Incêndios na Amazonia mobilizam governos do mundo inteiro

Margaridas já estão em Brasília!

Por Redação

13 de agosto de 2019 : 10h58

Milhares de Margaridas estão a caminho da maior ação de mulheres da América Latina

Nesta segunda-feira (12), dia que completam 36 anos do assassinato de Margarida Maria Alves, símbolo da maior ação de mulheres da América Latina, milhares de Margaridas de todo o Brasil e de outros 26 países estão a caminho de Brasília rumo a Marcha das Margaridas 2019, nos dias 13 e 14 de agosto.

Estão nos milhares de ônibus, centenas de barcos, de avião, carro e muitas moram aos arredores da capital federal… Seja da forma que for, todas trazem em suas bagagens a força e a coragem para lutar por um Brasil com soberania popular, democracia, justiça, igualdade e livre de violência.

As caravanas começam a chegar na madrugada do dia 13 no Pavilhão do Parque da Cidade. Às 9h, será realizada uma Sessão Solene no Plenário Ulysses Guimarães, na Câmara dos Deputados, em homenagem às Margaridas. A partir das 14 horas serão realizadas atividades simultâneas no Pavilhão do Parque da Cidade: oficinas, plenárias, painéis, Mostra das Margaridas, rodas de conversa, lançamento de Cartilha, entre outras. A abertura oficial será às 19h, seguida de noite cultural.

A “grande marcha” será no dia 14 (quarta-feira). A concentração será a partir das 6h, no Pavilhão do Parque da Cidade, com saída prevista às 7h em direção à Esplanada dos Ministérios, onde será feito o encerramento por volta de 11h nas proximidades do Congresso Nacional.

Para as Margaridas, marchar em Brasília reúne grande valor político e simbólico. Em marcha, fazem ecoar a importância do trabalho exercido pelas mulheres, ainda invisibilizado, e afirmam a necessidade de um país que assegure ao seu povo direitos capazes de promover justiça social e igualdade, principalmente às mulheres e às populações negras, que vivem de forma mais intensa os efeitos das desigualdades, da fome e da violência. “Diante da importância da Marcha das Margaridas, construída em seus 20 anos de história, a CONTAG e organizações parceiras convidam todas e todos a estarem conosco, principalmente no dia 14 de agosto, em defesa dos direitos e dos interesses das mulheres do campo, da floresta e das águas”, convida Mazé Morais, secretária de Mulheres da CONTAG e coordenadora geral da Marcha das Margaridas.

Quem são as Margaridas?

São as mulheres trabalhadoras do campo, da floresta e das águas que, em marcha, tecem suas experiências comuns de vida e luta. A Marcha tem como força inspiradora a luta de Margarida Maria Alves, uma mulher trabalhadora rural nordestina, que rompendo com padrões tradicionais de gênero ocupou, por 12 anos, a Presidência do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Alagoa Grande, na Paraíba.

Líder sindical bastante influente, construiu uma trajetória sindical de luta pelo direito à terra, pela reforma agrária, por melhores condições de trabalho e contra as injustiças sociais e o analfabetismo.

No dia 12 de agosto de 1983, esta grande lutadora do povo foi brutalmente assassinada, na porta de sua casa. Seu nome se tornou um símbolo nacional de força e coragem cultivado pelas mulheres e homens do campo, da floresta e das águas. É em nome dessa luta que a cada quatro anos, no mês de agosto, milhares de Margaridas de todos os cantos do País marcham em Brasília, num clamor por justiça, igualdade e paz no campo e na cidade.

Quem coordena?

É coordenada pela Confederação Nacional dos Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares (CONTAG), suas 27 Federações e mais de 4 mil Sindicatos de Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais filiados. A Marcha das Margaridas se constrói em parceria com 16 movimentos feministas e de mulheres trabalhadoras, centrais sindicais e organizações internacionais.

Credenciamento de Imprensa

Os profissionais de imprensa que fizeram o credenciamento prévio poderão retirar os crachás durante todo o dia nesta terça-feira (13) na Entrada A do Pavilhão do Parque da Cidade. Quem ainda não fez, o sistema eletrônico de credenciamento já foi encerrado, mas será possível fazer no local, de forma manual, também na Entrada A do Pavilhão.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

5 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Vinícius

13 de agosto de 2019 às 21h21

… ocorreram …
Kkkkk

Responder

Netho

13 de agosto de 2019 às 15h08

O posto Ipiranga já começou a preparar a sua saída à francesa.
Já começou a dar desculpas esfarrapadas.
O posto Ipiranga já produziu a primeira recessão de 2019 que já está espetada na conta do miliciano do Alvorada.
O posto Ipiranga precisa de um vaso sanitário bem grande para poder depositar as suas obras geniais de recessão sobre recessão, desemprego em massa e lucro bilionário dos bancos.

Responder

Guilherme Nagano

13 de agosto de 2019 às 11h05

Em Brasília, mesmo protesto de sempre! Atrapalhando vidas sem mostrar alternativas!

Responder

    Vinícius

    13 de agosto de 2019 às 21h19

    Kkkkk
    Provavelmente vc não mora em Brasília!!!
    O trânsito aqui fluiu como sempre.
    Os dois eventos de hoje, mulheres indígenas e estudantes, ocorreu qd não há trânsito pesado. Foi entre 9hs e 14hs.
    O de amanhã, das Margaridas, tb.
    Acorda, companheiro!!!! Vá se informar melhor!!
    Kkkkk

    Responder

      Vinícius

      13 de agosto de 2019 às 21h20

      … ocorreram…
      Kkkkkk

      Responder

Deixe uma resposta