Incêndios na Amazonia mobilizam governos do mundo inteiro

A coletiva de Bolsonaro na Argentina

Por Redação

18 de julho de 2019 : 21h00

Ao falar de seu filho, Bolsonaro humilha o ministro das Relações Exteriores na frente dele: “Eu podia tirar o Ernesto do Ministério das Relações Exteriores, nomeá-lo para Washington, e nomear meu filho como ministro, comandando 100 embaixadas no mundo inteiro”.

– Coletiva na Argentina.- O Brasil e o MERCOSUL.

Posted by Jair Messias Bolsonaro on Wednesday, July 17, 2019

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

3 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Paulo

18 de julho de 2019 às 21h57

Discordo da indicação do Eduardo – ele claramente não tem as melhores qualificações para o exercício da missão -, mas não acho que houve humilhação ao Ernesto Araújo. Aliás, eu não me surpreenderia se ele até preferisse Washington a Brasília…

Responder

NeoTupi

18 de julho de 2019 às 21h36

Meu Deus! Falta muito ainda para chegar a estatura de um chefe de República de Bananas.
Bozo não tem noção da qual a função de um embaixador. Não é alguém que seja amigo do Rei. O perfil deve ser de um hábil negociador e com conhecimento geopolítico.
Ainda por cima, é tão burro que ele se rebaixa a ponto de se tornar irrelevante. Que grande economia mundial vai negociar sério com um presidente brasileiro que se coloca como apêndice de Trump? Vai negociar diretamente com Trump e pedir para Trump trazer o voto do Bozo junto na ONU, na OMC, em qualquer fórum.
E não existe isso de embaixador “dar um telefonema”. O departamento de estado dos EUA é profissionalíssimo, tem agenda e metas na política externa que transpassam governos. Precisa de alguém que entenda isso para ser um bom embaixador lá, para saber negociar, sem fazer estragos econômicos e estratégicos para o Brasil, que até recentemente se relacionava muito bem com praticamente todos os países do planeta.

Responder

chichano goncalvez

18 de julho de 2019 às 21h36

É uma cratera de idiotices, cmo pode um presidente a cada dia falar besteira em cima de besteira, ele consegue bater o seu proprio record de bobagens no mesmo dia. Não é de se estranhar: aposentado por debil mental, expulso de uma escola, éstá tudo normal.

Responder

Deixe uma resposta