Cafezinho 5 minutos: o conceito de autocrítica

A autocrítica de Brizola: grande erro da esquerda foi esquecer a classe média

Por Miguel do Rosário

14 de novembro de 2018 : 15h45

Leonel Brizola não tinha medo de autocrítica. Numa de suas entrevistas, concedidas logo após chegar do exílio, o líder trabalhista afirma que um de seus principais erros, e de toda esquerda, foi esquecer a necessidade de colaboração da classe média. Por essa razão, Brizola estava decidido a “não radicalizar” e a se afastar do que ele chama de “pequena burguesia radicalizada”.

A lição vale para a esquerda hegemonista de hoje, visto que a vitória de Bolsonaro foi construída, essencialmente, sobre o voto da classe média. Bolsonaro obteve maioria esmagadora da classe média, ao passo que o candidato do PT sofria de rejeição monstruosa nesses setores, que às vezes superam os 70%.

Assista ao trecho:

A íntegra da entrevista, concedida ao Canal Livre, em 1980, está aqui.

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

7 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Ioiô de Iaiá

18 de novembro de 2018 às 13h41

Por falar em Brizola, tem jornalista costeando o alambrado. Em vez de ajudar, atrapalha, igual ao Ciro.

Responder

Álvaro

17 de novembro de 2018 às 05h50

Esse blog tá bolsonarizando!

Responder

Paulo

14 de novembro de 2018 às 18h57

O difícil é dizer isso ao MST, ao MTST, ao PSOL…

Responder

Juba

14 de novembro de 2018 às 17h18

brasil virou uma kakitocracia fascista.

Responder

PETER PENDRAGON

14 de novembro de 2018 às 16h40

Com Brizola não tinha essa babaquice de politicamente correto, ideologia de genero, gayzismo, feminismo e toda essa perverção da escola de Frankfurt.

Responder

    Rodrigo

    18 de novembro de 2018 às 21h44

    Ah, vai te lascar. Ass: escola do capão redondo

    Responder

Nostradamus ( poltrona & livros )

14 de novembro de 2018 às 16h19

Querido Miguel, por mais que você se esforce por contradizer o momento histórico é outro. O Brizola estava voltando e querendo conquistar até para mesmo poder andar na rua. Ora não radicalizar!!! Nunca no Brasil os direitos todos estiveram tão ameaçados como agora!!! Não radicalizar significa bolsonarizar!!! Não vem com essa conversa que foi assim na Alemanha nazista até que todos estavam com o Fürer que então exterminou judeu, comunista, homossexual, trabalhador, acabou sindicato…

Responder

Deixe uma resposta

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com