Live do Cafezinho: balanço dos partidos de esquerda

Live do Cafezinho (18:30): a hora e a vez de Martha Rocha

Por Redação

28 de outubro de 2020 : 17h58

Miguel do Rosário e Pedro Breier conversam com Paulo Ramos, deputado federal pelo PDT-RJ, sobre as perspectivas eleitorais de Martha Rocha, candidata a prefeita no Rio de Janeiro.

Conversamos também sobre a conjuntura nacional e analisamos as últimas pesquisas.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

5 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Alan C

28 de outubro de 2020 às 23h01

As verdades precisam ser ditas. Um ladrão, quando flagrado no roubo, vai dizer que a justiça o está “atacando”, entende?…E o Cafezinho é um dos únicos, senão o único, que faz isso da forma HONESTA que deve ser feita.
Quanto a esse papo chato de união, fiquem tranquilos, ela será feita no momento certo, decidida pelo eleitorado, em 2018 os eleitores do Ciro votaram no poste, o nome disso é união… por isso que o Freixo, se é que queria mesmo ser candidato, cometeu um erro do tamanho do universo tendo desistido com aquele papinho que convenceu só os incautos.

Responder

Alexandre Neres

28 de outubro de 2020 às 20h28

Não sou do Rio e conheço pouco a Martha Rocha. Nunca a vi ser criticada nos blogues progressistas. O fato de ser apoiada pelo Orlando Zaccone,por exemplo, a credencia. Não sei se é uma delegada de esquerda como disseram, pois já li que era liberal. De todo modo, vislumbrar uma vitória dela no Rio parece auspicioso em meio a um cenário de terra arrasada, quanto mais derrotando Crivella e Paes. Acho só que deveriam conter o Miguel do Rosário para que parasse de atacar ininterruptamente a esquerda, pois isso pode vir a atrapalhar a Martha. Também acho bonitinho ver a euforia de certos neotrabalhistas, parece que conquistar tal prefeitura está acima das suas possibilidades. Falam até em levar o Ciro pra lá. Até hoje não aprenderam que as eleições paroquiais não guardam relação com as nacionais. Vertigem de pouca altura. Enfim, boa sorte a ela!

Responder

    NeoTupi

    29 de outubro de 2020 às 15h17

    Moro no Rio. Regra geral só voto no PT, PCdoB ou, mais recentemente, também no PSOL, pois são partidos que 100% da bancada no Congresso não votam contra o trabalhador. Quando o PDT tinha Brizola, Darcy Ribeiro, prestistas votava no PDT, que no Rio tinha um perfil muito mais combativo e de esquerda.

    Mas num segundo turno entre Martha x Paes, claro que voto em Martha, até porque Paes votou no golpe contra Dilma através de seu braço direito Pedro Paulo.

    Mas não vejo Martha como representante da esquerda, e não sei como ela se comportará se ganhar. Em pautas identitárias, feministas, direitos humanos, da educação, como deputada ela vota como esquerda. Também votou contra privatização da Cia de Águas. Em pautas de segurança e orçamentárias dizem que ela votou com Witzel. Votou com a direita para dar medalha Tiradentes (maior homenagem da Assembléia) ao Moro em 2019 quando já era ministro do Bozo e em plena vaza jato bombando no The Intercept. Em 2014 se elegeu pelo PSD, partido de direita, que era base do Pezão/Cabral naquela eleição e apoiava Cesar Maia para o senado. Para o Tribunal de Contas já votou em Domingos Brazão, envolvido em várias investigações criminais, inclusive depois foi denunciado pela Raquel Dodge como um dos mandantes do assassinato de Marielle Franco e Anderson. Provavelmente seguiu orientação do partido, não sei.

    Mas nunca vi ela se destacar como uma liderança de esquerda, mobilizar por nossas bandeiras de esquerda. Sequer sei se alguma vez na vida ela se manifestou claramente contra o Bozo. A atuação dela é muito discreta, parece perfil de baixo clero, por isso para mim é uma incógnita.

    O carro chefe de sua campanha é segurança pública, falando na prática em colocar a guarda municipal para fazer policiamento ostensivo (algo controverso, pois sobrepõe com funções da PM e creio que exigiria armar a guarda municipal). Crivella já fez mais ou menos isso com o programa Rio Mais Seguro, acho que sem armas (não tenho certeza), para combater pequenos crimes. Em educação fala em retomar o programa dos Cieps, mas até agora não entendi muito bem o que isso significa, se é construir mais substituindo escolas antigas, se é ampliar o horário integral, já que César Maia e Eduardo Paes também disseram que retomaram, mas são poucas as escolas que tem horário integral.

    O que eu duvido é que o PDT apoiasse Benedita se ela fosse ao 2o.T contra o Paes, pois o PDT preferiu fazer alianças com o DEM (onde Paes está hoje). Estou curioso para ver também o que o PDT fará em SP se Boulos ou Tatto for ao 2o.T. Márcio França sempre foi mais próximo do PSDB (foi vice do Alckmin) e muito provavelmente apoiará Covas.

    Responder

José de Souza

28 de outubro de 2020 às 19h02

parei de ver a partir dessa besteira falada pelo Paulo Ramos. Claro que Freixo tinha resistências a uma coligação ampla dentro do PSOL. Mas ganharia a disputa interna sem problemas. Com alguns arranhões, com certeza, mas ganharia. MAs elesacou que nunca PT e PDT viriam juntos com PSOL na segunda maior capital do país. A esquerda, de uma forma geral, tem lideranças hegemonistas e arrogantes, lamentavelmente. A culpa da falta de unidade das esquerdas é sempre do outro. Cansativo isso, viu. Por isso a direita sapateia.

Responder

Paulo Cesar Cabelo

28 de outubro de 2020 às 18h36

Há uma pesquisa interna do DEM que indica que ela já passou o “bispo”.
O pessoal da campanha dela tinha que mandar o Miguel parar de atacar o PT e o PSOL , ela precisará dos votos desses partidos no segundo turno.
Como sempre a incompetência e o sectarismo de Miguel do Rosário atrapalham a esquerda.

Responder

Deixe uma resposta