive no Séc. XXI as ideias que fizeram sucesso no senso comum europeu de meados do Século XIX e já estavam desmoralizadas ou demolidas no final do mesmo Século… VER MAIS sobre Racismo: http://bit.ly/2obBQG9

    Responder

C.Poivre

09 de abril de 2017 às 00h08

Os descendentes de judeus no Rio deram um vexame ao permitir este circo deste arremedo de Hitler.

Responder

    Edna Baker

    09 de abril de 2017 às 17h23

    Os judeus de um modo geral s?o conservadores e de direita e sabem que toda a esquerda defende com unhas e dentes os palestinos. Daí essa implicância.

    Responder

Roberta Las Casas II

09 de abril de 2017 às 02h50

Em Israel mandaram tirar a smurfette do poster do novo filme dos smurfs alegando que eles nao podem olhar para o feminino pq a mulher é impura…entao acho seguro dizer que mais do que normal que esses imbecis concordem com o bolsobosta!

Responder

augusto

08 de abril de 2017 às 22h06

Quem aplaudiu tem por onde puxar.
Os atuais partidos de direita no poder em Israel -faz um certo tempo – sao tambem racistas, higienistas, executores de limpeza étnica e ladroes da terra alheia.
A destruição de casas de palestinos, dando lugar a centenas de casas-colonia para judeus , é pensada como forte INVESTIMENTO , para atrair mais filhos de Israel de fora… como atração para povoamento tbm higienistico.
Nao é muito heroico que tenha uma renda anual per capita de US$ 30 mil assaltar, matar e confiscar os que tem uma de mil.

Responder

Lourdes Vissirini

09 de abril de 2017 às 01h04

Sem noção.

Responder

Alberto Oda

09 de abril de 2017 às 00h36

Lembrar não faz mal:associações judaicas aplaudiam o adolph e os judeus ricos não foram deportados para treblinka, Auschwitz, birkenau,sobibor . . .

Responder

Fabio Aurelio Sales

09 de abril de 2017 às 00h19

Essa é uma Pagina de Esquerda???

Responder

Sarah Kindi

08 de abril de 2017 às 23h15

André Lajst

Responder

Thiago

08 de abril de 2017 às 19h30

Os judeus da hebraica do Rio, estão sentindo enorme saudade de Hitler.

Responder

Valéria Sanchez Silva

08 de abril de 2017 às 21h06

??

Responder

Eduardo Gomes

08 de abril de 2017 às 20h13

Sabem por que existem ONGs?
Porque elas existem para realizar e tocar projetos,em sua grande maioria sociais,aos quais o governo por incompetência,inaptidão,má vontade ou falta de logística deveria realizar/tocar e não o faz.
Sabe o porquê da demarcação de terras indígenas?
Porque essa “DESGRAÇA” de país é originalmente dos índios.
Sabem o porquê dos quilombolas?
Porque seus habitantes são descendentes diretos dos negros africanos trazidos como escravos por homens brancos como Jair Bolsonaro.
Sabe porque alguns defendem e aplaudem um discurso desse cretino?
Porque se identificam com seu discurso racista,fascista,machista e homofobico.
Bolsonaro representa o reflexo dessa gente.
Por isso exclui alguns “contatos” ao perceber que eles admiravam esse pedaço de estrume andante.
Porque se você admira Bolsonaro,então você é como ele.
Essa foi a palestra no Clube Hebraica do Rio na segunda (3), do deputado Jair Messias Bolsonaro. Onde ele prometeu acabar com todas as reservas indígenas e quilombolas caso seja eleito presidente. Enquanto ele recebia aplausos no auditório do clube, do lado de fora, integrantes da comunidade judaica protestavam contra a sua presença no local.
Indigno ver judeus aplaudindo um fascista. Mas para mim,não há nenhuma surpresa,vinda do povo que trata os palestinos,como os nazistas trataram os judeus.

Responder

Gilberto Petty

08 de abril de 2017 às 18h57

Cara de louco! Vai ver chegou cola

Responder

Erivan Sabino Vieira

08 de abril de 2017 às 18h46

Esse cara é um louco….

Responder

Eliseu Leão

08 de abril de 2017 às 15h23

Esse evento da Hebraica teria sido cômico se não fosse tudo malditamente trágico!

A flatulência do Jair Bostonaro fez-me recordar verdades históricas: o anti-semitismo teórico mas sobretudo o extermínio sistemático dos hebreus pertencem exclusivamente à direita assim como a perseguição real dos hebreus foi cristã e não islamica.
Joaquin Sokolowicz no seu libro ISRAELIANI e PALESTINESI constata uma importante mudança no seio da sociedade israeliana. Os pioneiros do renascimento nacional, na maioria laicos e cultos, os imigrantes idealistas, não são mais a maioria. Prevaleceu, no tempo, uma massa de indivíduos mediocres originários das nações mulsumanas, religiosos, de pouca ou nenhuma instrução, desejosos de históricas vinganças contra os países nos quais viveram em estado de dócil resignação e jovens nascidos em Israel, crescidos encarniçados pela capacidade militar daquele Estado criminoso.

Esse fascista e estrupador ”in pectore” também é um terrorista. Foi aclamado como ”lider” pelos cadetes da AMAN em dezembro de 2014. Prometeu lever o Brasil à direita em 2018 e disse que “alguns vão morrer pelo caminho”.
Será que esse calhorda, psicopata não considera a possibilidade que as primeiras ”azeitonas” sobrem pra ele.

Fernando Brito escrevera muito bem no seu post: «os jovens cadetes da Aman, se têm de fato líderes á altura das tradições de nossas Armas devem é ser esclarecidos de que o homem a quem chamaram de líderes já esteve envolvido em planos terroristas de explodir bombas naquela escola. E, ainda pior do que qualquer terrorista político, por dinheiro.

Por mais justo que seja o desejo de melhoria no soldo, nada justifica, na ótica militar, espalhar bombas numa escola de oficiais do Exército para mostrar que o Ministro, um oficial-general, “não mandava em nada”. O plano de Jair Bolsonaro para obter aumento de soldo em 1987 está minuciosamente descrito por uma publicação que não pode, em qualquer hipótese, ser chamada de esquerdista. É a Veja, edição número 999, de 27 de outubro de 1987»

08/12/2014 00:02:00 – Atualizada às 08/12/2014 00:21:45
http://odia.ig.com.br/noticia/brasil/2014-12-08/militares-acolhem-bolsonaro.html
—-
Capitão Bolsonaro, a história esquecida
Por Luiz Egypto em 06/04/2011 na edição 636
http://observatoriodaimprensa.com.br/news/view/capitao-bolsonaro-a-historia-esquecida

Responder

Suely Barbara Laskowski

08 de abril de 2017 às 18h22

Parem de dar visibilidade aos monstros. Cada vez q reproduzem um vídeo, uma fala, uma imagem, presenteiam o monstro com o seu objetivo. Abram os olhos, pelamor!

Responder

flavio botelho junior

08 de abril de 2017 às 14h54

Nada surpreso Israel age como os nazistas na ll guerra, ficam em silêncio com o genocídio do povo palestino, e financiarão o partido nazista, e depois se fuderam!

Responder

Martins Lopes

08 de abril de 2017 às 17h37

quanto mais vocês batem mais ele cresce nas pesquisas. de tanto falarem mal do Bolsonaro eu fiquei curioso, fui investigar e virei eleitor.

Responder

    Fernando

    08 de abril de 2017 às 15h30

    Que coragem, talvez não tenha pesquisado direito.

    Responder

    C.Poivre

    09 de abril de 2017 às 00h13

    Parece que vc não sabe nem ler as pesquisas, quanto mais entendê-las!

    Responder

Carlos jose

08 de abril de 2017 às 14h23

Acredito que o colunista está correto. O dinheiro apaga todos os desaforos, principalmente para a comunidade em questão. Aquele proverbio de Manhattan diz: There is no business like SHOA business. (shoa= suposto holocausto).

Responder

Lilian Cardilli

08 de abril de 2017 às 17h11

COMUNIDADE JUDAICA UMA VÍRGULA!!!!!
Gostaria de acreditar que O Cafezinho faz um jornalismo sério! Mas com uma machete nestes termos fica muito difícil!
É difícil vcs, jornalistas, entenderem que as pessoas, no geral, lêem só a manchete e saem vomitando suas teorias? Então, revejam suas afirmações! A COMUNIDADE JUDAICA NO BRASIL NÃO SE RESUME A 300 OU 400 PESSOAS QUE SEJAM, QUE APÓIAM ESTE MONSTRO!

Responder

    Bajonas Teixeira

    08 de abril de 2017 às 15h47

    Prezada Lilian, não leia só as manchetes. Leia os artigos e depois faça seus comentários. O artigo faz diversas distinções, sublinha a importância dos protestos de milhares de judeus em SP, e de um grupo menor no Rio. Anota inclusive que, dentro do clube A Hebraica no Rio houve protestos. Contudo, a comunidade é representada por suas instituições. E em SP, A Hebraica programou um evento com Bolsonaro, que foi cancelado apenas devido aos protestos. No portal de A Hebraica de SP se lê em destaque: “No início dos anos 80, A Hebraica passou a se destacar como a maior instituição judaica em todo mundo.” Não ocorrendo em SP, foi a vez de outra instituição judaica, a Hebraica do RJ, dar espaço a Bolsonaro como um desagravo. Ao invés de criticar os jornalistas, seria interessante 1) ler o artigo inteiro e a explicação que ele dá para o fato, 2) aproveitar a ocasião para pressionar os líderes, os diretores das instituições, para que revejam suas posições e não deem no futuro palco para Bolsonaro e 3) alertar a comunidade judaica do perigo para suas tradições e identidade cultural. Procure no site brasileiro da B’nai B’rith, uma associação judaica internacional de direitos humanos, a nota em que Abraham Goldstein fala desse “vergonhoso acontecimento”.

    Responder

    augusto

    08 de abril de 2017 às 22h13

    Eu compreendo, lilian.
    Nao representa.
    Mas o candidato a fuhrer so foi lá porque a entidade ”representadora” no RJ achou pontos de tangência, pontos em comum.
    Uma conclusão minima porem racional seria que ha entidades judaicas por ai— contaminadas com mesmo o virus letal que tinha por fim extermina-los nos anos 30 e 40.

    Responder

    Vitor

    08 de abril de 2017 às 22h43

    Cuidado com as manchetes do Miguel. Não é de hoje que ele dá uma aula (até no PIG) de como não fazer jornalismo…
    Teve uma recente da maconha na Argentina que tb foi de envergonhar qq jornalista minimamente sério…

    Responder

Chamonix Nic

08 de abril de 2017 às 16h43

Enquanto isso Benedita usando a casa grande para salários dos filhos fantasmas e processados.

Responder

Hannibal de Sousa

08 de abril de 2017 às 16h22

Que tal voltarmos a lógica de Bolsô contra o próprio autor? Bolsô justifica a desapropriação de terras indígenas porque essas propriedades estariam escondendo fortunas em reservas minerais. Pois bem, então vamos desapropriar a fazenda de Bolsonaro para extrair nióbio.

Responder

JULIO CEZAR DE OLIVEIRA

08 de abril de 2017 às 13h19

NÃO SEI PORQUE VOCÊS ESTÃO DANDO PAPO A ESTE VERME,ELE SÓ QUER APARECER,ISSO É UM COCÔ,NEM ESTRUME ISSO É.

Responder

    C.Poivre

    09 de abril de 2017 às 00h12

    O mais correto seria chamá-lo de boçalnaro.

    Responder

Helio Waizbort

08 de abril de 2017 às 15h54

Eu queria ver esse fascista participar de um debate franco, respeitoso, ético, sem recorrer à sua verborragia arrogante e ignorante.
O que se pode esperar de um ser que desrespeita sua própria filha?

Responder

Jean M. Bouchara

08 de abril de 2017 às 12h47

Bom texto, concordo no essencial, principalmente a análise ponto a ponto do discurso do Bolsonaro.

Uma ressalva: não existem “empresas judaícas de armamento”. Talvez quis dizer “empresas israelenses” ou então “empresas pertencentes a judeus”?

Responder

    Bajonas Teixeira

    08 de abril de 2017 às 14h25

    Opa. Isso mesmo. Obrigado.

    Responder

André

08 de abril de 2017 às 12h35

Impressionante a bestialização que presenciamos no Brasil e no mundo atualmente. De fato, temos que pensar seriamente sobre a suposta “evolução” do ser humano!

Responder

Waldir Pereira Dos Santos

08 de abril de 2017 às 14h36

um louco desvairado

Responder

Maria Da Piedade Vieira

08 de abril de 2017 às 14h11

Monstro.

Responder

Liana Koslowsky Silva

08 de abril de 2017 às 13h59

Compartilhamento dá palco e voz a esse lixo. Delete!

Responder

Alessandra Costa

08 de abril de 2017 às 13h18

Essa criatura é ridicula

Responder

Hugo Seixas

08 de abril de 2017 às 13h13

Um NAZISTA sendo aplaudido por Judeus??????????????????

Responder

Vitor

08 de abril de 2017 às 09h06

Vocês queriam que um imbecil dissesse o que? Coisas inteligentes?
Mais estúpido que o Bolsonaro só o jumento que o convidou a dar palestra…

Responder

    Hocus Pocus

    08 de abril de 2017 às 10h51

    Não acho Bolsonaro imbecil,ao contrário ele é inteligente ao ponto de numa classe de bandidos (os políticos brasileiros,não os políticos)ser o expoente mais popular do neo-velho-fascismo.A presença do Bolsonaro é consequência da massa(esta sim,imbecil,alienada,imoral) do fascismo brasileiro que convive com a parcela democrática do povo(maioria.) Ele é um malandro que aproveita(muito bem) esse “nicho” de mercado.A sua eleição está garantida por muitas e muitas jornadas eleitorais.

    Responder

      Vitor

      08 de abril de 2017 às 22h47

      Ele é de fato muito imbecil. Já viu ele tentando dar entrevista como presidenciável, qd tem q falar algo minimamente decente, fugindo das idiotices usuais? Não sai nada. O cara é oco!
      O fato de ele ser popular é por identificação mesmo. O brasileiro em geral é um imbecil tb..

      Responder

Rosa Batista

08 de abril de 2017 às 11h38

Chega de falar desse lixo. Quanto mais o criticam mais ele cresce. Ignorem.

Responder

Bernardo

08 de abril de 2017 às 08h07

Acho que já é hora da sociedade de fazer uma mobilização nacional no intuito de caçar os direitos políticos deste anômalo e que se decrete prisão por crime de racismo. Não tem cabimento ter um anômalo deste em um congresso nacional. Ele não pode falar o que bem entende com o mantro de um mandato parlamentar.

Responder

Engenheiro Sampaio

08 de abril de 2017 às 10h19

Não cansam de mentir e distorcer…

Responder

Anônimo

08 de abril de 2017 às 07h15

A “comunidade judaica” é anti-semita.

Responder

Emerson Carlos De Mattos

08 de abril de 2017 às 08h36

Antes de acusar alguém de homofóbico verificam o significado da palavra, pois podem tomar um processo nas costas a respeito disso, leia mais.

Responder

    Hocus Pocus

    08 de abril de 2017 às 10h56

    Fiz referência a vc Emerson em outro comentário,a culpa não é do Bostanaro é de imbecis alienados que votam,e é aí que mora o perigo.Não fosse isso,não tava nem aí com a sua miséria intelectual e moral.

    Responder

    Hocus Pocus

    08 de abril de 2017 às 10h57

    Doente.Me processa

    Responder

Emerson Carlos De Mattos

08 de abril de 2017 às 08h35

Perguntam para o Jair bolsonaro se ele troca a filha dele por seus filhos não sejam hipócritas. Ele ama a filha mais que os filhos os outros seus bestas, se o cara falar que come pé de moleque vcs o acusam de molestador de meninos, cambada!

Responder

Cláudio

08 de abril de 2017 às 04h26

canalha & canalha$$ & Cia

Responder

Cláudio

08 de abril de 2017 às 04h21

canalha e canalha$$

Responder

Ita

08 de abril de 2017 às 03h54

JUDEU APÓIA A DIREITA ENTÃO ESTÁ TUDO EM CASA. JUDEU BRASILEIRO E O MESMO QUE VAMPIRO BRASILEIRO.

Responder

    Eduardo C. M.

    08 de abril de 2017 às 22h30

    Não generalize. Há judeus de todas as tendências políticas.

    Responder

Laercio Medeiros Epaminondas

08 de abril de 2017 às 05h26

VÁ ENTENDER.

Responder

Leda Leonel

08 de abril de 2017 às 05h04

Vai ver que os risos foram porque pensaram que ele se referia aos palestinos que, como se sabe, são massacrados por Israel.

Responder

    enganado

    08 de abril de 2017 às 11h01

    Cara Leda, acrescentando : “” O Bigode acertou no alvo, só errou na dose “”” . __P.S. : Há tempos fui expulso do blog do jornal __o gRoubo__, da rede GOEBBELS, também do Terra porque escrevi a frase acima. Hoje provavelmente o pessoal do DEDO no GATILHO podem assassinar minha família como resposta a frase acima, e não dar nada! A GANG do ___moro__ está aí para isto, pois morro e não me torno safado/ladrão/calhorda/vagabundo/pedófilo/cínico/facínora/nazista/sionista/ ….

    Responder

PLEX

08 de abril de 2017 às 01h27

Bolsobosta e mais inutil q qq indjena e quilombola q ele ridicularizou.inutil s memoria.cadeia p esse racista e pra q mais compactuar consigo.

Responder

Carolina Muniz

08 de abril de 2017 às 03h57

Se tivesse feito piada do gás alemão ninguém ali achava graça!

Responder

Paulo Souza

08 de abril de 2017 às 03h45

QUANDO OS JUDEUS ESTAVAM NOS CAMPOS DE CONCENTRAÇÃO ERA ÓBVIO ENTENDER SE ELES SORRISSEM E ATÉ APLAUDISSEM HITLER! PORQUE ERA ISSO OU ERA A MORTE!.. MAS, NO BRASIL, EM 2017? BATER PALMAS PRA ESSE NEONAZISTA? TÁ DE BRINCADEIRA.. ESSA DOUTRINA!

Responder

Rosangela Maria Silva Oliveira

08 de abril de 2017 às 02h32

Boçal

Responder

Anônimo

07 de abril de 2017 às 23h25

Como se já não temos problemas suficientes, com Reformas, Corrupção..

A falta de ética, moral e caráter de alguns políticos, nos coloca em grande risco, pois nossa omissão pode nos levar à uma cumplicidade vergonhosa.

Responder

fernandooedson

07 de abril de 2017 às 23h23

Como se já não temos problemas suficientes, com Reformas, Corrupção..

A falta de ética, moral e caráter de alguns políticos, nos coloca em grande risco, pois nossa omissão pode nos levar à uma cumplicidade vergonhosa.

Responder

enganado

07 de abril de 2017 às 23h16

O BOÇALnaro é o porta-voz dos militares/PF_DB/çTF/TçE/ … ou seja, do Poder vigente do atual __braZiUS__ . Não há o que reclamar: __”””SEM APOIO DOS MILITARES=TROPA de OCUPAÇÃO dUS __braziUSA__= brasil™
, NÃO EXISTIRIA O GOLPE-2016″””___. Guardiões da PROStituição do __braziUSA__= brasil™, artigo 142. Ah! NÃO SE ESQUEÇAM__GOLPE-2018__ se o LULA estiver solto e/ou vivo.

Responder

Caio Coppio

08 de abril de 2017 às 02h15

Dede Mishaly vish

Responder

Dirceu neto

07 de abril de 2017 às 22h58

Deveria existir mais censura aos comentários de baixo nível veiculados. Baixa muito o nível da discussão.

Responder

    Ronald Leite da Silva

    08 de abril de 2017 às 12h20

    Censura é próprio de regimes ditatoriais. Vivemos em uma democracia e cada um é livre para expressar seus pensamentos e ideias.

    Responder

      ari

      08 de abril de 2017 às 12h32

      Como você bem disse, “expressar seus pensamentos e ideias”. Não é o que se vê em ínúmeros comentários

      Responder

robertoAP

07 de abril de 2017 às 22h43

Ao contrário daquela propaganda antiga que dizia : NOSSOS JAPONESES SÃO MELHORES, agora daria para aplicar certamente um novo comercial, dizendo : NOSSOS JUDEUS SÃO PIORES.
E eu acrescento, E ALIENADOS. !!!

Responder

Veronica França

08 de abril de 2017 às 01h39

Bolsonaro vai pra casa .Já chega de você!

Responder

Júlio César Reciclador II

08 de abril de 2017 às 01h26

diz a lenda : “OS VAMPIROS SÓ ENTRAM SE FOREM CONVIDADOS”. UM AMIGO MEU ME DISSE: “O MAIS BOBO NA HEBRAICA LEVOU O ÓLEO DA LAMPARINA”.

Responder

Gustavo Pacheco

08 de abril de 2017 às 01h25

Infelizmente, o Bolsonaro acaba dando “a corda para se enforcar”. É tudo o que os esquerdistas adoram: um inimigo a quem eles possam atacar e justificar os fracassos dos governos do PT. Isso só da palanque para os oportunistas esbravejarem. Acho que o objetivo dele deve ser apenas causar e aparecer e não ser candidato a presidente, pois não tem partido ou sequer militância. Porém, para a esquerda, Bolsonaro é útil, pois sempre se apresentará como opção menos ruim. Pobre país.

Responder

Anônimo

07 de abril de 2017 às 22h16

Isso não é fato isolado, nem de hoje; isso aconteceu na 2* Guerra. Os que se salvaram, certamente também riram muito em algum momento anterior ou posterior. O povo judeu que vive em Israel não tem qualquer interesse de viver em conflito com seus vizinhos. Os judeus que vivem nos EUA e outras plagas, estes sim se preocupam com o dólar que vão ganhar a mais. Não tão nem aí pras aflições dos israelenses. Isso é Velho. Até na anedota são assim; pula filho, pula que babai segura tu. Segurou nada, guri foi de cara…

Responder

Ana Esmeralda Fonseca Costa

08 de abril de 2017 às 01h15

Bolsonaro racista nojento ridículo.

Responder

Cristian Mazutti

08 de abril de 2017 às 01h10

Loco

Responder

Vivi Melo

08 de abril de 2017 às 00h46

Esse cara quer se promover chocando com esse comportamento abjeto! O melhor a fazer é ignorar esse monstro!!!

Responder

    Flavia Cristina Martinho

    08 de abril de 2017 às 11h13

    Verdade. Não podemos compartilhar esses anúncios, pois de certa forma, é cooperar com esse ser repulsivo!

    Responder

Luiz Carlos P. Oliveira

07 de abril de 2017 às 21h29

O presidente da hebraica concedeu entrevista à rádio Guaíba, de Porto Alegre e esclareceu que o Bolsonaro pediu 20% dos convites (60 convites), qie foram distribuidos entre parentes e apoiadores, e que os aplausos foram desse pessoal, que não fazem parte dos associados da hebraica. Só assim.para esse boçal receber aplausos.

Responder

    Bajonas Teixeira

    07 de abril de 2017 às 22h16

    Caro Luiz Carlos, Essa versão dos fatos que você apresenta pode até ser verdadeira, mas isso só tornaria o acontecimento ainda muito mais trágico: se, como se fosse um batalhão da SA nos anos 20, foi para dentro da Hebraica uma boa tropa do Bolsonaro (você fala em 60), um corpo estranho àquele local e hostil aos seus ideais, então por que os judeus presentes não esboçaram nenhuma das possibilidades à mão: 1) atuar com firmeza dando a esse grupo uma lição histórica de vergonha na cara, honrando a memória dos milhões de mortos nos campos, 2) vaiar à pleno pulmões as tiradas racistas, sexistas e xenofóbicas daquela figura ou 3) simplesmente expulsá-lo após ter ele iniciado naquele espaço, na casa dos seus anfitriões, a pregação do racismo e a justificativa das execuções?? Enfim, por que sendo 80% dos presentes, preferiram o silêncio cúmplice quando, no auditório, os adeptos de Bolsonaro aplaudiam e davam risadas? E mais: Por que o convidaram no RJ depois que, por força de um manifesto que contou com milhares de assinaturas, o evento programado com ele foi cancelado na Hebraica de São Paulo? É mais que óbvio que não foi o grupinho de 20%, supondo que todos os convidados de Bolsonaro comparecessem em massa com seu convitezinho na mão, que produziu aqueles sonoros aplausos e gargalhadas. Conte-nos outra, por favor. O presidente da Hebraica que você menciona,(se for a do RJ) quer é apagar a enorme vergonha que ofereceu à sua comunidade.

    Responder

      Luiz Carlos P. Oliveira

      08 de abril de 2017 às 14h40

      O presidente da hebraica alegou que as palmas foram dos convidados do Bozo. E também disse que outros politicos serão convidados a palestrar lá. Essa é a versão da hebraica, não a minha. Até por que me causa estranheza um indivíduo com o caráter nazista e ditador do Bozo ser convidado a dar palestras para, justamente, judeus. Foi um tiro no pé.

      Responder

    Anônimo

    07 de abril de 2017 às 22h23

    E o que muda, ela convidou o Energúmeno, ele foi e levou claque, isto tudo com permissão, conivência e aplausos da Hebraica. Tem cada explicação que dói o ” bag ” , mas que não justifica. O tempo dirá a intenção!

    Responder

Daniel

07 de abril de 2017 às 21h02

Que a nobre plateia, da raca judaica, delicie se com um fascista, rascista, defensor da supremacia branca como o Bolsonaro. Eles se merecem!

Responder

Adrian Marcolino Dos Santos

07 de abril de 2017 às 23h51

Kk nunca vi uma página postar tanta bosta assim…

Responder

    Eduardo C. M.

    08 de abril de 2017 às 22h35

    Então você está se sentindo em casa!

    Responder

Lauro Vinente Neto

07 de abril de 2017 às 23h49

Agora senta e chora pq é Papai te ama Bolsonaro 2018″”

Responder

Lauro Vinente Neto

07 de abril de 2017 às 23h49

Foda-se Bolsonaro 2018 papai

Responder

Marcos Marcos Marcos

07 de abril de 2017 às 23h28

Sempre a esquerda vai ser contra a ocupação dos judeus na Palestina.. Não vamos abandonar os palestinos que são mortos e tem suas terras roubadas pelos judeus… Ótimo que eles fiquem do lado do Bolsonaro… Fascistas são como hienas, só atacam em grupo porque são covardes.. Nem o nosso próprio exército que nos odeia, nos fez desistir da luta pela igualdade, quanto mais o Bolsonaro com seus aliados Judeus.

Responder

Marcos Marcos Marcos

07 de abril de 2017 às 23h24

Os judeus sempre ficaram a favor dos tucanos, e Bolsonaro é visto como alguém que pode nos destruir.. Mas estão enganados… A nossa causa social os incomoda, e não vamos desistir..

Responder

Marcos Marcos Marcos

07 de abril de 2017 às 23h22

Mentira, eu vi a integra do discurso.. Os judeus aplaudiram o fascista Quando debochou dos negros… O Bolsonaro não desagradou os seus aliados Judeus. Mas, nós já sabemos há muito tempo que judeus odeiam a esquerda no Brasil… Não vamos desistir, por causa de uma comunidade de 60 mil sionistas que habitam o nosso país… 300 mil militares armados nunca nos intimidaram contra nossa luta de igualdade e Justiça social. Ninguém vai destruir a causa social da esquerda no Brasil..

Responder

    Fabricio Paez

    08 de abril de 2017 às 13h57

    Se você vê racismo em um comentário no qual ele se referia à indolência de comunidades específicas, e não à etnia, você tem sérios problemas cognitivos. Procure ajuda.

    Responder

Maurilio de Carvalho

07 de abril de 2017 às 23h20

O Bolsonaro está conseguindo o que planejou: fazer a esquerda falar nele e divulgar o nome dele para uma possível candidatura em 2018.
Criou um personagem quase caricato, mas está tendo sucesso, graças às inúmeras postagens, críticas e comentários nas redes sociais.

Responder

Railma Carvalho

07 de abril de 2017 às 23h20

Esse bostonauro merece ser punido com rigor, suja a classe dos bons politicos, merece ser cassado, perder direitos políticos. Filho do fascismo, nazista convicto, vai para a Kuklusclam e não volte.

Responder

Jorgiene Silva

07 de abril de 2017 às 23h16

Quem apoia um insano, xenófobo, preconceituoso, homofóbico, sexista, fanfarrão e parasita do poder público como o Bolsonaro, DIZ MUITO MAIS SOBRE SI… e não entende nada de políticas públicas, tampouco de SER HUMANO!

Responder

    Antonio Pupo

    07 de abril de 2017 às 23h47

    Eu apoio BOLSONARO, ele sempre foi autêntico, nunca escondeu a verdade de ninguém, você se for inteligente vai saber que tudo que falam dele e k pura conjucturas e muita mentiras. Veja as frases do nove dedos, são bem piores.

    Responder

      Vitor

      08 de abril de 2017 às 09h07

      Você apoia Bolsonaro? Parabéns! Vc é um idiota!

      Responder

    Jorgiene Silva

    08 de abril de 2017 às 01h21

    …Para quem gosta de merda, Bostonaro é um prato cheio!!! E tenho dito.

    Responder

    Beto Goes Costa

    08 de abril de 2017 às 01h21

    Disse tudo!

    Responder

    Fabricio Paez

    08 de abril de 2017 às 13h56

    Se você vê racismo em um comentário no qual ele se referia à indolência de comunidades específicas, e não à etnia, você tem sérios problemas cognitivos. Procure ajuda.

    Responder

    Antonio Pupo

    08 de abril de 2017 às 14h15

    Olha aí nove dedos acariciando seus seguidores.

    Responder

    Jorgiene Silva

    08 de abril de 2017 às 14h25

    …e se você vê “bondade” nas falas (e gestos) desse indivíduo ao qual veneras, volte à História na qual Hitler alçou poder na Alemanha. Qualquer similaridade não é mera coincidência. E o resultado? – Holocausto. Lá, assim como cá, havia massa de manobra iguais a você. O Brasil não precisa de ódio para sanar nossos problemas, tampouco de pseudo herói “salvador da nação”… mais bom senso e menos senso comum; menos intolerância… Não quero convencer ninguém das minhas convicções… Quem segue Bolsonaro diz mais sobre si de que sobre ele.

    Responder

    Jorgiene Silva

    08 de abril de 2017 às 17h20

    Papagaio não pensa apenas reproduz o que ouve. Características típica de “seguidores”… Não lhe faltam só dentes, lhe falta cérebro!

    Responder

    Antonio Pupo

    08 de abril de 2017 às 19h41

    Jorgiene Silva, é verdade miga, mas é bem assim que se faz os seguidores do meliante
    auto amputado de nove dedos .

    Responder

    Antonio Normandio Teixeira Antonio

    08 de abril de 2017 às 22h19

    Jorgiene Silva, boa noite, por favor não me xingue não, não tenho a menor intenção em lhe ofender, a minha verdadeira intenção é fazer a minha parte para libertar o Brasil de todos os canalhas que aqui nos atormentam. Veja que eu não dei nome aos bois! A minha pergunto é: o lula e a dilma o que eles sabem de políticas públicas? Se sabem por que não as aplicaram, pois o Brasil está um caos total: não só a roubalheira transborda a nossa paciência mas também as políticas públicas deixam a muito desejar !

    Responder

      JWN

      09 de abril de 2017 às 23h13

      Kkkkkkkkkkkkkkkkkkk, Lula e Dilma são presidentes? Kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      Responder

    Roger Nascente Silveira

    08 de abril de 2017 às 22h58

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Responder

    Jorgiene Silva

    08 de abril de 2017 às 23h02

    Rsrsrsrsrs

    Responder

    Jorgiene Silva

    08 de abril de 2017 às 23h35

    Antonio Normandio Teixeira Antonio, primeiro, xingamentos não costumam fazer parte do meu vocabulário, mas, qdo necessário.. Segundo: não sou militante do PT, jamais me filiei a partido algum. Sou sim, uma cidadã consciente de seus direitos num pais que está prestes a perder todos os nossos direitos conquistados com sangue, suor e lutas! Sou ainda, cientista política por formação, e analiso o cotidiano da nossa política com um viés de simpatia ao Lulismo. Lula pode não entender nada de política, mas como “leigo” foi capaz de fazer mais pelo país do que FHC – Sociólogo e PHD em política! Dilma nada mais foi (É) do que, TRANSFERÊNCIA DE VOTO – termo utilizado nas ciências sociais para justificar PROVÁVEL VITÓRIA DE UM CANDIDATO anônimo, mas que consegue alçar o poder devido o carisma-populismo de outrem (no caso, o Lula). Não quero me delongar, mas para saber o que ambos fizeram por nós – O POVO – BASTA PERCEBER O QUE ESTÁ SENDO TIRADO DE NÓS AGORA, EM NOME DE UM ESTADO MÍNIMO, ONDE QUEM CONTROLA É O CAPITAL ESTRANGEIRO – O NEOLIBERALISMO! Desculpe-me o “jornal”, mas sua pergunta requer análise e compreensão… Nós não estamos vivendo esse caos por conta das políticas de Lula, quem nos colocou nessa situação foi uma ELITE inconformada com os ganhos sociais que o povo vinha alcançando ao longo do governo PT. Corrupção no Brasil é endêmica e sistêmica. Está arraigada na nossa sociedade, e, nós não vamos conseguir superar isso nos dividindo e nos xingando. Mais união e menos intolerância. RESPEITO. E, nesses preceitos Bolsonaro não se encaixa.

    Responder

    Carrie Coleman

    10 de abril de 2017 às 00h07

    Antonio Pupo Só lembrar: O FEIO NÃO É BONITO!

    Responder

Antonio Normandio Teixeira Antonio

07 de abril de 2017 às 23h10

Como não há delação contra Jair Messias Bolsonaro os caras de pau , sem patriotismo, procuram algo para macular a carreira política dele por sê-lo linha dura contra políticos corruptos, por isso que vagabundos correm dele e tentam macular a carreira política do Bolsonaro, justamente para ficar livre o terreno da safadeza, da corrupção!

Responder

    Hannibal de Sousa

    08 de abril de 2017 às 00h10

    Você não é Raduan Nassar para escrever um período composto de cinco linhas sem a devida pontuação (e convenhamos: está bem longe de ser um Sartre). Volte para a escola e conclua ao menos o ensino primário. Eu creio que você é analfabeto funcional.

    Responder

    Mauricio Maurente

    08 de abril de 2017 às 00h33

    O que tem há ver patriotismo com isso?

    Responder

    Meire Sonni

    08 de abril de 2017 às 01h14

    “Como não há delação contra Jair Messias…” já começou errado.

    Responder

    Neide Sainz de Vicuña

    08 de abril de 2017 às 11h17

    Tão demente quanto ele!

    Responder

    wanderley kusma

    08 de abril de 2017 às 11h59

    antonio normandio teixeira antonio ( COM MINUSCULA POIS ANALFABETO), é adjetivo qualificativo, exemplo antonio analfabeto, onde você aprendeu mandarim, da próxima vez que for comentar DESENHE, talvez assim até você entenda.

    Responder

    Jairo Vaz

    08 de abril de 2017 às 15h01

    Em tempo, quantas arrobas pesa a senhora sua mãe?

    Responder

    Antonio Normandio Teixeira Antonio

    08 de abril de 2017 às 15h41

    Hannibal de Sousa qqqqyyy

    Responder

    Antonio Normandio Teixeira Antonio

    08 de abril de 2017 às 15h55

    Hannibal de Sousa vc se esqueceu que estamos nos comunicando via face, onde a escrita informal, abreviada, sem preciosismo, sem as regras gramaticais! Mas vc está mesmo é procurando uma vala pra esconder os políticos que deve segui-los. Eu, por exemplo, não bato palma para corrupto, sou ficha limpa, limpíssima e vc sabe quem são os políticos que os defende eles são fichas limpas? Jair Messias Bolsonaro eu não tenho notícia que ele seja corrupto. E pra bandido só mesmo autoridade linha dura, para chegar o rei na bandidagem. Como não sou bandido não tenho medo das forças armadas, não me preocupo com Bolsonaro. Falar em analfabeto vc deve conhecer muitos deles!

    Responder

    Antonio Normandio Teixeira Antonio

    08 de abril de 2017 às 16h01

    Mauricio Maurente Tem muito a ver com patriotismo porque patriota não saqueia a pátria nem contribui para alguém saqueá-la e pelo que sei até agora Bolsonara não assaltou o Brasil e ele vai dar muito trabalho nas urnas para lula – falso salvador da Pátria !!

    Responder

      JWN

      09 de abril de 2017 às 23h20

      Ah o BolsonarA vai dar muito trabalho, pois as calcinhas vão cair, Kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      Responder

    Ed

    08 de abril de 2017 às 22h47

    Corrupção é o exercício de negócios por outros meios; é uma coisa que envolve RACIONALIDADE. Até empresas corruptas jamais financiariam um louco varrido. Seria pior que apoiar o Tiririca: Bolsonaro é cavalo paraguaio. Nenhuma Odebrecht da vida daria propina para eleger o “Hitler brasileiro”; até em esquemas de corrupção existe o mínimo de sanidade. Ninguém “queimaria o próprio filme”, associando a sua imagem a um habitante de sanatório.

    Responder

    C.Poivre

    09 de abril de 2017 às 00h20

    Em compensação há pilhas de processos contra ele no supremo.

    Responder

    Leopoldo Ruzicki

    12 de abril de 2017 às 11h38

    Hannibal de Souza. Parabéns pelo preciosismo gramatical e por sua sapiência literária. Mas lembre-se de generalisar suas críticas de forma a abrager também o ex-presidente Lula… que não cansou de representar-nos no mundo inteiro como se fôssemos um país de analfabetos.

    Responder

Julio Cesar

07 de abril de 2017 às 23h01

Hitler começou assim!

Responder

Rogério Bezerra

07 de abril de 2017 às 19h58

Não eram pobres mal alimentados, desempregados e semi-analfabetos, que estavam lá dentro, não. Eram os bem alimentados e, supostamente, bem educados. Alguns com vivência em “comunas”.
Repito, mais uma vez, o que dizia Darcy Ribeiro: “Os ricos, os bem alimentados e educados são o ruim no Brasil. Eles é que tem um problema.”
Enquanto o holocausto Palestino continuar, nunca terei simpatia com os judeus.

Responder

Samuel Da Silva Sousa

07 de abril de 2017 às 22h55

VAI MORRER.

Responder

Leonardo Jose Cavalcante Pontes

07 de abril de 2017 às 22h55

Bandidonaro.

Responder

Vanessa Di Santi

07 de abril de 2017 às 22h49

Alan

Responder

Samuel Nogueira

07 de abril de 2017 às 22h49

Responder

Sergio Andrade

07 de abril de 2017 às 22h45

Meu Deus!!!

Responder

Marcelo Pereira

07 de abril de 2017 às 19h38

O fascismo nao somente cresce de forma assustadora no RJ como ja começa a ser assimilado pelo senso comum. E o pior: estimulando o masoquismo dos excluidos, como os judeus que aplaudiram Bolsonaro.

Ontem, em Niteroi, um negro pobre, evangelico, começou a desabafar em voz alta, exaltando Bolsonaro e destilando um festival de preconceitos, incluindo homofobia e racismo contra a propria raça. O incrivel eh que o tal pobre de direita foi aplaudido por boa parte dos presentes. Nao eh soh de retrocesso politico que vive o pais. Temos tambem retrocesso intelectual.

Responder

Humberto Barbosa

07 de abril de 2017 às 22h38

Ele tá certo ! Homem culto q vai governar o Brasil !

Responder

Odlan Costa Rh

07 de abril de 2017 às 22h38

Responder

Odlan Costa Rh

07 de abril de 2017 às 22h37

Responder

Odlan Costa Rh

07 de abril de 2017 às 22h36

É a esquerda chora pq não tem o que dizer do cara. Chama ele de corrupto, ladrão da Petrobrás, BNDES, que gastou nosso dinheiro com Porto de Mariel em Cuba para dar aos Russos e refinaria em Pasadena esse #BOLSONARO deixa esses doentes quase infartando por não terem o que dizer sobre ele

Responder

    Silvia Machado

    07 de abril de 2017 às 22h45

    Odlan pra vc

    Responder

    Roberto Alves

    07 de abril de 2017 às 22h47

    Responder

    Roberto Alves

    07 de abril de 2017 às 22h47

    Responder

    Odlan Costa Rh

    07 de abril de 2017 às 22h55

    Emenda do voto impresso que foi vetado pela sua presidente Dilma Rousseff e derrubado o veto pelo senado????agora te pergunto pq ela vetou?

    Responder

    Taiguara Constantino

    07 de abril de 2017 às 23h10

    Voto impresso = cabresto eleitoral.
    “Vai, mostra aí seu comprovante de votação pra saber se vc votou ou não em mim”
    Pq será que não se aprova projetos de lei que são inconstitucionais?

    Responder

    Odlan Costa Rh

    07 de abril de 2017 às 23h20

    Taiguara Constantino então vamos prender quem usou os Correios para se eleger. Vamos falar de cabresto=bolsa família(caso o candidato não seja eleito o outro vai acabar com a bolsa, resumindo ou vota em mim ou tu vai ficar sem nada. Quem é milionário para comprar votos? Opções:
    A)Quem não aceita dinheiro ilícito de empreiteiras, friboi,Petrobras e outras.
    B)Quem pega dinheiros de todos CITADOS acima.

    Responder

    Vitor

    08 de abril de 2017 às 09h09

    Na verdade ele é apenas um idiota…

    Responder

    JULIO CEZAR DE OLIVEIRA

    08 de abril de 2017 às 13h25

    FILHO VOCÊ ESTÁ ENGANADO,NÃO É A ESQUERDA QUE É INIMIGA DO BOSTANORO,O MAIOR INIMIGO DELE É ELE MESMO.

    Responder

Michelle Medeiros

07 de abril de 2017 às 22h32

Texto muito intrigante!

Responder

Matheus Samla

07 de abril de 2017 às 22h32

Comunidade hebraica que não tem hebreus hauahauaha ridículos.

Responder

Carla Costa

07 de abril de 2017 às 22h31

Triste a postura de alguns membros da comunidade Hebraica, mas não é uma surpresa, visto, o que Israel faz com os Palestinos. Acho que um povo que sofreu

Responder

    Regina Araujo

    08 de abril de 2017 às 13h37

    alguém já disse: os palestinos são os judeus dos judeus…

    Responder

    Lilian Cardilli

    08 de abril de 2017 às 17h16

    Serem querer entrar na defesa do governo de Israel que é de direita, que não tem o apoio da maioria dos judeus, vocês não deveriam generalizar! Dá mesma forma que não generalizamos contra os alemães. Israel sofre dia e noite com bombardeios de grupos extremistas.. muitas atitudes do GOVERNO são desaprovadas, mas não podem ser comparadas ao que já sofreu o povo judeu! Procure informar-se sobre o que ocorre lá antes de de falar!

    Responder

Michelle Medeiros

07 de abril de 2017 às 22h28

Reações de um Bolsomito
Ele fala, vc mostra, os seguidores gritam:
-E mentira!
(Vc mostra a fonte, aí vem a réplica)

– Está distorcido!
( Vc mostra o vídeo)

-Não é nesse contexto!
( Vc mostra outros momentos que ele fala a mesma coisa)

– É brincadeirinha dele!
(Vc mostra que pelo bom senso, fere a qualquer ser humano que tenha empatia)

– Ele não falou nenhuma mentira! Vê se ele está em alguma lista de corrupção! E o Lula?
(Vc explica que ser honesto é obrigação, não uma qualidade)

-Esquerdopata! Vá pra Cuba!
(Vc mostra que não é uma questão de pensamento político, é caso de bom senso mesmo)

-Bolsonaro Presidente 2018 Mito
( vc ri do sujeito patético pq já é caso psiquiátrico)

Responder

Marina Boch

07 de abril de 2017 às 19h23

Muito bom! Mas como você bem observou, não há só uma posição na comunidade judaica. A gente tem que se agarrar a isso. Em SP o boicote foi bem intenso, e mudou os planos da diretoria, já no Rio, foi menor e isso abriu a brecha. De qualquer maneira, teremos uma união maior após o manifesto e a mobilização. Temos que partir para cima em respeito à memória dos mais de seis milhões de judeus cruelmente assassinados pelo ódio de uma direita doente. Muito obrigado Bajonas!

Responder

Marlene Glaucia

07 de abril de 2017 às 22h21

São idiotas iguais a ele. ..

Responder

marco

07 de abril de 2017 às 19h18

Esse,é mais um evento,que corrobora a tese,de que Hitler,mandou exterminar, pobres ! E dentre os pobres,milhões de JUDEUS,que nasceram e viveram na Europa,durante a segunda guerra.E também corrobora a tese de que muitos JUDEUS RICOS,apoiaram e ajudaram Hitler. Os filhos e netos desses RICOS,aqui no Brasil,foram os que aplaudiram o SR.BÓSTA-ONARO. São todos portanto,BÓSTA NARIANOS.

Responder

Roberto Barbosa de Souza

07 de abril de 2017 às 22h17

Responder

Gonzales

07 de abril de 2017 às 19h16

Se judeus daqui aplaude um abjeto com um discurso sectário como este, que tipo de argumentos racistas e sectários os judeus de Israel aplaudem sobre os palestinos ? O que me leva a supor as possíveis atrocidades que devem estar acontecendo aos palestinos, provavelmente dignos de Hitler.

Responder

Alexandre Cruz Carvalho

07 de abril de 2017 às 22h15

Existem pessoas, casos raros, que possuem um duto entero-cefálico, ligando o cérebro aos intestinos, uma anomalia que os faz misturar matéria fecal, fezes, com pensamentos, fazendo-os viver em permanente crise existencial, por não saberem exatamente quando estão pensando ou defecando.Professor Stradivárius Silva – Filósofo, pastor e cartomante
Rio, 07/04/2017.

Responder

    C.Poivre

    09 de abril de 2017 às 00h23

    Alexandre, acho que o duto tem uma direção contrária, é dos intestinos para o cérebro, se é que existe massa encefálica neste celerado. Se tiver só o tico e o teco já será muito.

    Responder

Cristiana Grumbach Bronz

07 de abril de 2017 às 22h11

não ajudem a produzir mais ódio, #ocafezinho, seria muito mais justo com a realidade dizer que uma parte, talvez pequena, da comunidade judaica o aplaude. por acaso não viram a manifestação que a outra parte, talvez maior, fez na porta do clube em protesto contra a presença desse sujeito?

Responder

Edivaldo Reis Fonseca Filho

07 de abril de 2017 às 22h08

o que passa na cabeça desses judeus coxinhas pra aplaudir ums pessoa que tem muito em comum com o próprio Hitler.

Responder

Gustavo Rapisarda Arcolini

07 de abril de 2017 às 22h06

São farinha do mesmo saco!!!!!

Responder

Tirza Lima Sobrinho

07 de abril de 2017 às 22h05

Responder

Neli Rodrigues Ramos

07 de abril de 2017 às 22h04

O capeta

Responder

Jorge França

07 de abril de 2017 às 22h02

Já ouvi fala da síndrome de Estocolmo será que existe um síndrome pra isso.

Responder

Dolores Rodrigues

07 de abril de 2017 às 22h01

São realmente judeus ou são convertidos?

Responder

Choisirsonpercolateur

07 de abril de 2017 às 22h00

(y)

Responder

Fabio Fazzion

07 de abril de 2017 às 21h59

Aqui no Brasil é tudo muito estranho, até judeu defende fascista!

Responder

Deixe uma resposta