Comentários sobre o áudio vazado de André Esteves (BTG Pactual)

André Figueiredo: O trabalhismo cresce e incomoda

Por Redação

09 de dezembro de 2020 : 11h23

Por André Figueiredo

As eleições municipais terminaram e, entre mortos e feridos, o PDT e outras legendas do campo progressista resistiram bravamente a mais uma onda conservadora.

Houve derrotas amargas, mas heróicas, como a dos companheiros Guilherme Boulos, em São Paulo, e Manuela D`Ávila, em Porto Alegre, a quem apoiamos. Parabenizo-os carinhosamente, e agradeço às suas militâncias e simpatizantes pelo alto nível de suas campanhas.

O PDT conquistou 314 prefeituras, entre as quais duas capitais, e cada vitória foi conquistada com muita luta e trabalho. Também não foi nada fácil eleger 3.441 vereadores em todo o Brasil!

Em Fortaleza, houve uma batalha particularmente dura, mas vencemos através da formação de um grande arco de alianças, que foram fundamentais não apenas para a eleição de um candidato sério e honesto, como José Sarto, como sobretudo para lhe garantir uma administração estável e politicamente forte.

A aliança entre PDT e PSB sai dessa eleição muito fortalecida. Ganhamos em Recife, Fortaleza, Maceió e Aracaju. Disputamos juntos outras importantes capitais, como Rio, São Paulo, Porto Alegre e Goiânia, onde não vencemos mas tivemos bom desempenho na eleição majoritária.

Entretanto, nossas alianças se ampliaram para outros partidos, e ganhamos eleições também em Salvador, com uma chapa encabeçada pelo DEM, e Natal, com chapa liderada pelo PSDB.

As alianças cumprem um objetivo estratégico: desarmar a polarização despolitizada e sem projeto que tem consumido o Brasil nos últimos anos, tensionando nossas instituições, esgarçando relações pessoais, e trazendo inclusive o risco de novas rupturas democráticas. Ou seja, são alianças pensadas não apenas no fortalecimento de nosso partido, mas na estabilidade institucional do país.

Agora esperamos que essas alianças se reflitam também no Congresso Nacional, e que nossos partidos possam agir conjuntamente para frear os ímpetos autoritários do presidente Jair Bolsonaro, preparando desde já uma transição tranquila para o próximo governo, o qual, se Deus quiser, será um governo bem melhor que o atual.

O PDT procura estabelecer, para si mesmo, a imagem de um partido moderado, razoável, com capacidade de costurar alianças para fora do âmbito da esquerda, e ao mesmo tempo portador de um projeto de desenvolvimento audacioso e moderno.

Para nos ajudar no intento, temos uma liderança, Ciro Gomes, que já desponta nas pesquisas presidenciais como um dos adversários mais competitivos do atual presidente.

Diante de perspectivas tão favoráveis para esse novo campo progressista, do qual somos um dos porta-vozes, é inevitável que se ergam incompreensões, animosidades, e, infelizmente, calúnias.

Um dos sintomas mais emblemáticos do crescimento do PDT é o florescimento de uma militância jovem, arejada, combativa, e que não deixa nada sem resposta. Algumas forças políticas não estavam preparadas para isso e reagem tentando desacreditar a nossa “turma boa”.

Pois acostumem-se, companheiros! O PDT tem sua militância, auto-organizada, espontânea, vibrante, viva!

É uma militância bem humorada e criativa, mas que tem dentes, e sabe reagir à altura quando identifica que nossas lideranças estão sendo criticadas ou atacadas injustamente, com manipulações e fake news.

A única orientação que damos à nossa militância é que ela procure sempre se comportar com educação e respeito, sem deboche, sem ridicularizar ninguém, sem linguagem chula e, naturalmente, sem nenhum tipo de preconceito.

Temos muito orgulho da nossa militância, que não tem outro “chefe” além do bom senso natural de cada um!

Entretanto, já ficou bastante evidente uma coisa: nossa “turma boa” da rosinha vermelha vem causando bastante incômodo nas gangues que representam o lado mais rançoso e atrasado da política brasileira!

André Figueiredo é deputado federal (PDT-CE) e líder da Oposição na Câmara dos Deputados

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

5 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

carlos

10 de dezembro de 2020 às 10h18

Incomoda bastante, 12% a menos atrapalha muito.

Responder

Batista

09 de dezembro de 2020 às 14h37

Tem algo mais escamoteador que alegar vitória em eleições municipais, sabendo-se que ambos partidos, fazem parte do ‘balcão de legendas’ que as lastreiam sem compromissos ideológicos, interior adentro e Brasil afora, e que somados tiveram o ‘estrondoso sucesso’ de, em 2020, obterem 4,2 milhões de votos a menos (-30%) e 935 vereadores a menos (-13%), em relação a eleição de 2016.

Tem algo “mais rançoso e atrasado da política brasileira”, que dizer-se progressista (socialista ou trabalhista), e votar contra o socialismo, o trabalhismo e os interesses mais fundamentais da maioria do povo brasileiro, nas reformas, trabalhista em 2017, da previdência em 2019 e no golpe em 2016, com os 35 votos fundamentais dados a favor do golpe da classe dominante, em 50 possíveis (70%), que atolou o pais no brejo econômico e político, onde se encontra ainda hoje, agora desgovernado pelo incrível estagiário eleito em 2018, para poderem ‘derrotar o PT’, por ação ou omissão.

Responder

André

09 de dezembro de 2020 às 13h45

Segue uma resposta do meu xará do PDT, autor do texto, para o tal do Rovai, da revista fórum:

https://portaldisparada.com.br/wp-content/uploads/2020/12/ANDR%C3%89-FIGUEIREDO-O-trabalhismo-cresce-e-incomoda-as-gangues-do-atraso-trabalhismo-pdt-2-543×1024.jpeg

Responder

Adevir

09 de dezembro de 2020 às 11h27

Incomoda pq atrapalha!

Responder

    Jerson

    09 de dezembro de 2020 às 14h25

    Boa… kkkkkkkk

    Responder

Deixe um comentário

Parlamentarismo x Semipresidencialismo: Qual a Diferença? Fernanda Montenegro e Gilberto Gil são Imortais na ABL: Diversidade Auxilio Brasil x Bolsa Família: O que mudou? As Refinarias da Petrobras À Venda pelo Governo Bolsonaro O Brasileiro se acha Rico ou Pobre?