Comentários sobre o áudio vazado de André Esteves (BTG Pactual)

Foto: Cesar Itiberê/PR

Radicalismo anti-Venezuela isola o Brasil no Brics

Por Redação

17 de maio de 2019 : 12h15

O grupo de países que compõe o Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) representa um substancioso naco do PIB mundial, e o Brasil poderia se aproveitar de sua participação para obter financiamentos e contratos junto a governos e empresas desses países, ajudando-nos a superar o momento de recessão.

A China está empenhada, hoje, em levar adiante o mais ambicioso conjunto de obras de infra-estrutura da história da humanidade. É o projeto apelidado de a Nova Rota da Seda. São trilhões de dólares envolvidos. O mundo inteiro tenta participar do projeto. O Brasil poderia usar a guerra comercial entre EUA e China, e sua participação no Brics, para entrar fundo no projeto, oferecendo serviços, produtos, inteligência, o que poderia gerar milhares, quiçá milhões de empregos no Brasil. Ou melhor ainda, a participação brasileira na Nova Rota da Seda poderia ser parte de uma etapa do grande projeto nacional de desenvolvimento que o Brasil precisará, mais dia menos dia, necessariamente, levar a sério.

Todos os países do Brics, com exceção do Brasil, apoiam o regime Maduro, ou antes, são duramente contra o golpe de Estado que os Estados Unidos vem tentando costurar ali dentro, de olho nos vastos campos de petróleo do país.

Reportagem da Folha publicada hoje revela que o isolamento do Brasil no grupo, em função da radicalização da política externa brasileira no tema Venezuela, poderá prejudicar o encontro marcado para novembro deste ano, nos dias 13 e 14, em Brasília.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

8 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

carlos

22 de maio de 2019 às 20h51

Se o Brasil tivesse um presidente com o mínimo de visão e capacidade para governar estaria assumindo uma posição de protagonista e não de coadjuvante em relação aos Brics, e isso passa pela rota venezuelana, canal do panamá e o canal da Nicarágua em construção. Isso sim seria a grande jogada, para se libertar de vez do tal FMI, não gosto de falar dessa sigla.

Responder

Paulo

17 de maio de 2019 às 22h53

O que me preocupa, fundamentalmente, nesse caso, é que, por um lado, temos compromissos políticos históricos evidentes com o Ocidente; e, por outro, temos interesses comerciais conflitantes com esses compromissos. E, o que é pior, ninguém garante continuidade nessa guinada à direita do Estado brasileiro, nem na dos EUA. Tá tudo indefinido e posto na mesa…

Responder

LUPE

17 de maio de 2019 às 14h22

Caros leitores

Quem por “aqui” tá pensando em construir?

A Missão contratada foi destruir, não construir.

Estamos mais para……………….
………. Fuc…………………………. the BRICS!!!!!!

Responder

    LUPE

    17 de maio de 2019 às 14h25

    And…………………………..fuc THE BRICS (Fuc the BRICS organization)………………………

    If we can …………

    (se pudermos……..)

    Responder

manoel

17 de maio de 2019 às 14h16

A “redação” parece que esta tentando uma virada com relação ao governo atual.
Estou rindo às gargalhadas aqui. A história fará justiça.

Responder

    Miguel do Rosário

    21 de maio de 2019 às 05h43

    Que virada? Fiquei curioso agora.

    Responder

Alan C

17 de maio de 2019 às 12h30

Podem desistir, o braZilzinho da bozolândia não vai aproveitar nada, é ignorante demais pra perceber qualquer oportunidade, só está preocupado em ideologia imbecilizante que não traz nada de produtivo ao país, nada mais.

Responder

Sergio Araujo

17 de maio de 2019 às 12h21

Apoiam o regime…tà tudo aì, resumido.

Responder

Deixe um comentário

Parlamentarismo x Semipresidencialismo: Qual a Diferença? Fernanda Montenegro e Gilberto Gil são Imortais na ABL: Diversidade Auxilio Brasil x Bolsa Família: O que mudou? As Refinarias da Petrobras À Venda pelo Governo Bolsonaro O Brasileiro se acha Rico ou Pobre?