Juliana Brizola e Tulio Gadelha falam sobre o caso Tábata

Paulo Pimenta, líder do PT na Câmara. Foto: Ananda Borges/Câmara dos Deputados

Pimenta nega que o PT tenha “traído” Maia

Por Redação

12 de fevereiro de 2019 : 10h54

Em entrevista ao Estadão, o líder do PT na Câmara dos Deputados, respondeu ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia, que havia dito, em entrevista ao mesmo jornal, que havia feito um acordo com o PT, e que ele, Maia, teria sido “traído”.

***

No Terra

PT nega que traiu Rodrigo Maia durante eleições na Câmara

Líder do partido na Câmara afirmou que acordo com Maia nunca foi fechado e que o PT decidiu não apoiar o então candidato após reforço do PSL

Por Camila Turtelli e Lorenna Rodrigues

11 FEV 2019 18h13 atualizado às 18h18

BRASÍLIA – O líder do PT na Câmara, Paulo Pimenta, nega que o partido traiu Rodrigo Maia (DEM-RJ) ao não integrar o amplo bloco que apoiou sua reeleição à presidência da Câmara dos Deputados, no dia 1 de fevereiro. Em entrevista ao Estadão/Broadcast neste fim de semana, Maia afirmou que o PT tinha feito um acordo com ele.

“Na verdade, se alguém ali foi traído, fui eu. Eles vieram aqui em casa. Mas eu disse que eu ia trazer o PSL antes porque não podia ser candidato de oposição. Eles falaram que não tinha problema nenhum. ‘Você traz o PSL e depois a gente vem.’ Então, se alguém traiu ali, foi o PT”, disse Maia na entrevista.

Pimenta diz que esse acordo nunca foi de fato fechado e que o partido decidiu não endossar a reeleição de Maia justamente depois que aliança entre o demista e partido de Jair Bolsonaro começou a se desenhar. “Se cogitou a possibilidade de uma discussão de natureza institucional do partido ter dentro da Casa, um espaço proporcional ao seu tamanho”, disse Pimenta.

Segundo ele, esse acordo não envolvia incluir pautas e conteúdos. “Quando Maia chamou o PSL, ele não chamou como uma questão institucional. É uma pauta. Envolvia Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania, de Fiscalização e Controle, acordo sobre pautas de votação. Evidentemente que quando ele faz isso, ele impede qualquer discussão de natureza institucional”, afirmou Pimenta.

O líder do PT acredita ainda que Maia se envolveu na disputa sobre o desenho da oposição. O presidente da Casa conseguiu consolidar alianças inclusive com PDT e PCdoB para sua reeleição. Ao fechar os blocos partidários na Câmara, no entanto, houve uma subdivisão entre todas as legendas que davam base a Maia, que criaram dois grupos e abocaram as principais posições na Casa, na Mesa Diretora e Comissões.

“Acho que o Maia errou de novo quando ele se envolveu na disputa sobre o desenho da oposição no Brasil”, disse Pimenta. “Ele perdeu mais uma vez a possibilidade de ter uma postura institucional como presidente. Ele tentou criar um bloco fake e qual objetivo? De tirar da oposição o direito de ter o segundo maior bloco da Casa? De novo ele errou”, disse.

Divididos em dois blocos, os partidos da esquerda começaram uma disputa pelas lideranças da oposição e minoria na Câmara. O bloco formado por PT/PSB/PSOL/Rede quer ficar com ambas as estruturas, mas se vê ameaçado pelo PDT e PCdoB, que formaram um grupo com outras sete legendas para garantir espaços na Mesa Diretora e a liderança de comissões.

As lideranças da minoria e da oposição são disputadas, porque além de proporcionarem estrutura com gabinete e funcionários, dá aos seus titulares prerrogativas como participar das reuniões do Colégio de Líderes, encaminhar votações, prioridade em discursos e visibilidade.

Segundo Pimenta, a definição sobre essas lideranças ainda está sendo discutida e deve ser resolvida entre os partidos de esquerda dos dois blocos nesta semana.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

7 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

cabra retado

12 de fevereiro de 2019 às 18h09

vai trabaiá pimanta!!! kkkkk

Responder

Paulo

12 de fevereiro de 2019 às 12h35

Só o fato de ter cogitado aliar-se ao Botafogo já demonstra o dualismo moral dos petistas…

Responder

Justiceiro

12 de fevereiro de 2019 às 12h28

Quem traiu quem?
O PT disse que não votaria em Maia pois votaria em Freixo…

MAS, mas dizem por ai que 17 parlamentares do PT votaram em Maia.

O PT traiu Freixo não depositando todos os seus votos nele, ou o PT traiu Maia e lhe negou 39 votos, já que o combinado por baixo dos panos era o PT votar em peso no Botafogo?

Responder

    Bozo & Andrade Artigos para Festas Infantis

    12 de fevereiro de 2019 às 18h56

    Para não ser acusado de discriminação, o PeTeca decidiu trair a ambos!

    Responder

Alan Cepile

12 de fevereiro de 2019 às 11h13

“Você traz o PSL e depois a gente vem”

Sem mais meritíssimo!

Depois a petezada fica chorando feito criança…

Responder

marco

12 de fevereiro de 2019 às 11h08

Continuo esperando suas denuncias irrefutáveis sobre o papel das agências de inteligência dos EUA na origem e práxis da “farsa jato”

Responder

brasileiro

12 de fevereiro de 2019 às 11h01

Para o PT responder à ‘traição de Maia’ é rápido, mas para responder à traição do PCdoB ainda não vi. Essa é a esquerda que Bolsonaro gosta.

Responder

Deixe uma resposta

x