Comentários sobre o áudio vazado de André Esteves (BTG Pactual)

Gustavo Castañon: para viabilizar Alckmin, grande imprensa precisa manter esquerda desunida

Por Miguel do Rosário

29 de julho de 2018 : 09h52

CONTRA CIRO, ATÉ PEDIR O CUMPRIMENTO DA LEI VIRA ESCÂNDALO

Por Gustavo Castañon

O editorial da Folha de ontem resume a nova frente de investida contra a candidatura Ciro Gomes. Mais do mesmo: escandalizar o que Ciro fala, porque não há escândalos sobre o que ele faz.

Agora distorcem sua declaração de que em seu governo os poderes iriam “voltar para suas caixinhas”.

Ou seja, até pedir que os poderes voltem a agir dentro da lei e da Constituição, sem invadir as atribuições dos outros poderes, vira escândalo contra Ciro na Folha de São Paulo, tucana. Chamam agora o legalismo de”truculência”.

É nesse sentido que Ciro disse que a eleição dele é a única chance de Lula sair da cadeia, afinal de contas, se estivéssemos em normalidade legal, um condenado em segunda instância ainda não estaria preso antes do julgamento dos recursos.

É aquilo, a lei vale para todos, menos para o judiciário que quer ficar acima da Constituição: legislar, governar, executar, eliminar políticos da vida pública sem eleições.

Sem ter tempo de averiguar todas as acusações de corrupção e processos que pesam sobre seu candidato Geraldo Alckmin e sua formidável associação de condenados e acusados que ela chama de “coligação”, a Folha requenta até a declaração de Ciro de 2002 sobre o papel de sua esposa Patrícia Pilar na campanha.

Reproduzir a classificação de “capitão do mato” que as entidades do movimento negro fazem a Fernando Holiday passa a ter “óbvio teor racista”.

Foi em função dessa resposta de Ciro aos ataques do MBL (maior fonte de fake news da internet) que o MP paulista abriu “investigação” sobre Ciro para “apurar se a declaração teve teor racista” (?), mas parece que a imprensa tucana já deu o veredito.

Indignado, Ciro, que nunca processou nenhum adversário pelas centenas de ofensas que já recebeu na vida pública, reagiu à tentativa do MP de interditar o debate e cercear a linguagem política. Estamos virtualmente sob uma polícia da palavra e do pensamento.

Reagindo, a associação de procuradores paulistas classificou como “gravíssima” a “ameaça” de Ciro de lutar para que eles voltem a atuar dentro das suas atribuições constitucionais.

Este será o jogo daqui para frente senhoras e senhores.

Por que?

Por dois motivos básicos.

A oligarquia judiciária, a nova nobreza que trabalhamos para sustentar, não quer ameaças a seus privilégios legais e financeiros e tem na mídia sua principal parceira.

Todos já sabem que o Judiciário e o Ministério Público querem agora legislar, executar, bloquear, e escolher os candidatos em nome dos eleitores.

Como se eles fossem menos corruptos que os outros poderes.

Hoje, no Brasil, das prefeituras às autarquias federais, toda a máquina pública está sendo progressivamente paralisada pelo excesso de órgãos de controle e suas burocracias de funcionários públicos imoralmente remunerados, uma verdadeira nobreza financiada com dinheiro público de um país de pobres e miseráveis que não se importa com a economia real e a fonte de seus salários.

Quando Ciro fala em eliminar privilégios e respeito à Constituição eles se arrepiam dos pés a cabeça.

O segundo motivo é a unidade da esquerda.

Ciro tem dez dias para se viabilizar como favorito ao pleito de 2018. Para isso ele precisa do apoio do PSB e talvez do PCdoB. Isso garantiria o tempo de TV e palanques que poderiam o colocar na liderança da disputa.

O “momento Ciro” ainda não chegou. Ele chegará na hora certa com tempo suficiente de TV e o começo dos debates. Ainda assim ele já está em terceiro lugar.

Mais ainda, a imprensa paulista, acobertadora de Alckmin, Temer, de seus processos e de sua “coligação”, tem agora dez dias para garantir que a esquerda fique desunida.

Uma aliança entre as duas maiores lideranças da centro-esquerda hoje selaria o destino do golpe e das eleições.

Já uma eventual candidatura do PT que não Lula, contra Ciro, além de poder tirar a esquerda do segundo turno, pode garantir a vitória da direita se chegar a fase final.

Portanto, a prioridade do golpe agora é manter a esquerda desunida.

Teremos dez dias de espancamento de Ciro e intrigas entre ele e Lula.

Ontem, por exemplo, uma simples constatação de Ciro de que era concorrente de Lula e do PT no momento, gerou escândalo na Folha pelo uso da palavra “antagonista”.

Ciro sempre disse que a prisão de Lula era arbitrária porque ainda não transitou em julgado, sempre o reconheceu como maior líder popular do país, sempre disse que a aspiração por sua candidatura era legítima mas inviável politicamente e juridicamente por causa da lei que o próprio PT inventou e sancionou (ficha limpa) e sempre disse que Moro era um juiz que gostava de holofotes e desafiava a lei e a constituição.

Mas nada disso parece ser suficiente para o PT ou merece destaque na imprensa.

O jogo é pressionar Ciro para inibi-lo de fazer declarações de apoio a Lula e ao mesmo tempo amplificar as declarações que podem gerar algum ruído entre eles.

Porque se Lula é hoje uma ideia, Ciro é hoje nossa realidade: nada menos que nossa última chance de continuarmos a ser uma nação.

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

36 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Felipe Pansano

03 de agosto de 2018 às 17h09

Eu voto em Geraldo Alckmin, é o único que esta preparado para ser Presidente do Brasil e tem experiência para saber tirar o Brasil da crise.

Responder

Nelson

30 de julho de 2018 às 17h24

[O PSDB] “é um partido da direita e da direita absolutamente antinacional e dependente”. [Luiz Carlos Bresser Pereira]

Bresser Pereira foi ministro de Fernando Henrique Cardoso, o governo mais corrupto e deletério que nosso país já teve, e um dos fundadores do PSDB.

A declaração dele basta para sabermos a favor de quem vai governar o “picolé de chuchu”, como o denomina o Macaco Simão.

Temer foi colocado no lugar da Dilma para terminar, o mais celeremente possível, o serviço sujo que FHC não conseguira terminar. O serviço sujo de entregar, a megacorporações privadas, todo o patrimônio e todas as riquezas pertencentes ao povo brasileiro.

Já a Alckmin – ou ao Bolsonaro ou Meirelles, caso seja um deles, desgraçadamente a ganhar a eleição – está reservada a tarefa de terminar o serviço sujo que Temer não conseguirá dar por concluído.

Responder

Marcia Candido

30 de julho de 2018 às 08h48

Acredito que na hora certa a candidatura do Alckmin vai decolar. Ele é o candidato mais viável atualmente.

Responder

Pedro Caldas

29 de julho de 2018 às 23h13

Agora é hora de #GeraldoPresidente. O mais preparado pra colocar o Brasil nos eixos e devolver o crescimento. Já fez muito por SP e vai fazer mais ainda pelo Brasil

Responder

    Alan Cepile

    30 de julho de 2018 às 01h46

    Modo de preparo:

    Corte os chuchus, bata no liquidificador, leve ao congelador em formas de picolé e sirva

    Responder

Ana

29 de julho de 2018 às 22h04

Alckmin é com certeza o melhor candidato e tenho certeza que assim que a população tiver a oportunidade de conhecer seu trabalho e suas propostas terão a certeza que Alckmin é a escolha certa.

Responder

    Rosa

    29 de julho de 2018 às 22h28

    Melhor pra quem?

    Responder

    Pedro Caldas

    29 de julho de 2018 às 23h14

    O melhor é Geraldo Alckmin! SP é prova que o homem se garante! 4 mandatos exemplares!

    Responder

    Alan Cepile

    30 de julho de 2018 às 01h37

    Se vc não fosse um perfil eletrônico eu até responderia.

    Responder

Ultra Mario

29 de julho de 2018 às 13h55

Esses jornalões (que mais estão pra revistas de fofocas) ainda tentam enganar o povo com bobagens fúteis, mas o povo está acordando… quando se deixarem conhecer os candidatos de forma honesta, tenho certeza que todas as candidaturas de esquerda vão crescer.

Responder

NeoTupi

29 de julho de 2018 às 13h45

Até hoje não vi Ciro fazer oposição a Alckmin. Sequer colar Alckmin a Temer e ao continuísmo ao golpe.
Se a esquerda se une a Ciro, Alckmin fica sem oposição, pois não terá candidato do PT e do PSOL para criticar o tucano.
Os erros que Ciro está cometendo (e são enormes, como nem citar o Festival Lula Livre em seu facebook e twitter) não são culpa do PT. São culpa de Ciro.

Responder

    Flavio

    29 de julho de 2018 às 13h50

    Não viu porque não quis. Quem não quer ver um coisa geralmente de faz de preguiçoso ou de cego.

    https://youtu.be/pzXTbPdYIRM

    Responder

      Alan Cepile

      29 de julho de 2018 às 16h08

      Faz oposição SEMPRE!

      Acabou de fazer na entrevista ao Reinaldo Azevedo assim como faz em todas as outras.

      Responder

      NeoTupi

      29 de julho de 2018 às 21h08

      Esse vídeo é antigo, de 11 de maio. Sinceramente não vejo ele atacar Alckmin recentemente. No Reinaldo Azevedo na Band ele não fez nenhuma critica a Alckmin, pelo contrário jogou confete falando que era “meu amigo há anos”.
      Ciro tem uma pontaria política muito ruim. Não tem senso de momento. Está sempre atirando errado na hora errada contra a pessoa errada. Tanto é que ele vive tendo que se explicar no dia seguinte.

      Responder

        Alan Cepile

        29 de julho de 2018 às 23h40

        Pq vc parou a frase citada pelo Ciro no “meu amigo há anos”?

        Continue o que ele disse logo após…

        Responder

          NeoTupi

          30 de julho de 2018 às 00h44

          O que ele disse depois foi bla-bla-bla sem nenhum efeito. Disse que a diferença com Alckmin é nas ideias, na política. Muito fraco se não deixa claro as diferenças. Por que não cobrou Alckmin pelo apoio ao golpe, pelo apoio a Temer, pelo PSDB ter votado contra os trabalhadores e o pré-sal, que é o que interessa?
          Ciro em vez de confrontar um golpista, lesador da pátria, cheio de escândalos de corrupção e blindado, o que fez foi contemporizar com Alckmin, fez igual jogo de compadres, como se tivessem acordo de não agressão e de um apoiar o outro no segundo turno.

          Alan Cepile

          30 de julho de 2018 às 01h40

          Se posicionou de maneira CLARA, não há dúvidas quanto a isso.

          E ele estava respondendo uma pergunta do entrevistador, não iria perder tempo com blablabla furado de Lula.

    Raquel Cheiragrade

    29 de julho de 2018 às 20h36

    Acorda! O mundo não gira em torno do PT.

    Responder

Marcelo

29 de julho de 2018 às 13h37

O PT coloca seu “protagonismo” na esquerda acima de tudo, até mesmo do país. Ele NUNCA apoiou nenhum candidato que não fosse dele mesmo. Eliminou Brizola, fez Collor, nos legou Temer e agora parece querer nos presentear com Alckmin. O poder acima de tudo.
Entre o nulo e o PT ficarei com o primeiro.
Nunca mais voto PT. Basta de enganação.

Responder

    Flavio

    29 de julho de 2018 às 13h54

    Somos dois, meu caro. No que depender de mim, o PT morrerá sem votos.

    A Dilma se elegeu em 2014 por parça margem de votos com a ajuda solidária do PDT, PSB e PCdoB. (… e ainda com o Centrão)

    O PT quer brincar de hegemonismo? Ok, que brinque sozinho porque daqui pra frente será assim.

    Responder

Sandro

29 de julho de 2018 às 12h55

e o pior é que a esquerda está caindo direitinho

Responder

Alan Cepile

29 de julho de 2018 às 12h44

Só o PT ainda não percebeu isso.

Caminhamos para uma vitória da direita com a ajuda da esquerda.

Se isso se confirmar só há uma coisa a dizer: O BRASILEIRO MERECE.

Responder

    Sandro

    29 de julho de 2018 às 12h56

    infelizmente tenho que concordar contigo Alan

    Responder

Iuri

29 de julho de 2018 às 12h29

Parabéns pela racionalidade com que tem tratado este momento tão difícil, Miguel, e igualmente minhas felicitações ao Castanon pela brilhante análise ora reproduzida aqui no Cafezinho.

Com todo o respeito ao PT, mas ou é Ciro ou estamos TODOS fadados a um desastre nunca antes visto. E o Lula, claro, apodrecera na cadeia

Estão brincando com coisa SÉRIA, depois não adianta chorar!

Responder

Wilton Santos

29 de julho de 2018 às 12h27

A esquerda não está desunida, muito pelo contrário está unida em torno da candidatura do Lula. De 30 a 40% dos eleitores votarão no Lula no 1º turno. Manuela e Boulos com 1% cada e o Ciro com 5% não representam a dispersão da esquerda.
O PT está certo em insistir na candidatura do Lula, caso contrário estará aceitando os termos dos golpistas. A preferência dos eleitores pelo Lula é um gesto de rebeldia e caso essa eleição ocorra sem a presença do ex-presidente a crise que vivemos se arrastara por mais 4 anos.
A tendência será o agravamento do caos. Greves como a dos caminhoneiros serão constantes e a própria direita sofrerá cada vez mais consequências do golpe.
O PT e o Lula não tem escolha. Devem insistir na candidatura e na mobilização em torno da liberdade do Lula e de sua candidatura. Aceitar os termos dos golpistas é uma ilusão temporária, não são confiáveis.
A única alternativa é confiar no povo, dos votos válidos do Lula chegam a 58%. São muitos votos para serem anulados por meia dúzia de juízes golpistas. Caso isso ocorra a crise que vivemos só tende a agravar ainda mais.
A desistência da candidatura do Lula só beneficia os golpistas e políticos oportunistas e mal caráter como Ciro Gomes. Além disso, o povo não desistiu do Lula, por que o PT iria desistir.

Responder

    CezarR

    29 de julho de 2018 às 16h41

    Colega, em que mundo você vive? Apostar na insustentabilidade do próximo governo? Já te ocorreu, por exemplo, que petróleo e minério de ferro estã voltando a patamares altíssimos e podem voltar a impulsionar a economia? Isso quer dizer que um governo Alckimin vai se aproveitar dessa onda para melhorar um pouco a situação de hoje; claro, nem de longe será um retorno a era lulista, mas comparado com o hoje, será uma franca melhora. Ilude-se a classe média com inundação de artigos importados possibilitados por um câmbio artificial, ficam os ricos mais ricos na especulação, enquanto os pobres poderão voltar a ter um acesso um pouquinho melhor ao emprego, porém, em relações precarizadas de trabalho, muitas vezes informais. Enquanto as coisas vão sendo tocadas, as reformas que trarão prejuízos incalcuáveis à nossos filhos e netos vão passar no Congresso. Está preparado para mais 8 anos de PSDB?

    Responder

      Wilton Santos

      29 de julho de 2018 às 19h02

      O povo brasileiro quer o Lula. Se o ex-presidente não puder concorrer aí sim haverá uma avalanche de votos nulos e brancos que favorecerá à direita. A maioria dos brasileiros não desistiram do Lula, por que o PT deveria desistir? Por que o Lula e o PT deveria aceitar a chantagem dos golpistas e se entregarem sem nenhuma resistência? A desistência da candidatura do Lula seria uma verdadeira traição aos cerca de 40% de eleitores que querem votar no ex-presidente. Se levarmos em conta os votos válidos, são 58% dos votos que daria a vitória ao Lula no 1º turno.

      Não faz o menor sentido o Lula e o PT abrirem mão da candidatura do ex-presidente e apoiar alguém como o Ciro Gomes que vive atacando de forma covarde e desleal o Lula e o PT. O Ciro já chegou ao ponto de atacar os filhos do Lula, endossando os ataques covarde da mídia e insinuando que eles tinha se enriquecido graças às facilidades proporcionadas pelo pai. Já disse que o Lula tem moral frouxa, assim como afirmou no dia da prisão do Lula que ele não é um preso político.

      O Ciro é um verdadeiro cafajeste que não merece a consideração do Lula e daqueles que tem consideração pelo ex-presidente.

      Responder

      Rosa

      29 de julho de 2018 às 22h51

      Sim as reformas que trazem prejuízos incalculáveis ao povo brasileiro serão aprovadas no Congresso pois o Congresso é conservador, reaçã. Porque o povo vota em políticos reacas, não é culpa do PT.
      Um presidente de esquerda não pode fazer muita coisa se o Congresso é formado , na sua grande maioria, de políticos conservador, comprado pelas grandes empresas.
      Se o Congresso fosse progressista não tiraria Dilma.

      Responder

    Alan Cepile

    29 de julho de 2018 às 20h06

    Wilton, com todo respeito, seu comentário é a cara do petismo perdido, sem conseguir fazer uma análise do cenário real, o petismo que cria uma verdade paralela que só existe no vosso mundo e que engana o próprio eleitorado e assim causando um desserviço à democracia que foi roubada por inabilidades e amadorismos do próprio PT.

    Dizer que os votos de Ciro/Manuela/Boulos “não representam a dispersão da esquerda” é de uma prepotência que o PT nem estaria em condições de cuspir nos outros, haja visto a lavada histórica que levou nas eleições municipais. Um pouco de humildade seria muito bom.

    Curioso que vc não cita a direita como inimiga, mas cita Ciro Gomes, o pavor de perder a tal “hegemonia” é o que move o PT.

    Se as pesquisas estivessem apontando 100% de transferência de votos eu até reconheceria que a estratégia do PT estaria certa, mas não é o caso, tem lulista disposto a votar em Alckmin e até em Bolsonaro (4 a 6% segundo as pesquisas) e vc aí arrotando caviar tendo comido pão com ovo…

    Insistir com Lula é DERROTA NA CERTA! Quem avisa, amigo é….

    Responder

    Rosa

    29 de julho de 2018 às 22h43

    Faz sentido o que você diz.
    Não podemos aceitar os termos dos golpistas.

    Responder

JC

29 de julho de 2018 às 11h05

Boa parte do eleitorado do Lula acredita que ele será candidato. Honestamente vejo poucas chances. Acho que o próprio PT acredita menos do que eu. Sendo assim, o que custa alinhar os discursos entre a ala lulista até a morte (ou pelo menos que querem se beneficiar da imagem do Lula até quando der) com a ala pé no chão, que tem compromisso maior com o que está em jogo? E porque o Haddad não se apresenta? Não sobe no caixote pra se fazer valer a condição de preposto? Porque se o PT pensa que vai conseguir emplacar gleise ou Celso Amorim, pelamor, encomendem um caminhão de gardenal.
Ciro está se colocando a disposição e seu plano de governo desde o ano passado. Se há convergência, porque não deixar o resto da esquerda que decida a quem se aliar? Porque sequestrar os partidos obrigando-os a aceitar que ou participam da chapa ou serão tratados como adversários (o que na cabeça dos petistas radicais é o mesmo que inimigo).
Ultimamente o PT tem usado a esquerda que ficou de fora dos ataques do ativismo judicial, através da lava jato, pra posar de novo, mas continua com as mesmas práticas rasteiras que o levaram a se corromper.
Manuela já poderia ter sido anunciada como vice. Não o foi porque eles querem tirar o PSB do Ciro, oferecendo essa possível vice ao PSB e colocando o fiel PCdoB como secundário. Tudo isso por causa do tamanho do PSB, não pelo que pensa ou como age.
Não sei de quem parte esse tipo de comportamento. Espero que não seja do próprio Lula…

Responder

Dio

29 de julho de 2018 às 10h41

Erro do pt: falar com a imprensa golpista.
Quem não sabia q a folha não ia fazer isso?
Distorcer e mentir fazem com excesso.
Pq insistir ainda em se expor desse jeito?
Parece q o pt não aprende…
Ah é, dessa vez foi ciro…

Responder

Alex

29 de julho de 2018 às 10h35

Lula livre!
Mariele presente!

http://novoexilio.blogspot.com/2018/07/por-que-eu-matei-marille-por-alexandre.html?m=1

Compartilhe

Responder

Eddie

29 de julho de 2018 às 10h34

PDT, PCdoB, PSOL….já pensou?
Deixa o PT com o índio…
Esquerda unida! Sem PT na chapa!
Uma chance para o Brasil!
#ciro2018

Responder

    Dio

    29 de julho de 2018 às 10h39

    Acho ótimo desse jeito.
    Se 2 não querem união no 1° turno, melhor cada um seguir com sua estratégia.
    Sem pressão e chantagem para aderir a chapa do outro. Sem “guela abaixo”.

    Responder

      Alan Cepile

      29 de julho de 2018 às 16h16

      Não dará certo… Precisamos do PT e do PSB junto na chapa.

      Assim como vcs eu tb estou P com o PT, mas não é hora de fazer divisões baseadas em picuinha. Se o PT quiser ficar sozinho então que fique e que responda, perante o povo sua decisão e que arque com as consequências de sua escolha.

      O PT ainda é bem vindo, vamos construir e vencer essa eleição que será a única forma de derrotar o golpe, não há outra.

      Responder

Deixe um comentário

Parlamentarismo x Semipresidencialismo: Qual a Diferença? Fernanda Montenegro e Gilberto Gil são Imortais na ABL: Diversidade Auxilio Brasil x Bolsa Família: O que mudou? As Refinarias da Petrobras À Venda pelo Governo Bolsonaro O Brasileiro se acha Rico ou Pobre?