Live do Cafezinho: balanço dos partidos de esquerda

Capitão Wagner é desmentido por jornalista após tentar apagar sua chefia no motim da PM do Ceará

Por Redação

20 de novembro de 2020 : 14h50

No primeiro programa eleitoral do 2° turno, o candidato a Prefeito de Fortaleza, Capitão Wagner (PROS), usou o espaço para tentar apagar sua relação com o presidente Jair Bolsonaro e a liderança no motim da Polícia Militar do Ceará no início deste ano.

Em um dado momento do programa eleitoral, o bolsonarista usa a coluna do jornalista Érico Firmo, do Jornal O Povo, publicada em 05 de fevereiro deste ano, para tentar convencer os eleitores de que não liderou o movimento ilegal que aterrorizou o estado por 13 dias e causou 312 homicídios.

Porém, na coluna publicado nesta sexta-feira, 20, o colunista do O Povo, um dos jornalistas mais respeitados do Ceará, afirma que o candidato do PROS usou o texto que foi publicado antes do estopim do motim.

“Wagner também citou, novamente, uma coluna que eu escrevi, na qual dizia – e salientei na época – que até o fechamento daquela coluna, o Capitão vinha sendo cuidadoso nas manifestações que vi. Era duas semanas antes da eclosão do motim”, afirma Érico.

Para ler a coluna completa, clique aqui.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

3 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Netho

21 de novembro de 2020 às 14h32

A bem da verdade factual e do espírito crítico, para não falar da independência e autonomia do jornalista com J, Érico ficou devendo quanto a consignar – e não lhe falta espaço na coluna que assina em O POVO -, para enfileirar seu juízo e análise a respeito do candidato de oposição e sua real associação às forças militares e policiais e o seu papel no motim. Ficou longe, muito longe disso. Por quê?!

Responder

Gilmar Tranquilão

20 de novembro de 2020 às 15h37

Que fotinha fofa!!! kkkkkkkkkkkkk

Responder

chichano goncalvez

20 de novembro de 2020 às 15h32

Somente em um pais de analfabetos politicos, gente maldosa, e sem nenhuma memoria para votar em milico. Quem precisa de milico, só os maus; gente do bem, isto é, seres humanos não precisam, nós sabemos o que é certo e o que é errado, fora milicos, já, e foras essa quadrilha que esta no poder,m pior que a mafia.

Responder

Deixe uma resposta